Publicado por: mvmportugues | novembro 14, 2019

COMO PREPARAR-SE PARA CONDUZIR UMA PESSOA A CRISTO – João 1:40-42

“André, irmão de Simão Pedro, era um dos dois que tinham ouvido o que João dissera e que haviam seguido Jesus. O primeiro que ele encontrou foi Simão, seu irmão, e lhe disse: “Achamos o Messias” (que, traduzido, é o Cristo). E o levou a Jesus. Jesus olhou para ele e disse: “Você é Simão, filho de João. Será chamado Cefas” (que quer dizer Pedro). João 1:40-42

Não podemos enfatizar demais a grande necessidade que existe hoje em dia de cristãos estarem preparados para levar outros a um conhecimento e experiência pessoal com o Senhor Jesus Cristo.

Todo verdadeiro cristão nascido de novo não deve apenas ter a garantia absoluta de sua própria salvação, mas deve saber como levar outros a essa garantia. Não há tarefa maior do que essa.

No entanto, existem três requisitos importantes antes que alguém possa levar com êxito uma alma a Cristo.

Aquele que está ensinando tem que ser totalmente rendido, purificado e viver uma vida cheia do Espírito (Romanos 6:12-13). Como Paulo diz ao jovem Timóteo “O Senhor conhece quem pertence a Ele” e “Todos que pertencem ao Senhor devem se afastar do mal.” (2 Timóteo 2:19). E que “não se embriaguem com vinho, que leva à libertinagem, mas deixem-se encher pelo Espírito, …dando graças constantemente a Deus Pai por todas as coisas, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo. Sujeitem-se uns aos outros, por temor a Cristo” (Efésios 5:18, 20-21). É o verdadeiro crente nascido de novo que está totalmente à disposição do Senhor, capacitado por Ele, a quem o Senhor usa. 

Precisamos ter total confiança no Espírito Santo. Somente quando experimentamos Sua restrição e direção em nossa vida, seremos usados ​​como ganhadores de almas. Não podemos fazer esse trabalho, se nos falta sabedoria (Tiago 1:5); discernimento (Provérbios 11:30), e devemos permanecer na videira (João 15:5) e ser cheios do Espírito Santo.

Temos que ter um conhecimento prático das Escrituras; e ser sempre capaz de apontar alguém para a Palavra de Deus e mostrar o que as Escrituras dizem. Para fazer isso, precisamos conhecer nossa Bíblia e onde encontrar as referências. 

Muitos cristãos não sabem como levar uma alma a Cristo. Você sabe? Você poderia usar sua Bíblia para apontar um pecador para o Salvador, revelando o caminho de salvação de Deus mostrando as referências necessárias nas escrituras? 

Se sua resposta for não, mas você gostaria de saber como, pergunte a Ele, porque a Bíblia nos diz: “Peçam, e lhes será dado; busquem, e encontrarão; batam, e a porta lhes será aberta” (Mateus 7:7). 

Ganhar almas é a maior obra do mundo e, se estivermos dispostos, devemos saber como fazê-lo, conforme lemos em Atos 8:29-39, onde Filipe leva o eunuco à salvação. E em Atos 16:25-34, onde Paulo e Silas conduzem o carcereiro e toda a sua família ao Senhor. 

Você está pronto para se apresentar aprovado a Deus, como obreiro que não tem do que se envergonhar e que maneja corretamente a palavra da verdade? Então, estude e mostre-se digno, peça ao Senhor que lhe dê o desejo e o conhecimento de estar totalmente preparado, para que você possa fazer o que André, Filipe, Paulo e Silas fizeram. 

Lembre-se de que todos os casos são diferentes, mas precisamos estar preparados e orar sem cessar, para que o Senhor da colheita envie trabalhadores para Sua colheita; lembrando o que Paulo disse: Eu plantei, Apolo regou, mas Deus é quem fez crescer; de modo que nem o que planta nem o que rega são alguma coisa, mas unicamente Deus, que efetua o crescimento. O que planta e o que rega têm um só propósito, e cada um será recompensado de acordo com o seu próprio trabalho. Pois nós somos cooperadores de Deus; vocês são lavoura de Deus e edifício de Deus (1 Coríntios 3:6-9). 

Aqui estão alguns passos e versículos da Bíblia para memorizar se você tem um fardo pelos perdidos: 

Primeiro mostre a NECESSIDADE da salvação. Explique a uma pessoa perdida, que está disposta a ouvir, que por natureza somos todos pecadores (Eclesiastes 7:20; Isaías 53: 6; Romanos 3:23); que nosso pecado trouxe a morte (Romanos 5:12; Romanos 6:23; Efésios 2:1-2) e a separação de Deus. Trouxe o julgamento de Deus (João 3:18); e é por isso que precisamos de um Salvador. 

É aqui que devemos começar, porque ninguém quer vir a Cristo até que esteja consciente de sua necessidade e desejo em sua alma. 

Então, precisamos mostrar que NÃO PODEMOS NOS SALVAR. Se quisermos ser salvos, alguém fora de nós deve fazer isso por nós! 

Precisamos enfatizar essas verdades, conforme declarado em: 

  • Efésios 2:8-10, Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus; não por obras, para que ninguém se glorie. Porque somos criação de Deus realizada em Cristo Jesus para fazermos boas obras, as quais Deus preparou antes para nós as praticarmos. 
  • E em Tito 3:5-7, Ele nos salvou porque teve compaixão de nós, e não porque nós tivéssemos feito alguma coisa boa. Ele nos salvou por meio do Espírito Santo, que nos lavou, fazendo com que nascêssemos de novo e dando-nos uma nova vida. Deus derramou com generosidade o seu Espírito Santo sobre nós, por meio de Jesus Cristo, o nosso Salvador. E fez isso para que, pela sua graça, nós sejamos aceitos por Deus e recebamos a vida eterna que esperamos. 

Precisamos explicar que o Senhor Jesus morreu na cruz POR NOSSOS PECADOS, e que Ele vive PARA SALVAR todos os que vêm a Deus por Ele. 

Essa verdade é esclarecida abundantemente em versículos como Isaías 53:5-6; João 1:29; 2 Coríntios 5:21; 1 Pedro 2:24 e Hebreus 7:25. 

Precisamos mostrar aos que estão procurando, que o Senhor Jesus é capaz e está disposto a perdoar (Marcos 2:10; Atos 13: 38-39); purificar (1 João 1: 9); e transmitir vida eterna (João 5:40; João 10:10; 1 João 5:10-12). 

Que o caminho a ser salvo é CRER NO Senhor Jesus Cristo, e devemos reforçar a sua crença, apontando-os para versos como João 3:36; João 5:24; e João 1:12. E que não devemos ter vergonha do evangelho, pois ele é o poder de Deus para salvar todos os que creem, primeiro os judeus e também os não judeus (Romanos 1:16). 

Explique que a garantia da salvação não depende de SENTIMENTOS, mas do QUE DEUS DIZ. Se você vier a Jesus, Ele o receberá porque assim diz (João 6:37); se você pedir a Deus para te salvar, Ele o fará, porque Ele o promete (Romanos 10:13); se você pedir ao Senhor Jesus que entre em seu ser, Ele o fará porque Ele diz que o fará (Apocalipse 3:20). 

A CONFISSÃO ABERTA deve seguir depois de crer no Senhor Jesus Cristo. Mateus 10:32-33 e Romanos 10:9-10 são duas referências principais que enfatizam a importância disso. 

E por último, lembre-se deste versículo precioso: Toda a glória seja dada àquele que é o único Deus, nosso Salvador, através de Jesus Cristo, nosso Senhor, ao qual pertence a glória, a majestade, o poder e a autoridade, desde sempre, agora e por toda a eternidade. Amém! (Judas 25-26). 

Após muita oração e preparação liderada pelo Espírito Santo, sublinhe todas as referências acima em sua Bíblia; estude-as, certifique-se de entendê-las; memorize-as ou saiba rapidamente onde encontrá-las em sua Bíblia! 

Uma vez pronto, saia,“procurando apresentar-se a Deus aprovado, como obreiro que não tem do que se envergonhar e que maneja corretamente a palavra da verdade” (2 Timóteo 2:15).

*******

Publicado por: mvmportugues | novembro 7, 2019

O SEMEADOR E OS DIFERENTES TIPOS DE SOLOS – Lucas 8:4-15

Jesus lhes falou muitas coisas em parábolas, dizendo: “O semeador saiu a semear. Enquanto lançava a semente, parte dela caiu à beira do caminho; foi pisada, e as aves do céu a comeram. Parte dela caiu sobre pedras e, quando germinou, as plantas secaram, porque não havia umidade. Outra parte caiu entre espinhos, que cresceram com ela e sufocaram as plantas. Outra ainda caiu em boa terra. Cresceu e deu boa colheita, a cem por um.” Tendo dito isso, exclamou: “Aquele que tem ouvidos para ouvir, ouça!” (Lucas 8:5-8)

A primeira coisa a notar é que Jesus estava ensinando sobre um assunto que era muito familiar ao povo judeu. Nos tempos antigos, as pessoas passavam pelo campo, caminhando ou montando em um animal por todos os lugares aonde passavam, e tinham que passar por campos que estavam sendo preparados para produzir uma colheita. Essas áreas se tornaram os caminhos que as pessoas costumavam usar para ir ao seu destino.

 

Os historiadores nos dizem que os caminhos normalmente tinham apenas um metro ou um poco mais de largura, de modo que não era desperdiçada uma quantidade excessiva de terra nestas veredas. Como resultado, os caminhos se tornaram duros, espancado pelo sol, pelo vento, pelos cascos de animais e pelos pés de pessoas que andavam por eles todos os dias, dificultando muito a semente de ter a oportunidade de penetrar no solo e crescer.

Como vemos na parábola de Jesus, as sementes que caíram nesses caminhos permanecem ali até que os pássaros viessem e os comessem.

Depois Jesus fala da semente que caiu em lugares rochosos onde elas não tinham muito solo. O que isso significa não é que houvesse pedras no solo. Quando um fazendeiro arava um campo, ele lavrava as pedras tão fundo quanto o arado, e ele tirava todas as pedras; mas em Israel há grandes placas de pedra calcária que ficam embaixo da superfície e por onde o arado não podia alcançar. Assim, o fazendeiro fez o possível para arar o campo e não sabia o que havia além do que havia preparado. Isto é o que Jesus chamou de solo rochoso.

Portanto, quando a semente caía sobre esse tipo de solo, ela criava raízes e brotava rapidamente como qualquer outra semente. O problema é que, por causa do leito rochoso abaixo, as raízes não alcançavam a água de que uma planta precisa. Assim, à medida que cresciam e o sol quente surgia, a planta secava e morria porque precisava de umidade e não conseguia obtê-la.

O terceiro tipo de solo é aquele em que a semente caiu entre as ervas daninhas. Precisamos entender que o agricultor preparou esse solo com muito cuidado; no entanto, as ervas daninhas que haviam crescido lá antes deixaram suas sementes para trás. Uma vez que o agricultor semeou seu campo, o sol apareceu e as ervas daninhas começaram a crescer em um ritmo muito mais rápido do que as boas sementes. Elas sugaram toda a umidade e os nutrientes que estão no solo, não deixando nada para a planta frágil que estava tentando crescer. As plantas daninhas cresceram muito mais rápido e lançaram sombras sobre as boas sementes, para que o sol não pudesse atingi-las e elas finalmente morreram.

Agora, as últimas sementes sobre as quais Jesus fala caíram no solo bom, e não tiveram nenhuma interferência. Esse solo é profundo, rico e limpo. Dependendo da quantidade de nutrientes e o tamanho do campo, as sementes produziram uma colheita de trinta, sessenta a cem vezes.

Então Jesus termina a parábola dizendo: “Aquele que tem ouvidos para ouvir, ouça!”

Depois, quando Ele estava sozinho, Seus discípulos perguntaram a Ele o que essa parábola significava e Ele disse: “A vocês foi dado o conhecimento dos mistérios do Reino de Deus, mas aos outros falo por parábolas, para que vendo, não vejam; e ouvindo, não entendam.” (Lucas 8:9-10)

Deus é quem revela verdades espirituais para aqueles que estão dispostos a aceitá-las; no entanto, aqueles que não querem aprender não entenderão. Quão abençoados são aqueles que compreendem as parábolas de Jesus; porque eles não apenas obtêm o benefício da verdade espiritual ilustrada; eles também expõem uma sensibilidade ao Espírito Santo.

“Este é o significado da parábola: A semente é a palavra de Deus.” Cada conversão verdadeira é o resultado de plantar o evangelho dentro de um coração puro. A palavra gera (Tiago 1:18), salva (Tiago 1:21), regenera (1 Pedro 1:23), liberta (João 8:32), produz fé (Romanos 10:17), santifica (João 17:17) e nos atrai a Deus (João 6:44-45). Os solos são as pessoas diferentes; e o coração humano é quem toma a decisão sobre a mensagem.

As que caíram à beira do caminho são os que ouvem, e então vem o Diabo e tira a palavra do seu coração, para que não creiam e não sejam salvos. Representando aqueles que ouvem a verdade, mas como os caminhos endurecidos, eles não a deixam penetrar e, em pouco tempo, Satanás tira a verdade. Se as pessoas não receberem e responderem à palavra com fé, sua oportunidade será roubada pelo maligno. Jesus chamou as pessoas a se arrependerem e realmente começarem a viver; eles se rebelaram e se recusaram a ouvir Suas advertências; “eles se recusaram a ouvir – então eles não puderam ouvir”, porque seus corações e consciência estavam endurecidos e cauterizados.

Precisamos entender que uma das principais obras de Satanás é manter os homens nas trevas com relação ao entendimento do evangelho, como 2 Coríntios 4:4 nos diz: “O deus desta era cegou o entendimento dos descrentes, para que não vejam a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus.”

Aparentemente, Satanás está trabalhando durante o ensino e a pregação da palavra de Deus. Satanás sabe que, quando a palavra é ensinada ou pregada, ele precisa estar ocupado fazendo tudo para distrair e manter a pessoa longe da verdade da Palavra de Deus.

Jesus continua explicando a parábola para eles. “As que caíram sobre as pedras são os que recebem a palavra com alegria quando a ouvem, mas não têm raiz. Crêem durante algum tempo, mas desistem na hora da provação.”

O solo pedregoso retrata uma pessoa que professa prazer com a Palavra; no entanto, seu coração não muda e, quando surgem problemas, sua “chamada fé” desaparece rapidamente. O sol é simbólico das tribulações e provações que enfrentamos na vida, e aqueles que não têm profundidade e a necessária confiança na palavra de Deus, murcham facilmente.

Eles estavam externamente entusiasmados com Jesus, mas interiormente não levam o compromisso a sério. Infelizmente, existem muitas dessas pessoas nas igrejas.

“As que caíram entre espinhos são os que ouvem, mas, ao seguirem seu caminho, são sufocados pelas preocupações, pelas riquezas e pelos prazeres desta vida, e não amadurecem.”

A terra espinhosa mostra alguém que parece receber a Palavra, mas cujo coração está cheio de riquezas, prazeres e concupiscências; as coisas deste mundo desviam seu tempo e atenção da Palavra e acabam não tendo tempo para ler-las, e assim, são sufocadas pelo mundo. A pessoa permanece no emaranhado de problemas e cuidados da vida. Essas pessoas dão mais importância ao mundo do que as palavras que poderiam lhes dar vida eterna, porque elas teriam que desistir demais das coisas do mundo para assumir um compromisso com Cristo.

“Mas as que caíram em boa terra são os que, com coração bom e generoso, ouvem a palavra, a retêm e dão fruto, com perseverança.”

A boa terra retrata quem ouve, entende e recebe a Palavra; e depois permite que a Palavra realize seu resultado em sua vida. Seus corações recebem a mensagem com fé, e a semente cria raízes. A pessoa representada pela “boa terra” é a única das quatro que é verdadeiramente salva, porque a prova da salvação é por seus frutos (Mateus 7:15-20).

Para eles, as verdadeiras riquezas estão no reino de Deus, pois são eternas, enquanto as riquezas deste mundo são perecíveis e podem ser facilmente roubadas.

Lembre-se de que a recepção da Palavra de Deus por uma pessoa é determinada pela condição de seu coração, representada pelo solo. E como a semente que cai em bom solo, nossa responsabilidade é de crescer em conhecimento das escrituras, bondade, paciência e amor divino, produzindo frutos saudáveis e bons.

Portanto, como o Semeador-Jesus Cristo, temos a responsabilidade de proclamar a mensagem do reino, o evangelho, para o mundo, que representa a semente. Devemos compartilhar Sua Palavra e Seu amor, com uma atitude de serviço humilde e piedoso. E o mais importante, é que temos a responsabilidade de crescer na imagem perfeita de nosso Salvador, Jesus Cristo, lembrando-nos de buscar a paz com todas as pessoas e a santidade, sem a qual ninguém verá o Senhor. (Hebreus 12:14)

Que a nossa fé e a nossa vida exemplifiquem o “bom solo” ensinado nesta parábola.

*******

Publicado por: mvmportugues | outubro 24, 2019

COMPREENDENDO AS PROFECIAS BÍBLICAS NO SÉCULO XXI – Daniel 12:4

“Mas você, Daniel, mantenha esta profecia em segredo; sele o livro até o tempo do fim, quando muitos correrão de um lado para o outro e o conhecimento aumentará.” (Daniel 12:4)

Os livros de Daniel e Apocalipse contêm a descrição mais detalhada da profecia do fim dos tempos de qualquer livro da Bíblia.

A revelação do fim dos tempos dada a Daniel por Deus através de e anjo é registrada nos capítulos 10 e 11; culminando no último capítulo de seus escritos.

O livro de Daniel foi escrito aproximadamente entre os anos de 540 e 530 a.C.

Em comparação, a revelação de Jesus Cristo foi dada ao apóstolo João por Deus, enviando seu anjo a Seu servo durante sua prisão na ilha de Patmos “a seus servos os acontecimentos que ocorrerão em breve.”

Estima-se que o livro do Apocalipse tenha sido escrito entre 90 e 95 d.C.

Consequentemente, vemos que o intervalo entre os dois escritos está entre 620 e 635 anos. E as diferenças que vemos é que o anjo diz a Daniel, mantenha esta profecia em segredo; sele o livro até o tempo do fim. Enquanto no livro de Apocalipse o anjo diz a João, não lacre com um selo as palavras proféticas deste livro, porque o tempo está próximo (Apocalipse 22:10).

Quando o anjo diz a Daniel para selar o livro até o tempo do fim, Daniel fica perplexo como ele declara nos versículos 8-10, Ouvi o que ele disse, mas não entendi o significado. Por isso, perguntei: “Meu senhor, como estas coisas terminarão?” Ele respondeu: “Agora vá, Daniel, pois aquilo que eu disse será mantido em segredo e selado até o tempo do fim. Muitos serão purificados, limpos e refinados por essas provações. Os perversos, porém, continuarão em sua perversidade, e nenhum deles entenderá. Somente os sábios compreenderão seu significado.”

As profecias de Daniel não foram realmente seladas para não serem lidas, mas como elas não puderam ser interpretadas até o momento em que sucederiam, elas não seriam entendidas.

Sim, Daniel registrou profecias surpreendentes; somente o capítulo 11 contém mais de cem profecias específicas de eventos históricos que se realizaram literalmente, e somente agora aqueles que são sábios entendem e podem ler o que Daniel registrou obedientemente, mas mesmo para Daniel elas foram “fechadas e seladas”.

Muitos correrão de um lado para o outro – Daniel não poderia ter imaginado nossa sociedade atual, com carros velozes por todo o país e aviões enchendo nossos céus! Em muito pouco tempo, o mundo avançou de cavalos e charretes para naves espaciais, e quase todo mundo está correndo de um lado para o outro.

E o conhecimento aumentará – Daniel profetizou que haveria um aumento no conhecimento. Não apenas a ciência e a tecnologia da informação aumentarão, mas o conhecimento bíblico e profético será muito melhor compreendido com todas as informações históricas e técnicas que temos hoje e com as contínuas descobertas de sítios arqueológicos, comprovando a credibilidade da Bíblia.

Imagine uma pessoa lendo Apocalipse 13:15-17, há setenta ou oitenta anos atrás, o que deve ter passado por sua mente?  “O segundo animal recebeu poder para dar fôlego à imagem da primeira besta, de modo que ela podia falar e fazer que fossem mortos todos os que se recusassem a adorar a imagem. Também obrigou todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos, a receberem certa marca na mão direita ou na testa, para que ninguém pudesse comprar nem vender, a não ser quem tivesse a marca, que é o nome da besta ou o número do seu nome.”

Nossa geração, por outro lado, entende perfeitamente como isso pode acontecer, porque hoje temos hologramas que projetam uma imagem de uma pessoa a milhares de quilômetros de distância, tão real que você acha que ela está ali, enquanto você a observa falar.

Hoje, temos a tecnologia de implantes de bio-chip, a identificação por radiofrequência (RFID), que é uma forma de rastreamento de pessoas e identificação, e estamos vivemos em uma sociedade de quase vigilância total. Tudo está sendo feito através do comércio eletrônico e, em breve, você não poderá funcionar sem ter ainda mais tecnologia obrigatória de inteligência artificial.

Quem estuda profecia percebe que o inimigo está trabalhando muito astutamente, porque ele sabe que seu tempo está curto; assim como Deus está dizendo a Daniel que, quanto mais próximo estivermos do tempo do cumprimento dos eventos proféticos dados a ele, mais claros serão os detalhes.

Como poderíamos ter entendido algumas das profecias sobre a restauração de Israel até que elas realmente se cumprissem?

Nós temos que entender que as profecias de Deus sucedem como lemos em um outro exemplo, onde Deus disse a Ezequiel que: “Eu os tirarei do meio dos povos e das nações e os trarei de volta para a sua própria terra” (Ezequiel 34:13). O profeta disse que Deus reuniria o povo de Israel espalhado por todo o mundo e os traria de volta para “sua própria terra.” Portanto, tal como a Bíblia predicou, depois que milhares de anos de ser dispersado o povo judaico pode voltar para sua própria terra, porque no dia 14 de Maio de 1948, em Tel Aviv, David Ben-Gurion proclamou o estado do Israel, estabelecendo o primeiro estado judaico em 2,000 anos. 

Como vemos, o conhecimento realmente aumentou e continua em um ritmo alarmante e a Internet nos fornece uma quantidade incrível de informações que podemos acessar basicamente de qualquer lugar do mundo.

Consequentemente, devido a desenvolvimentos históricos como o restabelecimento do estado de Israel e desenvolvimentos tecnológicos como computadores e Internet, agora entendemos muito melhor as profecias do fim dos tempos.

Deus está abrindo as mentes daqueles que são sábios e procuram, e agora eles entendem coisas que nenhuma geração jamais havia entendido antes. Isso deve nos alertar que estamos vivendo muito perto dos últimos dias.

Portanto, o aumento explosivo da ciência e as viagens rápidas em nossos dias são um dos muitos sinais dados por Deus de que o retorno de Cristo está próximo! A questão crucial é: “Você está pronto para a volta do Senhor?” Esperamos que sim! Caso contrário, esperamos que você leia a INFORMAÇÃO SOBRE A SALVAÇÃO e se abstenha da tragédia de uma eternidade no inferno.

*******

Não faço mais as coisas que fazia antes de ser salvo, porque renasci como uma criatura completamente nova. Portanto, se alguém está em Cristo, é nova criação. As coisas antigas já passaram; eis que surgiram coisas novas! (2 Coríntios 5:17).

Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. A vida que agora vivo no corpo, vivo-a pela fé no filho de Deus, que me amou e se entregou por mim. (Gálatas 2:20)

A vida cristã é de morte para si mesmo e de ascensão para andar uma vida nova. Como Paulo disse: Portanto, fomos sepultados com ele na morte por meio do batismo, a fim de que, assim como Cristo foi ressuscitado dos mortos mediante a glória do Pai, também nós vivamos uma vida nova (Romanos 6:4).

A nova vida é caracterizada por pensamentos sobre Ele, que me salvou e fortalece a nova natureza, alimentando-me continuamente da Palavra de Deus, e através da oração clamo por Seu poder de “não permitir que o pecado continue dominando o (meu) corpo mortal, fazendo que (eu) obedeça aos seus maus desejos” (Romanos 6:12).

Ao ler a Bíblia, descobri que conhecerei a verdade, e a verdade me libertará.” (João 8:32)

E que se o Filho te libertar, você realmente será livre.” (João 8:36)

Portanto, foi para a liberdade que Cristo nos libertou. Portanto, permaneçam firmes e não se deixem submeter novamente a um jugo de escravidão. (Gálatas 5:1)

Minha vida de liberdade em Cristo não é a liberdade de fazer o que eu quero fazer, mas de ter o poder ininterrupto e sustentador do Espírito, enquanto descanso na obra consumada de Cristo (Romanos 8:3-4).

Deus dá aos verdadeiros cristãos novos desejos, como o salmista escreveu: “Deleite-se no Senhor, e ele lhes dará os desejos do seu coração” (Salmo 37:4).

A humanidade, no entanto, precisa entender que o dom de Deus de renascimento não é alcançado através do esforço ou mérito humano, mas vem somente da misericórdia de Deus. Tito 3:5-7 nos diz que Ele nos salvou, não por causa de atos de justiça por nós praticados, mas devido à sua misericórdia, ele nos salvou pelo lavar regenerador e renovador do Espírito Santo, que ele derramou sobre nós generosamente, por meio de Jesus Cristo, nosso Salvador. Ele o fez a fim de que, justificados por sua graça, nos tornemos seus herdeiros, tendo a esperança da vida eterna.

O novo nascimento aconteceu quando reconheci que toda a espécie humana nasceu com uma natureza pecaminosa, pois todos pecaram e carecem da glória de Deus (Romanos 3:23) e que a penalidade por esse pecado é a morte (Romanos 6:23). Por causa do nosso pecado, não podemos conhecer e experimentar o amor de Deus e estamos espiritualmente separados Dele.

Para remediar a situação, Deus enviou Seu Filho único para morrer em nosso lugar; e tomar a penalidade pelo nosso pecado (Romanos 5:8). Após a morte de Jesus, Ele ressuscitou dos mortos (1 Coríntios 15:3-6); e depois de quarenta dias, Ele subiu ao céu (Atos 1:9-11), onde está sentado à direita do Pai, intercedendo por nós (Romanos 8:34, Efésios 1:20).

Jesus é o nosso único caminho para Deus (João 14:6) e Ele nos dá o presente da salvação. Você pode receber o dom de Deus através da fé (Efésios 2:8-9) e experimentar um novo nascimento (João 3:1-8).

Nascer de novo não é realizado ou alcançado por cerimônia religiosa ou rito tradicional. A Bíblia afirma “que Deus não trata as pessoas com parcialidade, mas de todas as nações aceita todo aquele que O teme e faz o que é justo” (Atos 10: 34-35). Portanto, nascer de novo é uma escolha pessoal, disponível a todos. Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna (João 3:16).

Receber Jesus significa confiar que Ele entrará em sua vida para perdoar seus pecados e fazer de você a nova pessoa que Ele deseja que você seja.

Que o Deus da esperança os encha de toda alegria e paz, por sua confiança nele, para que vocês transbordem de esperança, pelo poder do Espírito Santo (Romanos 15:13).

*******

Publicado por: mvmportugues | outubro 10, 2019

O QUE É O PECADO IMPERDOÁVEL? – Mateus 12:31-32

Jesus Cristo chamou o Espírito Santo de “Espírito da Verdade” (João 14:17; 15:26; 16:13) e nos advertiu: “Todo pecado e blasfêmia serão perdoados aos homens, mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada. Todo aquele que disser uma palavra contra o Filho do homem será perdoado, mas quem falar contra o Espírito Santo não será perdoado, nem nesta era nem na que há de vir” (Mateus 12:31-32). 

Como vemos, há um pecado que uma pessoa pode cometer, pelo qual não há perdão ou indulto nesta era ou na era futura; que é blasfemar contra o Espírito Santo. 

“Blasfêmia contra o Espírito Santo” é uma oposição consciente e endurecida à verdade, “porque o Espírito é a verdade” (1 João 5:6). É um desrespeito desafiador, além de ser uma forte resistência à verdade, afastando a pessoa da humildade e do arrependimento; e sem arrependimento não pode haver perdão. É por isso que o pecado de blasfêmia contra o Espírito não pode ser perdoado, pois a pessoa que não reconhece seu pecado não procura ser perdoado. 

Em (Mateus 12:22-32), os culpados, foram um grupo de fariseus, que haviam testemunhado evidências irrefutáveis ​​de que Jesus estava operando milagres no poder do Espírito Santo, mas alegavam que Ele estava possuído pelo príncipe dos demônios, Belzebu (Mateus 12:24; Marcos 3:22). 

Não se tratava apenas de uma palavra repentina e sem pensar ou de uma reação instantânea; suas palavras representavam uma atitude endurecida e um coração amargurado e impenitente. Se seguirmos as referências a esses escribas ao longo do livro de Marcos, veremos que há uma progressão para a descrença deles. Eles estavam inicialmente curiosos sobre Jesus e Seu ministério. Então eles tiveram perguntas. Com o tempo, ficaram indiferentes; mas então a indiferença deles se transformou em uma atitude de ódio que se tornou tão odiosa e vingativa que acabou pregando Jesus Cristo na cruz. 

Quando Deus convence uma pessoa de pecado e a apresenta ao evangelho, é perigoso negligenciá-lo, especialmente se a procrastinação se tornar crônica. Quando a resistência à palavra de Deus se torna um hábito, depois de um tempo, uma pessoa pode se tornar tão insensível e endurecida pelo pecado que sua alma se torna imperceptível. 

Quando isso acontece, os ouvidos da pessoa não podem receber a verdade e suas mentes abalam a convicção do Espírito. Embora a graça de Deus neste momento ainda esteja disponível para eles, a pessoa continua se afastando dela. 

Enquanto lemos, os escribas “mestres da lei” se tornaram desafiadores da verdade por causa da atitude de seus próprios corações maus. Isso é trágico, porque os escribas haviam dedicado suas vidas a copiar a Palavra de Deus. Esses homens haviam copiado e re-copiado o Antigo Testamento. Eles conheciam Miquéias 5 e a profecia do nascimento de nosso Senhor. No entanto, seus corações ficaram tão endurecidos que não puderam receber Jesus Cristo, seu Messias quando Ele chegou. 

O objetivo original dos escribas era conhecer e preservar a Lei e incentivar outros a mantê-la. Mas as coisas se tornaram terrivelmente erradas quando tradições feitas pelo homem ofuscaram a Palavra de Deus e uma pretensão de santidade substituiu uma vida de verdadeira piedade. Os escribas, cujo objetivo declarado era preservar a Palavra, na verdade a anulavam pelas tradições que transmitiam (Marcos 7:13). 

No final do ministério de Jesus, Ele condenou completamente os escribas por sua hipocrisia (Mateus 23). E como Jesus disse, eles conheciam a Lei e a ensinavam a outros, mas não a obedeciam. 

Ao creditar os milagres de Jesus a Satanás, os líderes religiosos estavam negando a divindade de Jesus Cristo. Eles estavam dizendo que Ele não poderia ser Deus. No entanto, por Seus milagres, Ele estava mostrando ser o Filho de Deus; e somente o Messias esperado poderia ter feito o que Ele havia feito. 

Portanto, quando alguém se recusa a aceitar o ministério do Espírito Santo ou atribui Seu ministério a Satanás, renuncia à oportunidade final de ser salvo. Uma pessoa deve crer em Jesus como o Filho de Deus e precisa aceitar o testemunho do Espírito Santo e agir de acordo com a convicção que Ele traz. 

Consequentemente, o pecado imperdoável é o endurecimento do coração contra Deus e a recusa repetida de responder ao seu apelo à alma. Continuando a resistir e a rejeitar o Senhor, uma pessoa constrói calos em sua alma até que a convicção do Espírito de Deus não mais se registre em seu coração. Durante um período de tempo, ela se endurece como os escribas e fariseus. A pessoa ouve a Palavra de Deus, mas ela não causa nenhum impacto nela. Se ela morrer nessa condição, não haverá mais perdão disponível. Para aqueles que rejeitam Jesus Cristo, não há perdão em nenhum outro lugar, a qualquer hora, neste mundo ou no outro. Jesus morreu por nós, e se alguém O rejeita, seu destino está estabelecido. 

Tenha certeza de que Deus não nega a salvação de um pecador arrependido que vem a Ele para perdão pela fé em Seu Filho. A única coisa que torna o pecado imperdoável é um coração duro e impenitente que rejeita o Filho de Deus e, portanto, claramente é imperdoável, porque o Espírito Santo não habita naqueles que se recusam a aceitar Jesus Cristo como seu Salvador e torná-Lo o Senhor de sua vida. 

Lembre-se que a religião não pode salvá-lo, porque para entrar no reino eterno de Deus, você precisa do novo nascimento pelo Espírito Santo. 

Aqueles que pensam que a religião salva, se enganam ao pensar que seus rituais e regras exteriores impressionarão a Deus, enquanto ao mesmo tempo eles evitam tratar com o pecado que está nos seus corações. Mas, é claro, Deus vê através de tudo isso. Ele requer “verdade no íntimo” (Salmo 51:6). Portanto, a religião não pode dar acesso a ninguém ao céu, porque trata apenas de assuntos externos. Nenhuma quantidade de manutenção de regras ou adesão a rituais religiosos pode reconciliar um pecador com o Deus Santo. 

Toda a religião do mundo não pode resolver nosso problema básico de ser alienado de Deus, porque a religião é baseada em obras humanas que se originam da carne e alimentam nosso orgulho. Para estarmos sujeitos ao Rei, precisamos do novo nascimento que nos dê uma nova natureza que se deleite de coração na obediência a Deus (Romanos 6: 17-18). Precisamos de uma transformação radical, não apenas de algumas modificações de comportamento. Precisamos de algo que o homem natural não pode produzir. Precisamos de nada menos do que renascer do alto. 

Portanto, se o Espírito Santo está convencendo você, lembre-se das palavras de Jesus: “Eu lhes digo: Quem me confessar diante dos homens, também o Filho do homem o confessará diante dos anjos de Deus. Mas aquele que me negar diante dos homens será negado diante dos anjos de Deus. Todo aquele que disser uma palavra contra o Filho do homem será perdoado, mas quem blasfemar contra o Espírito Santo não será perdoado.” (Lucas 12:8-10)

*******

 

Publicado por: mvmportugues | outubro 3, 2019

O QUE A BÍBLIA NOS DIZ SOBRE O CÉU – João 14:2-3

Para o crente, o céu é um lugar real descrito na Bíblia e aparece nas Escrituras mais de quinhentas vezes.

Jesus disse: Na casa do meu Pai há muitos quartos, e eu vou preparar um lugar para vocês. Se não fosse assim, eu já lhes teria dito. E, depois que eu for e preparar um lugar para vocês, voltarei e os levarei comigo para que onde eu estiver vocês estejam também (João 14:2-3). Cristo escolheu termos físicos familiares (casa, quartos) para descrever esse local. Ele nos deu algo tangível pelo qual esperar, um lar eterno, onde viveremos com Ele para sempre.

O apóstolo João teve o privilégio de ver e escrever sobre a cidade celestial (Apocalipse 21:10-27), onde todos os verdadeiros crentes viverão um dia; e onde João testemunhou a “glória de Deus” (Apocalipse 21:11), a própria presença de onde Deus reina.

Porém, precisamos entender que, por mais eloqüente que João foi em sua descrição do céu, a realidade do céu está além da capacidade do homem finito de compreender. Paulo escreveu em 1 Coríntios 2:9: “O que ninguém nunca viu nem ouviu, e o que jamais alguém pensou que podia acontecer, foi isso o que Deus preparou para aqueles que o amam,” e isso é uma parte do que Ele revelou ao seu amado apóstolo João enquanto ele estava no exílio na ilha de Patmos.

No céu não haverá mais lágrimas, nem morte, nem tristeza, nem choro, nem dor, (Apocalipse 21:4). Não haverá mais separação, porque a morte será conquistada (Apocalipse 20:6). Como Deus disse a Isaías: “Eis que as coisas anteriores aconteceram e agora declaro coisas novas” (Isaías 42:9).

A melhor coisa sobre o céu é a presença de nosso Senhor e Salvador (1 João 3:2). Estaremos frente a frente com o Cordeiro de Deus que nos amou e se sacrificou para que possamos desfrutar de Sua presença no céu pela eternidade.

Como crentes nascidos de novo, as Escrituras nos ordenam a viver como os vivificados em Cristo e a colocar nossas mentes no céu: Uma vez que vocês ressuscitaram para uma nova vida com Cristo, mantenham os olhos fixos nas realidades do alto, onde Cristo está sentado no lugar de honra, à direita de Deus. Pensem nas coisas do alto, e não nas coisas da terra. (Colossenses 3:1-2)

As escrituras nos dizem que devemos “estar ansiosos por um novo céu e uma nova terra, o lar da justiça” (2 Pedro 3:13).

Deus não abandonou Seu desígnio e plano originais para a humanidade governar a Terra para Sua glória. Um dia, Ele reverterá a maldição e restaurará o que foi corrompido pelo pecado. Ele descerá para habitar com Seu povo na nova Terra, trazendo consigo Seu trono e o próprio céu (Apocalipse 21:1–4); e não haverá mais maldição. O trono de Deus e do Cordeiro estará na cidade, e seus servos O servirão. (Apocalipse 22:3). 

Como vemos na palavra de Deus, o céu é realmente um lugar real. A Bíblia nos diz que o céu é o trono de Deus (Isaías 66:1; Atos 7:48-49; Mateus 5:34-35). Após a ressurreição e aparição de Jesus na Terra para Seus discípulos, “Ele foi elevado aos céus e assentou-se à direita de Deus” (Marcos 16:19).

Quando as pessoas negam a existência do céu, negam não apenas a escrita Palavra de Deus, mas também negam os anseios mais íntimos de seus próprios corações. Paulo abordou esse assunto em sua carta aos coríntios, incentivando-os a se apegar à esperança do céu, para que não desanimem. Embora “gememos e nos angustiamos” em nosso estado terrestre, temos a esperança do céu sempre diante de nós e estamos ansiosos para chegar lá (2 Coríntios 5:1-4).

Paulo exortou os coríntios a aguardar ansiosamente seu lar eterno no céu, uma perspectiva que lhes permitiria suportar dificuldades e decepções nesta vida. “Pois os nossos sofrimentos leves e momentâneos estão produzindo para nós uma glória eterna que pesa mais do que todos eles. Assim, fixamos os olhos, não naquilo que se vê, mas no que não se vê, pois o que se vê é transitório, mas o que não se vê é eterno” (2 Coríntios 4:17-18).

Visto que o céu é a morada de um Deus santo e perfeito, o pecado não tem lugar lá, nem pode ser tolerado. Felizmente, Deus nos forneceu a chave que abre a porta do céu; Jesus Cristo (João 14:6). Todos os que crêem em Jesus Cristo e buscam perdão pelos pecados O encontrarão esperando por eles.

O céu está além do nosso entendimento. Mas podemos descansar no fato de que nosso Deus é bom e o que Ele preparou para nós é bom. Aquele que estava assentado no trono disse: “Estou fazendo novas todas as coisas!” E acrescentou: “Escreva isto, pois estas palavras são verdadeiras e dignas de confiança”. Disse-me ainda: “Está feito. Eu sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim. A quem tiver sede, darei de beber gratuitamente da fonte da água da vida. O vencedor herdará tudo isto, e eu serei seu Deus e ele será meu filho. (Apocalipse 21:5-7)

Que a futura glória de nosso lar eterno nos motive a servir a Deus fielmente e de todo o coração, preservando nossa fé nas promessas Dele, para aqueles que confiam, acreditam e obedecem.

Portanto, irmãos, temos plena confiança para entrar no Santo dos Santos pelo sangue de Jesus, por um novo e vivo caminho que ele nos abriu por meio do véu, isto é, do seu corpo. Temos, pois, um grande sacerdote sobre a casa de Deus.  Sendo assim, aproximemo-nos de Deus com um coração sincero e com plena convicção de fé, tendo os corações aspergidos para nos purificar de uma consciência culpada, e tendo os nossos corpos lavados com água pura.” (Hebreus 10:19-22)

Então, amados, enquanto esperam estas coisas, empenhem-se para serem encontrados por Ele em paz, imaculados e inculpáveis (2 Pedro 3:14); estando ciente de que nosso destino é viver como redimidos, pessoas justas em uma terra redimida e justa com nosso Redentor deve ser um incentivo poderoso para invocar Sua força para viver retamente hoje.

*******

E esta é a confiança que temos nele: que, se pedirmos alguma coisa, segundo a sua vontade, ele nos ouve. E, se sabemos que nos ouve em tudo o que pedimos, sabemos que alcançamos as petições que lhe fizemos. (1 João 5:14-15)

O que você deseja pedir a Deus? Está de acordo com a Sua Palavra? Concorda com o que a Bíblia ensina? É algo que você sabe que Deus deseja que você tenha? Então, declare isso com coragem e diga ao Senhor. “Estou confiando e acreditando no que estou pedindo e desejando. Você, Senhor ouviu e sei que o receberei, amém.”

Por exemplo, se você está lutando com a solidão, pode ter certeza de que Deus não deseja que você fique sozinho. Ele deseja que você tenha amigos, seja um amigo e, acima de tudo, conheça Jesus como seu Amigo de amigos.

Você pode dizer com confiança: “Senhor, eu sei que Você não quer que eu fique sozinho. Tenho o desejo de me libertar dessa solidão, portanto, reivindico Tua Palavra hoje. Eu acredito que Você será a satisfação total e completa para a solidão na minha vida. Confio em Você para preencher o vazio que sinto e confio no Senhor para me fornecer os amigos nesta terra que são bons, corretos e agradáveis ​​aos Seus olhos. ”

Precisamos lembrar que é somente o Senhor que nunca se afasta de um relacionamento cristão, que nunca desiste de uma pessoa, que sempre tem mais a dar, e quem convida uma pessoa a ter mais dependência Dele.

Quando você confia no Senhor para ser a fonte de sua alegria e da sua profunda necessidade de companhia, você descobrirá que terá mais a dar aos outros. Você irá compartilhar e não drenar; você ajudará e não esgotará. Você elevará e não sobrecarregará. O relacionamento será saudável, não exigente ou destrutivo; será uma amizade verdadeira que remove a solidão.

Precisamos entender, no entanto, que um amigo que procura substituir Deus não é amigo! Um verdadeiro amigo o orientará a Deus e o ajudará a construir um relacionamento com Deus. Um amigo de verdade não permitirá que você se torne dependente dele. Um amigo de verdade o encorajará a confiar em Deus para sua força emocional.

Em quem você confia para sua força emocional? Em quem você depende para obter aprovação? Na opinião de quem você confia para tomar decisões e tomar medidas relacionadas aos seus problemas, responsabilidades e oportunidades pessoais? Se você confia em outro ser humano, você é dependente desse ser humano. Se você confia em Deus, você depende Dele. Você não pode depender de ambos ao mesmo tempo.

O que acontece, no entanto, é que, à medida que dependemos de Deus para ser a fonte de nossa segurança emocional, força e capacidade, Ele nos permite desenvolver relacionamentos com outras pessoas nas quais somos verdadeiramente interdependentes. Temos algo a dar a um relacionamento, algo que recebemos do Senhor. Por sua vez, somos capazes de receber dos outros sem esgotá-los, porque não confiamos somente neles para a nossa identidade.

Um verdadeiro relacionamento de dar e receber é saudável; porque ninguém perde, ao contrário, os dois vencem! 

Se você não convidar o Senhor para se tornar Aquele de quem você depende, não poderá realmente se envolver em dar e receber no relacionamento com os outros. Se você continuar se apegando a uma pessoa que se sente emocionalmente sobrecarregada por sua dependência, é provável que essa pessoa se afaste de você e você sentirá uma necessidade ainda maior de se apegar. Quanto mais você tenta se aproximar e se envolver com essa pessoa, mais ela se afasta; iniciando um ciclo vicioso e prejudicial que, em última análise, traz muita dor a ambas as partes.

Portanto, quando você pedir ao Senhor algo de acordo com a vontade Dele, terá a certeza de que seu pedido será ouvido. Quando você tem uma necessidade especial, como um amigo, por se sentir sozinho, recorra primeiro ao Senhor, porque Ele deseja passar tempo com você; converse com Ele sobre seus sentimentos e peça a Ele que conforte seu coração. Depois, peça a Ele não apenas para lhe enviar um amigo, mas para fazer você querer ser um amigo. E ao conhecer as pessoas, procure áreas de interesse comum, como ler e estudar a Palavra de Deus. Você também pode ser voluntário em uma área que goste e fazer amigos dessa maneira.

Lembre-se sempre de que, se você “pedir, lhes será dado; busquem, e encontrarão; batam, e a porta lhes será aberta (Mateus 7:7).

*******


Fonte: Trechos retirados do livro do pastor Charles Stanley, “A Fonte da Minha Força”.

Publicado por: mvmportugues | setembro 19, 2019

COMO PODEMOS TOMAR A DECISÃO CERTA 100% DO TEMPO? – Jeremias 33:3

Clame a mim e eu responderei e lhe direi coisas grandiosas e insondáveis que você não conhece. (Jeremias 33: 3)

Para tomar uma decisão correta cem por cento do tempo, precisamos conversar com Deus e pedir que Ele revele Sua perfeita vontade para nós. Para fazer isso, precisamos entregar incondicionalmente nossos desejos, planos e vida ao Senhorio de Jesus Cristo. Quando fazemos isso, Ele nos promete contar coisas grandiosas e profundas, que ainda não sabemos, como disse ao profeta Jeremias.

Precisamos pedir a Deus que nos guie para as Escrituras em Sua Santa Palavra, que nos fornecerão as respostas que Ele já preparou para nós. Quando fazemos isso, Ele nos dará discernimento para uma decisão que O honrará. Devemos ter cuidado, porém, para não lermos apenas aqueles versículos que apoiarão nossos desejos ou pontos de vista; mas que mantenham nossa mente aberta para a liderança do Espírito Santo.

Fielmente, precisamos pedir a Deus que forneça as circunstâncias que confirmarão Sua vontade para a nossa decisão. É importante que não manipulemos as circunstâncias, mas esperemos uma resposta clara que nos dê paz e alegria.

Precisamos aprender a confiar em Deus completamente e entregar nossa vontade ao Seu Senhorio, só então seremos capazes de ser claramente conduzidos ao que devemos fazer.

É importante estar disposto a deixá-Lo tomar a decisão, aceitar Sua resposta e agradecer-Lhe por Sua orientação e cuidado.

Se tivermos acesso a conselheiros piedosos, que vivem sob o senhorio de Jesus Cristo, pode ser benéfico nos ajudar a tomar decisões, especialmente para aqueles que não estão tão fundamentados na Palavra de Deus; mas lembre-se de que precisamos ser muito cautelosos para que, quando buscarmos conselhos, eles virão apenas de conselheiros que realmente seguem a Palavra de Deus. Precisamos ser cuidadosos, porque conselhos falsos e incorretos podem levar à desobediência a Deus e nos causarão muitas dificuldades; portanto, tenha cuidado de quem você recebe conselhos ou aconselhamento. Seja como os bereanos que receberam a mensagem com grande interesse, examinando todos os dias as Escrituras, para ver se tudo era assim mesmo (Atos 17:11).

Depois de aplicar esses princípios diligentemente, peça a Deus para confirmar a resposta que Ele lhe deu, dando-lhe paz e confiança. Adore-O na beleza de Sua Santidade e agradeça a Ele por Seu carinho e orientação.

Então, como podemos fazer as escolhas certas? Precisamos de tempo para orar antes de fazermos uma escolha e não devemos nos apressar em tomar uma decisão porque a resposta pode ser adiada porque ainda não estamos prontos para o que pedimos, ou Deus pode ter algo melhor para nós.

A oração precedeu tudo o que Jesus disse e fez. Ele orou ao Pai antes de fazer escolhas ou agir como vemos nos escritos de Lucas: Num daqueles dias, Jesus saiu para o monte a fim de orar, e passou a noite orando a Deus. Ao amanhecer, chamou seus discípulos e escolheu doze deles, a quem também designou apóstolos: (Lucas 6:12-13). Como resultado da oração, Jesus sabia exatamente a quem Deus estava chamando para ser Seus apóstolos.

Jesus acertou 100% do tempo porque orou e pediu ao Pai. Ele disse aos discípulos: “Eu lhes digo verdadeiramente que o Filho não pode fazer nada de si mesmo; só pode fazer o que vê o Pai fazer, porque o que o Pai faz o Filho também faz (João 5:19).

Quando damos a oração a mesma prioridade que Jesus deu, também veremos o que o Pai faz e ouviremos o que Ele deseja nos comunicar.

O ministério de Jesus foi fundado em oração, fé e obediência. Portanto, se quisermos seguir Jesus, nossa vida e ministério a Deus e a outros terão que ser fundamentados também nesses princípios.

Em Provérbios, recebemos conselhos muito específicos sobre a busca da vontade e orientação de Deus antes de tomar decisões. Quando buscamos o conselho de Deus, temos Sua promessa, que Ele nos direcionará se reconhecermos o Seu Senhorio em nossa vida. Confie no Senhor de todo o seu coração e não se apóie em seu próprio entendimento; reconheça o Senhor em todos os seus caminhos, e Ele endireitará as suas veredas. (Provérbios 3:5-6)

Com tantas decisões a serem tomadas na vida hoje em dia, é importante saber como tomar decisões que honram a Deus; portanto, pare e concentre-se nesses pontos muito importantes que precisamos seguir. Devemos: 

RENDER: A NOSSA VONTADE E DESEJOS
CONFIAR: EM DEUS COMPLETAMENTE
OBEDECER: SEM HESITAÇÃO
ORAR: COM FÉ E AGRADECIMENTO

Lembre-se de que se seriamente nos rendermos, confiarmos, obedecermos e orarmos, teremos a ajuda de Deus para tomar as decisões corretas. Deus disse a Josué: “Seja forte e corajoso, pois você irá com este povo para a terra que o Senhor jurou aos seus antepassados que lhes daria, e você a repartirá entre eles como herança. O próprio Senhor irá à sua frente e estará com você; ele nunca o deixará, nunca o abandonará. Não tenha medo! Não desanime!” (Deuteronômio 31:7-8)

O Senhor nos ajudará da mesma maneira que ajudou Josué e muitos outros a tomar a decisão certa, que se rendem sinceramente, confiam, obedecem e oram.

Por favor, ensine a seus filhos e a outras pessoas esses princípios vitais que honrarão o Pai e lhes dará a direção divina para toda sua vida.

 

*******

Publicado por: mvmportugues | setembro 12, 2019

COMO VIVER UMA VIDA QUE É AGRADÁVEL A DEUS – Gálatas 5:16-17

Por isso digo: Vivam pelo Espírito, e de modo nenhum satisfarão os desejos da carne. Pois a carne deseja o que é contrário ao Espírito; e o Espírito, o que é contrário à carne. Eles estão em conflito um com o outro, de modo que vocês não fazem o que desejam. (Gálatas 5:16-17)

O primeiro passo para os crentes em agradar a Deus é ter certeza de que estamos andando pelo Espírito, não pelos desejos da carne, e isso só pode acontecer quando aceitarmos o sacrifício pelo pecado que Ele nos providenciou pela morte de Jesus Cristo na cruz.

Paulo explica a diferença entre a natureza pecaminosa e a natureza daqueles regenerados pelo Espírito. Aquele que vive em pecado têm sua mente estabelecida em desejos pecaminosos, enquanto que o regenerado por Cristo têm uma mente completamente nova que é controlada pelo Espírito e deseja viver de acordo com a liderança do Espírito Santo.Portanto, permitir que a natureza humana controle a mente resulta em morte, mas permitir que o Espírito controle a mente resulta em vida e paz. Pois a mentalidade da natureza humana é sempre inimiga de Deus. Nunca obedeceu às leis de Deus, e nunca obedecerá. Por isso aqueles que ainda estão sob o domínio de sua natureza humana não podem agradar a Deus (Romanos 8:6-8).

Como vemos, agradar a Deus é uma questão de viver de acordo com Seus preceitos e mandamentos, como Jesus disse: Se vocês me amam, obedeçam a meus mandamentos(João 14:15). Requer renunciar à nossa vontade, negar nosso desejo natural de honra e aprovação, e ter nossa mente fixada no Senhor para manter nosso pensamento puro a cada momento do dia.

Pense sobre isso! Se Jesus entrasse onde você está atualmente, você teria vergonha do que estava fazendo ou assistindo? Se você está fazendo algo que lhe traria vergonha se outros o vissem, é uma indicação clara que o que você está fazendo não está agradando a Deus. No entanto, quando somos honestos com Deus sobre nossas fraquezas, Ele pode nos ajudar a superá-las se formos sinceros a respeito de verdadeiramente querer mudar.

Os cristãos têm a responsabilidade de pôr à morte a sua antiga natureza através da rendição diária, caso contrário não poderão viver uma vida agradável a Deus. Aqueles que escutam o Espírito Santo não pensam em realizar os desejos da carne, porque seus pensamentos estão ocupados com a Palavra de Deus, Seus caminhos e propósitos.

A Bíblia nos diz em Filipenses 4:8,Por fim, meus irmãos, deixem-me dizer-vos mais uma coisa. Concentrem os vossos pensamentos em tudo que é verdadeiro, em tudo o que é honesto, em tudo o que é justo, em tudo o que é puro, em tudo o que é amável e admirável; em tudo aquilo em que há virtude e verdadeiro valor.” Então, o que domina seus pensamentos?

A vida que agrada a Deus está continuamente buscando conhecer a Deus melhor e requer um coração obediente para que possais andar dignamente diante do Senhor, agradando-lhe em tudo, frutificando em toda boa obra e crescendo no conhecimento de Deus” (Colossenses 1:10). Também requer fé, porque “sem fé é impossível agradar a Deus, pois quem dele se aproxima precisa crer que ele existe e que recompensa aqueles que o buscam (Hebreus 11:6).

A Palavra diz que devemos ser imitadores de Deus, como filhos amados (Efésios 5:1). Assim como Cristo, em Sua perfeição absoluta, viveu para agradar a Deus, temos que seguir o exemplo Dele passando tempo em oração e estudando a Palavra.

Jesus Cristo viveu uma vida perfeita, fazendo tudo para a glória de Deus. O apóstolo Paulo procurou fazer o mesmo, seguindo o exemplo de Cristo, e também podemos imitá-lo, seguindo obedientemente Seus passos (1 Pedro 2:21) e mostrando amor e gratidão a Ele, mantendo-nos fiel a Seus ensinamentos e mandamentos.

Lembre-se de valorizar todos os dias. Não viva em constante arrependimento do passado ou medo do futuro. Trate todos os dias como um presente de Deus que realmente é porque, cada dia é uma outra oportunidade de crescer na fé e no entendimento. Você agradará a Deus simplesmente em buscá-Lo dia após dia; como o salmista disse:

Acima de tudo, guarde o seu coração, pois dele depende toda a sua vida. Afaste da sua boca as palavras perversas; fique longe dos seus lábios a maldade. Olhe sempre para a frente, mantenha o olhar fixo no que está adiante de você. Veja bem por onde anda, e os seus passos serão seguros. Não se desvie nem para a direita nem para a esquerda; afaste os seus pés da maldade.
(Provérbios 4:23-27)

*******

 

Jesus expulsou um demônio de um homem cego e mudo; e, como resultado, o curou para que ele pudesse ver e falar (Mateus 12:22). Os líderes religiosos, os escribas e fariseus que viram esse milagre, ousaram dizer que Jesus expulsou o demônio do homem “por Belzebu, o chefe dos demônios” (Mateus 12:24). Em outras palavras, eles alegaram que Ele fez isso pelo poder do diabo. Jesus respondeu negando a acusação ridícula e blasfema e os advertiu de que estavam se demostrando como homens maus que falavam de corações corruptos.

Então, Ele falou essas palavras sóbrias aos líderes religiosos que se opunham a Ele.

“Quando um espírito imundo sai de um homem, ele passa por lugares secos, buscando descanso, e não encontra. Então ele diz: ‘Voltarei para minha casa de onde vim’. E quando ele chega, ele a encontra vazia, varrida e colocada em ordem. Então ele vai e leva consigo outros sete espíritos mais perversos que ele, e eles entram e habitam ali; e o último estado desse homem é pior que o primeiro. O mesmo acontecerá com esta geração ímpia.” (Mateus 12: 43-45)

Jesus se dirigiu ao reino demoníaco como uma realidade e que os demônios eram realmente capazes de habitar uma pessoa. Na parábola de Jesus, então, um demônio, chamado de “espírito imundo”, é dito ter saído de um homem. Como aconteceu que ele saiu do homem, não nos disseram. Mas, qualquer que tenha sido o motivo, o demônio é apresentado nesta passagem como pensando nesse homem como “sua própria casa” – “voltarei para minha casa de onde vim“.

O demônio pode ter deixado o homem por um tempo, mas parece que o demônio não desistiu da posse do homem quando ele partiu.

Talvez Deus tenha mostrado grande misericórdia ao homem, permitindo-lhe algum tempo para se afastar do pecado e ‘fazer uma mudança’ em sua vida. O homem pode até ter começado a ‘procurar’ a Deus e buscar coisas espirituais. De fato, pode até ser que o homem tenha ouvido a mensagem do evangelho de Jesus Cristo e tenha começado a ser atraído por ela.

O que aconteceu a Bíblia não nos diz, mas o que podemos ter certeza é que este homem foi claramente dado uma chance e ficou aquém de um relacionamento genuíno com Deus, e o Espírito Santo não havia tomado residência dentro dele.

O demônio o havia deixado e ele permaneceu “vazio.” Mas ele só ficou “vazio” por um curto período de tempo. Uma vez fora do homem, o demônio estava inquieto e insatisfeito. Jesus disse que o demônio passou por “lugares secos”, buscando descanso, mas não o encontrou.

Aparentemente, um demônio precisava possuir um corpo e preferiria habitar “um rebanho de porcos” do que vagar sem um “lar” (Mateus 8:31).

Então; esse demônio inquieto começou a pensar no homem que ele havia deixado. “Voltarei para minha casa de onde vim”, disse ele. E quando ele voltou, descobriu que o homem havia feito um lar muito confortável para o qual retornar! Aparentemente, o homem havia feito algumas mudanças morais em sua vida. Ele havia limpado seu comportamento. Ele pode até ter acrescentado alguns novos hábitos religiosos e práticas pseudo-espirituais. Mas apesar de tudo o que foi feito para “limpar”, ainda não havia ninguém mais morando dentro dele. O ser interior do homem era um vácuo espiritual e o demônio voltou para encontrá-lo “vazio, varrido e colocado em ordem.”

Que coisa terrível e perigosa que é isso, porque, como Jesus nos diz, então ele vai e leva consigo outros sete espíritos mais perversos que ele, e eles entram e habitam ali; e o último estado desse homem é pior que o primeiro.

Não é que sua condição se tornou tão ruim quando apenas um demônio habitava ele; mas, sua condição se tornou muito pior; porque o demônio trouxe outros sete “mais perversos que ele.”

Esta parábola é um grande aviso para aqueles que pensam que podem simplesmente “limpar seu comportamento”, evitando um relacionamento profundo e pessoal com Jesus Cristo, aceitando-O como seu Salvador e fazendo Dele o Senhor de sua vida e, assim, recebendo a habitação do Espírito Santo.

Esse povo judeu precisava ouvir isso, pois a verdade estava à sua volta e eles não ouviam. Eles ouviram a pregação de João Batista quando ele cumpriu as promessas das Escrituras a respeito de si mesmo, e quando apontou para Jesus como “o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” (João 1:29). Eles contemplaram Seus milagres e ouviram Seus ensinamentos; e, no entanto, enquanto Ele se oferecia a eles como o Messias tão esperado e prometido, eles O rejeitaram. Eles o viram fazer milagres no poder do Espírito Santo; e ainda assim eles ousaram acusá-Lo de trabalhar no poder do diabo.

Como vemos pelas advertências de Paulo, os demônios eram reais para os judeus, é por isso que ele escreve sejam fortes no Senhor e em seu grande poder. Vistam toda a armadura de Deus, para que possam permanecer firmes contra as estratégias do diabo. Pois nós não lutamos contra inimigos de carne e sangue, mas contra governantes e autoridades do mundo invisível, contra grandes poderes neste mundo de trevas e contra espíritos malignos nas esferas celestiais. Portanto, vistam toda a armadura de Deus, para que possam resistir ao inimigo no tempo do mal. Então, depois da batalha, vocês continuarão de pé e firmes (Efésios 6:10-13).

Os judeus e seus líderes tinham um terrível vácuo (casa vazia) em seu ser, mesmo quando seu Rei estava diante deles e até mesmo quando Ele os advertiu, assim também será com essa geração perversa. Eles não entenderam e não se importaram porque, o homem natural não aceita as verdades do Espírito de Deus. Elas lhe parecem loucura, e ele não consegue entendê-las, pois apenas quem é espiritual consegue avaliar corretamente o que diz o Espírito (1 Coríntios 2:14).

Claramente, o ponto principal desta parábola era para servir como condenação para a geração que não receberia o Salvador; mas também é um aviso para todos por quase 2000 anos.

Então, quem está ocupando sua casa? Existem apenas duas forças espirituais tentando viver em nosso corpo. Um é o Espírito Santo; o outro é o diabo e seus demônios.

Existem pessoas que se esforçam para limpar suas vidas e depois voltam ao seu estilo de vida pecaminoso e sua vida se torna ainda mais confusa do que era antes. Mas há uma solução; Jesus diz em Apocalipse 3:20, Eis que estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei e cearei com ele, e ele comigo.”

Uma das coisas mais perigosas que uma pessoa pode fazer é passar por essa vida sem dar as boas-vindas a Jesus Cristo na sua vida. Jesus disse: Permaneçam em mim, e eu permanecerei em vocês. Nenhum ramo pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira. Vocês também não podem dar fruto, se não permanecerem em mim. “Eu sou a videira; vocês são os ramos. Se alguém permanecer em mim e eu nele, esse dará muito fruto; pois sem mim vocês não podem fazer coisa alguma (João 15:4-5).

Portanto, como cristãos verdadeiros nascidos de novo, façamos nossa parte, fazendo o que Jesus nos disse para ir e fazer discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos. Amém. (Mateus 28:19-20)

 

*******

Older Posts »

Categorias