Publicado por: mvmportugues | fevereiro 7, 2019

O FRUTO DO ESPÍRITO – Gálatas 5:22-23

Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei. (Gálatas 5:22-23)

Quando aceitamos a Jesus Cristo como nosso Salvador e fazemos Dele o Senhor da nossa vida, o Espírito Santo vem e vive dentro de nós e nos guiará e nos ajudará a entender a palavra de Deus. Por causa dessa ajuda, podemos nos tornar mais parecidos com Jesus e demonstrar os dons do Espírito.

AMOR

O amor é o primeiro fruto do Espírito mencionado. Jesus disse que o maior mandamento é amar a Deus e amar uns aos outros (Marcos 12:30-31). Quando amamos a Deus com todo nosso coração, alma, mente e força, e amamos nosso próximo como a nós mesmos, mostramos ao mundo que pertencemos a Jesus. No entanto, até que você saiba que Deus ama você, será difícil amar a Deus e amar os outros.

É somente quando o amor de Deus começa a fluir e entrar em nossa vida que podemos começar a amá-Lo, e amar uns aos outros até o grau e a intensidade que Deus realmente gostaria de ver em cada um de nós.

O amor escolhe deixar de lado as próprias preferências e desejos para colocar a outra pessoa em primeiro lugar (Filipenses 2:1-3).

ALEGRIA

É fácil ter alegria quando as coisas estão indo do nosso jeito. Mas é uma outra história quando a vida é difícil. No entanto, os seguidores de Jesus são chamados a ter alegria o tempo todo – não apenas quando a vida é boa.

Alegria significa “regozijo e prazer” – “Alegrem-se sempre no Senhor. Novamente direi: Alegrem-se!” (Filipenses 4:4). À medida que nos apegarmos a Jesus, permanecendo diariamente em nosso relacionamento com Ele, experimentaremos a plenitude de alegria que Jesus nos conta no relato da videira e dos ramos; e no último versículo Jesus diz: “Eu lhes disse isso para que minha alegria esteja em você e que sua alegria seja completa” (João 15:4-11)

PAZ

Infelizmente, o mundo não oferece muita paz; e a razão pela qual o mundo não tem paz é porque eles não conhecem o Príncipe da Paz. Jesus disse: “Deixo com vocês a paz. É a minha paz que eu lhes dou; não lhes dou a paz como o mundo a dá. Não fiquem aflitos, nem tenham medo” (João 14:27).

Jesus também disse: “Eu lhes disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo” (João 16:33).

E as Escrituras nos dizem: Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o coração e a mente de vocês em Cristo Jesus” (Filipenses 4:6-7). 

PACIÊNCIA

Como vivemos neste mundo acelerado, não vemos muita paciência hoje em dia. Mas os cristãos têm o Espírito Santo vivendo neles, desejosos de demonstrar paciência aos que nos rodeiam. As pessoas pacientes demonstram tranquilidade, longanimidade e perseverança.

Assim como Deus é paciente enquanto espera que os perdidos venham a Ele, O Senhor não demora a fazer o que prometeu, como alguns pensam. Pelo contrário, ele tem paciência com vocês porque não quer que ninguém seja destruído, mas deseja que todos se arrependam dos seus pecados(2 Pedro 3:9), Ele chama Seu povo para ser paciente ao estendermos a oferta de salvação em Cristo aos outros. Sejam sempre humildes, bem-educados e pacientes, suportando uns aos outros com amor” (Efésios 4:2).

Devemos também lembrar que: O homem irritável provoca dissensão, mas quem é paciente acalma a discussão” (Provérbios 15:18).

AMABILIDADE

Nós nos abrimos para a obra sobrenatural do Espírito Santo quando pedimos a Ele que produza em nós um coração amável, porque a gentileza produz frutos maravilhosos tanto em nossas vidas como nas vidas daqueles que nos rodeiam. A Bíblia diz: “Sejam amaveis e tenham compaixão uns dos outros. Perdoem uns aos outros como também Deus, em Cristo, perdoou a vocês” (Efésios 4:32).

Devemos sempre lembrar que uma palavra amável, uma ação gentil para uma pessoa pode realmente fazer maravilhas para ela. Provérbios diz: Quem segue a justiça e a amabilidade encontra vida, justiça e honra” (21:21).

BONDADE

A Bíblia diz que é a bondade de Deus que levará os pecadores ao arrependimento e à salvação. Deus demonstrou Sua bondade e amor para conosco em nossa salvação (Tito 3:4) e continuará a “mostrar as riquezas imensuráveis ​​de Sua graça na bondade que ele demonstrou por nós em Cristo Jesus” por toda a eternidade (Efésios 2:7).

Muitas pessoas dizem que o que os atraiu a querer saber mais sobre Deus foi o amor e a bondade que eles viram brilhando através de um crente. Por isso mesmo, empenhem-se para acrescentar à sua fé a virtude; à virtude o conhecimento; ao conhecimento o domínio próprio; ao domínio próprio a perseverança; à perseverança a piedade;  à piedade a fraternidade; e à fraternidade o amor (2 Pedro 1:5-7).

FIDELIDADE

Ser fiel é ser confiável, firme e inabalável. Para o cristão, significa ser fiel ao nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo que nos redimiu. A fidelidade cristã, portanto, é a submissão e a obediência contínua e consistente ao mesmo Espírito que nos fornece a capacidade de sermos fiéis.

Ser fiel a Deus significa não colocar outras coisas acima Dele; Que o amor e a fidelidade jamais o abandonem; prenda-os ao redor do seu pescoço, escreva-os na tábua do seu coração. Então você terá o favor de Deus e dos homens, e boa reputação” (Provérbios 3:3-4).

Os cristãos devem responder a Deus em fidelidade, assim como Paulo permaneceu fiel a Deus, apesar de tremendas pressões: Dou graças a Cristo Jesus, nosso Senhor, que me deu forças e me considerou fiel, designando-me para o ministério (1 Timóteo 1:12).

A palavra também descreve alguém disposto a sofrer perseguição e até a morte pelo amor de Cristo. Por esta causa nos gloriamos em vocês entre as igrejas de Deus pela perseverança e fé demostrada por vocês em todas as perseguições e tribulações que estão suportando (2 Tessalonicenses 1:4). 

MANSIDÃO

A mansidão está intimamente ligada à humildade; não é fraqueza, mas é força sob controle. Paulo instruiu Timóteo que, ao servo do Senhor não convém brigar mas, sim, ser amável para com todos, apto para ensinar, paciente. Deve corrigir com mansidão os que se lhe opõem, na esperança de que Deus lhes conceda o arrependimento, levando-os ao conhecimento da verdade, para que assim voltem à sobriedade e escapem da armadilha do Diabo, que os aprisionou para fazerem a sua vontade (2 Timóteo 2:24-26). E na carta para a igreja na Galácia, ele escreveu que aqueles que foram surpreendido em algum pecado deveriam ser restaurados com um “espírito de mansidão (Gálatas 6:1).

A mansidão envolve a humildade e a gratidão para com Deus, e um comportamento educado e contido para com os outros. Os opostos da mansidão são a raiva e o desejo de vingança. Se, no entanto, permitirmos que o Espírito Santo nos conduza, estaremos cheios do fruto de mansidão.

DOMÍNIO PRÓPRIO

Uma das provas do trabalho de Deus em nossas vidas é a capacidade de controlar nossos próprios pensamentos, palavras e ações. O domínio próprio leva à perseverança e à piedade (2 Pedro 1:6) em vez da gratificação instantânea do mundo.

O domínio próprio é um dom que nos liberta. Isso nos libera para desfrutar dos benefícios de uma mente e corpo saudáveis. Isso nos liberta de uma consciência culpada. O domínio próprio restringe a indulgência de nossos desejos tolos e encontramos liberdade para amar e viver como somos destinados em Cristo Jesus.

Quando o Espírito nos dá domínio próprio, Ele nos dá a capacidade de recusar o pecado, porque sabemos: que a nossa maneira antiga de viver morreu com Cristo na cruz, para que a nossa natureza pecadora não tenha mais poder sobre nós e, assim, não sejamos mais escravos do pecado (Romanos 6:6).

Como verdadeiros cristãos nascidos de novo, temos o Espírito Santo produzindo Seu fruto em nós e temos o poder do Espírito Santo disponível para conquistar os atos da natureza pecaminosa. E assim, se alguém está em Cristo, é uma nova criatura. As coisas velhas já passaram; tudo é novo! (2 Coríntios 5:17)

O fruto do Espírito é o que Deus deseja que nossa vida exiba e, com a ajuda do Espírito Santo, podemos! “Tudo posso naquele que me fortalece” (Filipenses 4:13).

*******

Anúncios
Publicado por: mvmportugues | janeiro 31, 2019

MUDANDO HÁBITOS MAUS EM BONS HÁBITOS – Filipenses 4:13

Posso fazer qualquer coisa por meio de Cristo, pois Ele me dá força. Filipenses 4:13

Hábitos são, por definição, comportamentos que fazemos regularmente e são formados por prática e repetição. Nosso objetivo como cristãos é praticar bons hábitos que nos conduzirão a Deus e a Seu propósito para nossa vida e para quebrar maus hábitos que nos separarão Dele, que a Bíblia chama de pecado.

Que diremos então? Continuaremos pecando para que a graça aumente? De maneira nenhuma!Uma vez que morremos para o pecado, como podemos continuar vivendo nele?  Romanos 6:1-2

Todos nós cometemos pecado, porém, é o pecado habitual em nossas vidas que muitas vezes é o mais frustrante e causa mais dor a nós mesmos, para aqueles que nos rodeiam e nos separará para sempre de Deus se não despertamos e mudamos nossa maneira de viver.

Muitos desejam sinceramente ser livres do pecado, mas com tentações constantes do diabo e seus demônios, da nossa carne e do mundo, indivíduos que não conhecem o poder de Deus, podem continuar sendo pressionados de voltar a ele.

A Bíblia nos instrui a desenvolver bons hábitos quando nos tornamos cristãos, como orar, ler a bíblia e reunir-se com outros cristãos; desenvolver esses novos hábitos também nos ajudará a desenvolver “frutos do Espírito” e vencer o pecado em nossa vida – Gálatas 5:22-26.

Pela graça de Deus, livrem-se de sua antiga natureza e de seu velho modo de viver, corrompido pelos desejos impuros e pelo engano. Deixem que o Espírito renove seus pensamentos e atitudes e revistam-se de sua nova natureza, criada para ser verdadeiramente justa e santa como Deus, Efésios 4:22-24. Este é o melhor antídoto para substituir maus hábitos por bons hábitos.

Quando nos tornamos novas criações, vemos que Deus quer que deixemos nossos maus hábitos e pecados e assumimos novos comportamentos semelhantes aos de Cristo. Se confiarmos Nele, Ele nos ajudará a mudar, porque, como Hebreus 13:5 nos diz: “Eu nunca te deixarei, nem te abandonarei.

Então, como realizamos isto? Primeiro, precisamos entender que há pecado em nossas vidas; então precisamos confessá-los a Deus e aceitar o Seu perdão. “Pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus.” Romanos 3:23

A Bíblia e o Espírito Santo nos dirão o que precisamos mudar e quais áreas de nossas vidas não estão de acordo com a Sua Palavra, como lemos em Gálatas 5:19-21, As obras da natureza pecadora são bem conhecidas. Elas são: imoralidade sexual, impureza, sensualidade, idolatria, bruxarias, ódio, brigas, ciúmes, iras, egoísmo, rixas, divisões, inveja, embriaguês, orgias e coisas iguais a estas. Eu já os avisei a respeito dessas coisas, e os aviso novamente: Aquelas pessoas que praticam essas coisas não vão herdar o reino de Deus.

Depois de reconhecer o hábito específico que você precisa mudar, você precisa começar a monitorar seu comportamento e tornar-se consciente de quando isto acontece. Você deve prestar atenção ao que provoca o hábito. São certas pessoas ou situações que fazem com que você peca? Certos programas de TV provocam o seu hábito? Quais pensamentos ou sentimentos você tem antes de pecar?

Recolher esta informação ajudará você a reconhecer padrões e fazer um plano para superar os maus hábitos buscando a ajuda de Deus. 

Para começar, você precisa decidir e agir e ver com qual comportamento piedoso você deve substituir seu mau hábito; caso contrário, outro mau hábito pode surgir em seu lugar. Porque, como a Bíblia ensina, “quando um espírito imundo sai de um homem, passa por lugares áridos procurando descanso. Como não o encontra, diz: ‘Voltarei para a casa de onde saí’. Chegando, encontra a casa desocupada, varrida e em ordem. Então vai e traz consigo outros sete espíritos piores do que ele, e, entrando, passam a viver ali. E o estado final daquele homem torna-se pior do que o primeiro. Assim acontecerá a esta geração perversa. Mateus 12:43-45

Você precisa ter um comportamento positivo para substituir o negativo. Ore e peça a Deus para lhe mostrar o caminho.

Lembre-se do que Efésios 4:22-24 diz: livrem-se de sua antiga natureza e de seu velho modo de viver, corrompido pelos desejos impuros e pelo engano. Deixem que o Espírito renove seus pensamentos e atitudes e revistam-se de sua nova natureza, criada para ser verdadeiramente justa e santa como Deus.

Você precisa garantir que seus novos objetivos sejam específicos, alcançáveis ​​e realísticos. Por exemplo: vou levantar às 6:45, que é 15 minutos mais cedo do que eu me levanto normalmente e vou ler a minha bíblia por 15 minutos todos os dias e vou orar.

Mesmo que 15 minutos podem não parecer muito, é melhor começar com um objetivo atingível, porque é difícil formar novos hábitos, pois o nosso cérebro prefere a rotina do que mudar. Fazendo pequenas mudanças, seu cérebro e corpo protestarão menos.

Como cristãos, nossa principal motivação para mudar o mau comportamento é obedecer e agradar a Deus, para que possamos nos tornar mais semelhantes a Cristo. Jesus disse: “Se você me ama, obedecerá meus mandamentos.” João 14:15

E você deve, comprometer seu caminho ao Senhor; confiar Nele e Ele agirá. Salmo 37:5

Fique responsável perante outros cristãos e peça-lhes que orem por você e com você. Portanto, confessem os seus pecados uns aos outros e orem uns pelos outros para serem curados. A oração de um justo é poderosa e eficaz. Tiago 5:16

A honestidade, a fé e a determinação são um grande fator de superação. Amados, se a consciência não nos condena, podemos ir a Deus com total confiança e dele receberemos tudo que pedirmos, pois lhe obedecemos e fazemos o que lhe agrada. 1 João 3:21-22

Como vemos, a chave é que precisamos pedir de acordo com a vontade de Deus, e é vital também entender o que Tiago afirma: Peça-a, porém, com fé, sem duvidar, pois aquele que duvida é semelhante à onda do mar, levada e agitada pelo vento. Não pense tal pessoa que receberá coisa alguma do Senhor, pois tem mente dividida e é instável em tudo o que faz. Tiago 1:6-8

Ter um parceiro de responsabilidade é vital, pois, se um cair, o amigo pode ajudá-lo a levantar-se.
Mas pobre do homem que cai e não tem quem o ajude a levantar-se!
Eclesiastes 4:10

Aceite conselhos de cristãos maduros, particularmente aqueles que superaram um hábito semelhante ao seu. Ouça conselhos e aceite instruções, para que você ganhe sabedoria … Provérbios 19:20. Porque planos fracassam onde não há conselho, mas têm êxito quando há muitos conselheiros. Provérbios 15:22

Evitar a tentação é outra chave para o sucesso. Seja qual for a fonte da sua queda, fique longe delas e, em vez disso, revistam-se do Senhor Jesus Cristo e não fiquem imaginando formas de satisfazer seus desejos pecaminosos. Romanos 13:14

Lembre-se de evitar a gente que provocará o seu mau hábito e não se deixe enganar: “As más companhias corrompem o bom caráter. 1 Coríntios 15:33

Siga o conselho do salmista e odeie a assembléia dos malfeitores, e não se sente com os ímpios, Salmo 26:5.
Em vez disso, você precisa se submeter a Deus que irá ajudá-lo a superar seus maus hábitos se você for sincero. Portanto, submeta-se a Deus. Resista ao diabo e ele fugirá de você. Tiago 4:7

Confie no Senhor de todo o seu coração e não se apóie em seu próprio entendimento; reconheça o Senhor em todos os seus caminhos, e Ele endireitará as suas veredas. Provérbios 3:5-6

Mantenha seu foco em Jesus e concentre-se em fazer o que é certo e não dê ao diabo uma oportunidade (Efésios 4:27); sempre lembrando que, uma vez que vocês ressuscitaram para uma nova vida com Cristo, significando que você aceitou Jesus Cristo como seu Salvador e O fez o Senhor da sua vida, mantenham os olhos fixos nas realidades do alto, onde Cristo está sentado no lugar de honra, à direita de Deus. Pensem nas coisas do alto, e não nas coisas da terra. Pois vocês morreram para esta vida, e agora sua verdadeira vida está escondida com Cristo em Deus. Colossenses 3:1-3

Jesus definiu as únicas pessoas que verdadeiramente nasceram de novo como aquelas que vieram para a luz como Ele disse: E a condenação se baseia nisto: a luz de Deus veio ao mundo, mas as pessoas amaram mais a escuridão que a luz, porque seus atos eram maus. Quem pratica o mal odeia a luz e não se aproxima dela, pois teme que seus pecados sejam expostos. Mas quem pratica a verdade se aproxima da luz, para que outros vejam que ele faz a vontade de Deus.” João 3:19-21

Renovar sua mente é um dos passos mais importantes para mudar seus hábitos. Você precisa pensar novos pensamentos e formar novas crenças em relação ao seu hábito e, mais importante, você precisa acreditar que pode mudar. Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus. Romanos 12:2

Ao ler esta mensagem de esperança que é preenchida com a palavra de Deus, você perceberá que, uma vez que você começar a ler a Sua Palavra, você a encontrará renovando sua mente. Seu desejo vai mudar e você já não vai querer o pecado e você reconhecerá que: Toda a Escritura é inspirada por Deus e, por isso, é útil para falar sobre a verdade, para repreender os pecadores, para corrigir as faltas e para ensinar a maneira certa de viver. 2 Timóteo 3:16

Se você memorizar escrituras, elas virão à mente quando você for tentado por maus hábitos. Jesus venceu a tentação citando as escrituras, você pode fazer o mesmo! Leia Mateus 4:1-11.

Deus nos diz que podemos mudar e que a vitória foi conquistada em Cristo Jesus; porque em todas estas coisas somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou. Romanos 8:37

Jesus disse: “Para o homem é impossível, mas para Deus não; porque para Deus todas as coisas são possíveis.” Marcos 10:27

A mensagem principal é que: “Tudo é possível para aquele que crê.” Marcos 9:23

*******

Publicado por: mvmportugues | janeiro 24, 2019

O PECADO DÁ NASCIMENTO À MORTE – Tiago 1:14-15

Cada um, porém, é tentado pelo próprio mau desejo, sendo por este arrastado e seduzido. Então esse desejo, tendo concebido, dá à luz ao pecado, e o pecado, após ter se consumado, gera a morte.” (Tiago 1:14-15)

Satanás conhece nossas fraquezas individuais e nos tenta de acordo. Muitos cristãos caem em pecado por orgulho, pela cobiça, por se comprometer ou por ser preguiçoso.

Então, vamos entender o que é pecado. É a transgressão dos mandamentos de Deus que nos separa de Deus.

Deus deu Seus mandamentos para o bem dos homens. São as instruções pelas quais os homens devem se conduzir, a fim de que possamos viver em paz e ordem, e permanecer em comunhão com Ele. O pecado é a violação da lei de Deus, o colapso de ordem, a interrupção da paz e a suspensão da comunhão com o nosso Criador.

Nenhum homem é o mesmo depois de pecar. O pecado pode ser perdoado, mas a cicatriz permanece em sua alma.

Primeiro, o pecado cega. Somos ordenados a crescer em Cristo, acrescentando à nossa fé inicial os atributos de virtude, conhecimento, temperança, paciência, piedade, bondade e amor (2 Pedro 1:5-7). Caso contrário, se alguém não as tem, está cego, só vê o que está perto, esquecendo-se da purificação dos seus antigos pecados (2 Pedro 1:9).

O pecado ata, pode não ser com correntes, como com Sansão, mas o pecado não confesso rapidamente escraviza aqueles que o praticam; porque o homem é escravo daquilo que o domina(2 Pedro 2:19).

Quando olhamos para a vida de Sansão, ele voltou a Deus novamente antes de sua morte, mas ainda estava cego, amarrado e girando um moinho. Os filisteus o prenderam, furaram os seus olhos e o levaram para Gaza. Prenderam-no com algemas de bronze, e o puseram a girar um moinho na prisão (Juízes 16:21).

Deus perdoa, mas os efeitos do pecado não são facilmente removidos. Quanto melhor seria se nós nunca cedêssemos à tentação.

O triste fim do poderoso Sansão, que uma vez foi tão amplamente utilizado pelo Senhor, é também um grave aviso para todo cristão.

Tiago diz que “cada um, é tentado pelo próprio mau desejo, sendo por este arrastado e seduzido (1:14). Se nós associamos isso à pesca, é isto que acontece. O peixe vê a isca e é atraído em direção a ela, pensando que terá um almoço grátis. Em vez disso, o peixe é enganchado, e ele se torna a refeição. A tentação de pecar é assim. Pensamos que o pecado nos satisfará e nos dará algo de bom que estamos querendo; mas, em vez disso, nos prende e nos leva para a destruição.

No começo, a tentação promete excitação. Isto vai ser divertido! Isso atenderá às minhas necessidades. Isso vai conseguir o que eu tenho procurado. Não custa nada tentar!

A tentação nunca vem com luzes piscantes de aviso: “Você gostaria de destruir a si mesmo e sua família? Você gostaria de desonrar o nome do seu Deus?” Se você morder a isca, você está no caminho que leva à morte.

Há sempre esse elemento enganador à tentação, que é fortalecido pelas poderosas emoções envolvidas. Como crentes, não devemos viver de acordo com nossos sentimentos, mas pela fé e obediência, baseados no conhecimento da palavra da verdade de Deus. Precisamos segui-lo, não importa o quanto nossos sentimentos nos puxem em uma direção diferente.

Lembre-se, para superar a tentação, é importante entender que, embora o pensamento inicial que leva ao pecado derive da carne pecaminosa, não é pecado a menos que o persigimos. Em vez disso, devemos nos render como “instrumentos de justiça” (Romanos 6:12-13); e uma vez que somos “ressuscitados com Cristo”, devemos “mortificar” os apetites carnais, “adiar” explosões emocionais que reflectem uma natureza ímpia e “colocar” atributos divinos para que tudo o que fazemos seja feito em nome do Senhor Jesus Cristo (Colossenses 3:1-17).

Se você não se arrepender e voltar ao caminho da justiça, isso pode indicar que você nunca foi verdadeiramente salvo. Isso pode soar duro, mas Jesus contou a parábola do semeador, onde a semente é “a palavra do reino”. O chão pedregoso retrata um homem que professa deleite na Palavra; no entanto, seu coração não é alterado; e a semente não têm raiz firme; ele acredita por um tempo, mas desiste na hora da provação.

O ponto aqui é, que a recepção de um homem da Palavra de Deus é determinada pela condição de seu coração. Portanto, alguém que é verdadeiramente salvo continuará a provar isso.

Por favor, lembre-se que: Deus retribuirá a cada um conforme o seu procedimento. Ele dará vida eterna aos que, persistindo em fazer o bem, buscam glória, honra e imortalidade. Mas haverá ira e indignação para os que são egoístas, que rejeitam a verdade e seguem a injustiça(Romanos 2:6-8).

Se você deseja chamar as pessoas para uma vida santa e humilde que honre a Deus, você será ressentido e até odiado. Jesus advertiu Seus verdadeiros seguidores que: Então eles os entregarão para serem perseguidos e condenados à morte, e vocês serão odiados por todas as nações por minha causa(Mateus 24:9).

E o veredicto é o seguinte que: “A luz veio ao mundo, mas os homens amaram as trevas, e não a luz, porque as suas obras eram más. Quem pratica o mal odeia a luz e não se aproxima da luz, temendo que as suas obras sejam manifestas. Mas quem pratica a verdade vem para a luz, para que se veja claramente que as suas obras são realizadas por intermédio de Deus” (João 3:19-21).

*******

Publicado por: mvmportugues | janeiro 17, 2019

SENHOR QUAL É O SEU PROPÓSITO PARA MINHA VIDA? – João 3:27

“Uma pessoa só pode receber o que lhe é dado dos céus” (João 3:27).

Muitas pessoas e cristãos arruinaram suas vidas por causa de decisões más, feitas à parte da vontade de Deus.

Precisamos entender que o indivíduo que confia em seu próprio entendimento tomará decisões erradas, por causa da natureza caída do homem. Precisamos buscar a Deus e confiar Nele explicitamente. Precisamos estar cientes de que, mesmo que o crente tenha uma nova natureza chamada o “novo homem”, o “velho homem” ainda está lá e ainda pode nos desviar do caminho.

Podemos dizer: “Tudo é permitido”, mas nem tudo convém” – 1 Coríntios 10:23. Como vemos por essa passagem, o “velho homem” ainda aparece algumas vezes.

Precisamos buscar a vontade de Deus para nossa vida através da oração. Em vez de confiar em nosso próprio entendimento, precisamos pedir ao Senhor sabedoria e orientação em tudo o que fazemos e, especialmente, durante uma decisão importante. Ele prometeu liderar Seu povo, mas devemos buscar Sua orientação, confiar

Nele e não confiar em nosso próprio entendimento – Provérbios 3:5-6.

As escrituras nos dizem que não devemos nos preocupar com nada; em vez disso, devemos orar sobre tudo que fazemos. Devemos dizer a Deus o que precisamos e agradecer a Ele por tudo o que Ele faz. Quando fizermos isso, experimentaremos a paz de Deus, que excede tudo o entendimento. Sua paz guardará nossos corações e mentes enquanto vivemos uma vida que agrada a Ele – Filipenses 4:6-7.

Devemos confiar no Senhor e não nosso próprio entendimento, Provérbios 3:5; porque quem confia em si mesmo é insensato, mas quem anda segundo a sabedoria não corre perigo, Provérbios 28:26.

Quando temos uma decisão que precisa ser tomada e buscamos a vontade de Deus, é muito importante evitar a pressa; porque quando estamos apressados, é fácil tomar a decisão errada. Temos que esperar até ter certeza de que conhecemos a mente do Senhor; e a maneira como sabemos isso, é através da alegria e paz que Deus nos dá quando confiamos Nele. Paulo disse aos seus leitores: Que Deus, a fonte de esperança, os encha inteiramente de alegria e paz, em vista da fé que vocês depositam Nele, de modo que vocês transbordem de esperança, pelo poder do Espírito Santo (Romanos 15:13).

Quando buscamos a vontade de Deus e esperamos fielmente Nele, obtemos um espírito tranqüilo como resultado. Ao tomar qualquer decisão, devemos nos perguntar se sentimos paz ou se a dúvida está aumentando? Se algo é de Deus, a paz crescerá e a fé aumentará, mas se não, haverá dúvida e falta de paz.

Vale a pena esperar pela vontade de Deus, porque as decisões têm conseqüências que duram por toda a vida, e se um indivíduo toma decisões erradas, ele não somente irá lamentá-las, mas ele terá de suportar as consequências, até que ele morra. Não esperar no Senhor pelo cônjuge que Ele já escolheu para nós é uma dessas decisões e, claro, há muitas outras.

Às vezes, precisamos buscar o conselho de crentes sábios e experientes; como até Paulo e Barnabé fizeram. As pessoas à nossa volta podem dar conselhos úteis em suas áreas de especialização, e os amigos podem tentar nos dizer o que fazer, mas o conselho de um verdadeiro crente tem um nível diferente de sabedoria e não deve ser negligenciado.

Deus conhece nossas emergências, e Ele se importa profundamente com as nossas necessidades. Ele não nos deixará quando realmente precisarmos de uma resposta. Mas Ele pode nos fazer esperar pacientemente para dar tempo para que a nossa atitude mude para sermos abertos e receptivos à Sua resposta.

Infelizmente vivemos em uma era de gratificação instantânea, e não estamos acostumados a esperar pacientemente, mas vale a pena esperar pelas respostas de Deus, por isso precisamos estar atentos às pressões que o mundo e os familiares ou amigos com boa intenção podem colocar sobre nós.

Precisamos ser persistentes na oração, que é o maior presente que Deus nos deu. Quantas vezes vemos Jesus refugiar-se em Seu tempo de silêncio com Seu Pai Celestial. Se Jesus precisava orar para alinhar Seu coração com Deus, quanto mais precisamos nós orar?

Enquanto esperamos pacientemente no Senhor e nos imergimos na palavra de Deus, precisamos permitir que ela penetre e exerça influência em nossa vida. Aqui estão algumas perguntas que podemos nos perguntar ao tomar decisões: 

  • Como esta decisão me afetará espiritualmente?
  • Como isso afetará minha família? Isso nos aproximará de Deus ou nos distanciará de Deus?
  • Isso trará mais paz ou menos paz à minha vida?
  • Agora é a melhor hora para esta decisão? Seria melhor esperar?
  • Estou disposto a deixar que Deus feche esta porta se esta for a errada para mim?

Um elemento importante para tomar boas decisões é certificar-se de que estamos completamente submetidos ao plano final de Deus para a nossa vida. Às vezes, colocamos em nossa cabeça que queremos fazer uma determinada coisa, e então lutamos imensamente quando começamos a perceber que Deus pode não querer que avancemos com essa determinada escolha. O desastre, no entanto, vem quando colocamos nosso desejo acima do plano de Deus, o que nunca terá bom resultado.

A melhor decisão que podemos tomar é submeter nossas escolhas ao plano de Deus e estar dispostos a desistir de uma oportunidade quando sentimos que Deus não quer que avancemos com essa decisão; lembrando que Aquele que sonda os corações conhece a intenção do Espírito, porque o Espírito intercede pelos santos de acordo com a vontade de Deus. Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito – Romanos 8: 27-28.

*******

Publicado por: mvmportugues | janeiro 10, 2019

COMO IDENTIFICAR UMA IGREJA VERDADEIRA – Atos 2:42-47

É vital ter líderes piedosos e humildes que ensinam as pessoas para viverem uma vida santa e reforçarem esses ensinamentos, vivendo vidas honestas, humildes e santas eles mesmos. Sejam praticantes da palavra, e não apenas ouvintes, enganando-se a si mesmos(Tiago 1:22).

Em primeiro lugar, as Escrituras são a base de tudo na igreja e devem ser ensinadas com precisão e sem desvio. Precisa ser uma igreja que priorize o ensinamento bíblico expositivo e pregue a verdade da Palavra de Deus.

A maneira mais eficaz de criar discípulos ao longo do tempo é chamada de pregação e ensino expositivo. Ensino expositivo significa ir verso por verso, parágrafo por parágrafo e capítulo por capítulo, a fim de ensinar, explicar e aplicar os significados das Escrituras.

Somente uma igreja que conhece a Bíblia pode esperar ter uma igreja que agrade a Cristo!

Em segundo lugar, uma igreja que humildemente louva a Deus através da música e da adoração. Onde as pessoas são cheias do Espírito; falando entre si com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando e louvando de coração ao Senhor (Efésios 5:18-19).

Verdadeiros cânticos espirituais são compostos, sob a liderança do Espírito Santo, com a finalidade de trazer adoradores à Sala do Trono do Céu. Os hinos foram escritos para ensinar as grandes verdades bíblicas; e canções de adoração contemporâneos que seguem essas orientações podem oferecer isto também.

Deve haver uma alegria reverencial ao cantar e adorar ao Senhor.

Terceiro, uma igreja que ora desenvolve intimidade com Deus. Muito poucas vezes a Bíblia registra Paulo orando por alguém para ser curado; no entanto, ele orou freqüentemente para que o espírito humano fosse amadurecido: Oro para que, com as suas gloriosas riquezas, ele os fortaleça no íntimo do seu ser com poder, por meio do seu Espírito, para que Cristo habite no coração de vocês mediante a fé; e oro para que, estando arraigados e alicerçados em amor, vocês possam, juntamente com todos os santos, compreender a largura, o comprimento, a altura e a profundidade, e conhecer o amor de Cristo que excede todo conhecimento, para que vocês sejam cheios de toda a plenitude de Deus (Efésios 3:16-19).

Nós como a igreja invisível de Deus precisamos orar por outros e com outros. Isto é importante porque a pesquisa mostra que 98 por cento de todos os cristãos falham em levar alguém a Cristo. 

Quarto, uma igreja onde as pessoas regularmente e generosamente doam. O dízimo e a doação fazem parte da adoração a Deus, e é mais do que dar dinheiro para coisas que parecem ser materiais. O crente precisa entender que ele está devolvendo a Deus o que Ele lhes deu. Eles devem ser gratos por poder ajudar a igreja a crescer e ajudar outros em necessidade.

Quinto, uma igreja onde a comunhão permeia os crentes. Quando a primeira igreja nasceu no dia de Pentecostes, depois que Pedro dirigiu as multidões lemos onde a comunhão dos novos cristãos começou a dedicar-se ao ensino dos apóstolos e à comunhão, ao partir do pão e às orações. Todos estavam cheios de temor, e muitas maravilhas e sinais eram feitos pelos apóstolos. Os que criam mantinham-se unidos e tinham tudo em comum. Vendendo suas propriedades e bens, distribuíam a cada um conforme a sua necessidade.  Todos os dias, continuavam a reunir-se no pátio do templo. Partiam o pão em suas casas, e juntos participavam das refeições, com alegria e sinceridade de coração, louvando a Deus e tendo a simpatia de todo o povo. E o Senhor lhes acrescentava diariamente os que iam sendo salvos (Atos 2:42-47).

A comunhão envolve derramar nossa vida para ensinar e ajudar os outros.

Sexto, uma igreja que se concentra em ajudar as pessoas que estão sofrendo, alimentando e cuidando de suas ovelhas. Jesus ensinou a Pedro uma valiosa lição depois de tê-Lo negado três vezes; e o motivou a amar aos outros quando Ele disse a ele: “Cuide dos meus cordeirosPastoreie as minhas ovelhasCuide das minhas ovelhas (João 21:15-18).

Precisamos lembrar que uma igreja que ama a Deus é odiada por Satanás, portanto, o corpo de crentes precisa estar alerta e de mente sóbria porque o Diabo, o inimigo de vocês, anda ao redor como leão, rugindo e procurando a quem possa devorar (1 Pedro 5:8).

Como resultado, a igreja precisa ensinar que toda área de nossa vida que não se rendeu totalmente ao Espírito Santo está aberta ao ataque de Satanás.

Felizmente, Deus nos deu todas as ferramentas necessárias para sermos vitoriosos na guerra espiritual. Em Efésios 6:10-18, Paulo descreve a armadura espiritual necessária para encontrar a vitória. E Tiago 4:7 nos diz: Submetam-se a Deus. Resistam ao Diabo, e ele fugirá de vocês.

Portanto, como Paulo ensinou sua congregação que, por causa da grande misericórdia divina, peço que vocês se ofereçam completamente a Deus como um sacrifício vivo, dedicado ao seu serviço e agradável a ele. Esta é a verdadeira adoração que vocês devem oferecer a Deus (Romanos 12:1). Isto é o que cada verdadeiro cristão deve fazer também.

E que devemos trabalhar com entusiasmo e não ser preguiçosos. Devemos servir o Senhor com o coração cheio de fervor (Romanos 12:11).

*******

Publicado por: mvmportugues | janeiro 4, 2019

QUANDO NÃO TEMOS CERTAS, PRECISAMOS ORAR – Salmo 143:8

“Mostra-me o caminho que devo seguir, pois a Ti elevo a minha alma.” (Salmo 143:8)

Quando a vida está indo bem, muitas vezes continuamos sem dar muito tempo para a oração. Muitos de nós oramos, mas nossa oração muitas vezes não nos leva a profunda comunhão com Deus. Quando surgem problemas ou tragédias, é quando nossas orações tendem a aumentar e tornar-se mais fervorosas.

O Rei Davi escreveu numerosas orações sinceras pedindo a Deus para estar com ele, para protegê-lo e vingá-lo, e para lembrá-lo de acordo com o amor e a justiça de Deus. Vemos sua ansiosa oração a Deus no Salmo 27:7 – “Ouça minha voz quando eu chamo, ó Senhor; seja misericordioso comigo e responda-me.” Como vemos, as provações nos forçam a recorrer e confiar em Deus.

Infelizmente, a maioria de nós vivemos nossas vidas no piloto automático. Nós nos levantamos, trabalhamos, comemos, vamos para a cama, e repetimos tudo de novo. Mesmo quando surgem dificuldades, nossa autoconfiança aumenta, e nos afastando de Deus. Mas quando as coisas ficam difíceis e nossa capacidade de manter até mesmo um semblante de normalidade e controle, então tendemos a correr para Deus.

Não devemos esperar até que isso aconteça, para descobrir que Deus está sempre lá para nos consolar e nos guiar.

Se pertencemos a Cristo, temos o Espírito Santo habitando dentro de nós, e um dos papéis do Espírito é alinhar os crentes com a vontade de Deus. Esse processo ocorre progressivamente ao longo do tempo, à medida que Ele altera nossos pensamentos, desejos e prioridades para se alinharem mais intimamente com os Dele. Esse processo geralmente acelera durante as provas e tragédias. Precisamos lembrar que se obedecermos ao Senhor “O Espírito da verdade. . . me guiará a toda a verdade” (João 16:13).

Quando não temos certeza da vontade de Deus para nossa vida, devemos orar e meditar em Sua Palavra porque ela nos guia: “Mostra-me o caminho que devo seguir, pois a ti elevo a minha alma” (Salmo 143:8) e, “guia-me com a tua verdade e ensina-me, pois tu és Deus, meu Salvador, e a minha esperança está em ti o tempo todo” (Salmo 25:5).

Quando estiver em dúvida, devemos perguntar-lhe: Se eu estiver tomando uma decisão errada, Senhor, por favor, deixe seu Espírito Santo despertar minha consciência e se eu estiver tomando à decisão correta, me dê paz e encoraje a prosseguir de acordo com a Sua vontade, porque meu Senhor me guiará constantemente (Isaías 58:11).

O Senhor nos guiará, e se Ele está nos chamando para andar em fé, precisamos pedir a Ele que nos encoraje pela Sua presença. “Não fui eu que lhe ordenei? Seja forte e corajoso! Não se apavore, nem desanime, pois o Senhor, o seu Deus, estará com você por onde você andar” (Josué 1:9). E precisamos nos lembrar de “lançar toda a nossa ansiedade sobre Ele porque Ele cuida de nós” (1 Pedro 5:7).

Precisamos “Confiar no Senhor de todo o seu coração e não se apóie em seu próprio entendimento;
reconheça o Senhor em todos os seus caminhos, e ele endireitará as suas veredas”
(Provérbios 3:5-6).

Se o que estamos pedindo está de acordo com os planos de Deus para nós, Ele nos dará a paz que transcende todo o entendimento e abrirá o caminho; e se não, Ele nos mostrará outra direção que Ele já tem em mente para nós.

Provérbios 16:3 nos diz para “consagrar ao Senhor tudo o que você faz, e os seus planos serão bem-sucedidos.”

Qualquer que seja a nossa necessidade ou medo hoje; precisamos ir diante do trono da graça em confiança porque Cristo já fez o caminho. Precisamos contar a Deus nossas inquietudes e preocupações. Peça por resgate e libertação. Em vez de nos desesperarmos com o que poderia acontecer, precisamos correr para Aquele que segura o mundo na palma de Suas mãos. Precisamos descansar em Jesus que disse: “Portanto eu lhes digo: Não se preocupem com sua própria vida, quanto ao que comer ou beber; nem com seu próprio corpo, quanto ao que vestir. Não é a vida mais importante que a comida, e o corpo mais importante que a roupa? Observem as aves do céu: não semeiam nem colhem nem armazenam em celeiros; contudo, o Pai celestial as alimenta. Não têm vocês muito mais valor do que elas? Quem de vocês, por mais que se preocupe, pode acrescentar uma hora que seja à sua vida?” (Mateus 6:25-27).

Precisamos encontrar nossa paz no conhecimento de que Ele é o Alfa e Ômega, Aquele que conhece o começo e o fim. Nada no nosso futuro surpreenderá a Deus porque tudo está sob o Seu domínio e cuidado soberano. E porque pertencemos a Ele, “sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito” (Romanos 8:28).

Lembre-se sempre de que, uma vez que pedimos, precisamos começar a agradecer a Deus por Sua fidelidade em nos guiar e nos mostrar o caminho. Portanto, “descanse no Senhor e aguarde por Ele com paciência” (Salmo 37:7). A oração contínua, persistente e incessante é uma parte essencial da vida cristã e flui da humildade e dependência de Deus.

A promessa é que: “Os que esperam no Senhor renovarão as suas forças e subirão com asas como águias; correrão e não se cansarão; caminharão e não se fatigarão” (Isaías 40:31).

*******

Publicado por: mvmportugues | dezembro 27, 2018

QUAL É A NATUREZA FUNDAMENTAL DA FÉ? – Hebreus 11:1

A fé é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos.” (Hebreus 11:1)

Hebreus, capítulo 11, é chamado de “capítulo da fé” porque nele são descritos grandes atos de fé; e quando lemos através deles, vemos claramente que a fé é demonstrada pela ação.

A fé bíblica é o ingrediente básico para começar um relacionamento com Deus. É pela fé que entendemos que o mundo inteiro foi feito pelo comando de Deus, portanto nosso Criador invisível nos deu evidências e provas.

A fé é a garantia de que as coisas reveladas e prometidas na Palavra são verdadeiras, embora invisíveis, dão ao crente uma garantia de que o que ele espera por fé, acontecerá.

É impossível ser salvo sem fé e “sem fé é impossível agradar a Deus” (Hebreus 11:6).

Há muitos relatos bíblicos em que vemos que quando as pessoas acreditavam e tinham fé, coisas surpreendentes aconteciam!

Nós lemos em Mateus 8:5-13 sobre o centurião que veio a Jesus porque ele tinha um servo que estava paralítico, e ele acreditou que Jesus poderia curá-lo. Quando Jesus disse ao centurião que iria com ele e curaria seu servo, o centurião disse a Jesus que ele não era digno de tê-lo sob seu teto e, com fé, pediu a Jesus para “apenas falar uma palavra, e meu servo será curado”.  Jesus ficou maravilhado com sua fé e disse: “Vá! Como você creu, assim lhe acontecerá!” Na mesma hora o seu servo foi curado.

Em Mateus 9:20-22, lemos sobre uma mulher que por doze anos vinha sofrendo de hemorragia” que viu Jesus e acreditou que ela poderia ser curada se pudesse apenas tocá-Lo. Ela tinha fé e tocou na borda do seu manto.”  Jesus então disse a ela “a sua fé a curou!”

Outro exemplo é encontrado em Mateus 9:27-30, onde dois cegos vieram a Jesus e lhe pediram para curá-los. Jesus primeiro perguntou-lhes: “Vocês crêem que eu sou capaz de fazer isso?” E eles responderam: “Sim, Senhor.” “Então Ele tocou seus olhos, dizendo: “Que lhes seja feito segundo a fé que vocês têm!” E a visão deles foi restaurada.

A sua fé e certeza de que Jesus poderia dar-lhes visão era a substância, a realidade que eles esperavam. Também lhes deu a convicção de que receberiam o que pediram. Eles acreditaram; isto é, eles tinham fé de antemão que isso seria feito.

Nunca devemos perder a fé mesmo para os outros, como lemos em Lucas 5:17-26, onde os amigos de um paralítico acreditavam que Jesus poderia curar seu amigo e o levaram a Jesus. Agora, por causa da grande multidão, eles não conseguiam chegar perto Dele; então, pela fé, subiram ao terraço e o baixaram em sua maca, através de uma abertura, até o meio da multidão, bem em frente de Jesus. Quando Ele viu a fé deles, Jesus disse: “Homem, os teus pecados estão perdoados” e Ele o curou.

Há também exemplos surpreendentes de fé no Antigo Testamento. No livro de Daniel, vemos onde três amigos de Daniel se recusaram a se prostrar diante da imagem de ouro do rei Nabucodonosor. Aqueles que se recusaram a se prostrar à imagem foram ameaçados de serem jogados vivos numa fornalha em chamas. Eles tinham fé em Deus e Sadraque, Mesaque e Abede-Nego responderam ao rei: “Ó Nabucodonosor, não precisamos defender-nos diante de ti. Se formos atirados na fornalha em chamas, o Deus a quem prestamos culto pode livrar-nos, e ele nos livrará das tuas mãos, ó rei. Mas, se ele não nos livrar, saiba, ó rei, que não prestaremos culto aos teus deuses nem adoraremos a imagem de ouro que mandaste erguer (Daniel 3:16-18).

Eles não sabiam de antemão como Deus iria livrá-los da fornalha ardente, seja na época salvando suas vidas físicas ou mais tarde na ressurreição. Sua fé era a substância do que eles esperavam, e era a evidência daquilo que ainda não havia sido visto ou recebido. Sua fé foi estabelecida em servir a Deus e obedecer aos Seus mandamentos. Eles acreditavam que Deus os libertaria porque eles obedeciam aos Seus mandamentos e não se prostaram para adorar quaisquer outros deuses.

A verdadeira fé é mais do que apenas acreditar em Deus; inclui agir nessa fé servindo a Deus e obedecendo Seus mandamentos.

A fé aumenta quando nos aproximamos de Deus através da oração. Paulo disse aos filipenses “não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o coração e a mente de vocês em Cristo Jesus” (Filipenses 4:6-7). Eles acreditaram a Palavra de Deus e obedeceram aos Seus mandamentos. Ao ouvirem e seguirem as instruções de Paulo, dando suas preocupações a Deus e crendo no poder da oração, aumentaram sua fé.

A Bíblia é a Palavra inspirada de Deus para a humanidade, portanto, quando lemos a Bíblia, nossa fé aumenta e, confiando e acreditando em Suas promessas, pela fé, ela nos traz através de situações impossíveis.

Em tempos de provações, quando parece que Cristo não está conosco; pela fé nos lembramos de que Ele prometeu que estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos (Mateus 28:20), “Ele prometeu, nunca o deixarei, nunca o abandonarei” (Hebreus 13:5).

Em resumo, fé é a confiança, a segurança e a esperança em nosso Pai celestial. A fé viva não é apenas acreditar que Deus existe, ela é demonstrada pelo serviço e obediência a Deus. Ele aumentará nossa fé se pedirmos a Ele.

Lembre-se: a fé vem por se ouvir a mensagem, e a mensagem é ouvida mediante a palavra de Cristo (Romanos 10:17); e Deus guardará em perfeita paz aquele cujo propósito está firme, porque en Ti confia (Isaías 26:3).

A fé é uma posse preciosa! Ela não é visível ou tangível; no entanto, Jesus disse ao incrédulo Tomé: Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram! (João 20:29).

Quando temos fé e confiamos em Deus, descobrimos que Ele mantém Sua palavra; isso, por sua vez, faz a nossa fé crescer e nos ajuda a confiar ainda mais Nele. A fé abre a porta para uma vida vitoriosa!

*******

Publicado por: mvmportugues | dezembro 20, 2018

CRESCENDO EM CRISTO – 2 Pedro 3:18

A Bíblia ensina que a vida cristã é de constante crescimento. Quando você nasce de novo, você nasce na família de Deus. Quando isso ocorre, o propósito de Deus é que você cresça e se torne maduro em Cristo. Em 2 Pedro 3:18, a Bíblia diz: Cresçam, porém, na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A ele seja a glória, agora e para sempre! Amém.”

Crescer implica desenvolver, aumentar a sabedoria, expandir o conhecimento.

Para alguém crescer adequadamente no conhecimento de Cristo, há certas coisas que devem ser praticadas para que possamos crescer em maturidade espiritual. 

Precisamos ler a Bíblia diariamente e esconder a Palavra de Deus em nosso coração. 2 Timóteo 3:16-17 nos diz que, Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça, para que o homem de Deus seja apto e plenamente preparado para toda boa obra.” Por favor, não se contente em apenas folhear a Bíblia, somente para satisfazer sua consciência. Precisamos tomar tempo para ouvir o que Deus está dizendo para nós quando lemos a Sua Palavra.

Precisamos aprender o segredo da oração. A oração é comunicação com nosso Pai celestial. Jesus disse: “O que vocês pedirem em meu nome, eu farei” (João 14:14). Toda oração que oramos será respondida. Às vezes, a resposta será “Sim”, às vezes precisamos “Esperar” por Seu tempo, e às vezes a resposta será “Não”, porque Deus sabe o que é melhor, e tem algo ainda melhor para nós, se confiarmos e obedecermos.

Precisamos confiar constantemente no Espírito Santo para orientação e discernimento. O Espírito nos dá entendimento do evangelho e o torna eficaz em nossa vida (1 Coríntios 2:4, 12). O Espírito abre nosso entendimento para conhecer melhor a Deus (Efésios 1:17), nos fortalece em nosso interior (Efésios 3:16) e nos enche da plenitude de Deus (Efésios 3:17-19).

Cristãos devem frequentar a igreja regularmente. Nós precisam uns dos outros; precisamos nos reunir para adorar a Deus. Lembrando que a fé vem por se ouvir a mensagem, e a mensagem é ouvida mediante a palavra de Deus (Romanos 10:17), para que possamos entender e crescer.

Novos crentes crescem indo testemunhar com cristãos maduros. Testemunhar sua fé começa com honrando Cristo em seu coração e, ao fazer isso, Deus preparará sua mente e lhe dará as palavras para ensinar e trazer outros a Cristo.

Cristãos devem amar uns aos outros. Jesus disse aos que O seguiram: “Com isso todos saberão que vocês são meus discípulos, se vocês se amarem uns aos outros” (João 13:35). A maior demonstração do fato de que somos cristãos é que nos amamos uns aos outros.

Precisamos ser cristãos obedientes. Assim sendo; é vital deixar Cristo ter o primeiro lugar em todas as escolhas de nossa vida honrando-O em tudo o que pensamos, dizemos e fazemos.

Precisamos aprender a dizer não à tentação. A tentação não é pecado; é cedendo a ela que se torna pecado. As escrituras nos dizem que as tentações que vocês têm de enfrentar são as mesmas que os outros enfrentam; mas Deus cumpre a sua promessa e não deixará que vocês sofram tentações que vocês não têm forças para suportar. Quando uma tentação vier, Deus dará forças a vocês para suportá-la, e assim vocês poderão sair dela (1 Coríntios 10:13).

Temos de refletir Cristo na nossa vida. A nossa vida, as nossas ações e nossa aparência devem exaltar o que o Evangelho ensina, e fazê-lo atraente a outros. “Portanto, como povo escolhido de Deus, santo e amado, revistam-se de profunda compaixão, bondade, humildade, mansidão e paciência. Suportem-se uns aos outros e perdoem as queixas que tiverem uns contra os outros. Perdoem como o Senhor lhes perdoou” (Colossenses 3:12-13). Como você sabe quando está na presença de um verdadeiro cristão? Jesus é sempre o centro das atenções e, um verdadeiro cristão tem um espírito humilde.

Não devemos deixar que nossas circunstâncias nos deprimam. Confie no Senhor de todo o seu coração e não se apóie em seu próprio entendimento; reconheça o Senhor em todos os seus caminhos, e ele endireitará as suas veredas” (Provérbios 3:5-6).

Precisamos aprender a viver com gratidão com aquilo que Deus nos deu, realizando que o Senhor sempre está conosco. “Pois onde estiver o seu tesouro, aí também estará o seu coração” (Mateus 6:21).

Precisamos respeitar a Deus com nosso corpo. Precisamos lembrar que tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo (1 João 2:16).

A Bíblia nos diz que o próprio Cristo nos deu evangelistas, pastores e mestres, para equipar Seu povo para servir, e assim fortalecer o corpo de Cristo até que todos alcançássemos a unidade na fé e no conhecimento do Filho de Cristo. Assim seremos pessoas maduras e cresceremos até alcançarmos a altura espiritual de Cristo (Efésios 4:11-13).

Estamos orando para que você tenha o desejo de crescer no conhecimento e graça de Deus.

*******

Publicado por: mvmportugues | dezembro 13, 2018

JOSÉ – O PAI DE JESUS NA TERRA – Mateus 13:55

Não é este o filho do carpinteiro? O nome de sua mãe não é Maria? (Mateus 13:55)

O relato bíblico de José, o pai terreno de Jesus é encontrado é encontrado nos livros de Mateus e Lucas no Novo Testamento. José foi um homem fiel que obedeceu às leis de Deus. Ele não só se esforçou para fazer o que era certo, mas também para fazê-lo da maneira certa. Quando sua prometida Maria veio à ele com a notícia de sua gravidez, ele sabia que a criança não era dele.

José amava Maria, mas decidiu que ele iria anular o noivado, e determinou a fazê-lo de tal forma que não traria vergonha para ela. Por causa das leis judaicas, ele não podia se casar com ela nestas circunstâncias, mas ele queria ser justo, agindo com amor. Ele tinha grande respeito pelo caráter de Maria, mas sua história de ser milagrosamente impregnada pelo Espírito Santo de Deus era difícil para ele acreditar.

Enquanto ele estava considerando todas essas coisas, o Senhor mandou um anjo falar com José em um sonho, dizendo: “José, filho de Davi, não tema receber Maria como sua esposa, pois o que nela foi gerado procede do Espírito Santo. Ela dará à luz um filho, e você deverá dar-lhe o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos seus pecados” (Mateus 1:20-21).

Deus confirmou a história de Maria e disse a José que Maria não havia sido infiel e que ela foi escolhida para ser a mãe do Messias. O anjo contou-lhe o que Isaías havia proferido sobre isso cerca de 700 anos antes: Portanto, o mesmo Senhor vos dará um sinal: eis que uma virgem conceberá, e dará à luz um filho, e será o seu nome Emanuel, que é traduzido: “Deus conosco” (Isaías 7:14). Então Deus instruiu José a se casar com a jovem e honrar sua virgindade até que o bebê nascesse.

Isto deve ter sido inicialmente muito difícil para Joseph reconciliar em sua mente. Mas José foi fiel e homem íntegro e obedeceu ao Senhor.

Não se sabe por quanto tempo José esteve na vida de Jesus, mas ele realizou daquele momento, da visita celestial, que Jesus seria muito especial.

 

A última vez que Joseph foi mencionado na Bíblia foi quando Jesus tinha 12 anos e eles foram a Jerusalém para celebrar a comemoração anual da Páscoa.

Podemos supor que, sendo o homem honroso que ele era, José cumpriu o papel de pai com todo o amor que qualquer homem pode ter por seu filho. Embora Jesus fosse o Criador do Mundo, José e Maria o criaram em um ambiente espiritual ensinando-lhe a Torá. 


José também ensinou a carpintaria a Jesus, como vemos em Marcos 6:3: Não é este o carpinteiro, filho de Maria e irmão de Tiago, José, Judas e Simão? Não estão aqui conosco as suas irmãs?”

José cumpriu o papel de protetor, provedor e professor, educando o menino sem qualquer hesitação. Deus providenciou a José a segurança, a força e a habilidade de liderança para criar o filho que nasceu para ser o Salvador do mundo, Foi assim que Deus manifestou o seu amor entre nós: enviou o seu Filho Unigênito ao mundo, para que pudéssemos viver por meio dele (1 João 4:9).

Assim como Deus escolheu Maria para ser a mãe de Jesus, Ele também escolheu José para ser Seu pai e deu a José a honra de nomear pessoalmente a criança. “E você deverá dar-lhe o nome de Jesus” (Mateus 1:21)

Isso é profundamente significativo porque significa que José, ao nomear a criança, O reconhece como seu próprio filho e, assim, torna-se o pai legal da criança, de acordo com a lei semítica. Como resultado dessa adoção legal, a ascendência de José como descendente de Davi transfere-se também para seu Filho legal.

Biologicamente, Jesus é gerado pelo Espírito Santo e é, portanto, o “Filho de Deus” (Lucas 1:32), mas legalmente Ele é o filho de José e herdeiro das promessas de Davi, o ancestral de José.

O anjo Gabriel havia prometido a Maria que “Ele será grande e será chamado o Filho do Altíssimo; e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi” (Lucas 1:32). José nomeando o menino e, portanto, adotando-o, Davi se torna o ancestral de Jesus, pois a bíblia afirma que a uma virgem prometida em casamento a certo homem chamado José, descendente de Davi. O nome da virgem era Maria, Lucas 1:27.

A linhagem de Joseph é explicada adicionalmente pelo censo que foi decretado por César Augusto, onde todos foram para ser registrados, todos em sua própria cidade. Assim, José também foi da cidade de Nazaré da Galiléia para a Judéia, para Belém, cidade de Davi, porque pertencia à casa e à linhagem de Davi. Ele foi a fim de alistar-se, com Maria, que lhe estava prometida em casamento e esperava um filho. (Lucas 2:4-5)

Como vemos, Deus honra a integridade, a obediência e a fidelidade. Nossa obediência a Ele também trará direção e bênçãos Dele. Com a ajuda de Deus, qualquer situação ou aparência de coisa errada pode ter um bom resultado quando permanecermos firmes e tivermos um relacionamento pessoal com Deus. Se você O buscar e escutar Sua direção, Ele lhe responderá com provisões, resultando em bênçãos para você também.

Mesmo que nosso Salvador provavelmente tenha nascido em setembro-outubro, que nosso coração O celebre com alegria durante todo o ano.

 

Glória a Deus nas alturas, paz na terra, boa vontade para com os homens!
Lucas 2:14

 

*******

 

Publicado por: mvmportugues | dezembro 6, 2018

OS MAGOS DO ORIENTE E – SUA ESTRELA – Mateus 2:1-16

Depois que Jesus nasceu em Belém da Judéia, nos dias do rei Herodes, magos vindos do oriente chegaram a Jerusalém e perguntaram: “Onde está o recém-nascido rei dos judeus? Vimos a sua estrela no oriente e viemos adorá-lo. (Mateus 2:1-2)

Ao lermos esta passagem, precisamos entender quem eram os magos do oriente. Mago é um termo persa para uma classe sacerdotal de sábios especializados em astrologia, medicina e ciências naturais; e, naturalmente, estariam interessados em qualquer fenômeno celestial extraordinário.

Historicamente, é muito provável que eles estivessem familiarizados com os escritos de Daniel que alcançaram grande notoriedade como sábio e intérprete de sonhos na corte persa de Nabucodonosor. Se assim for, eles também teriam conhecido a profecia de Daniel sobre “as setenta semanas de anos”, que está registrada em Daniel 9:24-27.

Essa notável profecia estabeleceu o período geral da vinda do Messias, indicando que seriam 483 anos depois que um governante persa emitiu um decreto para reconstruir Jerusalém. Os magos durante este período de tempo provavelmente estavam contando os anos desde que os judeus haviam sido enviados de volta da Babilônia para reconstruir Jerusalém, e eles, portanto, sabiam o período de tempo aproximado em que o Messias nasceria.

Ao lermos esses versículos, eles parecem implicar que a “estrela de Belém” apareceu apenas para os magos do oriente, que provavelmente eram da área da Pérsia, ou do atual Irã. Não há registro bíblico de ninguém mais observando “a estrela de Belém”.

A “estrela” poderia ter sido o que os judeus chamavam de “Shekinah”, isto é, uma manifestação física da glória de Deus na forma de um brilho sobrenatural. Eles sabiam que nenhuma estrela comum poderia fazer o que ela fez e muitos também assumiram que a estrela era um anjo ou alguma outra entidade que Deus criou para essa ocasião específica.

Shekinah, é uma palavra que não aparece na Bíblia, mas o conceito claramente aparece. Os rabinos judeus cunharam essa expressão extra-bíblica, significando que era uma visitação divina da presença ou morada do Senhor Deus nesta terra. A Shekinah ficou evidente quando os israelitas partiram de Sucote em sua fuga do Egito. Lá o Senhor apareceu em uma coluna de nuvem durante o dia e uma coluna de fogo durante a noite: Os israelitas partiram de Sucote e acamparam em Etã, junto ao deserto. Durante o dia o Senhor ia adiante deles, numa coluna de nuvem, para guiá-los no caminho, e de noite, numa coluna de fogo, para iluminá-los, e assim podiam caminhar de dia e de noite. A coluna de nuvem não se afastava do povo de dia, nem a coluna de fogo, de noite (Êxodo 13:20-22).

Deus falou a Moisés da coluna de nuvem em Êxodo 33, assegurando-lhe que Sua presença estaria com os israelitas (v. 9). O versículo 11 diz que Deus falou a Moisés “face a face” da nuvem, mas quando Moisés pediu para ver a glória de Deus, Ele lhe disse: “Você não poderá ver a minha face, porque ninguém poderá ver-me e continuar vivo” (v. 20). Isto parece claramente indicar que a glória de Deus é muito impressionante e poderosa para ser vista completamente pelo homem.

Os magos do Oriente viram “a estrela de Belém”, que os alertou para o fato de que o Messias judeu nasceu. No entanto, os magos não chamam “a estrela de Belém” por esse nome; em Mateus 2: 2 eles se referem a ela como sendo “Sua estrela”, pois era um sinal para eles que um Rei nasceu. A estrela guiou os magos a viajar na direção de Jerusalém.

Em Jerusalém, os magos visitaram o rei Herodes e, depois de inquirir, foram informados de que o novo rei que eles estavam procurando nasceria em Belém, não em Jerusalém (Mateus 2:5). Os magos saíram do palácio de Herodes e “a estrela de Belém” apareceu para eles mais uma vez. Na verdade, “a estrela que tinham visto no oriente foi adiante deles, até que finalmente parou sobre o lugar onde estava o menino. Quando tornaram a ver a estrela, encheram-se de júbilo (Mateus 2:9–10). A “estrela de Belém”, então surpreendentemente guiando o caminho, levou os magos ao lugar preciso onde eles poderiam encontrar Jesus.

À medida que continuamos em Mateus 2:11-12, lemos que Ao entrarem na casa, viram o menino com Maria, sua mãe, e, prostrando-se, o adoraram. Então abriram os seus tesouros e lhe deram presentes: ouro, incenso e mirra. E, tendo sido advertidos em sonho para não voltarem a Herodes, retornaram a sua terra por outro caminho.”

Ao ler esses versículos, ficamos cientes de que os retratos modernos do presépio de Natal geralmente mostram os sábios visitando Jesus na noite de seu nascimento, o que não concorda com a verdade encontrada na Palavra de Deus.

Também descobrimos que os magos podem ter observado pela primeira vez a estrela de Belém na noite do nascimento de Jesus, o que significa que eles podem ter visto ela pela primeira vez até dois anos antes. A Bíblia nos diz por que: Quando Herodes percebeu que havia sido enganado pelos magos, ficou furioso e ordenou que matassem todos os meninos de dois anos para baixo, em Belém e nas proximidades, de acordo com a informação que havia obtido dos magos (Mateus 2:16).

Muitos estudiosos da Bíblia sugerem uma explicação natural para “a estrela de Belém”, suas teorias variam de uma supernova a um cometa a um alinhamento de planetas. No entanto, há evidências que sugerem que a “estrela de Belém” não foi um fenômeno estelar natural, mas um sinal de Deus e algo inexplicado pela ciência.

O fato de que a estrela de Belém aparentemente somente apareceu para os magos indica que esta não era uma estrela comum. Além disso, corpos celestes normalmente se movem de leste a oeste devido à rotação da Terra, mas a estrela de Belém guiou os magos de Jerusalém para o sul até Belém. Não só isso, mas os levou diretamente ao lugar onde José e Maria estavam morando, parando acima da casa. Não há fenômeno estelar natural que possa fazer isso.

A última coisa para considerar é, porque Deus abriria os olhos de um grupo de sábios gentios que se especializaram em astrologia, medicina e ciências naturais e os atraíram para o Menino Jesus. Sem dúvida, foi com o propósito de simbolizar a importância universal de Seu nascimento e enfatizar que, embora a salvação venha dos judeus (João 4:22), ela é destinada a todos os povos.

“E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do Unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade” (João 1:14).

*******

Older Posts »

Categorias