Publicado por: mvmportugues | janeiro 12, 2017

O CAMINHO DA FÉ – Isaías 41:8-13

Isaías 41 vs 8-13 (P).png

Introdução: Mesmo em tempos difíceis, os seguidores de Jesus Cristo podem escolher andar na fé e não no medo. O nosso relacionamento com o Senhor nos dá a capacidade de enfrentar dificuldades com confiança em Sua provisão e cuidado. Como filhos de Deus, podemos descansar na promessa do Pai de que Ele suprirá todas as nossas necessidades. “O meu Deus suprirá todas as necessidades de vocês, de acordo com as suas gloriosas riquezas em Cristo Jesus.” (Filipenses 4:19) 

   I. O medo não se encaixa quando somos filhos de Deus. 

  • O Senhor diz: “Por isso não tema, pois estou com você; não tenha medo, pois sou o seu Deus. Eu o fortalecerei e o ajudarei; eu o segurarei com a minha mão direita vitoriosa.” (Isaías 41:10) 
  • Um espírito temeroso não é de Deus, como 2 Timóteo 1:7 afirma: “Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, de amor e de domínio próprio.” Se a ansiedade te impede de descansar à noite ou dificulta sua obediência, você não está demonstrando confiança no Senhor. A fé genuína e o medo esmagador são incompatíveis. 

II. O medo afeta uma pessoa de muitas maneiras diferentes. Como: 

  • Provoca confusão. Uma pessoa medrosa terá dificuldade em pensar com clareza. “Confie no Senhor de todo o seu coração e não se apóie em seu próprio entendimento; reconheça o Senhor em todos os seus caminhos, e ele endireitará as suas veredas.” (Provérbios 3:5-6) 
  • Contribui para a indecisão. Quando alguém tem medo de cometer um erro, ele ou ela muitas vezes levam tempo para tomar qualquer decisão. 
  • Nos impede de realizar a vontade de Deus. Uma pessoa temerosa perde oportunidades porque eles esperam falhar. 
  • Danifica a nossa confiança. Pessoas assustadas podem parecer inseguras e incompetentes porque duvidam de sua capacidade de sucesso. 
  • Afeta nossos relacionamentos. Faz com que cometemos grandes erros, caros e até mesmo desastrosos. 
  • Pode levar a intenso pânico. 
  • Às vezes leva as pessoas ao abuso de drogas ou álcool. 

III. Deus não quer que andemos com medo. 

  • Jesus assegurou aos Seus seguidores que eles não precisavam se preocupar com comida, bebida e vestuário – “Portanto, não se preocupem, dizendo: ‘Que vamos comer?’ ou ‘Que vamos beber?’ ou ‘Que vamos vestir?’ 32 Pois os pagãos é que correm atrás dessas coisas; mas o Pai celestial sabe que vocês precisam delas. 33 Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas.” (Mateus 6:31-33). 
  • Temer a Deus não significa tremer de terror. Em vez disso, significa que devemos respeitar, obedecer, reverenciar a Deus e ficar maravilhados Dele. Somente aqueles que não receberam Cristo ou caminham em rebelião deliberada contra Ele têm uma razão legítima para terem medo de Deus. 

IV. Qual é o caminho da fé? 

  • Concentre-se no Senhor, não na fonte de seus medos. Em vez de pensar nos seus problemas, escolha pensar sobre tudo na absoluta soberania de Deus (Salmo 103:19). 

 Se você e eu estamos vivendo piedosamente, o Senhor fará com que tudo funcione para nosso bem porque – “Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito.” (Romanos 8:28) 

As decepções podem vir, mas elas não têm que desanimar ou derrotar-nos. 

Devemos enfrentar os momentos de dúvida e medo, fazendo as seguintes perguntas. 

  • Aonde originaram essas dúvidas? Deus diz que Ele não nos deu um espírito de medo, então, sabemos que não pode ser Dele. 
  • Deus já me falhou no passado? Você pode estar enfrentando uma situação difícil, mas lembre-se das muitas vezes quando o Senhor providenciou para você. 
  • A Escritura não diz que o Pai irá satisfazer todas as minhas necessidades? O Senhor promete prover ao Seu povo – “O meu Deus suprirá todas as necessidades de vocês, de acordo com as suas gloriosas riquezas em Cristo Jesus.” (Filipenses 4:19) 
  • Por que eu imagino que eu estou sozinho quando eu tento fazer o que Deus requer? Você e eu podemos ter o poder, provisão e orientação do Espírito Santo, assim como os Cristãos do Novo Testamento cristão tiveram – “Mas receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês, e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra.” (Atos 1:8) 
  • Ele não prometeu estar comigo o tempo todo? Se você confiou em Jesus como seu Salvador pessoal, você nunca estará sozinho novamente. Cristo prometeu que “não te deixarei, nem te desampararei.” (Hebreus 13:5) 
  • É alguma coisa demasiado difícil para Deus? Não. Então, expresse corajosamente sua confiança no Senhor. 
  • É esta uma encruzilhada, onde a minha incredulidade poderia me custar uma vida de arrependimento? Quando você enfrenta decisões importantes, tenha especial cuidado em agir com fé em vez de com medo. 

Leia e memorize a Palavra de Deus. Os crentes são constantemente bombardeados com mentiras mundanas que distorcem sua perspectiva e contribuem para a ansiedade. 

É por isso que devemos constantemente renovar a nossa mente com a Palavra de Deus (Salmos 119:97-105). Como a Escritura nos lembra, temos um relacionamento com o Senhor que pode cancelar todos os nossos medos (Isaías 41:10); e nós também recebemos a promessa de que o Espírito Santo será nosso Conselheiro – “E eu pedirei ao Pai, e ele lhes dará outro Conselheiro para estar com vocês para sempre, 17 o Espírito da verdade. O mundo não pode recebê-lo, porque não o vê nem o conhece. Mas vocês o conhecem, pois ele vive com vocês e estaráem vocês.” (João 14:16-17)

Deus te ama; permita que a Bíblia te guie e conforte em tempos de incerteza. 

  • Progresse, vá adiante, não importa o que as pessoas dizem. Às vezes, outros tentam dissuadi-lo na fé, por isso tome cuidado e rejeite conselhos ímpios. E não permita que a adversidade abafe o seu entusiasmo para buscar e seguir a Deus. Siga o exemplo do apóstolo Paulo, que, apesar das dificuldades (2 Coríntios 11:24-25), nunca deixou de servir ao Senhor. 
  • Escolha ser fiel e corajosamente obedecer a Deus. Um crente que está empenhado em seguir Jesus não tem nada a temer. Obedecer ao Senhor traz bênção, e Ele promete usar a adversidade para o nosso bem. 

Conclusão: Quando você e eu nos concentramos em nossas circunstâncias, podemos encontrar muitas razões para sentir medo. Mas essa não é a vontade de Deus para Seu povo. 

O Salmo 103:19 diz: “O Senhor estabeleceu o seu trono nos céus, e o seu reino domina sobre tudo.” Como crentes, você e eu temos a certeza de que Deus está sempre conosco. 

Não precisamos temer, porque Ele nos fortalece e nos ajuda em cada situação.

Publicado por: mvmportugues | janeiro 4, 2017

DEUS PROTEGE SEUS FILHOS – 1 João 4:4

1-joao-4-vs-4

“Filhinhos, vocês são de Deus e os venceram, porque aquele que está em vocês é maior do que aquele que está no mundo.” 1 João 4:4 

Este versículo dá conforto aos santos, os verdadeiros filhos de Deus. Portanto, não temos medo de ser persuadidos por falsos profetas e anticristos, já que pertencemos a Deus. O Espírito Santo que habita em nós é maior do que aquele que está no mundo, que é composto por Satanás e todos os seus anjos caídos, demônios e aliados. 

O crente verdadeiro nasce de Deus e tem o poder de Deus para a salvação como seu recurso para a vitória. Ele é iluminado pelo Espírito Santo e, portanto, têm discernimento da verdade e do erro. Eles são como os Bereanos de Atos 17:11 que buscam a Escritura e não se deixam levar por engano. Eles têm vitória sobre o inimigo, pois eles dependem do Espírito Santo que permanece neles em vez de depender do sistema do mundo. 

Como resultado de serem salvos, os crentes têm o Espírito Santo de Deus dentro deles, em vez de Satanás, que está atras dos bastidores trabalhando através de seus demônios e transmitindo falsas mensagens através de falsos profetas. 

Este versículo é uma das promessas mais reconfortante da Bíblia para o crente. Porque “somos de Deus” e porque Ele está em nós através do Espírito Santo: “Vocês não sabem que vocês são o templo de Deus e que o Espírito de Deus vive em vocês?” (1 Coríntios 3:16) 

Portanto, se você está em Cristo Jesus, o Espírito Santo é Aquele que é maior em você. E quando temos o Espírito viviendo em nós, temos vitória, porque Ele é Aquele que nos faz triunfar em todas as circunstâncias da vida, se lhe obedecermos. 

A palavra superar significa conquistar, prevalecer, triunfar, ter vitória. Assim como o Senhor teve vitória final quando Ele assumiu o trono no céu para trazer o fim dos tempos. “Eis que o Leão da tribo de Judá, a Raiz de Davi, triunfou” – prevaleceu ou superou (Apocalipse 5:5). Então Ele nos deu poder para triunfar e vencer também. 

Paulo escreve aos romanos afirmando: “Pois, se a morte reinou pelo pecado de um homem, muito mais reinarão e viverão aqueles que recebem a graça abundante de Deus e a oferta gratuita de salvação, por meio de Jesus Cristo.” (Romanos 5:17) 

Quando somos de Deus, somos “nascidos de Deus e vencemos o mundo” – e aquele que vence o mundo é “somente aquele que crê que Jesus é o Filho de Deus.” (1 João 5:4) 

Assim como o Senhor Jesus venceu o mundo, nós também venceremos e teremos a vitória sobre o mundo. “Eu lhes disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo.” (João 16:33) 

Com o poder que habita em nós, somos vitoriosos sobre aqueles que, infelizmente, são levados a abraçar doutrinas falças do anticristo e filosofias mundanas, porque: Quem quer ser amigo do mundo se torna um inimigo de Deus (Tiago 4:4) . Essas são as pessoas que “amam o mundo” (1 João 2: 15-17) e procuram levar o povo de Deus em cativeiro. “Tenham cuidado para que ninguém os escravize a filosofias vãs e enganosas, que se fundamentam nas tradições humanas e nos princípios elementares deste mundo, e não em Cristo.” (Colossenses 2:8). 

Os crentes, por outro lado, “não se deixem vencer pelo mal, mas vençam o mal com o bem” (Romanos 12:21), mas os resgatamos com as poderosas “armas da nossa guerra”, que são a Palavra de Deus e a oração . “Porque, embora nós vivamos no mundo, não lutamos como o mundo luta. Pois as armas que usamos na nossa luta não são do mundo. Ao contrário, elas têm o poder de Deus para destruir fortalezas. Com elas nós podemos destruir os argumentos falsos e toda arrogância que se levante contra o conhecimento de Deus. Prendemos todo pensamento e o obrigamos a obedecer a Cristo.” (2 Coríntios 10:3-5) 

Devemos também: “vistir toda a armadura de Deus, para que possam resistir no dia mau e permanecer inabaláveis, depois de terem feito tudo. 14 Assim, mantenham-se firmes, cingindo-se com o cinto da verdade, vestindo a couraça da justiça 15 e tendo os pés calçados com a prontidão do evangelho da paz. 16 Além disso, usem o escudo da fé, com o qual vocês poderão apagar todas as setas inflamadas do Maligno. 17 Usem o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus. 18 Orem no Espírito em todas as ocasiões, com toda oração e súplica; tendo isso em mente, estejam atentos e perseverem na oração por todos os santos.” (Efésios 6:13-18) 

Para aqueles caminhando nesta verdade, a vitória é assegurada, eles superam o mal. Isso significa que o cristão não da lugar para o medo. Temos muitos inimigos espirituais, mas nenhum deles é maior do que o Espírito Santo de Deus que vive em nós; porque aquele que está em você é maior do que aquele que está no mundo.

Publicado por: mvmportugues | dezembro 29, 2016

O CONSTRUTOR PRUDENTE E O INSENSATO – Mateus 7:24-27

mateus-7-vs-24-27

Durante Seu Sermão da Montanha, Jesus contou uma história sobre dois homens, um que construiu sua casa sobre uma rocha e outro que construiu sua casa sobre a areia. A casa construída sobre uma rocha resistiu à tempestade, e o construtor é chamado sábio; mas a casa construída sobre a areia desabou durante a tempestade, e o construtor é chamado de tolo. 

O significado desta parábola é bastante óbvio: Um alicerce adequado é necessário. Com uma casa literal, é imprudente construir sobre a areia, porque a fundação será instável e a casa acabará por sofrer grandes danos. Construir este tipo de casa é um desperdício de tempo e recursos, porque eventualmente ela cairá. Em contraste, é sábio construir uma casa em uma fundação segura, porque ancorando-a ao rochedo faz a casa suportar o teste da tempestade. 

Ambos os construtores experimentaram a mesma tempestade e a mesma inundação, muito provavelmente essas casas foram construídas à vista uma da outra. Possivelmente o homem que construiu na areia ridicularizou o homem que planejou, investiu e trabalhou duro para ter a base sólida necessária. 

O homem insensato perdeu suas finanças, seu respeito e sua casa. O orgulho e a rebelião vêm com um preço terrível. O homem insensato não planejou para si nem para sua família; portanto, ele sofreu grande perda. Poderia ter sido diferente se ele tivesse humildemente procurado e obedecido o conselho e a orientação de Deus. 

O construtor que construiu na areia não planejou para a tempestade ou para a inundação; portanto, ele planejou para falhar – porque quem não planeja de acordo com a palavra de Deus acaba falhando. Recusando-se a adorar a Deus em Espírito, e na verdade a vida se torna um desperdício e um fracasso; é insanidade adorar qualquer deus, a não ser o Deus Vivo e Criador. 

Como vemos nesta parábola, construir uma casa é simplesmente uma analogia para construir uma vida. O ponto é este: Você está construindo sua vida, e a fundação que você escolhe é a característica mais importante dela. Nos versículos que seguem, Jesus oferece duas opções para construir-la. 

Jesus começa afirmando que você deve “ouvir” Suas palavras, mas Ele não pára por aí. Ele continua dizendo que você deve agir de acordo com Suas palavras. Se você vai construir numa fundação solida, você deve fazer o que Jesus ensina em Sua Palavra. O alicerce adequado para a vida são as palavras de Jesus, não apenas ouvindo-as, mas verdadeiramente escutando e depois colocando-as em ação. Tiago escreve: “Vocês devem praticar o que a mensagem ensina e não devem somente ouvir, enganando a vocês mesmos.” (Tiago 1:22) 

Mas se apenas ouvimos as maravilhosas palavras de Jesus e seguimos no nosso próprio caminho e não fazemos o que Ele diz, então somos como o construtor insensato, que constrói sua casa na areia. Pense sobre isso, quem quer construir uma casa sobre a areia? 

Talvez o homem insensato pensou que ele estava seguro? Sua casa estava de pé no início, e tudo estava indo bem. Mas quando a inundação veio, ele não teve nenhuma esperança, sua casa desmoronou e grande foi a queda dela. 

O que passa com a nossa vida? Quando Satanás nos traz tentações e provações, podemos sentir como se estivéssemos sendo superados por uma inundação! Como Isaías 59:19 afirma: “… vindo o inimigo como uma corrente de águas …” 

Assim que, quando a tempestade da tentação ou provação vem, você cai como aquele homem tolo que construiu sua casa na areia? Ou você quer ser como o sábio que obedeceu e ouviu o que Jesus tinha a dizer. “Porque ninguém pode construir outro alicerce, além daquele que já foi construído. E este alicerce é Jesus Cristo.” (1 Coríntios 3:11) 

O sábio construtor diz: “O Senhor é a minha rocha, a minha fortaleza e o meu libertador. O meu Deus é uma rocha em que me escondo. Ele me protege como um escudo; ele é o meu abrigo, e com ele estou seguro.” (Salmos 18:2) 

Jesus é a nossa rocha! Ele é o alicerce sobre o qual podemos construir nossa vida. Se obedecermos o nosso Senhor e seguimos o que Ele nos ensina, teremos a certeza de que, não importa se a inundação vem sobre nós, por mais feroz que as tempestades da vida possam chegar, Ele nunca nos deixará nem nos abandonará. (Hebreus 13:5; Deuteronômio 31:8) 

Deus quer que construímos com segurança sobre a Rocha eterna, a palavra de Deus. Se você tem sido apenas um ouvinte, por favor, ponha em prática esta importante lição de Cristo. Aquele que é ouvinte e não cumpridor da palavra, Cristo compara ao homem que edificou sua casa sobre a areia. Precisa apenas chegar a tempestade de tentação para arruinar tal vida, e o alicerce que eles assumiram ser tão seguro é destruído. Quão grande é a perda desta alma. Poderiam ter tido vida eterna com Deus, se tivessem prestado atenção somente à Sua palavra e construído sobre o firme alicerce que é Jesus Cristo. 

Infelizmente, poucas pessoas constroem sob o alicerce das palavras de Cristo. Mas se você constrói sua vida de acordo com os códigos de construção de Cristo, você não ficará desapontado. 

Tanto os sábios quanto os tolos ouvem as palavras de Jesus. Mas colocándo-as em prática, como aquele que constrói uma casa em um alicerce sólido, é a única maneira de demonstrar um relacionamento seguro com Jesus.  

“Confie no Senhor de todo o seu coração e não se apóie em seu próprio entendimento; reconheça o Senhor em todos os seus caminhos, e ele endireitará as suas veredas.”  (Provérbios 3:5-6)

Publicado por: mvmportugues | dezembro 21, 2016

O SENHORIO DE JESUS CRISTO – Filipenses 2:9-11

filipenses-2-p

“Deus o exaltou à mais alta posição e lhe deu o nome que está acima de todo nome, 10 para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, 11 e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai.” (Filipenses 2: 9-11) 

Jesus veio do céu à terra, nasceu em Belém, viveu uma vida perfeita e morreu numa cruz, que foi uma morte de sacrifício expiatório, foi sepultado num túmulo, ressuscitou vitoriosamente e subiu ao céu para ocupar Seu trono na glória onde Deus O exaltou e lhe deu o Nome que está acima de todo nome.

O senhorio estava no cerne da obra redentora de Jesus na cruz. Paulo deixa isso claro em Romanos 14:8-9 “Se vivemos, vivemos para o Senhor; e, se morremos, morremos para o Senhor. Assim, quer vivamos, quer morramos, pertencemos ao Senhor. Por esta razão Cristo morreu e voltou a viver, para ser Senhor de vivos e de mortos.”

Chegará um dia em que cada pessoa que já viveu se inclinará e reconhecerá que Jesus Cristo é o Rei dos reis e Senhor dos senhores. Mas para o cristão esta grande confissão deve ser uma realidade cotidiana. Um cristão deve viver momento após momento em submissão fiel ao senhorio de Jesus Cristo recordando que nós não fazemos Jesus Senhor – Ele é Senhor! 

A mensagem fundamental da Bíblia é que “Jesus Cristo é Senhor”, e a verdade mais importante em relação à experiência cristã é o senhorio de Jesus Cristo. 

Quando aceitamos a Jesus como nosso Salvador, isto implica o reconhecimento do Seu Senhorio. Nós O recebemos como Senhor e Salvador. Nós nunca devemos deixar de comunicar o “conselho de Deus”, porque Ele é tanto Salvador como Senhor. 

O que significa dizer que Jesus Cristo é Senhor? 

Para Jesus ser Senhor de nossa vida significa que Ele é o dono de toda a nossa vida. Ele não pode ser Senhor de uma parte; Ele deve ter o controle de toda a nossa vida. 

O Apóstolo Paulo escreveu: “Que o próprio Deus da paz os santifique inteiramente. Que todo o espírito, a alma e o corpo de vocês sejam preservados irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.” (1 Tessalonicenses 5:23). Jesus deseja ser Senhor do visível e do invisível, dos aspectos privados da nossa vida e dos aspectos públicos da nossa vida. Ele quer ser Senhor de nossa vida espiritual e de nossa vida física. 

O que uma pessoa deve fazer para que Jesus Cristo seja Senhor de sua vida? A resposta é: ceder a vida a Ele. Isso envolve tirar as mãos dos controles de sua vida e permitir que Ele esteja no controle. 

Para Jesus se tornar o Senhor da vida de uma pessoa implica uma rendição absoluta e total ao Seu Senhorio. E além da entrega absoluta, deve haver um reconhecimento que somos Sua propriedade: “Acaso não sabem que o corpo de vocês é santuário do Espírito Santo que habita em vocês, que lhes foi dado por Deus, e que vocês não são de si mesmos? 20 Vocês foram comprados por alto preço. Portanto, glorifiquem a Deus com o seu próprio corpo.” (1 Coríntios 6:19-20) 

Um verdadeiro crente nascido de novo pertence a Jesus. Somos sua possessão comprada. Quando uma pessoa cede ao senhorio de Jesus Cristo, eles reconhecem que são Sua propriedade e desistem de seus direitos pessoais. A palavra ‘doulos’ em grego significa escravo, portanto, quando Jesus é nosso Senhor, somos Seu escravo, não somos de nós mesmos, fomos comprados com um preço. Um servo dá serviço a alguém, mas um escravo pertence a alguém. E como verdadeiros crentes nascidos de novo, pertencemos ao nosso Senhor e desejamos alegremente obedecer e agradar-Lo em tudo que pensamos, dizemos e fazemos. 

Ceder ao senhorio de Jesus Cristo também envolve obediência total e sem reservas. Se Ele é o Senhor de nossa vida, nós vamos fazer o que Ele nos diz para fazermos. O senhorio implica obediência. 

Jesus fez uma pergunta muito importante: “Por que vocês me chamam ‘Senhor, Senhor’ e não fazem o que eu digo?” (Lucas 6:46). Você está fazendo o que o Senhor ordenou que você faça? Você está obedecendo a Ele? 

O Senhorio de Jesus Cristo também envolve serviço voluntário. Deve haver um momento em sua vida quando, como o profeta Isaías, você está disposto a dizer: “Eis-me aqui, Senhor, envia-me”. 

O Senhorio de Jesus Cristo envolve a nossa vontade de ir para onde Ele nos envia, quando Ele nos envia, não importa o custo. Jesus é o Senhor desta área em sua vida? Você pode dizer honestamente, “a qualquer hora, qualquer coisa, em qualquer lugar para Jesus porque Ele é tão digno?” 

A vida cristã é uma vida maravilhosa. Cristo fez todas as provisões para que Seus filhos vivessem uma vida plena e abundante, mas há um custo envolvido, é necessário que morremos para nós mesmos. 

Você acredita que Jesus pode salvá-lo, se você de modo algum se submete a Ele como Senhor? A perfeita obediência não é possível nesta vida, mas se a sua vida não reflecte de forma alguma o Senhorio de Cristo, então a Bíblia diz que você não tem fé verdadeira. Confesse Cristo e confie Nele como seu Salvador, e submeta-se a Ele como Senhor de sua vida. 

Aqui está uma advertência, referindo-se àqueles que não estão interessados em fazer Cristo Senhor da sua vida. “Pois que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro, e perder-se ou destruir a si mesmo? 26 Se alguém se envergonhar de mim e das minhas palavras, o Filho do homem se envergonhará dele, quando vier em sua glória e na glória do Pai e dos santos anjos.” (Lucas 9:25-26) 

Jesus conhece você pessoalmente? Ou você tem vivido de tal maneira que está negando o Senhor? 

Não é suficiente ter conhecimento de quem é Jesus ou apenas dizer que você crê. Se você alegou que Jesus é importante em sua vida, comece mostrando-o por suas ações. Ser cristão significa tornar-se transformado na imagem de Cristo, não moldá-lo na imagem que você acha que é certo. 

Então, o que você vai ouvir quando você finalmente chega cara a cara com Deus quando você morrer? Vai ser: “Bem feito, meu bom e fiel servo”, ou Jesus lhe dirá: “Nem todo aquele que me diz: ‘Senhor, Senhor’, entrará no Reino dos céus, mas apenas aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus. 22 Muitos me dirão naquele dia: ‘Senhor, Senhor, não profetizamos em teu nome? Em teu nome não expulsamos demônios e não realizamos muitos milagres?’ 23 Então eu lhes direi claramente: Nunca os conheci. Afastem-se de mim vocês, que praticam o mal!” (Mateus 7:21-23) 

JESUS É VERDADEIRAMENTE O SENHOR DA TUA VIDA?

 

Publicado por: mvmportugues | dezembro 14, 2016

POR QUE NASCEU JESUS? – João 3:16

porque-nasceu-jesus-joao-3-vs-16

Você já parou alguma vez para pensar sobre o significado profundo do nascimento de Jesus Cristo? Embora muitas pessoas tenham ouvido a história do nascimento de Jesus, seu significado real é mal compreendido por muitos. 

Vamos começar do inicio. 

Deus criou Adão e Eva e os colocou no belo Jardim do Éden que supria todas as suas necessidades. Ali, o próprio Deus caminhou com eles e lhes ensinou tudo o que precisavam saber. (Gênesis 2:8-25) 

Eles tinham tudo, então o que aconteceu? 

Deus deu aos seres humanos o dom da livre escolha. Ele lhes deu a habilidade de decidir se O obedeceriam ou não. Tragicamente, Adão e Eva seguiram o pai da mentira, Satanás, e ambos comeram da árvore do conhecimento do bem e do mal. Essa má decisão, essa rebelião contra seu Criador, rompeu seu relacionamento íntimo com Ele e Deus teve que expulsá-los do Jardim do Éden. (Gênesis 3) 

Desde o início, aprendemos que o pecado significa – uma desobediência direta aos mandamentos de Deus. 

Cristo teve que nascer porque depois que Adão e Eva pecaram ao não cumprir o mandato de Deus para glorificá-Lo em suas vidas; a humanidade teria sido eternamente perdida, e apartada de Deus. Mas, porque o Pai nos ama tanto, Jesus veio à terra para ser sacrificado para salvar a humanidade do inferno, que é separação eterna de Deus. 

Então por que Jesus teve de ser sacrificado por causa do nosso pecado? 

No Antigo Testamento, Abraão, Isaque e Jacó ofereceram sacrifícios a Deus. Centenas de anos antes do nascimento de Jesus, Deus revelou através de seu fiel servo Moisés um sistema religioso que incluía sacrifícios e ofertas de animais. Deus instruiu Seu povo a participar dos rituais físicos de sacrifícios de animais não porque eles removessem os pecados das pessoas, mas porque os sacrifícios eram necessários por causa dos pecados da humanidade. No entanto, Hebreus 10:4 nos diz que não é possível que o sangue de touros e de bodes tire pecados. Jesus teve de nascer porque, sem o Verdadeiro Sacrifício, a humanidade estava condenada. Todos morreriam, sem esperança. 

Sob a Nova Aliança, Deus substituiu os sacrifícios do sacerdócio Levítico com o sacrifício final do próprio Jesus. A morte de Jesus, Seu último sacrifício, tornou possível o perdão dos pecados, o que, por sua vez, nos capacita a esperança de viver e reinar com Cristo no Reino de Deus. Sem o nascimento de Jesus, nada disso seria possível. 

Por meio de Cristo, Deus restaurou o que estava perdido no Jardim do Éden. Deus tornou possível para toda a humanidade, cada pessoa, entrar voluntariamente em um relacionamento íntimo com Ele. Isso não poderia ter sido possível, no grande plano de Deus, sem o nascimento e posterior sacrifício de Seu Filho, Jesus Cristo. 

A salvação da humanidade dependia de Jesus vir à terra e viver uma vida perfeita, morrendo na cruz como o sacrifício perfeito pelos pecados do mundo inteiro. 

A Bíblia nos diz que “o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Romanos 6:23), e que “todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus”. (Romanos 3:23) 

O nascimento de Cristo não foi o nascimento ordinário de um homem comum. O nascimento de Jesus Cristo foi a encarnação do próprio Deus. Em outras palavras, nosso Criador se tornou um homem. O significado disso é profundo e levará toda a eternidade para nós apreciarmos. 

Então, por que Jesus nasceu? Ele veio porque estamos perdidos em nossos pecados e ofensas contra Deus. Não podemos nos salvar, porque nossos pecados nos condenaram e precisamos de um Salvador. Jesus nasceu para que podermos ter vida após a morte. Ele conquistou a morte e o pecado por nós para que pudéssemos ter a vida eterna com Ele no céu. 

João 1:14 diz que a Palavra, o Deus eterno, tornou-se carne, significando o homem Jesus. Quando isso aconteceu, o Deus eterno saiu da eternidade para se tornar um homem de carne e osso. Jesus Cristo era de fato um homem, mas ao mesmo tempo, Ele era Deus. Ele é completamente Deus e plenamente homem. 

Aqui estão várias outras razões pelas quais Jesus nasceu: 

  • Jesus Cristo veio ao mundo para buscar e salvar os perdidos. “Pois o Filho do homem veio buscar e salvar o que estava perdido.” (Lucas 19:10) 
  • Ele veio a ser uma Luz no mundo. “Eu vim ao mundo como luz, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas. (João 12:46) 
  • Jesus disse-lhes: “Eu sou o pão da vida. Aquele que vem a mim nunca terá fome; aquele que crê em mim nunca terá sede. (João 6:35) 
  • “Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância”. (João 10:10) 

E o mais importante é que Jesus Cristo veio ao mundo para fazer a vontade de Seu Pai. “Pois desci dos céus, não para fazer a minha vontade, mas para fazer a vontade daquele que me enviou.” (João 6:38) 

Ele veio ao mundo como uma demonstração do amor de Deus. “Nisto consiste o amor: não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou e enviou seu Filho como propiciação pelos nossos pecados. (1 João 4:10) 

O Pai enviou Jesus por causa do Seu amor por nós. “Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna. 17 Pois Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para condenar o mundo, mas para que este fosse salvo por meio dele. (João 3:16-17) 

Mas lembre-se de que: 18 Quem nele crê não é condenado, mas quem não crê já está condenado, por não crer no nome do Filho Unigênito de Deus.” (João 3:18) 

Oramos para que durante este Natal você reflicta sobre o que Jesus fez por cada um de nós e re-dedique sua vida a Ele ou aceite-Lo como seu Senhor e Salvador. 

Por favor, compreenda que a Bíblia diz que se você confessar com a sua boca que Jesus é Senhor e crer em seu coração que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo (Romanos 10:9). Mas que você também tem que fazer dele o Senhor da sua vida, porque Jesus disse: “Nem todo aquele que me diz: ‘Senhor, Senhor’, entrará no Reino dos céus, mas apenas aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus.” (Mateus 7:21) 

Que seu Natal seja preenchido com as bênçãos de Deus!

holly

Publicado por: mvmportugues | dezembro 8, 2016

A CRIAÇÃO GLORIOSA DE DEUS – 1 Crônicas 29:11-12

1-chronicles-29-vs-11-12-jpg-p

“Teus, ó Senhor, são a grandeza, o poder, a glória, a majestade e o esplendor, pois tudo o que há nos céus e na terra é teu. Teu, ó Senhor, é o reino; tu estás acima de tudo. 12 A riqueza e a honra vêm de ti; tu dominas sobre todas as coisas. Nas tuas mãos estão a força e o poder para exaltar e dar força a todos. (1 Crônicas 29: 11-12) 

Nesta passagem, Davi louva a incomparável glória de Deus. Ele diz que tudo no céu e na terra pertence a Deus. Nosso Deus vivo, nosso Criador, está acima de tudo e de todos. Ele governa todas as partes da criação e tudo e todos nós pertencemos a Ele. E Davi também diz que tudo que realmente tem grandeza, poder, esplendor, glória e majestade é Sua possessão única. No versículo 12 Deus é descrito como a única fonte real de riqueza, de honra, de força e de poder. Ele dá essas coisas a quem Ele quer. Só Ele age completamente de acordo com Sua vontade. 

Os atributos mais importantes, gloriosos e perfeitos de Deus são os seus atributos espirituais, intelectuais, morais e soberanos. O Apostolo Paulo resume os atributos de Deus em 1 Timóteo 1:17 – “Ao Rei eterno, o Deus único, imortal e invisível, sejam honra e glória para todo o sempre. Amém.” E em 1 Timóteo 6:15-16 ele afirma: “Ele é o bendito e único Soberano, o Rei dos reis e Senhor dos senhores, 16 o único que é imortal e habita em luz inacessível, a quem ninguém viu nem pode ver. A ele sejam honra e poder para sempre. Amém.” 

Deus conhece o universo tal como existia em Seu plano eterno antes de existir, e como agora existe como uma realidade finita no tempo e espaço. Ele sabe tudo o que existia no passado e no presente e existirá no futuro. O Criador vê tudo em sua totalidade, enquanto nós só podemos ver o que está em nossa mente finita. Deus sabe tudo sobre o coração de cada pessoa e conhece todos os nossos caminhos. “O Senhor conhece os pensamentos do homem, e sabe como são fúteis.” (Salmo 94:11) 

A glória de Deus é expressa em Sua fidelidade – “Se somos infiéis, Ele permanece fiel, porque Ele não pode negar a si mesmo.” (2 Timóteo 2:13)

A bondade de Deus é expressa em Seu amor e Sua graça – “Mas Deus demonstra seu amor por nós: Cristo morreu em nosso favor quando ainda éramos pecadores” (Romanos 5:8). E em Efésios 1:6-7 lemos sobre Sua graça – “… para o louvor da sua gloriosa graça, a qual nos deu gratuitamente no Amado. Nele temos a redenção por meio de seu sangue, o perdão dos pecados, de acordo com as riquezas da graça de Deus.

A bondade de Deus também é mostrada em Sua misericórdia: “Graças ao grande amor do Senhor  é que não somos consumidos, pois as suas misericórdias são inesgotáveis. 23 Renovam-se cada manhã; grande é a sua fidelidade!” (Lamentações 3: 22-23) 

E a glória de Deus é expressa em Sua santidade: 

  • Quem entre os deuses é semelhante a ti, Senhor? Quem é semelhante a ti? Majestoso em santidade, terrível em feitos gloriosos, autor de maravilhas? (Êxodo 15:11)
  • Não há ninguém santo como o Senhor; não há outro além de ti; não há rocha alguma como o nosso Deus. (1 Samuel 2:2)
  • O Senhor reina! As nações tremem! O seu trono está sobre os querubins! Abala-se a terra! Grande é o Senhor em Sião; ele é exaltado acima de todas as nações! Seja louvado o teu grande e temível nome, que é santo. (Salmo 99:1-3)
  • Pois assim diz o Alto e Sublime, que vive para sempre, e cujo nome é santo: “Habito num lugar alto e santo, mas habito também com o contrito e humilde de espírito, para dar novo ânimo ao espírito do humilde e novo alento ao coração do contrito. (Isaías 57:15)

A santidade de Deus é uma questão de grande importância para toda alma viva; e cada cristão deve estar especialmente preocupado com a santidade de Deus. Como filhos nascidos de novo, Ele quer que também sejamos santos: “Pois eu sou o Senhor, o Deus de vocês; consagrem-se e sejam santos, porque Eu sou santo.” (Levítico 11:44; 1 Pedro 1:16) 

Quando tomamos tempo para olhar para o céu noturno como o salmista e David fizeram, devíamos estar maravilhados do nosso grande e Santo Deus, e de Sua incrível e assombrosa obra-prima: 

Senhor, Senhor nosso, como é majestoso o teu nome em toda a terra! Tu, cuja glória é cantada nos céus! …

Quando contemplo os teus céus, obra dos teus dedos, a lua e as estrelas que ali firmaste, pergunto: Que é o homem, para que com ele te importes? E o filho do homem, para que com ele te preocupes? Tu o fizeste um pouco menor do que os seres celestiais e o coroaste de glória e de honra. Tu o fizeste dominar sobre as obras das tuas mãos; sob os seus pés tudo puseste (Salmo 8:1, 3-6) 

Os céus declaram a glória de Deus; o firmamento proclama a obra das suas mãos. (Salmo 19:1) 

Que o louvor e a adoração surjam do nosso espírito a Deus, ao contemplarmos o glorioso esplendor de Sua majestade e Suas maravilhosas obras. Aleluia! 

Para uma bela experiência da grandeza de Deus nosso criador, por favor clique no vídeo abaixo intitulado – QUAL O TAMANHO DE DEUS EM SUA VIDA. 

https://www.youtube.com/watch?v=H4HVSRtZ-T0&t=1s 

Aqui estão algumas fotos para você refletir sobre a grandeza do nosso Deus.

 neuro-galaxy-in-portuguese

COMPARAÇÃO DE UMA CÉLULA DO CÉREBRO VS O UNIVERSO

 comparison-between-a-cell-and-a-nebula-in-the-universe

COMPARAÇÃO DE UMA CÉLULA VS UMA NEBULOSA 

 eye-vs-nebula

COMPARAÇÃO DO OLHO VS UMA NEBULOSA

Publicado por: mvmportugues | dezembro 1, 2016

DEUS NOS INSTRUI E ACONSELHA NO CAMINHO QUE DEVEMOS IR – Salmo 32:8

salmo-32-vs-8-p

“Eu te instruirei”, diz o Senhor, “e te ensinarei o melhor caminho a seguires na vida. Guiar-te-ei com os meus olhos”. (Salmo 32:8) 

Deus nos ensina e nos instrui semelhante a um pai que cuida amorosamente de seus filhos, ensinando e guiando-os. Este versículo é um grande reflexo do modelo perfeito de como os cuidados paternais devem ser. 

Deveria ser natural que desejássemos estar perto de Deus, nosso Pai Celestial, porque cada criança quer ter a segurança de estar perto de seus pais, mas muitos por causa do que aconteceu durante sua juventude se perguntam se podem realmente se aproximar de Deus, porque nunca tiveram um verdadeiro pai que os amasse e lhes desse o ensino e a atenção de que precisavam. 

A Bíblia declara que Deus nos ama e deseja ouvir nossas corações, quer nos confortar, e nos aconselhar como um pai. Como o salmista declarou, “O Senhor está perto de todos os que o invocam, de todos os que o invocam com sinceridade.” (Salmo 145:18) 

Assim como todos os pais sabem a importância de obter a atenção de uma criança, assim Deus se relaciona conosco da mesma maneira. 

Precisamos tomar tempo para estar com o Senhor como o Salmo 46:10 afirma: “Fiquem quietos e saibam que eu sou Deus”. Deus está sempre disponível para nós, mas não podemos realmente conhecê-Lo até que nos concentremos especificamente Nele e Seus Sagrados Atributos. 

A promessa no Salmo 32:8 abrage tudo o que precisamos saber para fazer a escolha certa. 

  • Em primeiro lugar, Ele promete nos instruir com a verdade. O mundo e mesmo as pessoas religiosas nos oferecem conselhos e idéias que estão cheios de erros, mas a orientação do Senhor sempre nos guia no caminho certo. “Se você virar para a direita ou para a esquerda, seus ouvidos ouvirão uma voz atrás de você, dizendo:” Este é o caminho, siga-o.” (Isaías 30:21)
  • Quando abrimos Sua Palavra, o Senhor nos ensina e nos ajuda a entender o seu significado. No entanto, ter informações é apenas o começo. Para usufruí-lo, devemos aplicar o que aprendemos à situação que enfrentamos. Já que algumas de nossas decisões não são uma questão de certo ou errado, mas do que é melhor para nossas vidas, também precisamos de sabedoria e discernimento para fazer as escolhas certas. O Espírito Santo dentro de nós prometeu guiar-nos para toda a verdade (João 16:13). Seu objetivo é dirigir-nos para fazer a vontade de Deus, mostrando-nos a diferença entre a verdade e o erro e nos ajuda a distinguir entre o que é bom e o que é melhor. Porque Ele conhece o futuro e vê o que resultará de tomar um caminho errado, Ele nos guiará em caminhos que levam às bênçãos que vêm da obediência a Deus. Quando seguimos Suas inspirações, não sofreremos dos inevitáveis arrependimentos que seguem escolhas erradas.
  • Guiar-te-ei com os meus olhos.” Essa promessa nos mostra a proximidade de Deus porque o aconselhamento envolve um relacionamento. Também revela que andamos sob o olhar abrangente do Senhor. Como Pai amoroso, Ele cuida de nós, dando conselhos sábios para a vida. Uma vez que sabemos que Ele nos ama, tem pleno conhecimento do futuro e sempre quer o melhor para nós, então é tolo ignorar Sua sabedoria e tomar decisões baseadas em nosso próprio conhecimento e compreensão. Há tantos aspectos da situação que não podemos ver, mas Deus conhece todos elas, portanto, devemos buscar Suas instruções amorosas do caminho que devemos seguir.
  • O olhar de Deus sobre nós também demonstra Sua proteção e cuidado sobre nós, onde quer que estejamos e o que quer que façamos. Ele vê o que nos espera todos os dias e mostra-nos o caminho certo, mesmo quando outro caminho parece aquele que devemos tomar. Nossa responsabilidade é continuar olhando para cima e colocando nossas mentes em Deus. Cada decisão deve nos levar a perguntar a Ele o é que Ele quer que façamos.
  • E se outros vierem a nós para orientação, precisamos imediatamente buscar a sabedoria do Senhor. Sempre que oferecemos conselhos, devemos confiar nessa promessa porque somos responsáveis perante Deus pelos conselhos que damos.

Lembre-se, Deus deseja estar perto de Seus filhos e quando nos aproximarmos Dele, Ele se aproximará de nós (Tiago 4:8). 

Ele aguarda com expectativa nossas orações, e Ele também aguarda com expectativa a nossa escuta do que Ele tem para nos dizer. Tenha em mente que Deus divulgará as coisas claramente para nós; Ele nos capacitará a alcançar Seu propósito para nós. Ele nos deu uma maravilhosa promessa neste versículo para nos encorajar quando precisamos de Sua orientação. 

Se nós viermos a Ele buscando e crendo Nele, Ele nos dará instrução e ensino para qualquer situação que estamos enfrentando. Fique perto de Deus e Ele estará perto de você e o guiará por toda a sua vida.

Publicado por: mvmportugues | novembro 24, 2016

O SIGNIFICADO BÍBLICO DA ACÇÃO DE GRAÇAS – Salmo 100:4-5

salmo-100-p

Entrem por suas portas com ações de graças, e em seus átrios, com louvor; dêem-lhe graças e bendigam o seu nome. Pois o Senhor é bom e o seu amor leal é eterno; a sua fidelidade permanece por todas as gerações. (Salmo 100:4-5) 

Devemos ser gratos porque Deus é digno de nossa ação de graças. É justo reconhecê-Lo por “todo dom bom e perfeito” que Ele dá (Tiago 1:17). Quando somos gratos, nosso foco se move fora dos desejos egoístas e fora da dor das circunstâncias atuais. Expressar gratidão nos ajuda a lembrar que Deus está no controle. A gratidão, então, não é apenas apropriado; é realmente saudável e de benéfico para nós. Ela nos lembra que pertencemos a Deus e que fomos abençoados com toda bênção espiritual (Efésios 1:3). Verdadeiramente, temos uma vida abundante (João 10:10), e a gratidão é a nossa expressão de amor para o nosso Criador. 

Consideremos alguns pontos bíblicos sobre porque devemos ser gratos a nosso Pai celestial. 

Porque honra a Deus. Quando somos gratos, reconhecemos que Deus existe e a verdadeira gratidão reconhece nossa total dependência de Deus, e realizamos que tudo o que acontece em nossa vida e tudo o que temos é produto do controle soberano de Deus, da Sua sabedoria infinita, propósitos e graça. “Tudo isso é para o bem de vocês, para que a graça, que está alcançando um número cada vez maior de pessoas, faça que transbordem as ações de graças para a glória de Deus.” (2 Coríntios 4:15) 

Uma pessoa humilde é uma pessoa agradecida e uma pessoa grata será uma pessoa humilde, portanto, elas sabem que tudo o que elas têm vem do nosso amoroso Pai Celestial. 

Porque é ordenado nas Escrituras. Deus nos ordena que transbordemos com ação de graças. Tanto o Velho quanto o Novo Testamento estão cheios de versos sobre ação de graças como o nosso versículo nos diz; e o apóstolo Paulo nos ensina a “orar sem cessar. 18 Em tudo de graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para você. (1 Tessalonicenses 5:17-18) 

Encontramos também estas belas palavras em Colossenses 3:15-17, “Que a paz de Cristo seja o juiz em seu coração, visto que vocês foram chamados para viver em paz, como membros de um só corpo. E sejam agradecidos. 16 Habite ricamente em vocês a palavra de Cristo; ensinem e aconselhem-se uns aos outros com toda a sabedoria, e cantem salmos, hinos e cânticos espirituais com gratidão a Deus em seu coração. 17 Tudo o que fizerem, seja em palavra ou em ação, façam-no em nome do Senhor Jesus, dando por meio dele graças a Deus Pai.” 

Devemos dar graças pelo próprio Deus e por Sua soberana atividade e controle sobre o universo. Que mundo sem esperança este seria se todas as coisas não tivessem propósito e fossem meramente o produto do tempo e do acaso. Como vemos mais uma vez em Colossenses 1:12-14, “devemos dar, graças ao Pai, que nos tornou dignos de participar da herança dos santos no reino da luz. 13 Pois ele nos resgatou do domínio das trevas e nos transportou para o Reino do seu Filho amado, 14 em quem temos a redenção, a saber, o perdão dos pecados.” 

Devemos dar graças por nossa salvação através de Cristo e pelas riquezas insondáveis que são nossas Nele (Efésios 3:8). Afinal, somos abençoados com todas as bênçãos espirituais, e estamos completos Nele (Efésios 1:3, Colossenses 2:10). Como Paulo ilustrou tantas vezes na saudação de suas epístolas, devemos dar graças por outros que conhecem o Salvador e estão crescendo e servindo ao Senhor. E devemos continuar compartilhando as boas novas com aqueles que estão perdidos e com tanta necessidade de conhecer nosso Salvador. 

Então, estamos respondendo com um coração de gratidão que está focado no Senhor? Estamos ativamente dando graças pelo que Deus tem feito, está fazendo, e vai fazer, e estamos procurando servir o Salvador? Tal resposta só pode vir quando começarmos a compreender verdadeiramente a graça de Deus em Cristo, e O buscamos para conhecê-Lo intimamente em todas as situações de vida que enfrentamos, e descansamos em Sua graça soberana.

Devemos nos alegrar como Davi – “Aclamem o Senhor todos os habitantes da terra! Prestem culto ao Senhor com alegria; entrem na sua presença com cânticos alegres. Reconheçam que o Senhor é o nosso Deus. Ele nos fez e somos dele: somos o seu povo, e rebanho do seu pastoreio. Entrem por suas portas com ações de graças, e em seus átrios, com louvor; dêem-lhe graças e bendigam o seu nome. Pois o Senhor é bom e o seu amor leal é eterno; a sua fidelidade permanece por todas as gerações.” (Salmo 100)

Vamos encorajar uns aos outros e vir com alegria diante do Senhor, adorando-O com alegria e cânticos. Ao fazer isso, o inimigo foge de nós e nossos corações estão cheios de esperança e alegria. 

Precisamos lembrar que a ação de graças precisa ser a atitude do crente em todos os momentos porque: louvor, ação de graças e adoração são nossa expressão de amor ao Senhor.

efesios-4-vs-2-3

Sejam sempre humildes, gentis, pacientes, e tolerem uns aos outros com amor. Faça todos os esforços para manter a unidade do Espírito através do vínculo da paz. (Efésios 4:2-3) 

Como viver uma vida digna da vocação cristã? Este versículo nos diz como – por ser completamente humilde, gentil, paciente e tolerando uns aos outros com amor. Estas são palavras poderosas; imagine quantos daqueles que nos rodeiam iriam querer mudar para se tornarem mais semelhantes a Cristo se escolhêssemos reagir de uma maneira completamente humilde e gentil? 

Seja humilde.” A humildade bíblica é fundamentada no caráter de Deus, por isso o cristão deve imitar o exemplo de mansidão e da humildade de Cristo: “Tomem sobre vocês o meu jugo e aprendam de mim, pois sou manso e humilde de coração, e vocês encontrarão descanso para as suas almas.” (Mateus 11:29) 

E gentil.” Uma pessoa gentil tem uma disposição sensível e um comportamento gentil induzido pelo amor. Ser gentil concentra-se na maneira como respondemos às pessoas com as quais diferimos ou que estão tendo um mau dia. 

Seja paciente.” A paciência é uma virtude e é falada por toda a Bíblia no Antigo e no Novo Testamento. De acordo com 1 Samuel “a falta de paciência pode fazer com que você perca bênçãos.” Quando somos pacientes, não vamos explodir tão facilmente ou reagir contra os outros. Em vez disso, nos permite exalar um espírito amável em uma situação difícil. 

Tolerem uns aos outros com amor.” Precisamos mostrar tolerância a todos através do poder do amor de Cristo. Devemos perdoar como Ele nos perdoou. É basicamente uma graça cristã em semelhança a Deus. Isso significa que podemos ser felizes e contentes quando não estamos no controle ou dirigindo as coisas à nossa maneira. Precisamos disto para que os erros inevitáveis que ocorrem entre as pessoas da família de Deus não trabalhem contra o objetivo de Deus de reconciliar todas as coisas em Cristo. 

Precisamos de um compromisso de amar a Jesus Cristo acima de todas as coisas e de sacrificar todas as nossas mini-agendas por Sua causa: “Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. A vida que agora vivo no corpo, vivo-a pela fé no filho de Deus, que me amou e se entregou por mim” (Gálatas 2:20). Qualquer outra coisa deve tomar o segundo lugar para a prioridade de viver uma vida que reflecte o amor de Cristo e modela Sua humildade e gentileza para com todos aqueles que puseram sua confiança Nele. 

Faça todos os esforços para manter a unidade do Espírito através do vínculo da paz.” O apóstolo Paulo foi um defensor constante da unidade dos cristãos, ele sabia que levaria esforço e trabalho para caminhar em unidade. 

Paulo faz um apelo semelhante em sua primeira carta aos Coríntios. No verso 10 do capítulo 1, ele escreve: “Irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo suplico a todos vocês que concordem uns com os outros no que falam, para que não haja divisões entre vocês, para que não haja divisão entre vocês e para que sejais perfeitamente unidos em mente e pensamento.” Palavras semelhantes podem ser encontradas em Filipenses 2:2 e Colossenses 2:2-3. Paulo estava constantemente instando os cristãos a buscar a unidade! 

É essencial entender que as pessoas não criam a unidade – Deus o faz. Assim que; quando o povo de Deus é guiado e está cheio do Espírito Santo, a paz, a humildade, o amor e a unidade cristã se tornam realidade. Em Efésios 4:3, Paulo não nos chama para “criar a unidade”, ou “fazer a unidade”. Em vez disso, ele diz: “Faça todos os esforços para manter a unidade do Espírito através do vínculo da paz”. A verdadeira unidade dos cristãos se origina na unidade da Santíssima Trindade. Esta unidade é dada ao crente pelo Pai através do Espírito, por causa do que Cristo fez por nós na cruz. Como Efésios 2:22 promete: “Assim vocês também, unidos com Cristo, estão sendo construídos, junto com os outros, para se tornarem uma casa onde Deus vive por meio do seu Espírito.” 

Devemos notar que a unidade cristã é radicalmente diferente de tudo o que o mundo tem para oferecer. Os não-cristãos podem se reunir com paixão e eficácia em torno de diferentes causas, incluindo agendas políticas, questões morais como a pobreza ou o racismo, ou muitas outras razões. Em contraste, a unidade cristã não é formada em torno de uma causa; ela está centrada numa Pessoa – o Senhor Jesus Cristo. Ao contemplarmos a imensidade do amor e do sacrifício de Jesus por nós, assim como a glória de Sua divindade, devemos ser inspirados a perseguir uma unidade que ultrapasse o que o mundo poderia possivelmente planejar. “Portanto, se há algum encorajamento em Cristo, se há alguma consolação no seu amor, se há alguma comunhão com o Espírito, se há alguma misericórdia e bondade, então me façam completamente feliz. Eu peço que vocês tenham o mesmo modo de pensar, que tenham o mesmo amor uns pelos outros, e tenham um mesmo espírito e um único propósito.” (Filipenses 2:1-2) Os cristãos nunca devem aceitar as práticas malignas do sistema anticristo deste mundo com a finalidade de uma falsa “unidade.” 

Deus ordenou a seus verdadeiros filhos para expor a maldade aonde quer que seja – mesmo em nossas igrejas. “Não participem das obras infrutíferas das trevas; antes, exponham-nas à luz.” (Efésios 5:11) 

A unidade requer um compromisso para desenvolver o caráter semelhante a Cristo, especialmente a humildade e a submissão. O orgulho é o grande inimigo da unidade. É por isso que tantas passagens nas Escrituras apelam para a unidade no corpo dos crentes e também nos exortam a cultivar a humildade e a submissão mútua. Pouco antes de Paulo nos chamar à unidade em Efésios 4:3, ele nos exorta a ser “sempre humildes, gentis, pacientes, e tolerem uns aos outros com amor “ (v. 2). Ele nos adverte em Romanos 12:3 – “Não pense de si mesmo mais do que deve pensar. Ao contrário, pense de maneira modesta, de acordo com a medida de fé que Deus repartiu a cada um”. E em Filipenses 2:3-4, Paulo nos exorta a “Não façam nada por interesse pessoal ou vaidade. Pelo contrário, ajam com humildade e cada um considere os outros superiores a si mesmo. Nenhum de vocês deve buscar apenas o seu próprio bem, mas também o que é para o bem dos outros.” 

Manter a unidade é um compromisso de lutar com seriedade e em oração para buscar paz, resolver conflitos e preservar relações, apesar das diferenças pessoais. Tendo plantado numerosas igrejas cristãs, o apóstolo Paulo sabia que o conflito freqüentemente ameaçava a unidade e o testemunho das congregações locais. Assim que, a maioria de suas cartas contém uma exortação como a encontrada em Efésios 4:2-3: “ Sejam sempre humildes, gentis, pacientes, e tolerem uns aos outros com amor. Faça todos os esforços para manter a unidade do Espírito através do vínculo da paz.” Devemos sempre ser pacientes com os verdadeiros cristãos que ainda estão tentando desenvolver sua fé e compreensão do plano de Deus para a alegria, a paz e a vitória na vida cristã. 

Paulo e outros escritores do Novo Testamento sabiam que Satanás está sempre procurando semear sementes de conflito, ofensa e divisão no corpo dos crentes, esperando destruir nosso testemunho de Cristo. Como Paulo ensina, a melhor maneira de impedir que essas sementes de conflito cresçam é ser humilde e gentil para com aqueles que nos irritam, para pacientemente negligenciar ofensas menores, para suportar aqueles que nos decepcionam e para corrigir com amor aqueles cujos pecados são demais sério para ignorar. Há algumas pessoas que dizem que são “brutalmente honestas”. Satanás também as usa, portanto, quando confrontado com esses tipos de pessoas, devemos perguntar-lhes qual o aspecto que mais gostam de administrar – a honestidade ou a brutalidade? Tenham cuidado! Se o seu irmão pecar contra você, repreenda-o; e se ele se arrepender, perdoe-lhe. (Lucas 17:3) 

Uma das mais belas descrições da unidade cristã é encontrada em Atos 2:42-47: “Eles se dedicavam ao ensino dos apóstolos, à comunhão, ao partir do pão e às orações. 43 Os apóstolos fizeram muitos sinais e maravilhas, e um sentimento de muito respeito tomou conta de todos. 44 Todos os que creram ficavam juntos e repartiam tudo o que tinham. 45 Eles venderam suas propriedades e os seus bens e distribuíram entre todos, conforme a necessidade de cada um. 46 Eles se reuniam no templo todos os dias, e dividiam o pão de casa em casa, repartindo a comida com alegria e com sinceridade no coração. 47 Eles louvavam a Deus e eram estimados por todas as pessoas. E todos os dias o Senhor aumentava aquele grupo com pessoas que iam sendo salvas.” 

Como mostra esta passagem, a verdadeira unidade cristã pode fornecer um poderoso e atraente testemunho ao mundo. Ela revela o poder redentor e reconciliador do Salvador. Isso mostra que os relacionamentos podem resistir às decepções e dores da vida diária. A unidade também capacita o corpo dos crentes a resistir às pressões do mundo, cuidar dos necessitados e levando o evangelho ao mundo inteiro (Mateus 28:19-20).

Publicado por: mvmportugues | novembro 9, 2016

O QUE DIZ A PALAVRA DE DEUS SOBRE A FOFOCA? – Provérbios 11:13

o-que-disse-a-palavra-de-deus-sobre-a-fofoca-proverbios-11-vs-13

O mexeriqueiro espalha segredos, mas a pessoa séria é discreta. (Provérbios 11:13) 

Um mexeriqueiro é uma pessoa que tem informações privilegiadas sobre alguém e procede a revelar essa informação para aqueles que não têm nada que ver com o assunto. A fofoca também pode ser definida como uma pessoa caluniadora que faz uma falsa declaração e falada sobre o comportamento ou a vida pessoal de uma pessoa, muitas vezes sem saber a verdade e, portanto, prejudica a reputação desta pessoa. 

Se fôssemos honestos, a maioria de nós admitiríamos que nós mesmos às vezes temos um problema com nossa comunicação verbal. Quantos podem honestamente dizer que nunca dissemos algo sobre uma outra pessoa e depois realizamos que não deveríamos ter dito isso? Se estudássemos melhor a Bíblia, poderíamos lamentar ainda mais sobre o que sai da nossa boca, porque: O mexeriqueiro espalha os segredos; por isso fique longe de quem fala demais. (Provérbios 20:19)

Qualquer um pode ser culpado de fofoca simplesmente por repetir algo ouvido em confiança. O livro de Provérbios tem uma longa lista de versículos que revelam os perigos da fofoca e o dano potencial que resulta dela. É tolice tratar os outros com desprezo; o homem prudente prefere ficar calado. 13 O mexeriqueiro espalha segredos, mas a pessoa séria é discreta. (Provérbios 11:12-13)

A Bíblia nos diz que O homem perverso levanta a contenda, e o difamador (fofoqueiro) separa os maiores amigos (Provérbios 16:28). Muitas amizades foram arruinadas sobre um mal-entendido que começou com fofocas. Aqueles que se dedicam a esse comportamento não fazem nada além de agitar problemas, causam raiva, amargura e dor entre amigos. Infelizmente, algumas pessoas prosperam nisso e procuram oportunidades para destruir outras pessoas. E quando tais pessoas são confrontadas, elas negam as alegações e respondem com desculpas e racionalizações. Em vez de admitir delitos, eles culpam alguém ou tentam minimizar a gravidade do seu pecado. “Quando o tolo fala, ele causa a sua desgraça, pois acaba caindo na armadilha das suas próprias palavras. Os mexericos são tão deliciosos! Como gostamos de saboreá-los!” (Provérbios 18:7-8)

O antídoto para a fofoca é pensar antes de falar, porque, o que guarda a boca e a língua guarda das angústias a sua alma. (Provérbios 21:23)

Se ninguém desse ouvidos as fofocas, então ela provavelmente morreriam, por falta de ouvidos para ouvir. Mas a realidade é que há sempre alguém que está ansioso para ouvir, e isto só alimenta o mexeriqueiro e lhes permite manter a fofoqueira. 

Quando você está contando uma história sobre alguém pergunte a si mesmo as seguintes perguntas: 

  • Quão certo estou de que os fatos estão corretos? 
  • As informações foram dadas confidencialmente? 
  • Verifiquei os fatos com a pessoa envolvida? Eu posso nem sequer ter os fatos retos sobre a situação ou sobre a pessoa da qual estão fofocando!!! 
  • Estou contando esta história para a edificação do corpo de Cristo? 
  • Perguntei a Deus se eu deveria compartilhar essa informação com outras pessoas? 
  • Eu realmente amo a pessoa sobre a qual eu estou fofocando? Fui para a vítima da minha fofoca e a perguntei se posso orar por ela e como posso ajudá-la se estiver lutando em alguma área de sua vida? 

A mensagem em toda a Bíblia é muito clara – não fofoque! Tudo o que isto causa é dano e ferimento. Deus recompensa o justo, então faça o que Deus ordena e evite fofocas – seja confiável. Que nenhuma palavra torpe saia da boca de vocês, mas apenas a que for útil para edificar os outros, conforme a necessidade, para que conceda graça aos que a ouvem. (Efésios 4:29) 

Como devemos responder quando alguém começa a fofocar? 

  • Não participe – Se uma pessoa se recusa a parar de transmitir a fofoca / calúnia para você, será necessário distanciar-se delas.
  • Evitá-losO mexeriqueiro espalha os segredos; por isso fique longe de quem fala demais. (Provérbios 20:19)
  • Mude de assunto“Sem lenha a fogueira se apaga; sem o caluniador morre a contenda. (Provérbios 26:20)
  • ConfronteTomem cuidado. “Se o seu irmão pecar, repreenda-o e, se ele se arrepender, perdoe-lhe. (Lucas 17:3)

Lembre-se que: Se alguém pensa ser religioso, engana a si mesmo, se não souber controlar a sua língua, a sua religião não vale nada. (Tiago 1:26) 

Deus odeia as fofocas porque causam dor as pessoas, prejudicam a reputação, rompem amizades, podem destruir casamentos, família e até mesmo o trabalho de alguém. Lembre-se, da próxima vez que alguém quiser fofocar de não participar, mude de assunto, os evite, ou os confronte, porque, “Sem lenha a fogueira se apaga; sem o caluniador morre a contenda.” (Provérbios 26:20)

Quando em dúvida mantenha o silêncio, porque, o que guarda a boca e a língua guarda das angústias a sua alma, (Provérbios 21:23). E em caso de que você não sabia há sete coisas que são uma ABOMINAÇÃO ao Senhor e um delas basicamente refere-se à fofoca: uma testemunha falsa que profere mentiras, e o que semeia contendas entre irmãos. (Provérbios 6:19)

Portanto, evite as fofocas e lembre-se do que Jesus disse: “Bem-aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus.” (Mateus 5:9)

Older Posts »

Categorias