Publicado por: mvmportugues | novembro 16, 2017

ESTEJA DE GUARDA – 2 Pedro 3:17-18

 

Portanto, amados, sabendo disso, guardem-se para que não sejam levados pelo erro dos que não têm princípios morais, nem percam a sua firmeza e caiam. 18 Cresçam, porém, na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A Ele seja a glória, agora e para sempre! Amém. (2 Pedro 3:17-18)

Pedro claramente está escrevendo com dois objetivos em mente. Primeiro o seu desejo forte é lembrar os crentes a quem eles pertencem e o que eles têm em Cristo. E, em segundo lugar, ele também sabe que sua partida está próxima e se pergunta o que acontecerá com a igreja depois que ele se foi. Ele escreve para declarar uma vez mais alguns fundamentos da fé na esperança de que a igreja ouça e preste atenção as suas palavras. 

No capítulo 2, Pedro falou sobre falsos professores e suas palavras indicam que ele estava bravo com indignação justa. Sem dúvida, ele também estava decepcionado com alguns crentes com quem ele havia trabalhado e compartido comunhão que se tornaram inimigos da cruz. 

Agora, no capítulo 3, ele declara um fato que: “O Dia do Senhor chegará como um ladrão. Naquele dia os céus vão desaparecer com um barulho espantoso, e tudo o que há no Universo será queimado” (v. 10).E ele se dirige a igreja com este pensamento chave: “Sabendo que tudo isso vai ser destruído assim, então que tipo de gente vocês precisam ser?” (v. 11) 

Pedro adverte que sabendo de antemão que enfrentaremos a oposição; temos que tomar cuidado. Se “não seremos levados pelos erros de pessoas imorais” (v. 17). 

Um problema difícil nesta área é abordado por Pedro no verso 16, pois existe um esforço tão grande por parte dos “ignorantes e instáveis” para distorcer a verdade da Palavra de Deus. Com certeza, essas pessoas serão destruídas, mas tanto Paulo como Pedro conheciam os problemas causados ​​por tais distorções e o trabalho que levou para corrigir o ensino errôneo promulgado por essa pessoas. 

Precisamos estar conscientes de que os hipócritas instáveis ​​instintivamente querem evitar a luz para que suas más ações não sejam expostas (João 3:19-20). 

Esses falsos professores sempre terão muitas pessoas seguindo o seus maus ensinamentos enganosos e mentirosos. Paulo disse para Timóteo: Pois virá o tempo em que não suportarão a sã doutrina; ao contrário, sentindo coceira nos ouvidos, juntarão mestres para si mesmos, segundo os seus próprios desejos. Eles se recusarão a dar ouvidos à verdade, voltando-se para os mitos (2 Timóteo 4:3-4). 

É trágico ver o número de igrejas hoje em dia lideradas por homens que misturam a verdade e o erro de maneiras espertas e destrutivas. Eles deveriam prestar atenção ao que a Escritura diz: Diante de Deus e de Cristo Jesus que vai julgar vivos e mortos, e por causa da volta de Cristo e do seu reino, eu lhe ordeno o seguinte: Anuncie a mensagem de Deus. Esteja sempre pronto para anunciá-la, quer seja oportuno, quer não. Corrija, repreenda e aconselhe, ensinando com bastante paciência (2 Timóteo 4:1-2). Estes versículos nos dizem que se um pregador nunca confronta o pecado, ou expõe os hipócritas, ele não está pregando a Palavra de Deus. 

Neste dia de engano e hipocrisia, não é popular ensinar que devemos nos arrepender de nossos pecados e submeter-nos a Cristo como Senhor absoluto e Mestre de nossa vida. Não é popular ensinar às pessoas que é pecado se envolver em qualquer atividade sexual fora do casamento. Que os homens e as mulheres tem suas responsabilidades ordenadas por Deus em casa e na igreja. Que os cristãos devem honrar seu Senhor e Salvador pela forma como se vestem. Que os mentirosos não vão ao céu. E a lista continua! 

Muitos, no entanto, dizem que é ofensivo expor o pecado, o mal e a hipocrisia na igreja. Eles dizem que devemos ser positivos e não negativos. Mas, nestes versos, Pedro aborda seus leitores como “queridos amigos” ou “amados”. Ele se preocupa profundamente com esses crentes e, portanto, adverte sobre esses professores destrutivos. 

Muitos cristãos são muito instáveis ​​em sua fé. Eles conhecem muito poucas Escrituras e se recusam a ser guiados pelo Espírito Santo; portanto, estão sujeitos à sedução espiritual e são facilmente desencaminhado por charlatães. 

Se você ama seus filhos, você adverte com severidade sobre correr para a rua. À medida que crescem, você avisa sobre os perigos de beber, ingerir drogas e a imoralidade sexual. Você sabe que esses pecados podem deixá-los com cicatrizes permanentes. Pedro diz: “sabendo disso, guardem-se. 

Estar em guarda impedirá que você seja levado de um lado para outro por todo tipo de ensinamento que apareça. Nem seremos enganados por pessoas astutas que querem nos levar pelos caminhos do erro (Efésios 4:14) e permitirá que você cresça na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo (v. 18). 

Precisamos reconhecer que uma pessoa deve nascer antes de que possa crescer. A Bíblia ensina que todos nós entramos no mundo espiritualmente mortos (Efésios 2:1-3). Ser religioso ou bom não é o suficiente. Jesus disse a Nicodemos: “Ninguém pode ver o Reino de Deus, se não nascer de novo” (João 3:3). 

O crescimento é normal quando há vida; portanto, devemos continuar crescendo e gerando frutos em nosso novo nascimento, até o dia em que nos encontrarmos com Jesus Cristo. Precisamos entender que o crescimento é gradual, é um processo. O importante é estar envolvido no processo para que haja progresso. O caminho de Deus para a piedade é através da disciplina, e 1 Timóteo 4:7 diz para exercitar-se na piedade. 

A graça é a chave para um relacionamento com Deus, porque Ele nos salvou pela Sua graça, pois pela graça você foi salvo pela fé e não por vocês mesmos; é o dom de Deus (Efésios 2:8) e Ele nos sustenta pela graça, porque minha graça é suficiente para você (2 Coríntios 12:9). Crescer na graça envolve chegar a uma maior compreensão da santidade, justiça e soberania de Deus. 

E, finalmente, devemos crescer no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. 

Não podemos separar Jesus como Salvador de Jesus Cristo como Senhor. Quando você confia em Cristo como Salvador, você rende tudo de si para Ele. À medida que o cristão cresce progressivamente em submissão a Cristo através do estudo de Sua palavra, ele cresce em obediência a Ele. Jesus disse: “Quem tem os meus mandamentos e lhes obedece, esse é o que me ama. Aquele que me ama será amado por meu Pai, e eu também o amarei e me revelarei a ele” (João 14:21). 

Pedro nos diz que para perseverar como cristão; devemos nos proteger do erro espiritual e crescer na graça e no conhecimento Dele. E ele termina: “A Ele seja a glória, agora e para sempre! Amém.” 

O tema da vida cristã é glorificar o Deus trino em tudo. Isso significa que nossa vida deve exaltar Cristo, para que, por meio de nós, outros vejam o quão grande Ele verdadeiramente é. “É necessário que Ele cresça e que eu diminua” (João 3:30).  

Jesus sempre deve ser o centro da nossa atenção agora e por toda a eternidade; porque só Ele é digno!

Anúncios
Publicado por: mvmportugues | novembro 9, 2017

O QUE DEVEMOS FAZER PARA SER NASCIDO DE DEUS – 1 João 2:28-29

“Filhinhos, agora, pois, permaneçam em Cristo para que nós tenhamos confiança quando Ele aparecer e não sejamos envergonhados por Ele na sua volta. 29 Vocês sabem que Cristo é justo. Portanto, reconheçam também que todo aquele que faz o que é justo é filho de Deus.” (1 João 2:28-29) 

A Bíblia nos diz que, para se tornar em um filho de Deus, devemos nascer de novo – nascido de Dele. Quando nascemos neste mundo, este é o nosso primeiro nascimento, mas há um segundo nascimento que Deus oferece; que é a nossa escolha de começar uma vida nova Nele. 

Isso acontece quando uma pessoa está disposta a se arrepender, se afasta do pecado, pede a Jesus por perdão e para que Ele seja o Senhor de sua vida. O Espírito de Deus então entra na pessoa para dar-lhe o poder de iniciar esta nova vida. A pessoa se torna uma nova criação em Cristo e é espiritualmente nascida na família de Deus e torna-se assim um filho de Deus. 

Deus envia o Seu Espírito Santo para viver dentro dos fiéis para dar-lhes poder sobre a sua natureza pecaminosa para que possam viver uma vida que Lhe agrada. Através do Espírito Santo, os crentes são libertados do poder do pecado e de sua penalidade do inferno, e já não são mais escravos de sua natureza pecaminosa. 1 João 3:9 nos diz que “ninguém que nasceu de Deus continuará a pecar” para que saibamos que alguém que nasce de novo não viverá um estilo de vida pecaminoso. 

Jesus é o único meio de se reconciliar com o Pai. Ele disse: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém pode chegar até o Pai se não for por mim.” (João 14:6). 

A religião não o levará ao céu, você também não chega ao céu fazendo coisas boas: “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isso não vem de vós; é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie” (Efésios 2:8-9). Se você se recusar a aceitar a oferta livre de salvação de Deus, então, por escolha, você enfrentará a eternidade além Dele. Deus pagou o preço para salvá-lo; agora é tua decisão de aceitar o dom da vida eterna que Jesus pagou por você na cruz. Jesus disse aos seus discípulos antes de ser crucificado: “Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida pelos seus amigos” (João 15:13). 

Se você quiser ser salvo, você precisa orar a Deus com um coração arrependido, disposto a se afastar de todo pecado e querer ser mudado. Confesse seus pecados e peça a Jesus que o perdoe e para que Ele seja Senhor e Salvador de sua vida. A Bíblia diz: “Se você confessar com a sua boca que Jesus é Senhor e crer em seu coração que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo. 10 Pois com o coração se crê para justiça, e com a boca se confessa para salvação…. porque “todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo” (Romanos 10:9-10 e 13). 

Deus olha para o seu coração e, se você tiver um coração disposto para se retirar do pecado, você será salvo no momento em que você pede, e Jesus se tornará parte de sua vida através do Espírito Santo, fortalecendo, orientando e capacitando-o a viver a vida que Ele quer para você. 

Agora você pode perguntar, como sei que sou realmente salvo? 

A Bíblia deixa muito claro que podemos saber se somos salvos. 1 João 5:13 afirma: “Escrevi-lhes estas coisas, a vocês que crêem no nome do Filho de Deus, para que vocês saibam que têm a vida eterna.” 

Em Efésios 1:13-14, lemos isso: “Quando vocês ouviram e creram na palavra da verdade, o evangelho que os salvou, vocês foram selados em Cristo com o Espírito Santo da promessa, 14 que é a garantia da nossa herança até a redenção daqueles que pertencem a Deus, para o louvor da Sua glória.” 

E 1 João 4:13 diz: “Sabemos que vivemos Nele e Ele em nós, porque Ele nos deu o Seu Espírito”. A partir deste versículo, podemos ver que a prova de nossa salvação é a presença do Espírito de Deus em nossa vida. 

Então, como, é que o Espírito faz com que reconhecemos Sua presença, e como sabemos realmente que o Espírito está em nossa vida? Romanos 8:14, diz que “todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus”, então sabemos porque Ele nos conduz e nos leva a viver uma vida santa. Quando seguimos este testemunho interno do Espírito, somos mudados: “Portanto, se alguém está em Cristo, é nova criação. As coisas antigas já passaram; eis que surgiram coisas novas!” (2 Coríntios 5:17). Isso acontece quando o Espírito nos conduz a deixar o nosso antigo modo de vida pecaminoso e a nascer de novo a uma nova vida que agrada a Deus.

Quando a pessoa é verdadeiramente nascida de novo, ela ainda tem a opção de pecar contra Deus e seus mandamentos; no entanto, quando escolhem receber o poder do Espírito Santo, vão obedecer e honrar a Deus e Sua palavra em tudo o que dizem, pensam e fazem. Todos nós temos a opção de obedecer ao Espírito e resistir ao pecado para que possamos viver uma vida santa que traga honra e glória a Jesus Cristo, nosso Salvador. 

João 16:8 nos diz: “Quando Ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo.” A convicção do Espírito pelo pecado, traz culpa e falta de paz em nossa vida, levando-nos a confessar esse pecado, recebendo perdão e sendo purificados porque, como está afirmado na Palavra, “Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça” (1 João 1:9). 

Através deste processo, uma pessoa não é apenas perdoada, mas também limpa do pecado e tem nova vida. 2 Tessalonicenses 2:13 diz que somos salvos pela obra santificadora do Espírito. 

Devemos lembrar, no entanto, que temos a responsabilidade de seguir a liderança do Espírito porque “se vocês viverem de acordo com a carne, morrerão; mas, se pelo Espírito fizerem morrer os atos do corpo, viverão” Romanos 8:13. 

O pequeno livro de 1 João deixa muito claro que uma pessoa que é “nascida de Deus” não continuará no pecado. “Ninguém que vive nele continua pecando … Aquele que pratica o pecado é do Diabo… Todo aquele que é nascido de Deus não pratica o pecado, porque a semente de Deus permanece nele … Desta forma sabemos quem são os filhos de Deus e quem são os filhos do Diabo: quem não pratica a justiça não procede de Deus, tampouco quem não ama seu irmão” 1 João 3:6-10. 

Devemos, através do poder do Espírito Santo, viver uma vida que agrada a Deus porque Hebreus 12:14 diz: “Sem santidade, ninguém verá o Senhor”. 

Então, como você sabe se você é salvo? Se você se arrependeu de seus pecados e pediu a Jesus para ser o Senhor da sua vida, então você nasceu de novo. Você sentirá a presença do Espírito Santo em sua vida quando Ele te convence de culpa em relação ao pecado (João 16: 8) e quando você confessar seus pecados, você será perdoado e purificado e a paz de Deus retornará à sua vida. A presença do Espírito Santo permite que você ande em santidade e essa é a sua segurança absoluta de salvação. 

1 João 5:3; 3:23 diz: “Porque nisto consiste o amor a Deus: em obedecer aos seus mandamentos… e este é o Seu mandamento: Que creiamos no nome de seu Filho Jesus Cristo e que nos amemos uns aos outros, como Ele nos ordenou.” Quando o Espírito o purifica do pecado, o maior mandamento de Deus para o amar e seu próximo se torna realidade em sua vida. 

Precisamos ter certeza de que entendemos que o verdadeiro renascimento é um milagre permanente e transformador de vida realizado pelo próprio Deus na vida de um crente. A conduta santa é a evidência de um filho de Deus que nasceu de novo, cuja vida foi transformada pelo Espírito Santo que vive dentro do cristão. Não existe santidade orgulhosa; a verdadeira santidade sempre começa com a convicção do pecado e uma abordagem humilde a Deus para a limpeza e a restauração.

Ezequiel foi escolhido como o profeta de Deus para os israelitas que, como resultado do julgamento de Deus, foram levados para a Babilônia. Não foi uma tarefa fácil. Ele nasceu e cresceu na terra de Judá e estava se preparando para tornar-se um sacerdote no templo de Deus quando os babilônios atacaram em 597 aC e o levaram junto com outros 10 mil prisioneiros (2 Reis 24:10-14). 

Cinco anos depois, vivendo como cativo na Babilônia, Ezequiel veria uma das revelações mais gloriosas e impressionantes da presença e do poder de Deus (Ezequiel 1:4). Através desta visão, Deus chamou Ezequiel para ser o Seu profeta. 

Os israelitas no exílio perderam a perspectiva do propósito e da presença de Deus em suas vidas. Eles continuaram a ignorar as tentativas de Deus de chamá-los para o arrependimento e preferiram escutar os “falsos profetas” que falavam mentiras reconfortantes. Embora Ezequiel soubesse que ele enfrentava um povo rebelde e que ele tinha certeza de sofrer dificuldades por causa de sua mensagem, ele foi fiel; escolhendo responder ao chamado de Deus e pregar a pessoas rebeldes por 22 anos. 

O Senhor se dirige a Ezequiel ao chamá-lo de “filho do homem” e o escolhe para ser Seu mensageiro. 

Deus encorajou Ezequiel a não ter medo, pois ele teria que realizar um ministério muito difícil, declarando a Palavra de Deus para um povo teimoso e rebelde contra Deus. 

Ao invés de reconhecer e arrepender-se dos pecados que haviam trazido o julgamento de Deus sobre eles, os exilados judeus escolheram viver seu tempo na Babilônia como um retrocesso temporário que acabaria em breve, e Ezequiel, enfrentando a verdade com a Palavra de Deus, não seria bem-vindo. A resposta do povo seria cheia de ódio e o amor de Ezequiel por Deus seria verdadeiramente testado. 

Ezequiel 2:1, “Ele me disse: “Filho do homem, fique em pé, pois eu vou falar com você”.

Deus muitas vezes fala com a humanidade através da boca dos profetas. Jesus se chamou, Filho do homem em várias ocasiões, e representou Deus o Pai para a humanidade e Deus chama Ezequiel, filho do homem, aqui, porque Ele falará à humanidade através de Ezequiel. 

Ezequiel 2:2: “Enquanto ele falava, o Espírito entrou em mim e me pôs em pé, e ouvi aquele que me falava.”

Aqui vemos onde o Espírito habilita Ezequiel a realizar Seu ministério, quando Ele fala com ele. Encontramos várias outras ocasiões no Antigo Testamento, onde o Espírito veio sobre os servos fiéis do Senhor como em: Números 24:2; Juízes 3:10; 1 Samuel 10:10, 16:13-14, 19:20; 2 Crônicas 15:1. Antes da primeira vinda de Cristo, o Espírito não habitou todos os crentes como agora, mas Ele “se moveu” e “veio sobre eles” como lemos em 2 Pedro 1:20-21.

Deus não espera que entendamos tudo sobre Ele, mas que desejamos ser servos obedientes e fieis ao que sabemos que é verdade e correto. Deus deu, e continua dando aos Seus servos o poder do Espírito Santo para cumprir os Seus mandamentos. 

Ezequiel 2:3, Ele disse: “Filho do homem, vou enviá-lo aos israelitas, nação rebelde que se revoltou contra mim; até hoje eles e os seus antepassados têm se revoltado contra mim.

Aqui Deus está falando com Ezequiel sobre Israel, mas esta mensagem não é apenas para Judá, esta mensagem é para todos aqueles que se rebelam contra Deus. 

Ezequiel 2:4: “E os filhos são de semblante duro e obstinados de coração; eu te envio a eles, e lhes dirás: Assim diz o Senhor Jeová.”

“Obstinados”, neste caso significa desdenhoso, insolente e vemos que seus corações foram endurecidos. Conseqüentemente, por causa de seus corações obstinados, Deus diz a Ezequiel que lhes diga: “Assim diz o Senhor Jeová “. Deus queria que Ezequiel e as pessoas soubessem que era Ele quem os estava advertindo. 

Deus está falando com os líderes religiosos cativos de Israel; eles tinham o templo, as vestes sofisticadas, o dinheiro e os rituais e serviços religiosos. Seus corações eram maus e Deus rejeitou seus rituais e sacrifícios. E eles perderam tudo por causa de sua rebelião e hipocrisia. 

Deus não nos julgará por quão bem os outros respondem ao nosso testemunho, mas por quão fiéis nós fomos; e Ele sempre nos dá força para realizar o que Ele nos pede para fazer.

Ezequiel 2:5, “E eles, quer ouçam quer deixem de ouvir (porque eles são casa rebelde), hão de saber que esteve no meio deles um profeta.”

Essas pessoas são tão duras de coração; que eles talvez escutem e talvez não. Quando as palavras ditas no entanto, tornam-se realidade, saberão, além de qualquer dúvida, que foram advertidos por um profeta de Deus. Em qualquer caso o povo não poderia alegar ignorância assim como eles não podem fazê-lo hoje. 

Assim como Ezequiel foi enviado com uma mensagem aos filhos de Israel, há muitos mensageiros piedosos hoje em dia que são tratados da mesma forma que Ezequiel foi. 

Ezequiel 2:6: “Mas você, filho do homem, não precisa ficar com medo deles, nem do que eles disserem. Eles o desafiarão e desprezarão; viver no meio deles será como viver no meio de sarças, espinhos e escorpiões. Mesmo assim, não tenha medo daqueles rebeldes, nem de qualquer coisa que eles disserem.”

Não tenha medo foi dito três vezes para Ezequiel para encorajá-lo a cumprir a missão de Deus. Sarças, espinhos e escorpiões foi dito figuradamente para descrever o povo de Judá por Deus, cuja obstinada rejeição de Sua Palavra seria como sarças, espinhos e escorpiões para Ezequiel. 

O Senhor estava preparando Ezequiel para a sua missão dando-lhe a garantia de que Ele estaria com ele. Os servos de Deus não devem temer os homens; portanto, não devemos temer, e ser um exemplo verdadeiro à gente rude. 

Ezequiel 2:7, “Mas tu lhes dirás as minhas palavras, quer ouçam quer deixem de ouvir, pois são rebeldes.”

Ezequiel deveria ser fiel a Deus. Mesmo que estas foram pessoas rebeldes, que ouviriam ou se recusariam a ouvir, ele não deveria parar de lhes trazer a profecia que Deus lhe deu. Ezequiel teve que ser fiel para tentar resgatar as almas daqueles a quem foi enviado.

Isso é aplicável a todos aqueles que tentam ensinar a Palavra de Deus aos outros. Devemos obedecer a Sua voz que o Espírito que habita em nos dá, assim como Ele deu a Ezequiel. A força de Deus é poderosa o suficiente para nos ajudar a viver para Ele, mesmo baixo de muita crítica. 

A rebelião na Bíblia é comparada à bruxaria aos olhos de Deus. Ministros e missionários de hoje podem trazer a verdade às pessoas, e ainda assim ser rejeitada. No entanto, só porque as pessoas não ouvem, não tira o nosso fardo de ensinar. Assim como foi dito para Ezequiel, é nossa obrigação trazer a mensagem de Deus às pessoas, e o Espírito Santo fará o resto. Paulo instruiu Timóteo dizendo: “Pregue a palavra, esteja preparado a tempo e fora de tempo, repreenda, corrija, exorte com toda a paciência e doutrina.” (2 Timóteo 4:2). 

Ezequiel 2:8: “Mas você, filho do homem, preste atenção no que eu estou dizendo. Não seja teimoso como eles. Abra a boca e coma o que vou dar a você.”

Deus está dizendo a Ezequiel para receber esta mensagem em seu ser mais íntimo. Ele não deve ser como esses filhos rebeldes de Israel, que não aceitarão a mensagem de Deus. Devemos também ler a Palavra de Deus todos os dias e guardar-las em nossos corações e mentes e fazer o que Deus nos ordenou. 

Ezequiel devia obedecer ao comando, não literalmente comendo um pergaminho, mas em um sentido espiritual recebendo a mensagem de Deus para que se tornasse em uma paixão interna para ele. 

Hoje em dia os Seus servos como Ezequiel devem ser fortes na Palavra de Deus em um mundo onde as pessoas vão contra a verdade. No entanto, mesmo que as pessoas sejam rebeldes, elas não estão sem esperança. Deus espera que as pessoas ouçam, respondam e tenham um coração alterado, já que a esperança está sempre presente até que tomemos nosso último suspiro, e então pela nossa própria escolha, o nosso destino será selado para sempre. 

Por favor, pergunte-se: Deus está revelando algum pecado em sua vida? Não seja teimoso, confesse seu pecado e comece a viver para Deus. Ao obede-Lo agora, você desfrutará a vida muito mais e estará pronto para estar um dia diante Dele sem vergonha. Quando aquele dia chegar, você estará cara a cara perante Aquele cujos olhos são como um fogo ardente, e que vê profundamente dentro do nosso coração. 

Assim sendo, lembre-se de que: Feliz é aquele que teme a Deus, o Senhor, e vive de acordo com a sua vontade! (Salmo 128:1). E, procurem ter paz com todos e se esforcem para viver uma vida completamente dedicada ao Senhor, pois sem isso ninguém o verá (Hebreus 12:14).

Publicado por: mvmportugues | outubro 26, 2017

QUANDO VOCÊS FICAREM IRADOS, NÃO PEQUEM – Efésios 4:26-27

“Quando vocês ficarem irados, não pequem”. Apazigúem a sua ira antes que o sol se ponha, e não dêem lugar ao Diabo.” (Efésios 4:26-27) 

Não devemos permitir o que nos está chateando chegar ao ponto que perdemos o controle. É importante lidar com o que está nos perturbando antes de atingir um ponto crítico. 

Como verdadeiros crentes, somos uma nova criação em Jesus Cristo e não somos mais conduzidos ao comportamento pecaminoso da nossa vida antiga. Pedro nos diz que “tudo o que precisamos para viver e servir a Deus nos tem sido dado pelo seu poder divino, devido ao conhecimento que temos daquele que nos chamou para a sua própria glória e bondade” (2 Pedro 1:3). Portanto, como uma nova criação em Cristo, devemos adiar o comportamento de nossa antiga vida pecadora e colocar a nova vida do santo que vive pelo Espírito Santo. Uma vez que nos tornamos em um verdadeiro cristão, somos uma pessoa diferente e, por isso, devemos viver um tipo de vida diferente do mundo ao nosso redor. 

Nosso verso fala sobre estar irados, mas não pecar. Existem dois tipos de ira. Primeiro, o cristão pode praticar a ira justa. Nós vemos um grande exemplo disto quando nosso Senhor Jesus Cristo purificou o templo (Marcos 11:15-18, Lucas 19:45-47, João 2:14-16). O que determina o tipo de raiva que sentimos, é o que causa a raiva que se levanta dentro de nós. No caso de Jesus, Ele expulsou aqueles que estavam zombando da casa de Deus, e estavam tornando-a em um mercado e ‘covil de ladrões’ e lhes disse: “Está escrito:” Minha casa será uma casa de oração.” 

O segundo tipo de raiva é o tipo errado, onde a ira, por exemplo, supera uma pessoa quando as coisas não estão seguindo da maneira que eles querem e o orgulho assume sua mente. Seria bom nestes tempos pensar sobre o que Tiago escreveu: “Sejam todos prontos para ouvir, tardios para falar e tardios para irar-se, pois a ira do homem não produz a justiça de Deus” (Tiago 1:19-20). 

O tipo errado de raiva é quando ficamos chateados e irritados porque algo ou alguém está interferindo com o nosso ego e, de repente, tudo não se revolve ao nosso redor. 

A ira justa, por outro lado, é se estamos bravos com alguém porque as pessoas mentem contra a verdade de Deus, estão contra os propósitos de Deus, difamam o Nome e a Glória de Deus, fazem com que outros pecam e produzam o mal, e a destruição por sua conduta e falta de respeito por Deus. Nós também podemos estar irritados com pessoas malvadas que abusam e prejudicam crianças e pessoas inocentes. 

O Salmo 97:10 diz que: “Aqueles que amam o Senhor, odeiam o mal”. Quanto mais conhecemos a Deus e amamos a verdade e a santidade, mais ficaremos bravos pelo motivo correcto. 

Deus diz: “Quando ficarem irados, não pequem”. Portanto, um cristão deve expressar a ira justa quando a ira justa é certa, mas deve ter cuidado para que essa ira justa não se torne em uma ira pecaminosa, quando é permitida de tornar-se em uma atitude de ressentimento e intolerância para com outra pessoa. 

A ira pecaminosa é muitas vezes um sinal de nossa necessidade de uma maior confiança em Deus e uma entrega mais completa da nossa vida a Ele. A ira pecaminosa quando examinada geralmente expõe um problema de controle e uma necessidade de mais confiança em Deus. A ira pecaminosa se reflecte quando Jesus não é o Senhor de nossa vida e ainda não aceitamos plenamente a total soberania de Deus em nossa vida. 

A ira pecaminosa também pode ser por falta de perdão. Lembre-se do que o Senhor ensinou aos discípulos: “Porque, se vocês perdoarem as pessoas que ofenderem vocês, o Pai de vocês, que está no céu, também perdoará vocês. Mas, se não perdoarem essas pessoas, o Pai de vocês também não perdoará as ofensas de vocês” (Mateus 6:14-15). 

Continuando no nosso versículo, ele afirma: “apazigúem a sua ira antes que o sol se ponha“.  O que isso implica é que, se possível, devemos lidar com a raiva imediatamente. Não devemos adiar, porque se não lidarmos com isso quando somos alertados pelo Espírito, talvez não tenhamos oportunidade de lidar com isso novamente. Um exemplo é que a pessoa com quem você esteja com raiva pode não estar viva amanhã ou quando você decidir de fazer a paz com ela. 

E, finalmente, o versículo nos diz, “e não dêem lugar ao Diabo.” Isso está diretamente ligado ao sentimento de raiva. Quando mantemos a ira contra outra pessoa abre a porta da nossa vida ao Diabo. O pecado traz a morte, e esse é o objetivo de Satanás, para provocar a morte e uma eternidade no inferno além de Deus. 

Como vimos, a raiva por si só não é pecado. Existe uma raiva que é justificada, que chamamos de “indignação justa”. Mas nutrindo raiva pelo motivo errado, que é a satisfação egoísta de um desejo, dá a Satanás o fundamento de que ele precisa; que pode facilmente se transformar em amargura e um ato pecaminoso. 

Se você tem um desentendimento com alguém ou sente que alguém o prejudicou, vá a essa pessoa e discuta a situação com ela; isto é o que a Bíblia nos diz para fazer. Não aja de sua natureza pecaminosa, dizendo algo precipitado que vai desonrar a Deus e ser destrutivo para outros e para si mesmo, danificando o propósito de Deus para sua vida. 

Aqui estão alguns versos adicionais para refletir: 

  • Não permita que a ira domine depressa o seu espírito, pois a ira se aloja no íntimo dos tolos. (Eclesiastes 7:9) 
  • Evite a ira e rejeite a fúria; não se irrite: isso só leva ao mal. Pois os maus serão eliminados, mas os que esperam no Senhor receberão a terra por herança. (Salmo 37:8-9) 

Lembre-se “não se deixem vencer pelo mal, mas vençam o mal com o bem” (Romanos 12:21). E “livrem-se de toda amargura, indignação e ira, gritaria e calúnia, bem como de toda maldade. (Efésios 4:31)

Publicado por: mvmportugues | outubro 19, 2017

LIÇÕES DO RICO INSENSATO – Lucas 12:17-20

“Contudo, Deus lhe disse: ‘Insensato! Esta mesma noite a sua vida lhe será exigida. Então, quem ficará com o que você preparou?’” (Lucas 12:20) 

Este versículo dá o aviso de Deus para as pessoas cuja preocupação dominante é a acumulação de bens materiais. Tal pessoa é, pelo testemunho do Senhor, um tolo. 

Mas antes que o homem nesta parábola se tornasse em um tolo cobiçoso, ele se tornou em um indivíduo egocêntrico interessado apenas em seus próprios desejos. Nos versos que compõem o seu monólogo (Lucas 12:17-19), ele usou os pronomes pessoais “eu” e “meu” não menos de onze vezes. 

Ele pensou consigo mesmo: ‘O que (eu) vou fazer? (Eu) não tenho onde armazenar minha colheita’. 18 “Então disse: ‘Já sei o que (eu) vou fazer. (Eu) vou derrubar os meus celeiros e construir outros maiores, e ali (eu) guardarei toda a minha safra e todos os meus bens. 19 E (eu) direi a mim mesmo: Você tem grande quantidade de bens, armazenados para muitos anos. Descanse, coma, beba e alegre-se’. 

“Meu” é o pronome do diabo. Foi Satanás quem primeiro disse “eu”. “Eu subirei ao céus; erguerei o meu trono acima das estrelas de Deus. . . Eu serei como o Altíssimo” (Isaías 14:13-14). A cobiça egoísta de Lúcifer trouxe rebelião e pecado ao anfitrião angélico, e depois aos seres humanos. Desde a sua queda, ele usou este pecado mortal de egocentrismo para manter os homens longe de Deus e levá-los a todos os tipos de outros pecados irresistíveis. 

Precisamos lembrar que a ganância e a avareza são mencionadas nos Dez Mandamentos porque é um aviso para um dos principais problemas humanos. Onde a ganância está envolvida, nunca há o suficiente e existe o desejo constante de querer mais.

Este homem assume que a sua vida consiste na abundância dos bens que ele possui; as colheitas são dele e irão fornecer para o seu bem-estar para muitos anos, assim ele pensa. E ele vai aproveitar a vida e comer, beber e festejar. 

“Contudo, Deus lhe disse: ‘Insensato! Esta mesma noite a sua vida lhe será exigida. Então, quem ficará com o que você preparou?’” (v. 20) 

A insensatez e o egoísmo do homem rico é visto em que ele não pensa em seu “corpo”, que é mortal, e que sua vida pode acabar a qualquer momento.        

Ele também não considera as necessidades dos outros, porque as necessidades dos pobres nem sequer entram em consideração. Ele só pensa em si mesmo, que é indicado pelo número de “eu’s” e “meus” nestes versículos. Nem uma vez ele agradece e glorifica a Deus pela abundância da colheita. 

Este homem vive como se Deus não existisse, e Deus não é um fator em sua vida ou nas decisões que ele faz. Ele não busca conselho santo e ele não ora. Ele racionaliza e determina que ele vai manter tudo e, em seguida, irá consumi-lo em auto-indulgência. Em sua mente, sua terra, os seus bens, e sua vida estão todos sob seu controle. A tendência é de que quanto mais uma pessoa sucede tanto mais seu foco está no agora, e tanto mais ela vê a sua segurança apenas em sua riqueza. 

Precisamos ter muito cuidado da forma como vivemos, pois nunca sabemos quando nosso tempo aqui na terra terminará. 

Quando Jesus continua Ele explica que aquele que acumula tesouros para si mesmos, e não é rico para com Deus, é tolo como este rico insensato! (v. 21) 

Se os nossos planos para o futuro se enfocam somente no auto, e não em Deus e nas necessidades de outros, nós não somos diferentes do que o rico insensato. É sábio planejar, mas devemos fazê-lo com sabedoria, com a ajuda de Deus, através da orientação do Espírito Santo, por meio da oração e da leitura da Bíblia. 

O fazendeiro rico é um tolo não porque ele é rico ou porque ele guarda para o futuro, mas porque ele parece viver apenas para si mesmo, e porque ele acredita que ele pode proteger a sua vida com os seus bens abundantes.  

A lição da parábola é que o fazendeiro rico não se preparou para a vida eterna e ele não realiza que tudo é criado por Deus e pertence a Deus. Ele não tinha nenhuma relação com o Deus vivo. Em seu planejamento ele não teve nenhuma consideração a Deus que o criou e lhe tinha dado posse e mordomia da terra. 

Esta parábola nos ensina que as riquezas terrenas não são a resposta para a nossa segurança eterna. O importante é que devemos ser ricos espiritualmente para herdar a vida eterna. 

Temos que garantir que o nosso coração está no lugar certo como Jesus disse: “Não acumulem riquezas neste mundo, onde a traça e a ferrugem as destruirão e onde os ladrões arrombam e as roubam. 20 Ao invés disso, acumulem riquezas no céu, onde nem a traça nem a ferrugem as destruirão e nem os ladrões arrombam e as roubam. 21 Lembrem-se disto: Onde estiver o seu tesouro, lá também estará o seu coração.” (Mateus 6:19-21)

Publicado por: mvmportugues | outubro 12, 2017

COMO SABER QUE NÓS ESTAMOS NELE – 1 João 2:5-6

“Nisto conhecemos que estamos nele. Aquele que diz que está nele também deve andar como ele andou.” (1 João 2:5-6) 

Você sabe, que você realmente conhece Cristo, se você caminha em obediência à Sua Palavra porque é manifestado na sua forma de viver. Em outras palavras, sabemos que conhecemos Deus porque guardamos Seus mandamentos. 

João está ensinando que a salvação é evidenciada pela obediência. E, por sua vez, essa obediência contribui para a nossa garantia de salvação. A obediência é um sinal de que conhecemos a Deus, reconhecendo que Ele espera que Seu povo viva em obediência a Ele. 

No versículo quatro, João reafirma o versículo três com um aviso: “Aquele que diz: Eu conheço-o e não guarda os seus mandamentos é mentiroso, e nele não está a verdade” (1 João 2:4). O seu argumento é que se você afirma conhecer Deus, mas a sua vida não é alterada, então este é um sinal seguro de que você não conhece Deus. Por quê? Porque a verdade de Deus muda e leva a pessoa a uma vida transformada. Então, quando essa vida transformada não está presente, você pode ter certeza de que a pessoa nunca estudou ou aprendeu a verdade; e portanto nunca conheceu Deus. 

Ter o fortalecimento do Espírito Santo nos permite “caminhar dignament perante Deus, que o chamou para o Seu reino e glória” (1 Tessalonicenses 2:12); e que não há maior alegria que “andar na verdade” (3 João 4) e com honestidade (1 Tessalonicenses 4:12, Romanos 13:13). 

O cristianismo não é apenas conhecer Deus ou conhecer certas doutrinas ou seguir certos preceitos morais. É essencialmente conhecer Deus porque Ele quer que O conheçamos. Jesus disse: “E a vida eterna é esta: Que eles conheçam o Senhor, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, aquele por ele enviado” (João 17:3). O cristianismo significa conhecer Deus pessoalmente através de Jesus Cristo, que nos revelou Deus. 

Há uma grande diferença entre conhecer sobre uma pessoa e conhecer a pessoa. Você pode ter ouvido algumas coisas sobre Deus que pode ou não ser verdade, mas até que você o faça o Senhor da sua vida, você realmente não O conhece ou entende que Ele merece ser o Mestre absoluto da sua vida. 

Em nosso texto, João diz que, se permanecemos em Cristo, caminharemos como Ele caminhou. Isso significa que Ele é o nosso exemplo supremo para viver. Jesus nos mostrou como devemos viver em total dependência do Pai e em completa submissão à Sua vontade, por mais difícil que seja. Jesus declarou: “Digo a verdade a vocês: O Filho nada pode fazer por si próprio; ele só faz o que vê o Pai fazer, porque tudo que o Pai faz o Filho também faz.” (João 5:19). Ele também disse “… eu sempre faço o que lhe agrada” (João 8:29). 

Embora ninguém possa fazer reivindicações semelhantes, todos os que afirmam permanecer em Cristo devem ter o mesmo foco e direção, não para agir independentemente de Deus, mas em total dependência de Ele. Não devemos viver para agradar-nos à parte de Deus, mas para fazer as coisas que Lhe agradam. 

Andar como Jesus andou significa que nossas vidas devem ser caracterizadas pela dependência diária de Deus, submissão a Ele, e obediência à Sua vontade. Nosso objetivo geral na vida será buscar primeiro Seu reino e justiça. Procuraremos agradar-Lo por nossos pensamentos, palavras e atos. Embora nunca possamos caminhar perfeitamente como Jesus andava, deve ser nosso constante objetivo e esforço para fazê-lo. 

Então, pergunte-se, “Conheço Cristo?” Você confiou Nele como a propiciação pelos seus pecados? Se assim for, pergunte-se: “Eu sei que eu O conheço?” Como? “Eu obedeço a Sua Palavra e procuro andar como Jesus andava?” Se essa é a direção e o foco de sua vida, você pode saber que você O conhece. 

Precisamos entender que existem razões porque obedecemos. Obedecemos porque temos que fazê-lo; obedecemos porque precisamos; ou obedecemos porque queremos. E que o crente obedece a palavra de Deus porque ele quer – porque a relação entre ele e Deus é de amor. Jesus disse: “Se vocês me amam, cumprirão os meus mandamentos” (João 14:15). 

Estamos pedindo que você olhe dentro do seu ser e responda esta pergunta: você está guardando os mandamentos de Deus? Ao manter os mandamentos não é uma condição para a salvação, é um sinal, uma evidência, da sua salvação – uma marca de um cristão. Em realidade, a obediência parcial é outro nome para a desobediência. 

Por favor lembre-se que: “Agora, como filhos obedientes de Deus, não se amoldem mais aos desejos maus que vocês tinham antigamente, quando eram ignorantes 15 Pelo contrário, assim como o Deus que os chamou é santo, vocês também devem ser santos em tudo o que fizerem. 16 Pois as Escrituras dizem: “Sejam santos, porque eu sou santo” (1 Pedro 1:14-16)

Publicado por: mvmportugues | outubro 5, 2017

A INTIMIDAÇÃO É UM PECADO

O servo do Senhor não deve andar brigando, em vez disso, deve ser gentil com todos. . . (2 Timóteo 2:24) 

A intimidação é um pecado; o diabo é um agressor, e os agressores querem ser como o diabo. 

O coração do agressor baseia-se em outros para apoiá-lo em seu ataque perverso a pessoas inocentes e gentis. 

O agressor é alguém que gosta de causar dor e sofrimento aos outros. Ele não ama a bondade, mas sim a hostilidade. Provérbios 6:16-19 diz: “Há seis coisas que o Senhor odeia, sete coisas que ele detesta: 17 olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente, 18 coração que traça planos perversos, pés que se apressam para fazer o mal, 19 a testemunha falsa que espalha mentiras e aquele que provoca discórdia entre irmãos”. 

Estes versos falam sobre a essência do coração do agressor, porque ele é orgulhoso, mentirá e às vezes corre para derramar sangue. Ele definitivamente faz planos perversos e corre rapidamente para fazer suas más ações. O agressor é orgulhoso e malvado; ele encontra grande satisfação em ridicularizar e ferir outras pessoas. É por isso que ele continua a intimidar. É poder para ele, mas ele não percebe que ele está fazendo o que o diabo quer; e Deus odeia as coisas que o agressor faz. 

O agressor causa trauma físico, psicológico e emocional às vítimas. Como pais, temos que defender nossos filhos e fazer tudo o que pudermos para impedir que outros façam vítimas deles. 

Quando comparamos e contrastamos o coração do agressor contra o coração do cristão, vemos o seguinte: 

O CORAÇÃO DO AGRESSOR

O CORAÇÃO DO CRISTÃO

O agressor é muito orgulhoso O verdadeiro cristão é humilde
Ele busca o poder Ele procura servir a Deus
Ele quer dominar Ele quer obedecer a Deus
Planeja esquemas perversos Planeja atos de bondade
Age com raiva Age com amor
Gosta de infligir dor aos outros Gosta de ajudar os outros
Ama o ódio e a injustiça Ama a justiça
Depende de outros para apoiá-lo Não precisa de ninguém além de Deus
É motivado pela auto-dominância. É motivado para incentivar e elevar os outros

Os agressores sempre tentam fazer com que outras pessoas se juntem a eles para ferir e ridicularizar alguém que tem um espírito amável, gentil e amoroso. 

CONCLUSÃO

O principal é que, no fundo de seu coração, os agressores apenas se concentram em seu próprio orgulho, ego e maldade ao custo dos outros. É exatamente assim que o diabo vive e influencia e até possui pessoas que são agressoras. Ele se concentra apenas em seus próprios esquemas perversos que ridicularizam e destroem qualquer pessoa que ele possa.

David na Bíblia foi intimidado e orou: “Ó Senhor Deus, ensina-me a fazer a tua vontade e guia-me por um caminho seguro, pois os meus inimigos são muitos. 12 Não me entregues nas mãos desses inimigos, que dizem mentiras contra mim e me ameaçam com violência” (Salmo 27:11-12)

A Bíblia também nos diz que o hipócrita, com a boca, danifica o seu próximo. (Provérbios 11:9)

Se você confessar com a sua boca que Jesus é Senhor e crer em seu coração que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo. (Romanos 10:9)

Quando um indivíduo se torna cristão é assumido que ele aceitou Jesus como seu Salvador, isto é, ele reconheceu que Jesus Cristo veio do Pai, nasceu de uma virgem, viveu uma vida sem pecado, foi sacrificado pelos nossos pecados, foi ressuscitado, e agora está à mão direita de Deus intervindo para ele; mas O conhecem como Senhor? 

Todo novo cristão deve entender o conceito do Salvador quando ele vem a Cristo e esta é a primeira parte da experiência de salvação. 

O que a maioria das pessoas não conseguem entender é a segunda parte da experiência de salvação, que é que Jesus Cristo também precisa se tornar o Senhor de sua vida. Sim, há uma diferença entre ser Salvador e ser Senhor. 

Na Bíblia você encontrará a palavra senhor, ou escrita com todas as letras maiúsculas, SENHOR, ou como “Senhor”. A primeira versão, SENHOR, representa o nome de Deus, que é a tradução hebraica da palavra YHWH (Yahweh). 

No dicionário, a palavra “Senhor” tem diferentes significados e aqui estão alguns deles: 

  • Uma pessoa que tem autoridade, controle ou poder sobre outros; um mestre, chefe ou governante. 
  • Uma pessoa que exerce autoridade de direitos de propriedade; um dono de terra, casas, etc. 
  • Um nobre titulado; uma pessoa cujo termo ordinário contenha por cortesia o título de Senhor por causa da posição que alcançaram. 

Portanto, alguém que você chama de Senhor está em uma posição de autoridade, poder, controle e merece seu respeito e obediência. Você reconhece sua autoridade e sua submissão à sua autoridade implica sua vontade de obedecer seus comandos. 

O ponto é que, quando uma pessoa aceita Jesus como Senhor e Salvador, eles não devem apenas aceitar Jesus na posição de Salvador, mas também como Senhor. Jesus disse em João 14:15: “Se vocês me amam, obedeçam aos meus mandamentos.” Somente uma pessoa em uma posição de autoridade tem o direito de mandar e Jesus tem essa autoridade, concedida pelo Pai (João 3:35, Efésios 1:22). 

O único requisito de nós, para que Jesus seja nosso Salvador, é acreditar. Por outro lado, para que Jesus seja nosso Senhor, já não fazemos nossas próprias decisões, Ele as faz por nós. Quando Ele é o Senhor da nossa vida, Ele tem total controle, e seguimos Suas instruções sem questionar e, ao fazê-lo, nos colocamos sob Seu Senhorio e autoridade. Jesus tem o direito de nos ordenar e esperar que Seus comandos sejam obedecidos. 

Jesus não quer que nós o chamemos de “Senhor” e “Mestre”, se não estamos dispostos a comprometer-nos a fazer as coisas que Ele diz como Ele mencionou aos Seus seguidores: “Por que vocês me chamam “Senhor, Senhor” e não fazem o que eu digo?” (Lucas 6:46). 

Nossas ações precisam coincidir com as nossas palavras: “E tudo o que vocês fizerem ou disserem, façam em nome do Senhor Jesus e por meio dele agradeçam a Deus, o Pai” (Colossenses 3:17). Confessar o senhorio de Jesus com nossa boca enquanto não cometemos nossa vida a Ele é uma conversa vazia. Se Ele é verdadeiramente nosso Senhor, então Ele controla nossas palavras, bem como nossas ações. 

Agora que você está ciente do que significa conhecer Jesus como Senhor e não só como Salvador isso muda algo para você? 

Jesus será verdadeiramente seu Mestre, Deus e Senhor Soberano em cada objetivo, propósito e decisão em sua vida? 

Você será obediente e sensível aos seus requisitos agora que está ciente das implicações de Jesus como Senhor? Ou você continuará aceitando-O como Salvador, mas não pode deixar que Seu senhorio interfira com sua vida? 

Lembre-se de que, se você colocar Jesus no lugar que Ele merece como Senhor da sua vida, talvez seja necessário mudar algumas coisas, como desistir de um mau hábito, re-priorizar sua vida e deixar de ser egocêntrico. 

Aceitar o senhorio de Jesus envolve dizer “sim” ao que Ele diz. Isso envolve a negação de interesses pessoais, incluindo às vezes o abandono da própria vida – mas também envolve encontrar a vida; isto é, a vida eterna. 

Jesus disse a seus discípulos: “Se alguém quer ser meu seguidor, que esqueça os seus próprios interesses, esteja pronto para morrer como eu vou morrer e me acompanhe. 35 Pois quem põe os seus próprios interesses em primeiro lugar nunca terá a vida verdadeira; mas quem esquece a si mesmo por minha causa e por causa do evangelho terá a vida verdadeira. 36 O que adianta alguém ganhar o mundo inteiro, mas perder a vida verdadeira?” (Marcos 8:34-36). 

Nestes versículos, Jesus está comandando e exigindo a obediência absoluta e entrega ao Seu senhorio eterno, sobre tudo o que desejamos, digamos, pensemos e fazemos. Aqui, Jesus definiu o aspecto do cristianismo verdadeiro; qualquer coisa menos do que compromisso total para o Mestre é religiosidade e hipocrisia. 

Quando você vem a Cristo e é verdadeiramente salvo, o Espírito de Deus moverá seu espírito e você reconhecerá Jesus como seu Salvador e o fará o Senhor de sua vida. 

Isso significa que: “Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. A vida que agora vivo no corpo, vivo-a pela fé no filho de Deus, que me amou e se entregou por mim” (Gálatas 2:20). 

Lembre-se de que não é suficiente ter o conhecimento de quem é Jesus ou simplesmente dizer que você acredita. Se você afirmou que Jesus é importante em sua vida, comece a mostrá-lo por suas ações. Ser cristão significa transformar-se na imagem de Cristo, não moldá-Lo na imagem que você acha que é certa e legitimamente O torne Senhor da sua vida. 

Então o que você vai ouvir quando finalmente estiver cara a cara com Deus quando você morrer? Será, “Bem feito meu servo bom e fiel” (Mateus 25:23), ou Jesus dirá para você “nunca os conheci. Afastem-se de mim vocês, que praticam o mal!(Mateus 7:21-23) 

JESUS ​​É VERDADEIRAMENTE O SENHOR DA SUA VIDA?

Publicado por: mvmportugues | setembro 21, 2017

QUAL É O PROPÓSITO DE UMA IGREJA? – 1 Coríntios 12:12-27

Paulo deu uma excelente ilustração aos crentes em Corinto (1 Coríntios 12:12-27), onde a igreja deve ser “um corpo com muitos membros” e atuar como embaixadores de Deus para este mundo caído. 

Os verdadeiros crentes são a igreja e, como tal, devemos fazer as coisas que Jesus Cristo faria como se Ele estivesse aqui fisicamente na Terra. A igreja deve ser um grupo de crentes semelhantes a Cristo que são testemunhas Dele para as pessoas que estão perdidas. 

Em todo o Novo Testamento, vemos líderes espirituais que ensinam os outros. Isso faz parte do estilo de vida cristão; e faz parte da Grande Comissão. “Vão e façam discípulos de todas as nações… ensinando-os a obedecer tudo o que eu lhe ordenei” (Mateus 28:19-20). A igreja é uma instituição educacional, bem como um local de culto e de transformação. 

O propósito da igreja é adorar a Deus (Lucas 4:8; João 4:23), estudar Sua Palavra e lidar corretamente com a palavra da verdade (2 Timóteo 2:15), de participar da ceia do Senhor e orar (Atos 2:42), de amar uns aos outros (João 13:35), para ajudar (Gálatas 6:2), para aprender a viver vidas auto-controladas, retas e piedosas (Tito 2:11-12), e ser um testemunho da santidade de Deus para todos com quem entramos em contato, porque “assim como o Deus que os chamou é santo, vocês também devem ser santos em tudo o que fizerem.  Pois as Escrituras  dizem: “Sejam santos, porque eu sou santo” (1 Pedro 1:15-16). 

Deus nos deu pastores, para que possamos estar equipados “com o fim de preparar os santos para a obra do ministério, para que o corpo de Cristo seja edificado” (Efésios 4:12). O termo “corpo de Cristo” é outro nome para a igreja cristã. A Bíblia revela muitos aspectos do propósito da igreja e aqui estão alguns: 

Para Guardar os Ensinamentos Exatos da Igreja“Portanto, você, meu filho, fortifique-se na graça que há em Cristo Jesus. E as palavras que me ouviu dizer na presença de muitas testemunhas, confie-as a homens fiéis que sejam também capazes de ensinar outros” (2 Timóteo 2:1-2). 

Para Adorar Humildemente Deus Todo-Poderoso em Espírito e na Verdade. Isso é o que um verdadeiro adorador faz. (João 4:24) 

Para Disciplinar Crentes“Se o seu irmão pecar contra você, vá e, a sós com ele, mostre-lhe o erro. Se ele o ouvir, você ganhou seu irmão. Mas se ele não o ouvir, leve consigo mais um ou dois outros, de modo que ‘qualquer acusação seja confirmada pelo depoimento de duas ou três testemunhas’. Se ele se recusar a ouvi-los, conte à igreja; e se ele se recusar a ouvir também a igreja, trate-o como pagão ou publicano. (Mateus 18:15-17). 

Para Tornar-se Mais Como Cristo“Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo. Dele todo o corpo, ajustado e unido pelo auxílio de todas as juntas, cresce e edifica-se a si mesmo em amor, na medida em que cada parte realiza a sua função” (Efésios 4:15-16). 

Para ser Ensinado por Professores Espiritualmente Maduros“Portanto, apelo para os presbíteros que há entre vocês, e o faço na qualidade de presbítero como eles e testemunha dos sofrimentos de Cristo, como alguém que participará da glória a ser revelada: pastoreiem o rebanho de Deus que está aos seus cuidados. Olhem por ele, não por obrigação, mas de livre vontade, como Deus quer. Não façam isso por ganância, mas com o desejo de servir. Não ajam como dominadores dos que lhes foram confiados, mas como exemplos para o rebanho” (1 Pedro 5:1-3). 

“Semelhantemente, ensine as mulheres mais velhas a serem reverentes na sua maneira de viver, … mas a serem capazes de ensinar o que é bom. Assim, poderão orientar as mulheres mais jovens a amarem seus maridos e seus filhos, a serem prudentes e puras, a estarem ocupadas em casa, e a serem bondosas e sujeitas a seus maridos, a fim de que a palavra de Deus não seja difamada” (Tito 2:3-5). 

Os cristãos precisam ser diligentes em ensinar todas as crianças a amarem a Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todas as suas forças e para lhes contar sobre Deus cada chance que tiverem. Além disso, como pais, você também deve contar-lhes sobre o amor de Deus quando eles vão dormir e quando se levantam (Deuteronômio 6:5-7). 

Crianças e adultos devem estar saturados com a Santa Palavra de Deus. 

Para ser Unificado em Cristo“Não há judeu nem grego, escravo nem livre, homem nem mulher; pois todos são um em Cristo Jesus” (Gálatas 3:28). 

Para Reunir as Pessoas para Louvar seu Salvador – 1 Pedro 2:9 declara que: “Somos um povo escolhido, um reino formado por sacerdotes, uma nação santa, um povo que pertence a Deus. E o propósito de vocês é proclamar as obras maravilhosas daquele que os chamou da escuridão para a sua maravilhosa luz”. E que devemos “falar uns aos outros com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando e louvando de coração ao Senhor” (Efésios 5:19). 

A Igreja tem o Propósito“De preparar os santos para a obra do ministério, para que o corpo de Cristo seja edificado,  até que todos alcancemos a unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, e cheguemos à maturidade, atingindo a medida da plenitude de Cristo” (Efésios 4:12-13). 

Deus fornece líderes que têm a função de preparar outros para a Sua missão divina. O resultado é crescimento, maturidade e unidade, se permitimos que o processo funcione como Deus quer. 

Para resumir, a verdadeira igreja é o corpo de Cristo, santificado pela habitação do Espírito Santo. É manifestado na Terra em encontros locais do corpo de Cristo, e também é entronizado com Cristo no céu (Efésios 2:6). Pela própria nomeação de Deus, é distinta de outras instituições por ser santa e por ser exclusivamente capacitada pelo Espírito Santo para cumprir a vontade de Deus por seu papel na disciplina e encorajamento dos crentes. 

Precisamos entender que a igreja existe porque Deus quer isso para o Seu propósito agora e para a eternidade.

 

Publicado por: mvmportugues | setembro 14, 2017

ESTÁ DEUS TENTANDO OBTER SUA ATENÇÃO? – Hebreus 12:11

Nenhuma disciplina parece ser motivo de alegria no momento, mas sim de tristeza. Mais tarde, porém, produz fruto de justiça e paz para aqueles que por ela foram exercitados. (Hebreus 12:11) 

A disciplina e o castigo de Deus é um tema que todos os cristãos devem aprender, porque, mais cedo ou mais, a maioria provavelmente descobrirá o que significa ser disciplinado pelo Senhor. 

De acordo com a Bíblia, o castigo do Senhor geralmente é considerado doloroso e desagradável (Hebreus 12:11), destinado a ser uma “repreensão” para mudar o comportamento de alguém. No Antigo Testamento, os sofrimentos dos filhos de Israel, incluindo a derrota por exércitos inimigos, foram muitas vezes referidos como castigo para o pecado e a rebelião (Deuteronômio 11:2). Mas o propósito de castigar não é destruir (Salmo 118: 18), mas trazer arrependimento (Jeremias 31:18-19) e restaurar a benção de Deus (Salmo 94:12). 

O castigo não é uma coisa ruim. Embora desagradável, a disciplina é vital na vida de um verdadeiro crente que está em rebelião contra Deus e aos comandos da Bíblia. É a correção e disciplina de um Pai celestial amoroso para com os Seus filhos. Deus nos ama como pai; portanto, nosso comportamento pecaminoso torna necessário que Deus nos disciplina com dores espirituais, mentais, físicas e com perdas financeiras. A Bíblia diz: “Meu filho, não despreze a disciplina do Senhor, nem se magoe com a sua repreensão, pois o Senhor disciplina a quem ama, e castiga todo aquele a quem aceita como filho” (Hebreus 12:5-6). 

À medida que envelhecemos, reconhecemos que a disciplina de nossos pais era um meio necessário para nos manter fora de problemas; e começamos a entender que eles não nos corrigiram, porque eles gostavam, mas porque eles nos amavam. 

A Bíblia diz: “… tínhamos pais humanos que nos disciplinavam, e nós os respeitávamos. Quanto mais devemos submeter-nos ao Pai dos espíritos, para assim vivermos! 10 Nossos pais nos disciplinavam por curto período, segundo lhes parecia melhor; mas Deus nos disciplina para o nosso bem, para que participemos da sua santidade” (Hebreus 12: 9-10). 

Deus quer o melhor para nós. Por este motivo, Ele nos disciplinará se persistimos no pecado e administrará a correção se desonrarmos O seu nome e as Suas ordens que estão na Bíblia. Ele diz: “Eu corrijo e castigo todos os que amo. Portanto, levem as coisas a sério e se arrependam” (Apocalipse 3:19). 

Você pode perguntar: como é que Deus castiga Seus filhos? Este é um assunto pessoal com cada indivíduo. Muitas vezes Ele levantará a mão de benção e permitirá dificuldades, a dor física e que outros problemas ocorram, para não nos destruir, mas para humildemente nos levar de joelhos ao arrependimento. 

Algumas pessoas tendem a exibir um espírito continuamente desobediente e rebelde; portanto, essas pessoas podem ter que ser constantemente castigadas com perdas e às vezes dor crônica para evitar que arruinem suas vidas e causem mais desonra ao nosso Santo Deus. 

Quando o castigo vier, será acompanhado pela convicção de nosso pecado e rebelião. Deus nos convida a chegar a Ele com arrependimento e humildade, para que Ele possa restaurar Suas bênçãos. Como está sabiamente escrito: “Quem tenta esconder os seus pecados não terá sucesso na vida, mas Deus tem misericórdia de quem confessa os seus pecados e os abandona” (Provérbios 28:13). 

Deus está tentando chamar sua atenção? Quanta dor e perda você terá que suportar até que você abandone totalmente seu espírito desobediente a Ele e comece a obedecer Sua Santa Palavra? 

Quando começamos a vagar do caminho que Deus estabeleceu para nós, Ele tomará todos os tipos de passos para captar nossa atenção e nos proteger de danos. Ele tem uma variedade de maneiras de nos ajudar a prestar atenção, e aqui estão algumas delas: 

Um Espírito Agitado – Às vezes, Deus capta nossa atenção, deixando-nos inquietos – Provérbios 15:16 nos diz: “É melhor ser pobre e temer a Deus, o Senhor, do que ser rico e infeliz.” Se você sente inquietação e as coisas não estão indo certo, então pare e ore: “Senhor, você está tentando me dizer algo?” 

Convicção que Vem Diretamente da Bíblia – Deus chama nossa atenção quando lemos atentamente a Bíblia porque ela é nosso guia e modelo para viver uma vida de paz, liberdade e vitória. Devemos ser sensíveis ao Espírito Santo quando lemos a Bíblia, para que Ele possa nos guiar quando queremos ser mais como Cristo. 

Uma Palavra Falada – Deus também capta nossa atenção usando palavras de outros. O Senhor deu uma mensagem ao jovem Samuel para o velho sacerdote, Eli, através deste método (1 Samuel 3:4-18). Se várias pessoas em um curto espaço de tempo começam a dizer a mesma coisa, então pergunte ao Senhor se Ele está tentando falar algo para você através deles.

Ou de Uma Maneira Incomum – Deus pode chamar nossa atenção de uma série de maneiras muito incomuns, dependendo da gravidade de nossa teimosia e da pessoa excessivamente auto-suficiente que possamos ser. 

Mas lembre-se que não importa qual método que Ele usa, Deus está tentando chamar nossa atenção porque Ele nos ama. 

O Pai sempre sabe exatamente onde estamos em nossa jornada de fé e precisamente o que é necessário para chamar nossa atenção. Então fique atento e quando as coisas começam a acontecer, pergunte o que Ele está tentando dizer, e então ouça … e não apenas escute, mas obedeça. E não seja como Isaías falou no capítulo 29:13, onde:  O Senhor diz: “Esse povo se aproxima de mim com a boca e me honra com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. A adoração que me prestam é feita só de regras ensinadas por homens.

Older Posts »

Categorias