Publicado por: mvmportugues | maio 23, 2019

A CURA BÍBLICA PARA A ANSIEDADE – Mateus 6:27

Qual de vocês, por mais que se preocupe, pode adicionar uma hora à sua vida? (Mateus 6:27)

A ansiedade, a preocupação, a inquietação, a angústia, a agitação, a tensão, a irritabilidade são emoções que experimentamos e que afetam nossa vida, nossas decisões, e, finalmente, a direção de nossa vida. Jesus aborda essa questão em Mateus 6:25-34. Ele não quer que sejamos ansiosos e cheios de preocupação; Ele quer que vivamos a vida confiando Nele. Ele não quer que tomemos decisões baseadas no medo do futuro; antes, Ele quer que a direção de nossa vida seja estabelecida em verdades eternas, em vez de coisas temporais e promessas vazias que o mundo oferece.

A Bíblia nos diz que se preocupar e estar ansioso não é bom; e basicamente significa que nós nos preocupamos porque não confiamos em Deus. Não confiamos que Ele nos ajudará nas situações que enfrentamos e não dependemos Dele para cuidar de nós.

Enquanto Jesus estava ensinando, a palavra “preocupação” é encontrada no minimo seis vezes! O principal pensamento em cada ocorrência é que não devemos nos preocupar com o futuro. Não devemos nos preocupar com o que vamos comer, beber ou vestir (verso 31), pois Deus sabe tudo sobre essas “necessidades” (verso 32) e Ele certamente proverá tudo que precisamos se “procurarmos primeiro o Reino de Deus e a sua justiça” (verso 33).

Jesus faz uma pergunta no versículo 27: “Qual de vocês, por mais que se preocupe, pode adicionar uma hora à sua vida?” O argumento é muito realista, porque a ansiedade não leva você a lugar nenhum; não faz bem a você se preocupar. Seja qual for o problema que esteja causando ansiedade, você pode ter certeza de que sua ansiedade não diminuirá o problema. Isso só vai te fazer infeliz enquanto você tenta lidar com isso; então aprenda a não ficar ansioso.

A verdade é que nenhuma preocupação pode prolongar sua vida. Em vez disso, a preocupação lhe rouba o sono, a saúde e muitas outras coisas. Na verdade, é somente quando você está livre de preocupações que a unção de Deus flui livremente em você, fortalecendo, curando e restaurando para você os anos que foram consumidos pelo gafanhoto  (Joel 2:25).

Em segundo lugar, é tolice ficar ansioso, porque demonstra que somos “homens de pouca fé”.

Nosso nível de ansiedade é um bom indicador do quanto realmente confiamos no Senhor. Parece incrível, mas parece que temos mais facilidade em confiar que Deus salvará nossa alma do Inferno por causa do que Jesus fez por nós na cruz do que confiar que Ele proverá nossas necessidades diárias. Se podemos confiar em Deus para a nossa salvação eterna, não podemos também confiar Nele para as nossas necessidades diárias? Jesus disse: Portanto, não se preocupem com o amanhã, pois o amanhã trará as suas próprias preocupações” (Mateus 6:34).

Como podemos evitar a ansiedade? Primeiro, confie em Deus. Se Deus provê alimento para pássaros e veste flores com beleza, Ele não proverá as necessidades da vida para os humanos que fazem a obediência a Ele uma prioridade em sua vida? (Mateus 6:25-26, 28-30). Em segundo lugar, leve um dia de cada vez. Jesus disse para nunca estar ansioso sobre o dia seguinte, porque, o dia seguinte, terá suas próprias preocupações.

Então, qual é o remédio para não se preocupar? Há muitos versículos da Bíblia que fornecem a resposta a essa pergunta, sendo um deles Filipenses 4:6-7: Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o coração e a mente de vocês em Cristo Jesus. Não estar ansioso por nada significa que não nos preocupamos com nada e isso só é possível através da oração e do agradecimento. Se houver alguma preocupação com comida, bebida, roupa ou qualquer outra necessidade que tenhamos, simplesmente precisamos levar essas necessidades ao Senhor em oração. Precisamos pedir e depois de pedir precisamos começar a agradecer a Deus por Suas provisões, porque Ele proverá para nós. Se fizermos isso, a preocupação desaparecerá de nossas vidas e será substituída pela “a paz de Deus, que excede todo o entendimento.

Certifique-se de seu compromisso com Jesus Cristo. Em seguida, peça a Ele para ajudá-lo a colocar suas preocupações em Suas mãos todos os dias. Quando as ansiedades vêm, traga-as para Deus em oração. Quando as preocupações ameaçam, responda-as com as promessas de Deus, lançando “toda a sua ansiedade sobre Ele, porque Ele cuida de você” (1 Pedro 5:7).

Podemos não ser capazes de impedir que pensamentos ansiosos entrem em nossa mente, mas podemos contar com o Senhor para suprir nossas necessidades, nos proteger do mal, nos guiar e manter nossas alma segura para a eternidade. Lembre-se de que Deus guardará em perfeita paz aquele cujo propósito está firme, porque Nele confia (Isaías 26:3). E, o meu Deus suprirá todas as necessidades de vocês, de acordo com as suas gloriosas riquezas em Cristo Jesus (Filipenses 4:19).

Jesus disse: O ladrão vem apenas para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham plenamente. “Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a sua vida pelas ovelhas (João 10: 10-11).

Você está servindo ao ladrão que quer matar e destruir e roubar sua vida e alegria? Ou você está servindo ao “Bom Pastor” que deseja dar-lhe uma vida abundante transbordando de alegria e paz?

As pessoas que se preocupam e não confiam em Deus simplesmente existem; no entanto, as pessoas que amam e confiam em Deus estão vivendo em abundância e ao máximo.

*******

Publicado por: mvmportugues | maio 16, 2019

OBEDECENDO A DEUS – João 4:34

“Meu alimento consiste em fazer a vontade Daquele que Me enviou e em terminar a Sua obra (João 4:34).

Por que a obediência a Deus é tão importante? Porque prova nosso amor por Ele (1 João 5:2-3), demonstra nossa fidelidade a Ele (1 João 2:3-6), O glorifica no mundo (1 Pedro 2:12) e abre caminhos de bênção para nós (João 13:17).

Pela fé, Abraão obedeceu ao chamado de Deus, embora ele não soubesse onde ele estava indo (Hebreus 11:8). E é exatamente assim que devemos obedecer ao Senhor. Ele não revela todo o caminho porque a cada passo ao desconhecido Ele fortalece nossa fé.

A fé é necessária para agradar a Deus (Hebreus 11:6), e se nossa fé é genuína e verdadeira, viveremos um estilo de vida caracterizado pela justiça, modelando o exemplo dado a nós por Jesus Cristo. Obedecemos a Seus mandamentos, não porque precisamos, mas porque queremos, porque o amamos. Uma vez que cremos em Cristo e somos salvos, somos uma nova criação e queremos obedecer-Lo: “Se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo(2 Coríntios 5:17)

Quando obedecemos ao Senhor, podemos viver uma vida de alegria, sem vergonha, enraizados profundamente no Senhor e confiantes em nossa esperança eterna, porque: “Onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade” (2 Coríntios 3:17).

Quando os filhos de Deus obedecem ao Pai Celestial, Ele é glorificado. Jesus nos disse que Seu propósito e desejo é que os outros “vejam suas boas obras e glorifiquem seu Pai que está no céus” (Mateus 5:16). É claro que realizar “boas obras” requer obediência Àquele que nos chama a boas obras. O testemunho cristão de santidade é uma forte comprovação de que Deus está operando no mundo. Bem-aventurado aquele que teme ao Senhor e anda nos seus caminhos! (Salmo 128:1).

Os cristãos devem se posicionar contra a prática mundana e obedecer ao Senhor. Daniel nos deu um excelente exemplo de como fazer isso, não apenas corajosamente, mas graciosamente e com sucesso. Daniel, porém, decidiu não se contaminar com a comida e o vinho que o rei lhes tinha dado. Pediu permissão ao chefe dos oficiais para não comer esses alimentos, a fim de não se contaminar (Daniel 1:8).

Como um dos israelitas da família real e da nobreza (Daniel 1:3), ele sabia que tinha a responsabilidade de manter um padrão piedoso como testemunho do verdadeiro Deus quando lhe pediram que “servisse no palácio real” (Daniel 1:4); depois que ele e seus amigos foram levados em cativeiro.

Daniel sabia que o vinho do rei seria prejudicial se ele participasse dele. Além disso, a carne do rei certamente seria preparada de forma ilegal e proveniente de fontes impuras que seriam proibidas para ele, como judeu, de comer (Levítico 11:7-8; 17:10-14). Portanto, ele determinou em seu coração tomar uma posição contra isso, e não se contaminar.

Os babilônios pensavam que estavam fazendo um grande favor a ele e a seus amigos, e Daniel apreciou isso; assim, Daniel lidou com a situação de uma maneira muito sábia e cortês e sugeriu: “Peço-lhe que faça uma experiência com os seus servos durante dez dias: Não nos dê nada além de vegetais para comer e água para beber. Depois compare a nossa aparência com a dos jovens que comem a comida do rei, e trate os seus servos de acordo com o que você concluir” (Daniel 1:12-13). 

Deus honrou a benevolência de Daniel, assim como sua corajosa fidelidade, e desta forma também fará por nós. Ser assertivo como Daniel foi, é o que um cristão deve aprender a fazer em um mundo não-cristão. Nós devemos “estar sempre prontos para dar uma resposta”, e isso deve ser feito, não arrogantemente, mas “com mansidão” (1 Pedro 3:15).
Ser obediente a Deus significa viver pelo Espírito e andar em Seu amor, enquanto permanecemos Nele, confiando Nele para guiar nossa vida, para nos treinar a viver em retidão e nos capacitar a ser tudo o que Ele nos criou para sermos.

Precisamos ouvir a voz do Espírito Santo, confiar na lei que Ele escreveu em nossos corações e obedecer de um coração cheio do amor de Deus.

Jesus estava nos ensinando que obedecer ao Pai lhe trouxe satisfação. Não foi a aprovação das multidões que vieram ouvi-Lo falar, mas a alegria de agradar o Pai que O satisfez. Seria bom que aprendêssemos essa importante lição de nosso Salvador, para que Ele possa nos usar para realizar Seus propósitos neste mundo.

Precisamos entender que Deus opera todas as coisas, de acordo com o Seu propósito. Nada pode acontecer sem Deus permitir isso. O Salmo 57:2 diz: Clamarei ao Deus Altíssimo, ao Deus que por mim tudo executa. Deus numerou nossos dias e cumprirá todo propósito que Ele tem para cada um de nós se formos obedientes a Seu chamado.

Como o pródigo, se nos desviarmos, podemos sempre escolher ser obedientes e voltar a Ele, e Ele nos receberá de braços abertos.

Tenha em mente que quando escolhermos obedecer a Deus, Ele nos abençoará. Portanto, vamos obedecer ao Senhor e observá-Lo trabalhar em nossa vida.

*******

 

 

 

Quem esconde os seus pecados não prospera, mas quem os confessa e os abandona encontra misericórdia.” (Provérbios 28:13)

Uma das tristes verdades é que os cristãos podem pecar. Não importa quão diligentemente nos dedicamos a praticar a justiça, às vezes podemos falhar e pecamos. Quando percebemos que desobedecemos a Deus, nossa resposta imediata deve ser confessar e acertar-nos com Ele. Contudo; não temos que pecar; o pecado é uma escolha, e NÃO, o diabo não te obrigou a fazer isso.

A Bíblia nos diz que,“se afirmarmos que estamos sem pecado, enganamos a nós mesmos, e a verdade não está em nós (1 João 1:8). E o remédio disponível também é encontrado nas Escrituras. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça (1 João 1:9). Este perdão é baseado no fato de que “o sangue de Jesus, Seu Filho, nos purifica de todo pecado” (1 João 1:7).

Na primeira parte do versículo 13, encontramos a maneira do mundo de lidar com o pecado, juntamente com o resultado que tal ação traz; Quem esconde os seus pecados não prospera.

Um pecador em seu orgulho sempre deseja ser considerado melhor do que ele é; e já que a consciência do homem testemunha que suas ações são más, ele procura cobrir ou ocultar seu pecado.

Quando uma pessoa oculta seu pecado negando-o, ela ainda não remove seus efeitos. A Palavra de Deus afirma que, apesar do esforço do homem para ocultar seu pecado, ele não prospera.” As leis naturais, morais e espirituais de Deus não podem ser evitadas; Ele não pode ser ridicularizado (Gálatas 6:7). Embora o pecado em sua natureza espiritual não possa ser visto pelos olhos humanos e pesado por escalas humanas, ele é real e também são seus efeitos.

A voz de Deus convocou Adão de seu esconderijo para receber sua sentença (Gênesis 3:9). O sangue oculto de Abel clamava do solo em Gênesis 5:10-12. A consciência atacou e roubou a alegria da vida dos irmãos de José (Gênesis 42:21-23). Saul cobrindo seu pecado lhe custou o reino (1 Samuel 15:21-23). A lepra de Naamã atingiu a Gahazi e os seus descendentes para sempre (2 Reis 5:27). Precisamos entender que as ações feitas nas trevas mais profundas são visíveis e claras para um Deus onisciente.

Quando lemos o relato de Acã em Josué capítulo 7; nada deveria ser saqueado da cidade de Jericó, mas Acã enterrou ouro e roupas debaixo de sua tenda. Quando seu pecado foi descoberto, ele e sua família morreram como resultado. E aqui vemos novamente que o homem que esconde seu pecado não prosperará. Em vez de admitir sua culpa e talvez invocar a misericórdia de Deus ou pelo menos demonstrar reverência por Ele, Acã tentou se esconder e pagou o preço.

É importante compreender que os pecados que nos envolvem nunca devem ser ignorados, porque a transgressão que tentamos encobrir eventualmente nos derrubará.

A atividade oposta de ocultar é confessar e abandonar nossas transgressões; mas quem os confessa e os abandona encontra misericórdia “.

Confissão genuína se opõe à cobertura do pecado. Bem-aventurado aquele cuja transgressão é perdoada, e cujo pecado é coberto. Bem-aventurado o homem a quem o Senhor não imputa maldade, e em cujo espírito não há engano(Salmo 32:1-2).

A confissão deve ser feita àquele contra quem o pecado foi cometido. Todo pecado é contra Deus; portanto, todo pecado precisa ser confessado a Deus. Se atos de pecado também foram cometidos contra outras pessoas, a confissão deve ser feita a elas também.

Nós não admitimos nossos erros para o benefício de Deus, pois Ele sabe tudo. Deus exige confissão completa para o nosso bem. Porque traz a vitória divina sobre o orgulho e o auto-engano e inicia nosso retorno a Deus, assim como lemos na história que Jesus contou sobre o filho pródigo.

 “Caindo em si, ele disse: ‘Quantos empregados de meu pai têm comida de sobra, e eu aqui, morrendo de fome! Eu me porei a caminho e voltarei para meu pai, e lhe direi: Pai, pequei contra o céu e contra ti. Não sou mais digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus empregados.’ A seguir, levantou-se e foi para seu pai.

“Estando ainda longe, seu pai o viu e, cheio de compaixão, correu para seu filho, e o abraçou e beijou. “O filho lhe disse: ‘Pai, pequei contra o céu e contra ti. Não sou mais digno de ser chamado teu filho’.  “Mas o pai disse aos seus servos: ‘Depressa! Tragam a melhor roupa e vistam nele. Coloquem um anel em seu dedo e calçados em seus pés. Tragam o novilho gordo e matem-no. Vamos fazer uma festa e alegrar-nos. Pois este meu filho estava morto e voltou à vida; estava perdido e foi achado’. E começaram a festejar o seu regresso” (Lucas 15:17-24).

Observe que uma vez que o pecado é confessado e abandonado, a misericórdia é encontrada. A misericórdia significa compaixão ou gentileza demonstrada a um ofensor; resultando em não receber a devida justiça pelo nosso pecado. Uma vez que nós sinceramente confessamos e renunciamos, a misericórdia coloca o pecado sob o sangue derramado de Cristo, onde é esquecido e nunca mais é lembrado novamente por Deus (Hebreus 8:12, Isaías 43:25).

Este incrível perdão pelo nosso Senhor e Salvador nos deve levar de joelhos e orar cada dia como Davi o fez. Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me e conhece os meus pensamentos. E vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno (Salmo 139:23-24).

A confissão é a solução para o problema da culpa. E você? Há algo em sua vida que você está encobrindo? Não vai funcionar. Você não pode enganar a Deus. Admita sua transgressão ao Senhor e experimente Sua misericórdia, amor e graça. Confissão é a chave que abre as portas para o perdão e a purificação da alma.

Deus é o único que tem a solução e Ele nos dá essa maravilhosa promessa: “Venham, vamos resolver este assunto”, diz o Senhor. “Embora seus pecados sejam como o escarlate, eu os tornarei brancos como a neve;
embora sejam vermelhos como o carmesim, eu os tornarei brancos como a lã
(Isaías 1:18).

É somente através do sangue derramado de Jesus Cristo que a mancha do pecado pode ser removida, e podemos ser perdoados e purificados. Então, como podemos ser inspirados a não pecar e viver uma vida que honre a Deus e ao nosso Salvador?

Venha a conhecer Deus em Sua grande Santidade, dignidade e majestade e passe muito tempo em oração, lendo a Palavra e caminhando humildemente com Ele. A humildade é a melhor proteção contra o pecado, a rebelião e o orgulho.

*******

Publicado por: mvmportugues | maio 2, 2019

ENTENDENDO O DISCERNIMENTO BÍBLICO – Provérbios 17:24

O homem de discernimento mantém a sabedoria em vista, mas os olhos do tolo vagueiam até os confins da terra. (Provérbios 17:24)

Discernimento é a capacidade de decidir sabiamente entre a verdade e o erro, o certo e o errado. Discernimento é o processo de fazer distinções cuidadosas em nosso pensamento sobre a verdade, especialmente sobre a Palavra de Deus.

A Bíblia deixa claro que o discernimento é algo que todos nós devemos desejar e que é necessário para nos ajudar a crescer em nossa fé e nos impedir de sermos enganados (Hebreus 5:14).

O discernimento espiritual tem a ver com a capacidade de conhecer a verdade e vem de um relacionamento salvífico com Jesus Cristo. À medida que crescemos em nosso relacionamento com Ele, também obteremos discernimento espiritual, que é uma capacidade crescente de conhecer e obedecer à verdade.

Precisamos de discernimento para entender a própria Bíblia. Nossa mente humana não pode entender as Escrituras sem o discernimento que vem do Espírito Santo. Quem não tem o Espírito não aceita as coisas que vêm do Espírito de Deus, pois lhe são loucura; e não é capaz de entendê-las, porque elas são discernidas espiritualmente (1 Coríntios 2:14). A sabedoria que precisamos para nossa vida está contida na palavra de Deus, mas é impossível compreender, a menos que tenhamos discernimento para entendê-las (2 Timóteo 3: 12–17).

Discernimento também significa “procurar diligentemente, examinar”. Vemos um grande exemplo disso com os cristãos de Beréia. Eles não apenas ouviram o ensinamento de Paulo, mas depois de escutar o que ele disse, foram às escrituras para ver se o que ele ensinava era verdade. Porque os Bereanos checaram o ensinamento de Paulo contra as Escrituras, ele os elogiou dizendo: Os bereanos eram mais nobres do que os tessalonicenses, pois receberam a mensagem com grande interesse, examinando todos os dias as Escrituras, para ver se tudo era assim mesmo (Atos 17:11).

Os cristãos que discernem espiritualmente são capazes de distinguir corretamente entre o ensino verdadeiro e o falso. Aqueles com discernimento têm sabedoria. Além disso, na Bíblia nos é dito que um verdadeiro crente possui a mente de Cristo. Mas quem é espiritual discerne todas as coisas, e ele mesmo por ninguém é discernido; pois “quem conheceu a mente do Senhor para que possa instruí-lo?” Nós, porém, temos a mente de Cristo” (1 Coríntios 2:15-16).

Como vemos, Deus somente dá ao homem espiritual o conhecimento da Sua vontade, porque ele tem a mente de Cristo.

Então, como os cristãos crescem no discernimento espiritual? Permitindo que o Espírito Santo seja sua luz orientadora; tua palavra é lâmpada que ilumina os meus passos e luz que clareia o meu caminho (Salmos 119:105); e cuidadosamente estudando a Bíblia.

Nós, como cristãos nascidos de novo, somos ordenados a testar o que está sendo ensinado. O apóstolo João nos diz “ponham à prova e verifiquem se o espírito que eles têm é mesmo de Deus ou não.” Por que “por à prova ” é tão importante? Porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo afora (1 João 4:1).

Buscar discernimento é um objetivo para todos os que desejam andar em retidão: Oséias 14:9 diz: Quem for sábio, entenda estas coisas; quem tiver discernimento, ouça com atenção. Os caminhos do Senhor são retos, e neles andam os justos. Mas, nesses mesmos caminhos, os pecadores tropeçam e caem.

Somos ordenados a
Odiar o que é mau; e nos apegar ao que é bom (Romanos 12:9). Mas, a menos que tenhamos verdadeiro discernimento, como podemos determinar o que é “mal” e o que é “bom”? Nós só podemos fazê-lo por causa da presença contínua do Espírito Santo em nós, nunca temos que tomar uma decisão sozinhos, ou confiar em nossos recursos limitados. Ele está sempre conosco para nos guiar a toda verdade, e para nos lembrar das palavras de Jesus Cristo, o Conselheiro, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, lhes ensinará todas as coisas e lhes fará lembrar tudo o que eu lhes disse (João 14:26 e 16:13). Portanto, temos a responsabilidade de colocar a palavra de Deus em nossa mente, para que Ele possa nos fazer lembrar dela; para que possamos manter a pureza do evangelho e saber distinguir a verdade da heresia.

Então, para obter discernimento espiritual, devemos buscar a Deus e, para isso, somos instruídos a orar por sabedoria. Tiago 1:5-6 diz: “Se algum de vocês tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá livremente, de boa vontade; e lhe será concedida. Peça-a, porém, com fé, sem duvidar… “

Portanto, devemos buscar sabedoria na Palavra de Deus porque: Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça, para que o homem de Deus seja apto e plenamente preparado para toda boa obra (2 Timóteo 3:16-17).

À medida que procuramos conhecer mais a Jesus, estudamos a verdade da Palavra de Deus, aprendemos a pôr a verdade em prática em nossa vida e confiamos no Espírito Santo dentro de nós, cresceremos no discernimento espiritual.

Podemos ter certeza de que Deus nos fornecerá a sabedoria e o discernimento que precisamos, quando pedirmos a Ele por isso, porque Ele deseja que vivamos uma vida cristã fortalecida, cheia do entendimento de que precisamos para seguir a Cristo.

Em resumo, o discernimento espiritual é a capacidade de distinguir com clareza o que é verdadeiro e o que é falso quando se trata da Palavra de Deus. Consequentemente, uma pessoa com forte discernimento espiritual pode distinguir se um ensinamento, ideia ou doutrina que eles estão ouvindo vem de Deus ou vem de outra fonte.

Em nosso mundo com muitas vozes concorrentes que afirmam falar por Deus, precisamos de discernimento espiritual. Sem discernimento, seremos desencaminhados por falsos mestres e idéias incorretas.

Se quisermos ter discernimento, precisamos ler a palavra de Deus, aprender a palavra de Deus e constantemente aplicá-la à nossa vida. Isso nos dará o treinamento que precisamos para suportar as idéias incorretas sobre Deus no mundo.

Deus chamou e capacitou Seus filhos para serem guerreiros da verdade e para proteger os fracos crentes entre nós; Ele não nos abençoará se nos tornarmos religiosos fracos e “homens e mulheres que dizem sim” para os falsos líderes religiosos e manipuladores. Então, estude a Bíblia e “você conhecerá a verdade e a verdade te libertará” (João 8:32).

Assim como Paulo, oramos para que o amor de vocês transborde cada vez mais e que continuem a crescer em conhecimento e discernimento. Quero que compreendam o que é verdadeiramente importante, para que vivam de modo puro e sem culpa até o dia em que Cristo voltar (Filipenses 1:9-10).

*******

Publicado por: mvmportugues | abril 25, 2019

CRESCIMENTO FRUTÍFERO NA FÉ – 2 Pedro 1:3-11

Diante de tudo isso, esforcem-se ao máximo para corresponder a essas promessas. Acrescentem à fé a excelência moral; à excelência moral o conhecimento; ao conhecimento o domínio próprio; ao domínio próprio a perseverança; à perseverança a devoção a Deus; à devoção a Deus a fraternidade; e à fraternidade o amor. Quanto mais crescerem nessas coisas, mais produtivos e úteis serão no conhecimento completo de nosso Senhor Jesus Cristo. (2 Pedro 1:5-8)

É interessante que Pedro, um homem que era conhecido por sua impulsividade, nestes versos nos mostra uma abordagem disciplinada para o crescimento espiritual. Então, como vemos, se Pedro, que uma vez foi o impulsivo pescador, poderia se tornar um homem disciplinado e piedoso, então qualquer um pode fazer o mesmo.

Pedro está dizendo, porque Deus nos deu uma nova vida e riquezas espirituais em Cristo, devemos ser diligentes para crescer em piedade.

Quando olhamos para os dois versos anteriores, lemos onde Pedro nos disse que quando cremos em Jesus Cristo como Salvador e Senhor, Seu poder divino, nos concede tudo de que necessitamos para uma vida de devoção, pelo conhecimento completo daquele que nos chamou para Si por meio de Sua glória e excelência (1:3). E que através da glória e perfeição moral de Cristo, Ele os deu grandes e preciosas promessas. São elas que permitem a vocês participar da natureza divina e escapar da corrupção do mundo causada pelos desejos humanos (1:4).

Precisamos entender que, antes de Deus nos dar nova vida, estávamos mortos em nossos delitos e pecados (Efésios 2:1-3). Quando confiamos em Cristo como Salvador e Senhor, não foi devido à nossa própria realização, foi porque Deus misericordiosamente abriu nossos olhos cegos para ver através do Seu Espírito Santo (2 Timóteo 1:7).

O ponto é que não podemos começar a crescer como cristãos até que tenhamos recebido nova vida de Deus através da fé em Jesus Cristo. É a vida de Cristo em nós que nos dá motivação e poder para mudar e crescer espiritualmente. No instante em que confiamos em Cristo, Deus graciosamente nos dá a chave para as riquezas insondáveis ​​de Cristo (Efésios 3:8), que nos fornece tudo o que precisamos para viver uma vida piedosa.

Pedro escreve que a fé é o fundamento sobre o qual as outras virtudes repousam e das quais elas crescem. Nós recebemos a fé em Cristo como dom de Deus (1:1), mas depois fornecemos as outras qualidades, que são o fruto da fé (1:8). Então, para crescer em piedade, precisamos ter certeza de que confiamos em Jesus Cristo e em Suas promessas graciosas; porque a fé é a base essencial para crescer em piedade.

Agora, para crescer em piedade, devemos ter a motivação correta e acrescentar a diligência (1:5). Pedro está basicamente dizendo que Deus nos deu a Sua vida e todas as Suas promessas; agora, temos que aplicar a diligência para que possamos crescer.

Pense sobre isso; estamos aplicando “toda diligência” para crescer em Cristo? Nós fazemos tempo para crescer espiritualmente? Nós lemos comentários precisos, livros teológicos e importantes assuntos doutrinários que ampliam nossa mente para pensar sobre as questões difíceis na Bíblia? Se não o fizermos, não cresceremos espiritualmente como Deus quer.

Então, o que implica o crescimento? Onde devemos nos concentrar? Isso nos leva ao tema do nosso texto. Para crescer em piedade, você deve progredir nas áreas que Pedro declara.

A fé é o fundamento; para isso, devemos suprir a excelência moral, o conhecimento, o domínio próprio, a perseverança, a devoção a Deus, a fraternidade e o amor. 

Por que Pedro escolheu essas qualidades? Provavelmente, porque eles são o oposto das características do mal dos falsos mestres que ele expõem mais adiante em sua carta. Eles alegaram ter conhecimento, mas eles não conheciam Deus, que é santo. Eles não tinham domínio próprio e seguiam na imoralidade (2:2, 10, 14, 18). Eles não perseveravam na piedade, mas se desviaram. Em vez de demonstrar verdadeira fraternidade e amor, eles estavam simplesmente explorando pessoas para seu próprio benefício; e não tinham a semelhança de Cristo.

A “fé” é a base fundamental. Sem fé não somos cristãos. A”excelência moral” (virtude) é necessária em seguida, porque sem isso, não podemos ter uma consciência limpa. Se vivermos em desobediência conhecida a Deus, Ele não revelará a verdade espiritual para nós. Assim, a virtude precede o “conhecimento”. O “conhecimento” segue, porque precisamos conhecer a Palavra de Deus para informar nossa consciência e nos guiar em todo o nosso pensamento e comportamento.

Mas conhecer a verdade não ajuda se não praticarmos “dominio-próprio” e “perseverança” para quando provações e tentações vierem. À medida que perseveramos, desenvolvemos “a devoção a Deus”, que se refere a viver em reverência a Deus em todas as situações. Mas a verdadeira devoção a Deus não é apenas um assunto privado entre o indivíduo e Deus; ela se manifesta em relacionamentos piedosos. Consequentemente, precisamos de “fraternidade” e “amor” abnegado.

O resultado de crescer nessas qualidades de caráter divino é que seremos úteis e frutíferos no conhecimento de Jesus Cristo (2 Pedro 1:8). Porque Ele se entregou na cruz para nos salvar do julgamento de Deus, devemos desejar ser útil e frutífero como Seu servo comprado por sangue. Mas para ser útil e frutífero, devemos estar crescendo em piedade, o que requer esforço diligente.

O crescimento espiritual é um processo longo e só mostra resultados quando o praticamos consistentemente. Se não estamos fazendo muito progresso espiritual, então devemos nos examinar porque aqueles que não se desenvolvem desse modo são praticamente cegos, vendo apenas o que está perto, e se esquecem de que foram purificados de seus antigos pecados. Por isso, irmãos, trabalhem ainda mais arduamente para mostrar que, de fato, estão entre os que foram chamados e escolhidos. Façam essas coisas e jamais tropeçarão. Assim, sua entrada no reino eterno de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo será acompanhada de grande honra (2 Pedro 1: 9-11).

*******

Publicado por: mvmportugues | abril 21, 2019

Feliz Dia da Ressurreição – 1 Pedro 1:3

Publicado por: mvmportugues | abril 18, 2019

TOME TEMPO PARA REFLETIR SOBRE O AVISO DE JESUS – Lucas 13:34-35

Quando Jesus chegou perto de Jerusalém, na descida do monte das Oliveiras, uma grande multidão de seguidores ia com Ele. E eles, cheios de alegria, começaram a louvar a Deus em voz alta por tudo o que tinham visto. Eles diziam: Que Deus abençoe o Rei que vem em nome do Senhor! Paz no céu e glória a Deus!” (Lucas 19:37-38)

Há um verso semelhante a este no Salmo 118:26, que é um dos grandes salmos messiânicos. Foi cumprido, pelo menos de um modo preliminar, quando Jesus entrou em Jerusalém em um pequeno burro apenas uma semana antes de sua ressurreição, reconhecendo assim que Ele estava cumprindo a profecia de Zacarias: “. . . eis que o teu rei virá a ti, justo e Salvador, pobre e montado sobre um jumento, sobre um asninho, filho de jumenta (Zacarias 9:9).

Quando Jesus entrou na cidade, muitos tomaram ramos de palmeiras, e saíram-lhe ao encontro, e clamavam: Hosana! Bendito o Rei de Israel que vem em nome do Senhor! (João 12:13). Muitos cristãos ainda comemoram essa ocasião, que eles chamam de Domingo de Ramos, uma semana antes da Páscoa.

Infelizmente naquela época a maioria das pessoas, bem como hoje em dia, duvidaram, e logo O rejeitaram completamente, clamando para Ele ser morto. Ele sabia, que isso era o que aconteceria, e Ele já havia dito: “Ó Jerusalém, Jerusalém. . . E, agora, sua casa foi abandonada, e você nunca mais me verá, até que diga: ‘Bendito é o que vem em nome do Senhor! (Lucas 13:34-35).

Quando Jesus declara; E, agora, sua casa foi abandonada”. Essas palavras solenes foram literalmente cumpridas em 70 dC, quando o general romano Tito destruiu a cidade e matou milhares de judeus, e a nação foi dispersada até 1948. Como podemos ver, Terrível coisa é cair nas mãos do Deus vivo” (Hebreus 10:31); então, quando Deus abandona uma nação ou um indivíduo, essa nação ou pessoa estará verdadeiramente isolada!

Jesus não apenas emite uma advertência, mas também uma promessa de que a nação O veria novamente e que da próxima vez dirão: “Bendito é o que vem em nome do Senhor,” que é uma citação messiânica do (Salmo 118:26).

Na carta de Paulo aos Romanos, essa rejeição pelos judeus teve um propósito na visão de Deus: como Paulo escreve em Romanos 11:11-32, que em resumo afirma que os judeus se recusam a aceitar as Boas Novas, então eles são inimigos de Deus. Isso aconteceu para ajudar os não-judeus. Mas os judeus ainda são o povo escolhido de Deus e Deus os ama muito; Ele os ama por causa das promessas que fez aos seus antepassados, como lemos em Isaías 59:20-21 – E virá um Redentor a Sião e aos que se desviarem da transgressão em Jacó, diz o Senhor. Quanto a mim, este é o meu concerto com eles, diz o Senhor: o meu Espírito, que está sobre ti, e as minhas palavras, que pus na tua boca, não se desviarão da tua boca, nem da boca da tua posteridade, nem da boca da posteridade da tua posteridade, diz o Senhor, desde agora e para todo o sempre.

Deus não muda de ideia a respeito de quem Ele escolhe e abençoa. Mas no passado vocês, que não são judeus, desobedeceram a Deus. Porém agora vocês receberam a misericórdia de Deus por causa da desobediência dos judeus. Assim, por causa da misericórdia que vocês receberam, os judeus agora desobedecem a Deus para que eles também possam receber agora a misericórdia dele. Pois Deus fez com que todos se tornassem prisioneiros da desobediência a fim de mostrar misericórdia a todos.

Precisamos lembrar que todos aqueles que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus (Romanos 8:14), e que “não há judeu nem grego, escravo nem livre, homem nem mulher; pois todos são um em Cristo Jesus(Gálatas 3:28), que O receberam com Salvador e Senhor de sua vida.

Como vemos, embora Deus tenha colocado Israel de lado em julgamento durante o tempo presente dos gentios, quando este período for cumprido, Israel experimentará um grande retorno a Deus logo antes da segunda vinda de Jesus, o Messias. E então a profecia de Zacarias 12:10 será cumprida, E sobre a casa de Davi e sobre os habitantes de Jerusalém derramarei o Espírito de graça e de súplicas; e olharão para mim, a quem traspassaram; e o prantearão como quem pranteia por um unigênito; e chorarão amargamente por ele, como se chora amargamente pelo primogênito.

Precisamos entender, que o aviso e a promessa de Lucas 13:35 não são apenas para a nação de Israel, eles também se aplicam a todos os indivíduos. Se alguém continuar em rebelião contra Deus e rejeitar o Salvador que Ele enviou, Deus os deixará desolados, não apenas neste mundo, mas por toda a eternidade. Mas se alguém se arrepender de seus pecados e confiar no Salvador que voluntariamente foi à cruz em obediência ao Pai para salvar Seu povo de seus pecados, então eles conhecerão a alegria de dizer: “Bendito é Aquele que vem em nome do Senhor!”

Se você humildemente abandonar seus maus caminhos, se arrepender e pedir a Jesus para ser seu Salvador e o Senhor de sua vida, Ele te ouvirá e você será reconciliado com Deus hoje e para a eternidade; e você reinará com Jesus quando Ele vier em Sua glória com Seus santos anjos.

Jesus disse: E eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo para dar a cada um segundo a sua obra(Apocalipse 22:12). Então, vamos estar prontos para o breve retorno de nosso Senhor e esperar que Ele nos diga: Muito bem, meu servo bom e fiel.” (Mateus 25:23). 

Então, louvemos a Deus pela Sua gloriosa graça, que Ele nos deu gratuitamente por meio do seu querido Filho.

(Efésios 1:6)

*******

 

 

Publicado por: mvmportugues | abril 11, 2019

AVISO ÀS NAÇÕES – Jeremias 11:11

Portanto, assim diz o Senhor: Eis que trarei mal sobre eles, de que não poderão escapar, e clamarão a mim; e eu não os ouvirei. (Jeremias 11:11)

Este versículo dá ao leitor um aviso muito severo, dizendo que aqueles que não se submeterem ao comando de Deus não serão capazes de escapar de Sua ira. Não há como escapar da Sua justiça ou evitar a Sua presença. O mal persegue os pecadores e os envolve em armadilhas das quais eles não podem se libertar; a menos que se desviem de seus maus caminhos e o busquem de todo o coração.

Jeremias é chamado de “profeta que chora” e seu coração está angustiado por causa do que seu povo está fazendo. A nação judaica se perdeu porque rejeitou intencionalmente e deliberadamente a Deus, e seu trabalho é de chamá-los de volta à Ele.

Israel havia quebrado a aliança com Deus, e Jeremias teve a tarefa desagradável de avisá-los do julgamento vindouro.

Hoje vemos a história se repetindo; vemos as mesmas coisas acontecendo de novo. Então vamos ver o que queremos dizer com essa afirmação. Primeiro, eles eram culpados de sangue inocente.

Porque eles me abandonaram e profanaram este lugar, oferecendo sacrifícios a deuses estranhos, que nem eles nem seus antepassados nem os reis de Judá conheceram; e encheram este lugar com o sangue de inocentes. Construíram nos montes os altares dedicados a Baal, para queimarem os seus filhos como holocaustos oferecidos a Baal, coisa que não ordenei, da qual nunca falei nem jamais me veio à mente (Jeremias 19:4-5).

É difícil acreditar que essas pessoas pudessem se tornar tão duras de coração que queimariam seus filhos como sacrifício a um deus, mas foi o que fizeram. Eles pegaram os bebês recém-nascidos inocentes e indefesos e os mataram de uma maneira terrivelmente dolorosa.

Hoje não é diferente quando lemos relatos crescentes de sacrifício de crianças a Satanás, o deus deste mundo; juntamente com as práticas horríveis do aborto, que mata milhões de bebês a cada ano.

Pessoas sem coração e desinformadas chamam os bebês de um pedaço de carne, quando a Bíblia nos diz que Deus criou o nosso ser mais íntimo; e teceu cada um de nós no ventre de nossa mãe (Salmo 139:13).

O julgamento definitivamente está chegando a qualquer nação desobediente. Jeremias escreve: “Mas se não me ouvirem, eu arrancarei completamente aquela nação e a destruirei”, declara o Senhor” (Jeremias 12:17).

Jeremias também adverte de julgamento vindo por causa de práticas sexuais. Ele sabia o que Levítico e muitas outras escrituras ensinavam: Se um homem se deitar com outro homem como quem se deita com uma mulher, ambos praticaram um ato de abominação. Terão que ser executados, pois merecem a morte” (Levítico 20:13).

Observe que esse pecado foi chamado de “abominação”. Todo pecado é rebelião e todo pecado é terrível, no entanto, esse pecado foi destacado como uma “abominação” para Deus. Aqueles que apóiam esse pecado são rápidos em atacar a Palavra de Deus, mas se eles lerem cuidadosamente o que aconteceu em Sodoma e Gomorra e entendem que foram aniquilados por causa dessa grande abominação, pode haver esperança para as pessoas que decidem estudar a palavra de Deus e fazerem uma mudança de estilo de vida radical.

A Bíblia está cheia de advertências como lemos em outra passagem do Novo Testamento. Vocês não sabem que os perversos não herdarão o Reino de Deus? Não se deixem enganar: nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem homossexuais passivos ou ativos, nem ladrões, nem avarentos, nem alcoólatras, nem caluniadores, nem trapaceiros herdarão o Reino de Deus. Assim foram alguns de vocês. Mas vocês foram lavados, foram santificados, foram justificados no nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito de nosso Deus (1 Coríntios 6:9-11); então, como vemos, há esperança.

Jeremias também nos diz que O coração é mais enganoso que qualquer outra coisa e sua doença é incurável.
Quem é capaz de compreendê-lo?
(Jeremias 17:9)

Quando olhamos para muitas nações neste mundo, vemos que esses países estão sendo rapidamente julgados porque, como sociedade, votamos para expulsar Deus de nossa terra. Nós votamos para fazer claramente aquilo que sabemos que Deus abomina. No entanto, Quando você anunciar tudo isso ao povo, eles perguntarão: ‘Por que o Senhor decretou coisas tão terríveis contra nós? O que fizemos para ser tratados desse modo? Qual foi nosso pecado contra o Senhor, nosso Deus?’ “Então você lhes responderá que assim diz o Senhor: ‘Seus antepassados me deixaram. Adoraram e serviram outros deuses, me abandonaram e não obedeceram à minha lei. E vocês são ainda piores que seus antepassados! Seguem os desejos teimosos de seu coração perverso e não querem me ouvir (Jeremias 16:10-12).

O julgamento de Deus estava vindo sobre os israelitas por causa de muitos pecados, incluindo o sacrifício de crianças e a homossexualidade; e porque essas pessoas haviam rejeitado a Deus, eles rejeitaram Suas regras e mandamentos; eles rejeitaram o Seu pacto com eles. Os Estados Unidos e muitos outros países do mundo fizeram o mesmo. O que a Bíblia proclama através de Jeremias sobre Israel – proclama sobre todas as nações desobedientes.

Do começo ao fim do livro de Jeremias, vemos Deus suplicando, implorando e convidando Seu amado povo a voltar para Ele. De novo e de novo, Ele pede a eles que retornem para que Ele possa abençoá-los. Mas eles teimosamente seguem seu caminho pecaminoso.

Deus está implorando ao nosso país também. Mas, como, Israel, nós não estamos ouvindo. O aborto é uma lei da terra. Muitos estados legalizaram o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Muitos estados estão exigindo que essas práticas pecaminosas sejam ensinadas na escola para nossos filhos. Deus foi removido de nossos salões legislativos e de nossos tribunais. Estamos criando um país de pessoas egoístas, rebeldes e hedonistas que toleram tudo, menos Deus e o cristianismo.

Então, o que vamos fazer sobre isso? Aqui estão algumas sugestões:

Precisamos nos humilhar e compreender que estamos longe de Deus e muito perto de Seu julgamento final. Precisamos desesperadamente nos livrar de todo orgulho e nos humilhar diante do Senhor. Precisamos nos submeter a Deus e resistir ao diabo, e ele fugirá de nós (Tiago 4: 7).

Nós temos um Deus misericordioso e perdoador que quer que nos aproximemos Dele; não querendo que ninguém pereça, mas que todos cheguem ao arrependimento (2 Pedro 3:9).

Precisamos fazer uma avaliação da nossa vida, admitir nosso pecado e nos afastar dele; lembrando que o pecado impede a nossa vida de oração e nos rouba do poder espiritual.

Precisamos falar a verdade em amor e precisamos orar diariamente pela nossa nação.

Deus quer perdoar e restaurar, Ele não quer nos destruir. Ele não quer nos julgar. Ele diz: “Porque eu sei os planos que tenho para vocês”, diz o Senhor. “São planos de bem, e não de mal, para lhes dar o futuro pelo qual anseiam. Naqueles dias, quando vocês clamarem por mim em oração, eu os ouvirei. Se me buscarem de todo o coração, me encontrarão. Serei encontrado por vocês”, diz o Senhor.…” (Jeremias 29:11-14).

Deus tem planos maravilhosos para nós. Ele quer nos prosperar. Ele quer nos dar esperança. Ele anseia por um relacionamento amoroso conosco; mas precisamos voltar para Ele e buscá-Lo enquanto Ele ainda pode ser encontrado.

Como você pode escapar dos horrores do inferno? O plano é tão simples como.

  1. Admita que você está perdido, é uma pessoa pecadora e não pode salvar-se do pecado e do inferno.
  2. Acredite que Jesus Cristo sofreu na cruz para pagar por todos os seus pecados.
  3. Confesse que Deus ressuscitou Jesus da sepultura – confesse que você quer que Jesus Cristo seja o Senhor absoluto de sua vida.

*******

 

Publicado por: mvmportugues | abril 6, 2019

EM VEZ DE CULPA TEMOS LIBERDADE EM CRISTO – 2 Coríntios 3:17

Pois o Senhor é o Espírito, e onde está o Espírito do Senhor, ali há liberdade.” (2 Coríntios 3:17)

Os cristãos verdadeiros irradiam a santidade de Deus; nós vivemos em Sua presença e o Espírito Santo vive em nosso corpo.

Somos dotados dos Seus atributos e da Sua personalidade; assim vivemos com a dignidade, pureza, sabedoria, humildade, integridade, amor e compaixão de Deus. Somos filhos do nosso grande Pai, Criador e Rei; somos sacerdotes para o nosso Santo Deus e Salvador.

Se você é um verdadeiro cristão – viva desta maneira cada momento de sua vida – viva como um filho do Rei.

Portanto, todos nós, com o rosto descoberto, refletimos a glória que vem do Senhor. Essa glória vai ficando cada vez mais brilhante e vai nos tornando cada vez mais parecidos com o Senhor, que é o Espírito” (2 Coríntios 3:18).

Os que olham para Deus estão radiantes de alegria; seus rostos jamais mostrarão decepção” (Salmo 34:5).

Satanás gosta de condenar os cristãos verdadeiros com falsa culpa sobre os pecados passados ​​que cometeram; mas nós podemos combater esses ataques do nosso arqui-inimigo com a verdade da Palavra de Deus.

Romanos 8:1-2, Vida Através do Espírito – Portanto, agora já não há condenação para os que estão em Cristo Jesus, porque por meio de Cristo Jesus a lei do Espírito de vida me libertou da lei do pecado e da morte.”

Assim foram alguns de vocês. Mas vocês foram lavados, foram santificados, foram justificados no nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito de nosso Deus (1 Coríntios 6:11).

Todo verdadeiro cristão nascido de novo tem uma sepultura em seu passado; a velha pessoa está morta e enterrada. Você é uma nova pessoa em Cristo; então não deixe que Satanás finja ressuscitar uma pessoa morta que já não existe mais.

Agora, porém, estão livres do poder do pecado e se tornaram escravos de Deus. Fazem aquilo que conduz à santidade e resulta na vida eterna (Romanos 6:22).

Fui crucificado com Cristo; assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. Portanto, vivo neste corpo terreno pela fé no Filho de Deus, que me amou e se entregou por mim (Gálatas 2:20).

*******

Publicado por: mvmportugues | abril 4, 2019

A GRANDEZA DA CRIAÇÃO DE DEUS – Salmo 8:1, 3-4

Ó Senhor, nosso Senhor, teu nome majestoso enche a terra; tua glória é mais alta que os céus!… Quando olho para o céu, que tu criaste, para a lua e para as estrelas, que puseste nos seus lugares — que é um simples ser humano para que penses nele? Que é um ser mortal para que te preocupes com ele? (Salmo 8:1, 3-4).

No começo, Deus colocou os alicerces do mundo. . . e definiu suas dimensões. . . enquanto as estrelas da manhã cantavam juntas, e os anjos davam gritos de alegria? (Jó 38:4-7). Tudo o que Ele criou foi uma obra de arte, uma obra-prima. Ele projetou um mundo maravilhoso de tirar nosso fôlego e o declarou “muito bom” (Gênesis 1:31); e tudo isso para nutrir nossa alma com Sua presença amorosa.

Toda a criação testifica sobre a bondade de Deus. A terra, os céus, os oceanos, as árvores e as montanhas, o sol, a lua e as estrelas falam da beleza e perfeição de Deus. No relato de Gênesis, lemos como, após cada dia da criação, Deus olhava para Suas obras e as chamava de boas.

A natureza nos revela a beleza, a glória, o poder, a sabedoria, a presença, a criatividade e, acima de tudo, o cuidado amoroso de Deus. É por isso que devemos passar tempo na beleza da natureza e desfrutar da Sua criação. Jesus faz uso contínuo da natureza em Suas parábolas que nos acolhem para encontrar a vida com Ele no Reino de Deus. A revelação de Deus na natureza é tão predominante que o Apóstolo Paulo adverte se não notamos e honramos nosso Criador, não temos desculpa alguma (Romanos 1:20); porque através da natureza, Deus é capaz de nos ensinar, falar conosco e prover para nós.

O universo inteiro dá testemunho de Deus como Criador. Os céus proclamam a glória de Deus. O firmamento demonstra a habilidade de suas mãos. Dia após dia, eles continuam a falar; noite após noite, eles o tornam conhecido. Não há som nem palavras, nunca se ouve o que eles dizem. Sua mensagem, porém, chegou a toda a terra, e suas palavras, aos confins do mundo. Deus preparou no céu uma morada para o sol… O sol nasce numa extremidade do céu e realiza seu trajeto até a outra extremidade; nada pode se esconder de seu calor. (Salmo 19).

O sol que brilha no céu dá testemunho da existência e do cuidado de Deus, pois sem ele não haveria vida na terra; e as verdades sobre as obras de Deus estão ao nosso redor, para todos nós vermos.

Nós temos um Deus maravilhoso que nos ama. Da próxima vez que você tiver a oportunidade de ficar ao pé de uma cachoeira, ou de um rio, ou no topo de uma montanha; reserve um tempo para refletir sobre o poder do Criador. Outra maneira maravilhosa de fazer isso é olhar para um céu cheio de estrelas em uma noite sem lua.

Você alguma vez tomou tempo para olhar aos detalhes de uma flor? Você toma tempo para refletir sobre a magnífica obra de Deus que Ele tão lindamente pinta no céu ao nascer do sol ou ao pôr do sol?

Do menor ao maior, Deus se revela a nós; seja do menor átomo ou da maior galáxia, da forma de vida mais simples até a mais complexa, nosso Deus vivo está constantemente se dando a conhecer à humanidade.

A Bíblia testifica que a criação dá um testemunho claro da existência de Deus. Todos, em todos os lugares, têm esse testemunho. A revelação da natureza é mais do que suficiente para tornar a humanidade responsável e mostrar-lhes que eles não tem “desculpa”. Consequentemente, os humanos devem tentar descobrir quem é o seu Criador e o que Ele requer deles. Infelizmente, muitas pessoas corromperam a revelação de Deus na natureza e escolheram adorar e servir a criação em vez do Criador. Em vez de adorar a Deus, eles transformaram a criação em um deus. Por isso, Deus pronunciou julgamento sobre eles (Romanos 1).

O profeta Neemias escreve: Somente tu és o Senhor. Fizeste o céu e os céus além do céu, e todas as estrelas. Fizeste a terra, os mares, e tudo que neles há. Preservas todos os seres com vida, e o exército dos céus te presta adoração (Neemias 9:6); e assim farão todos aqueles que confiaram Nele como seu Senhor e Salvador, quando Ele nos chamar para estar com Ele.

Deus projetou nosso mundo para que através dele pudéssemos conhecê-Lo, Sua beleza, Seu poder e majestade, Sua atenção aos detalhes, Sua criatividade sem fim e muito mais. E Ele fez tudo isso para nos atrair a Ele para que pudéssemos experimentar o incrível amor que Ele tem por nós.

Enquanto é o Espírito Santo que comunica tal testemunho para nós, devemos preparar nossos corações para recebê-Lo. Precisamos entender e crer que de “muito tempo atrás, lançaste os fundamentos da terra e com as tuas mãos formaste os céus (Salmos 102:25).

*******

 

Older Posts »

Categorias