Publicado por: mvmportugues | setembro 19, 2019

COMO PODEMOS TOMAR A DECISÃO CERTA 100% DO TEMPO? – Jeremias 33:3

Clame a mim e eu responderei e lhe direi coisas grandiosas e insondáveis que você não conhece. (Jeremias 33: 3)

Para tomar uma decisão correta cem por cento do tempo, precisamos conversar com Deus e pedir que Ele revele Sua perfeita vontade para nós. Para fazer isso, precisamos entregar incondicionalmente nossos desejos, planos e vida ao Senhorio de Jesus Cristo. Quando fazemos isso, Ele nos promete contar coisas grandiosas e profundas, que ainda não sabemos, como disse ao profeta Jeremias.

Precisamos pedir a Deus que nos guie para as Escrituras em Sua Santa Palavra, que nos fornecerão as respostas que Ele já preparou para nós. Quando fazemos isso, Ele nos dará discernimento para uma decisão que O honrará. Devemos ter cuidado, porém, para não lermos apenas aqueles versículos que apoiarão nossos desejos ou pontos de vista; mas que mantenham nossa mente aberta para a liderança do Espírito Santo.

Fielmente, precisamos pedir a Deus que forneça as circunstâncias que confirmarão Sua vontade para a nossa decisão. É importante que não manipulemos as circunstâncias, mas esperemos uma resposta clara que nos dê paz e alegria.

Precisamos aprender a confiar em Deus completamente e entregar nossa vontade ao Seu Senhorio, só então seremos capazes de ser claramente conduzidos ao que devemos fazer.

É importante estar disposto a deixá-Lo tomar a decisão, aceitar Sua resposta e agradecer-Lhe por Sua orientação e cuidado.

Se tivermos acesso a conselheiros piedosos, que vivem sob o senhorio de Jesus Cristo, pode ser benéfico nos ajudar a tomar decisões, especialmente para aqueles que não estão tão fundamentados na Palavra de Deus; mas lembre-se de que precisamos ser muito cautelosos para que, quando buscarmos conselhos, eles virão apenas de conselheiros que realmente seguem a Palavra de Deus. Precisamos ser cuidadosos, porque conselhos falsos e incorretos podem levar à desobediência a Deus e nos causarão muitas dificuldades; portanto, tenha cuidado de quem você recebe conselhos ou aconselhamento. Seja como os bereanos que receberam a mensagem com grande interesse, examinando todos os dias as Escrituras, para ver se tudo era assim mesmo (Atos 17:11).

Depois de aplicar esses princípios diligentemente, peça a Deus para confirmar a resposta que Ele lhe deu, dando-lhe paz e confiança. Adore-O na beleza de Sua Santidade e agradeça a Ele por Seu carinho e orientação.

Então, como podemos fazer as escolhas certas? Precisamos de tempo para orar antes de fazermos uma escolha e não devemos nos apressar em tomar uma decisão porque a resposta pode ser adiada porque ainda não estamos prontos para o que pedimos, ou Deus pode ter algo melhor para nós.

A oração precedeu tudo o que Jesus disse e fez. Ele orou ao Pai antes de fazer escolhas ou agir como vemos nos escritos de Lucas: Num daqueles dias, Jesus saiu para o monte a fim de orar, e passou a noite orando a Deus. Ao amanhecer, chamou seus discípulos e escolheu doze deles, a quem também designou apóstolos: (Lucas 6:12-13). Como resultado da oração, Jesus sabia exatamente a quem Deus estava chamando para ser Seus apóstolos.

Jesus acertou 100% do tempo porque orou e pediu ao Pai. Ele disse aos discípulos: “Eu lhes digo verdadeiramente que o Filho não pode fazer nada de si mesmo; só pode fazer o que vê o Pai fazer, porque o que o Pai faz o Filho também faz (João 5:19).

Quando damos a oração a mesma prioridade que Jesus deu, também veremos o que o Pai faz e ouviremos o que Ele deseja nos comunicar.

O ministério de Jesus foi fundado em oração, fé e obediência. Portanto, se quisermos seguir Jesus, nossa vida e ministério a Deus e a outros terão que ser fundamentados também nesses princípios.

Em Provérbios, recebemos conselhos muito específicos sobre a busca da vontade e orientação de Deus antes de tomar decisões. Quando buscamos o conselho de Deus, temos Sua promessa, que Ele nos direcionará se reconhecermos o Seu Senhorio em nossa vida. Confie no Senhor de todo o seu coração e não se apóie em seu próprio entendimento; reconheça o Senhor em todos os seus caminhos, e Ele endireitará as suas veredas. (Provérbios 3:5-6)

Com tantas decisões a serem tomadas na vida hoje em dia, é importante saber como tomar decisões que honram a Deus; portanto, pare e concentre-se nesses pontos muito importantes que precisamos seguir. Devemos: 

RENDER: A NOSSA VONTADE E DESEJOS
CONFIAR: EM DEUS COMPLETAMENTE
OBEDECER: SEM HESITAÇÃO
ORAR: COM FÉ E AGRADECIMENTO

Lembre-se de que se seriamente nos rendermos, confiarmos, obedecermos e orarmos, teremos a ajuda de Deus para tomar as decisões corretas. Deus disse a Josué: “Seja forte e corajoso, pois você irá com este povo para a terra que o Senhor jurou aos seus antepassados que lhes daria, e você a repartirá entre eles como herança. O próprio Senhor irá à sua frente e estará com você; ele nunca o deixará, nunca o abandonará. Não tenha medo! Não desanime!” (Deuteronômio 31:7-8)

O Senhor nos ajudará da mesma maneira que ajudou Josué e muitos outros a tomar a decisão certa, que se rendem sinceramente, confiam, obedecem e oram.

Por favor, ensine a seus filhos e a outras pessoas esses princípios vitais que honrarão o Pai e lhes dará a direção divina para toda sua vida.

 

*******

Publicado por: mvmportugues | setembro 12, 2019

COMO VIVER UMA VIDA QUE É AGRADÁVEL A DEUS – Gálatas 5:16-17

Por isso digo: Vivam pelo Espírito, e de modo nenhum satisfarão os desejos da carne. Pois a carne deseja o que é contrário ao Espírito; e o Espírito, o que é contrário à carne. Eles estão em conflito um com o outro, de modo que vocês não fazem o que desejam. (Gálatas 5:16-17)

O primeiro passo para os crentes em agradar a Deus é ter certeza de que estamos andando pelo Espírito, não pelos desejos da carne, e isso só pode acontecer quando aceitarmos o sacrifício pelo pecado que Ele nos providenciou pela morte de Jesus Cristo na cruz.

Paulo explica a diferença entre a natureza pecaminosa e a natureza daqueles regenerados pelo Espírito. Aquele que vive em pecado têm sua mente estabelecida em desejos pecaminosos, enquanto que o regenerado por Cristo têm uma mente completamente nova que é controlada pelo Espírito e deseja viver de acordo com a liderança do Espírito Santo.Portanto, permitir que a natureza humana controle a mente resulta em morte, mas permitir que o Espírito controle a mente resulta em vida e paz. Pois a mentalidade da natureza humana é sempre inimiga de Deus. Nunca obedeceu às leis de Deus, e nunca obedecerá. Por isso aqueles que ainda estão sob o domínio de sua natureza humana não podem agradar a Deus (Romanos 8:6-8).

Como vemos, agradar a Deus é uma questão de viver de acordo com Seus preceitos e mandamentos, como Jesus disse: Se vocês me amam, obedeçam a meus mandamentos(João 14:15). Requer renunciar à nossa vontade, negar nosso desejo natural de honra e aprovação, e ter nossa mente fixada no Senhor para manter nosso pensamento puro a cada momento do dia.

Pense sobre isso! Se Jesus entrasse onde você está atualmente, você teria vergonha do que estava fazendo ou assistindo? Se você está fazendo algo que lhe traria vergonha se outros o vissem, é uma indicação clara que o que você está fazendo não está agradando a Deus. No entanto, quando somos honestos com Deus sobre nossas fraquezas, Ele pode nos ajudar a superá-las se formos sinceros a respeito de verdadeiramente querer mudar.

Os cristãos têm a responsabilidade de pôr à morte a sua antiga natureza através da rendição diária, caso contrário não poderão viver uma vida agradável a Deus. Aqueles que escutam o Espírito Santo não pensam em realizar os desejos da carne, porque seus pensamentos estão ocupados com a Palavra de Deus, Seus caminhos e propósitos.

A Bíblia nos diz em Filipenses 4:8,Por fim, meus irmãos, deixem-me dizer-vos mais uma coisa. Concentrem os vossos pensamentos em tudo que é verdadeiro, em tudo o que é honesto, em tudo o que é justo, em tudo o que é puro, em tudo o que é amável e admirável; em tudo aquilo em que há virtude e verdadeiro valor.” Então, o que domina seus pensamentos?

A vida que agrada a Deus está continuamente buscando conhecer a Deus melhor e requer um coração obediente para que possais andar dignamente diante do Senhor, agradando-lhe em tudo, frutificando em toda boa obra e crescendo no conhecimento de Deus” (Colossenses 1:10). Também requer fé, porque “sem fé é impossível agradar a Deus, pois quem dele se aproxima precisa crer que ele existe e que recompensa aqueles que o buscam (Hebreus 11:6).

A Palavra diz que devemos ser imitadores de Deus, como filhos amados (Efésios 5:1). Assim como Cristo, em Sua perfeição absoluta, viveu para agradar a Deus, temos que seguir o exemplo Dele passando tempo em oração e estudando a Palavra.

Jesus Cristo viveu uma vida perfeita, fazendo tudo para a glória de Deus. O apóstolo Paulo procurou fazer o mesmo, seguindo o exemplo de Cristo, e também podemos imitá-lo, seguindo obedientemente Seus passos (1 Pedro 2:21) e mostrando amor e gratidão a Ele, mantendo-nos fiel a Seus ensinamentos e mandamentos.

Lembre-se de valorizar todos os dias. Não viva em constante arrependimento do passado ou medo do futuro. Trate todos os dias como um presente de Deus que realmente é porque, cada dia é uma outra oportunidade de crescer na fé e no entendimento. Você agradará a Deus simplesmente em buscá-Lo dia após dia; como o salmista disse:

Acima de tudo, guarde o seu coração, pois dele depende toda a sua vida. Afaste da sua boca as palavras perversas; fique longe dos seus lábios a maldade. Olhe sempre para a frente, mantenha o olhar fixo no que está adiante de você. Veja bem por onde anda, e os seus passos serão seguros. Não se desvie nem para a direita nem para a esquerda; afaste os seus pés da maldade.
(Provérbios 4:23-27)

*******

 

Jesus expulsou um demônio de um homem cego e mudo; e, como resultado, o curou para que ele pudesse ver e falar (Mateus 12:22). Os líderes religiosos, os escribas e fariseus que viram esse milagre, ousaram dizer que Jesus expulsou o demônio do homem “por Belzebu, o chefe dos demônios” (Mateus 12:24). Em outras palavras, eles alegaram que Ele fez isso pelo poder do diabo. Jesus respondeu negando a acusação ridícula e blasfema e os advertiu de que estavam se demostrando como homens maus que falavam de corações corruptos.

Então, Ele falou essas palavras sóbrias aos líderes religiosos que se opunham a Ele.

“Quando um espírito imundo sai de um homem, ele passa por lugares secos, buscando descanso, e não encontra. Então ele diz: ‘Voltarei para minha casa de onde vim’. E quando ele chega, ele a encontra vazia, varrida e colocada em ordem. Então ele vai e leva consigo outros sete espíritos mais perversos que ele, e eles entram e habitam ali; e o último estado desse homem é pior que o primeiro. O mesmo acontecerá com esta geração ímpia.” (Mateus 12: 43-45)

Jesus se dirigiu ao reino demoníaco como uma realidade e que os demônios eram realmente capazes de habitar uma pessoa. Na parábola de Jesus, então, um demônio, chamado de “espírito imundo”, é dito ter saído de um homem. Como aconteceu que ele saiu do homem, não nos disseram. Mas, qualquer que tenha sido o motivo, o demônio é apresentado nesta passagem como pensando nesse homem como “sua própria casa” – “voltarei para minha casa de onde vim“.

O demônio pode ter deixado o homem por um tempo, mas parece que o demônio não desistiu da posse do homem quando ele partiu.

Talvez Deus tenha mostrado grande misericórdia ao homem, permitindo-lhe algum tempo para se afastar do pecado e ‘fazer uma mudança’ em sua vida. O homem pode até ter começado a ‘procurar’ a Deus e buscar coisas espirituais. De fato, pode até ser que o homem tenha ouvido a mensagem do evangelho de Jesus Cristo e tenha começado a ser atraído por ela.

O que aconteceu a Bíblia não nos diz, mas o que podemos ter certeza é que este homem foi claramente dado uma chance e ficou aquém de um relacionamento genuíno com Deus, e o Espírito Santo não havia tomado residência dentro dele.

O demônio o havia deixado e ele permaneceu “vazio.” Mas ele só ficou “vazio” por um curto período de tempo. Uma vez fora do homem, o demônio estava inquieto e insatisfeito. Jesus disse que o demônio passou por “lugares secos”, buscando descanso, mas não o encontrou.

Aparentemente, um demônio precisava possuir um corpo e preferiria habitar “um rebanho de porcos” do que vagar sem um “lar” (Mateus 8:31).

Então; esse demônio inquieto começou a pensar no homem que ele havia deixado. “Voltarei para minha casa de onde vim”, disse ele. E quando ele voltou, descobriu que o homem havia feito um lar muito confortável para o qual retornar! Aparentemente, o homem havia feito algumas mudanças morais em sua vida. Ele havia limpado seu comportamento. Ele pode até ter acrescentado alguns novos hábitos religiosos e práticas pseudo-espirituais. Mas apesar de tudo o que foi feito para “limpar”, ainda não havia ninguém mais morando dentro dele. O ser interior do homem era um vácuo espiritual e o demônio voltou para encontrá-lo “vazio, varrido e colocado em ordem.”

Que coisa terrível e perigosa que é isso, porque, como Jesus nos diz, então ele vai e leva consigo outros sete espíritos mais perversos que ele, e eles entram e habitam ali; e o último estado desse homem é pior que o primeiro.

Não é que sua condição se tornou tão ruim quando apenas um demônio habitava ele; mas, sua condição se tornou muito pior; porque o demônio trouxe outros sete “mais perversos que ele.”

Esta parábola é um grande aviso para aqueles que pensam que podem simplesmente “limpar seu comportamento”, evitando um relacionamento profundo e pessoal com Jesus Cristo, aceitando-O como seu Salvador e fazendo Dele o Senhor de sua vida e, assim, recebendo a habitação do Espírito Santo.

Esse povo judeu precisava ouvir isso, pois a verdade estava à sua volta e eles não ouviam. Eles ouviram a pregação de João Batista quando ele cumpriu as promessas das Escrituras a respeito de si mesmo, e quando apontou para Jesus como “o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” (João 1:29). Eles contemplaram Seus milagres e ouviram Seus ensinamentos; e, no entanto, enquanto Ele se oferecia a eles como o Messias tão esperado e prometido, eles O rejeitaram. Eles o viram fazer milagres no poder do Espírito Santo; e ainda assim eles ousaram acusá-Lo de trabalhar no poder do diabo.

Como vemos pelas advertências de Paulo, os demônios eram reais para os judeus, é por isso que ele escreve sejam fortes no Senhor e em seu grande poder. Vistam toda a armadura de Deus, para que possam permanecer firmes contra as estratégias do diabo. Pois nós não lutamos contra inimigos de carne e sangue, mas contra governantes e autoridades do mundo invisível, contra grandes poderes neste mundo de trevas e contra espíritos malignos nas esferas celestiais. Portanto, vistam toda a armadura de Deus, para que possam resistir ao inimigo no tempo do mal. Então, depois da batalha, vocês continuarão de pé e firmes (Efésios 6:10-13).

Os judeus e seus líderes tinham um terrível vácuo (casa vazia) em seu ser, mesmo quando seu Rei estava diante deles e até mesmo quando Ele os advertiu, assim também será com essa geração perversa. Eles não entenderam e não se importaram porque, o homem natural não aceita as verdades do Espírito de Deus. Elas lhe parecem loucura, e ele não consegue entendê-las, pois apenas quem é espiritual consegue avaliar corretamente o que diz o Espírito (1 Coríntios 2:14).

Claramente, o ponto principal desta parábola era para servir como condenação para a geração que não receberia o Salvador; mas também é um aviso para todos por quase 2000 anos.

Então, quem está ocupando sua casa? Existem apenas duas forças espirituais tentando viver em nosso corpo. Um é o Espírito Santo; o outro é o diabo e seus demônios.

Existem pessoas que se esforçam para limpar suas vidas e depois voltam ao seu estilo de vida pecaminoso e sua vida se torna ainda mais confusa do que era antes. Mas há uma solução; Jesus diz em Apocalipse 3:20, Eis que estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei e cearei com ele, e ele comigo.”

Uma das coisas mais perigosas que uma pessoa pode fazer é passar por essa vida sem dar as boas-vindas a Jesus Cristo na sua vida. Jesus disse: Permaneçam em mim, e eu permanecerei em vocês. Nenhum ramo pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira. Vocês também não podem dar fruto, se não permanecerem em mim. “Eu sou a videira; vocês são os ramos. Se alguém permanecer em mim e eu nele, esse dará muito fruto; pois sem mim vocês não podem fazer coisa alguma (João 15:4-5).

Portanto, como cristãos verdadeiros nascidos de novo, façamos nossa parte, fazendo o que Jesus nos disse para ir e fazer discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos. Amém. (Mateus 28:19-20)

 

*******

Publicado por: mvmportugues | agosto 29, 2019

O QUE DIZ A BÍBLIA SOBRE A HUMILDADE? – Tiago 4:6 e 10

Deus se opõe aos orgulhosos, mas concede graça aos humildes.Humilhem-se diante do Senhor, e Ele os exaltará. (Tiago 4:6, 10)

Esses versos nos dizem que, se nos humilharmos sob a mão poderosa de Deus, entregando nossa própria vontade, então Ele nos dará a graça que precisamos para viver uma verdadeira vida cristã, e nos exaltará em Seu tempo.

Andrew Murray chama a humildade de “o lugar da total dependência de Deus.” Ele acrescenta que “a humildade não é tanto uma virtude; ela é a raiz de tudo, porque somente ela assume a atitude correta diante de Deus e permite que Deus faça tudo.… É simplesmente o sentimento de rendição total, que surge quando vemos que realmente Deus é tudo, e nós abrimos caminho para que Ele seja tudo.”

Ser humilde é ter a mesma mentalidade de Jesus Cristo. Ele existiu na forma de Deus, mas não considerou igualdade com Deus; pelo contrário, Ele abandonou tudo o que tinha e assumiu a forma de servo, tornando-se igual aos homens. E, quando Ele apareceu em forma de homem, Ele se humilhou, tornando-se obediente até o ponto de estar disposto a enfrentar a morte, e morte de cruz (Filipenses 2:7-8).

Jesus é o exemplo supremo da humildade. Ele não valorizou Sua auto-importância ou honra, mas entregou-se livremente em todas as situações, para que a vontade de Deus pudesse ser realizada e Deus pudesse ser glorificado através de Sua vida.

A Bíblia diz que quando somos humildes; estamos livres do orgulho e da arrogância. Podemos então ser um pacificador sem precisar lutar por nossos direitos; e somos capazes de andar humildemente no poder do Espírito Santo de Deus.

Precisamos entender que ser um humilde servo de Cristo requer que nos submetamos à Sua liderança, em relação ao que devemos fazer, como vamos cumprir a Sua vontade e aonde Ele quer que nos O sirvimos. Não há espaço para auto-busca ou auto-promoção; nossa única preocupação deve ser a obediência, com o objetivo de que somente Deus receba a glória.

Às vezes nos preocupamos em encontrar nosso propósito na vida, para que possamos ter uma sensação de utilidade e auto-realização. Embora nos beneficiemos de servir ao Senhor de acordo com o modo que Ele nos dotou, esse não deveria ser nosso motivo principal. Um espírito humilde não procura seus próprios interesses, mas pensa nos outros; essa é a atitude que Cristo teve. Ele voluntariamente deixou o céu para assumir a forma humana a fim de ir para a cruz, que foi um ato humilde de obediência ao Pai para que pudéssemos ser salvos.

Você tem a atitude certa quando se trata de seguir a Cristo? Pedro teve que desistir de seus desejos pessoais e egoísmo. Paulo teve que se render e renunciar a sua posição entre os fariseus. A humildade na vida do crente é a marca da grandeza, não porque você brilha quando é humilde, mas porque quando você se submete à vontade de Deus, Ele brilha através de você.

Do ponto de vista do mundo, a humildade é fraqueza. Mas na realidade é força porque requer o poder sobrenatural do Espírito Santo para superar nosso egocentrismo natural. Em vez de ser um sinal de fraqueza, na verdade é um sinal da vida de Cristo em nós.

Quando somos humildes, podemos apaziguar argumentos e não precisamos vencer toda contenda, lembrando que “uma resposta gentil desvia o furor, mas a palavra ríspida desperta a ira”  (Provérbios 15:1).

Podemos lidar com tratamento injusto pacificamente quando somos humildes e podemos responder a ele sem ser superados pela amargura. A humildade significa que não sentimos uma necessidade de vingança ou retaliação; como as Escrituras nos instruem a livrar-nos “de toda amargura, raiva, ira, das palavras ásperas e da calúnia, e de todo tipo de maldade. Em vez disso, sejam bondosos e tenham compaixão uns dos outros, perdoando-se como Deus os perdoou em Cristo” (Efésios 4:31-32).

Quando somos humildes, podemos responder e aprender com as críticas sem ser defensivo, seja merecido ou não; podemos perdoar e falar com cortesia e amor, independentemente da situação; porque, quando como crentes escutamos o nosso Pai, Ele nos deixa saber que devemos examinar os nossos motivos e atitudes antes de fazer qualquer coisa. Mesmo se precisarmos ser firmes ou tomamos ações fortes, precisamos lembrar de que “nenhuma palavra torpe saia da boca de vocês, mas apenas a que for útil para edificar os outros, conforme a necessidade, para que conceda graça aos que a ouvem” (Efésios 4:29).

Quando entendemos e colocamos em prática o que a Bíblia diz sobre a humildade, podemos viver pacificamente e humildemente aos olhos de Deus e de nossos semelhantes.

E, quando começarmos a reconhecer que não podemos fazer nada de valor à parte do Senhor, estaremos começado no caminho da humildade. Quando desistimos de todos os nossos planos e, em vez disso, aceitamos os de Deus, estaremos deixando nosso orgulho para trás. Se formos mal interpretados ou tratados injustamente, mas permanecermos onde estamos até que o Senhor nos diga o que falar ou aonde mover, então teremos começado a viver a vida humilde que agrada ao nosso Salvador.

Jesus se oferece para ser nosso Mestre, para que possamos aprender as lições piedosas de humildade. Lembre-se de que a humildade é uma qualidade que todo crente em Cristo deve possuir porque quando vem o orgulho, chega a desgraça, mas a sabedoria está com os humildes (Provérbios 11:2).

*******

Publicado por: mvmportugues | agosto 22, 2019

O QUE É A PACIÊNCIA BÍBLICA? – Tiago 1:4

Mas deixe a paciência ter seu trabalho perfeito, para que você seja perfeito e completo, sem faltar em coisa alguma.” (Tiago 1:4)

O que é paciência? Paciência é comumente definida como a capacidade de aceitar ou tolerar atrasos, problemas ou sofrimento sem ficar com raiva ou chateado.

O oposto da paciência é a agitação, o desânimo e o desejo de vingança. Deus não quer que Seus filhos vivam em agitação, mas em paz, como Jesus disse a Seus discípulos: Deixo com vocês a paz. É a minha paz que eu lhes dou; não lhes dou a paz como o mundo a dá. Não fiquem aflitos, nem tenham medo (João 14:27). Ele quer dissipar o desânimo e substituí-lo por esperança e louvor (Salmos 42:5); e não devemos nos vingar; antes, devemos amar uns aos outros (Romanos 12:19; Levítico 19:18).

Deus é paciente e Seu Espírito produz o fruto da paciência em nós. Quando somos pacientes, deixamos espaço para Deus trabalhar em nosso coração e em nossos relacionamentos. Devemos deixar de lado nossa programação e confiar em Deus; e agradecer-Lo por aquilo que Ele traz à nossa vida; simplesmente deixamos Deus ser Deus.

Vamos ver o que a Bíblia diz sobre paciência, já que a Bíblia tem muito mais a dizer sobre paciência do que a definição normal:

A paciência se origina de Deus

  • Porque tudo o que está nas Escrituras foi escrito para nos ensinar, a fim de que tenhamos esperança por meio da paciência e da coragem que as Escrituras nos dão. Que Deus, que é quem dá paciência e coragem, ajude vocês a viverem bem uns com os outros, seguindo o exemplo de Cristo Jesus! E isso para que vocês, todos juntos, como se fossem uma só pessoa, louvem ao Deus e Pai do nosso Senhor Jesus Cristo. (Romanos 15:4-6)

A paciência faz parte do fruto do Espírito:

  • Mas o Espírito de Deus produz o amor, a alegria, a paz, a paciência, a delicadeza, a bondade, a fidelidade, a humildade e o domínio próprio. E contra essas coisas não existe lei. (Gálatas 5:22-23)

A paciência nos ajuda a crescer durante as provas:

  • Amem uns aos outros com o amor de irmãos em Cristo e se esforcem para tratar uns aos outros com respeito. Trabalhem com entusiasmo e não sejam preguiçosos. Sirvam o Senhor com o coração cheio de fervor. Que a esperança que vocês têm os mantenha alegres; aguentem com paciência os sofrimentos e orem sempre. Repartam com os irmãos necessitados o que vocês têm e recebam os estrangeiros nas suas casas. (Romanos 12:10-13);
  • Meus irmãos, sintam-se felizes quando passarem por todo tipo de aflições, sabendo que a prova da vossa fé produz a paciência. Mas deixe a paciência ter seu trabalho perfeito, para que você seja perfeito e completo, sem faltar em coisa alguma. (Tiago 1:2-4)

A Paciência nos permite ser fortalecidos e sermos abençoados por Deus: 

  • Descanse no SENHOR e espere pacientemente por Ele (Salmos 37:7-9);
  • Esperei com paciência no Senhor, e Ele se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor (Salmos 40:1);
  • Agora, o Senhor encaminhe o vosso coração no amor de Deus e na paciência de Cristo (2 Tessalonicenses 3: 5);
  • Não queremos que se tornem preguiçosos, mas que sejam como os que creem e têm paciência, para que assim recebam o que Deus prometeu (Hebreus 6:12).

A paciência agrada a Deus:

  • O fim de uma coisa vale mais do que o seu começo. A pessoa paciente é melhor do que a orgulhosa. (Eclesiastes 7:8);
  • Lembrem dos profetas que falaram em nome do Senhor e os tomem como exemplo de paciência nos momentos de sofrimento (Tiago 5:10);
  • Eu sei o que vocês têm feito. Sei que trabalharam muito e aguentaram o sofrimento com paciência. Sei que vocês não podem suportar pessoas más e sei que puseram à prova os que dizem que são apóstolos, mas não são, e assim vocês descobriram que eles são mentirosos. Vocês aguentaram a situação com paciência e sofreram por minha causa, sem desanimarem (Apocalipse 2:2-3).

Como vemos claramente, a paciência é uma virtude de Deus. Como todos os outros aspectos do fruto do Espírito, a paciência é mais um indicador do nosso relacionamento com Deus.

Devemos escutar, obedecer a Ele e, às vezes, desistir de nossos próprios desejos e opiniões pessoais, a fim de esperar por Sua direção. Infelizmente, a falta de paciência leva a muitas situações em que decisões ruins são tomadas e injustiças ocorrem. Portanto, é essencial que cooperemos com o Espírito ao desenvolver a paciência dentro de nós, porque a virtude de ter paciência pode nos salvar dos pesares inevitáveis ​​que advêm quando nos recusamos a esperar por Sua direção.

Em conclusão, a paciência é comumente definida como “a capacidade de aceitar ou tolerar atrasos, problemas ou sofrimento sem ficar com raiva ou chateado”. Paciência, às vezes referida como longanimidade, tem origem em Deus e faz parte do fruto do Espírito. É um produto de autocontrole e parte da piedade, que nos foi demonstrado por Cristo. A paciência é uma parte importante de nos ajudar a crescer e nos fortalecer em nossa fé durante as provações. Nossa paciência agrada a Deus e resulta em Sua bênção. Finalmente, a falta de paciência demonstra o pensamento ímpio que está sem a proteção e o conhecimento de Deus e leva a injustiças e tratamento incomplacente de outros.

Quanto maior a bênção que Deus tem para nós, mais paciência Ele exige. Isso significa que temos uma escolha. Podemos aprender a ser pacientes e ver o que Deus fará em nossa vida, ou podemos resolver o assunto nós mesmos e vê-lo se transformar em desastre. O que você vai escolher?

Lembre-se de que a ação mais sábia é confiar pacientemente em Deus, esperar, e observar para ver o que Ele fará; e quando deixamos o Espírito produzir paciência em nós, Ele nos torná mais semelhante a Cristo.

*******

Semelhantemente, ensine as mulheres mais velhas a serem reverentes na sua maneira de viver, a não serem caluniadoras nem escravizadas a muito vinho, mas a serem capazes de ensinar o que é bom. Assim, poderão orientar as mulheres mais jovens a amarem seus maridos e seus filhos, a serem prudentes e puras, a estarem ocupadas em casa, e a serem bondosas e sujeitas a seus maridos, a fim de que a palavra de Deus não seja difamada. (Tito 2:3-5)

Quem são as “mulheres mais velhas”? Paulo provavelmente tinha em mente mulheres além da idade fértil. A razão para o conselho em Tito 2:3-5 para mulheres mais velhas ensinarem mulheres moças casadas e com filhos foi que a grande maioria das mulheres no primeiro século se casavam muito jovens e precisavam de orientação de uma mulher mais velha e temente a Deus.

Paulo incentiva Tito a ensinar todos os grupos da igreja; homens mais velhos, homens jovens, mulheres mais velhas, escravos, todo grupo, exceto mulheres jovens! Ensinar e treinar mulheres jovens em condição de ser piedosa era e é principalmente a responsabilidade de mulheres mais velhas, não do pastor ou anciãos de uma igreja; portanto, é vital que as mulheres piedosas e os ministérios das mulheres não percam de vista esse objetivo.

Então, o que é que as mulheres mais velhas devem ensinar as mulheres mais jovens? Vamos dar uma olhada nos nossos versos.

As mulheres mais velhas devem ser reverentes na sua maneira de viver. O termo “reverência” foi usado para caracterizar a conduta da santidade, o que sugere que ele está falando de mulheres que amam e obedecem o Senhor. Elas devem ensinar às moças o que está de acordo com a sã doutrina (Tito 2:1), mulheres mais velhas que entendem a Palavra de Deus e que manejam corretamente a palavra da verdade (2 Timóteo 2:15). A mulher reverente teme a Deus e vive em Sua presença servindo a Deus com todo seu coração, mente e alma. Ela busca Sua vontade para sua vida e segue Seus caminhos. (Provérbios 31:26, João 14:15, Salmo 119:15)

As mulheres mais velhas não devem ser caluniadoras. A palavra caluniador em grego é usada para identificar o diabo! E também significa fofoqueiros maliciosos. Uma mulher piedosa não repetirá histórias prejudiciais sobre os outros. Ela não vai espalhar rumores ou meias-verdades que prejudicam a reputação de alguém.

As mulheres mais velhas não devem ser escravizadas ao vinho. Há uma conexão entre uma língua solta e uma bebida inebriante. Uma mulher que bebe provavelmente vai falar demais. Estes eram os vícios comumente associados ao tipo negativo de mulheres mais velhas na sociedade greco-romana.

As mulheres mais velhas devem ser capazes de ensinar o que é bom. A palavra “bom” poderia ser traduzida como “bela e pura”. Como vemos, foram as mulheres mais velhas, e não Tito, que ensinaram as mulheres mais jovens a serem verdadeiramente belas, ou seja, ser piedosas.

Isto é especialmente importante, pois a igreja vê mulheres mais jovens vindo a Cristo de origens pagãs. Talvez não tiveram modelos piedosos para ensiná-las a fazer de suas casas lugares atraentes para suas famílias. Elas não sabem como amar seus maridos e filhos. O feminismo mundano diz a elas para esquecer suas famílias e encontrar satisfação nas coisas do mundo. As mulheres mais velhas e piedosas devem falar sinceramente com elas ensinando o que é belo e atraente sobre um lar piedoso.

Assim, poderão orientar as mulheres mais jovens a amarem seus maridos. Neste texto, a palavra que Paulo usa implica o amor da amizade. Um marido e uma esposa devem cultivar um companheirismo intimo. O amor pelo seu marido começa em como você pensa nele todos os dias. Se você se queixar dos seus maus hábitos ou verbalmente o ataca todo o dia com suas palavras, você não o ama. Você deve começar agradecendo a Deus por ele e pensando sobre suas necessidades e como você pode realizá-las. O amor da amizade requer tempo juntos, compartilhando seus pensamentos e sentimentos, e acima de tudo, estudando a Palavra de Deus juntos.

As mulheres mais jovens não devem apenas amar seus maridos, mas também respeitá-los; Seu marido tem plena confiança nela e nunca lhe falta coisa alguma. Ela só lhe faz o bem, e nunca o mal, todos os dias da sua vida (Provérbios 31:11-12). Veja também Provérbios 31:28, 1 Pedro 3:1-6, Efésios 5:22-24.

Assim, poderão orientar as mulheres mais jovens a amarem seus seus filhos. Isso pode ser difícil às vezes, especialmente quando eles tentam sua paciência pela desobediência deles. Seria bom memorizar 1 Coríntios 13:4-7 para que você possa aprender como se relacionar com seu marido e filhos. O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.”

As mulheres mais jovens devem ensinar aos filhos os caminhos da Bíblia. Eles devem nutrir seus filhos com o amor de Cristo, discipliná-los com cuidado e sabedoria, e treiná-los no caminho que devem seguir. (Provérbios 22:6, Provérbios 31:26-28). E Deus ordenou a todo o Israel que Ame o Senhor, o seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todas as suas forças.  Que todas estas palavras que hoje lhe ordeno estejam em seu coração. Ensine-as com persistência a seus filhos. Converse sobre elas quando estiver sentado em casa, quando estiver andando pelo caminho, quando se deitar e quando se levantar (Deuteronômio 6:5-7).

As mulheres mais jovens devem ser prudentes. Isto literalmente significa estar no controle racional de seus impulsos e paixões.

As mulheres mais jovens devem ser puras. Isso se refere à pureza sexual. Você não deve se associar com nada que alimente sua imaginação com os supostos prazeres do romance ilícito. Se algo te está incomodando porque suas necessidades emocionais ou físicas não estão sendo satisfeitas, você precisa encontrar um tempo apropriado e falar honestamente e calmamente com seu marido sobre essas necessidades.

As mulheres mais jovens devem ter a beleza interior que só vem de Cristo. Elas devem usar sua criatividade e senso de estilo para criar beleza em sua vida e na vida de seus entes queridos. (1 Pedro 3:1-6)

As mulheres mais jovens devem estar ocupadas em casa. O lembrete aqui é que seu dever é primeiro para sua casa e família. Ela pode trabalhar fora de casa, mas nunca negligenciando seu principal chamado para estar atenta ao lar e à família. (Provérbios 31:13-15, Provérbios 31:27)

Ela cria uma atmosfera convidativa de calor e amor para sua família e convidados. Ela usa hospitalidade para ministrar àqueles que a rodeiam. (Provérbios 31:20-22)

Ela trabalha diligentemente para completar suas tarefas diárias. Ela não passa tempo olhando e pensando naquelas coisas que não agradam ao Senhor. (Filipenses 4:8)

As mulheres mais jovens devem ser bondosas. Esta característica também faz parte do fruto do Espírito dado por Paulo (Gálatas 5:22-23), que é relevante para todos os cristãos. A mulher bondosa pensa nas necessidades dos outros e se esforça para atender a essas necessidades. Quando um membro da família está chateado ou desanimado, ela responde com simpatia e palavras amáveis.

Uma mulher amável serve o marido, a família, os amigos e os vizinhos com um espírito gentil e amoroso. Sua casa não é apenas um refúgio seguro, mas também uma base para amar, servir e alcançar os outros.

As mulheres mais jovens devem estar sujeitas aos seus próprios maridos. Paulo também escreve sobre as esposas se submeterem a seu marido em (Efésios 5:22–33), assim como Pedro (1 Pedro 3:5). Em Tito, isso deve estar em contraste com a cultura dos não-crentes em Creta, onde as esposas provavelmente desrespeitaram seus maridos. Esta submissão não significa viver como uma serva ou nunca tomar iniciativa. Pelo contrário, significa viver com amor sob a liderança de seu marido. Paulo compara o casamento cristão com o relacionamento entre Cristo e a igreja (Efésios 5:22–33).

Para que ninguém difame a palavra de Deus. Isto é para deixar os falsos mestres sem chance de atacar a fé cristã.

Para nós, no Ministério Mission Venture, é um ataque pessoal quando ouvimos alguém menosprezando ou difamando nosso precioso Senhor e Salvador e a Bíblia. Nosso mundo hoje não é um lugar fácil para os cristãos que crêem na Bíblia, mas não devemos deixar que isso nos impeça de ensinar a verdade da Palavra de Deus. Jesus nos disse que seríamos perseguidos, assim como Ele foi (João 15:20), mas tudo o que Ele nos pede é defender Sua Palavra, a Bíblia, e compartilhar Sua mensagem do evangelho com graça e amor. E Deus fará o resto.

*******

Publicado por: mvmportugues | agosto 8, 2019

VOCÊ TEM UM FARDO PARA O PERDIDO? – Provérbios 11:30

O fruto da retidão é árvore de vida, e aquele que conquista almas é sábio. (Provérbios 11:30)

Você tem um fardo para os cristãos professos que nunca experimentaram o segundo nascimento? Você tem compaixão pelas pessoas que honram a Jesus com seus lábios, mas seus corações estão distantes Dele?

Infelizmente, esses falsos conversos são vítimas trágicas de um engano sutil, mas potencialmente fatal. A menos que sejam confrontados com a verdade, talvez nunca saibam que foram enganados. Um dia eles poderão ouvir as palavras mais terríveis que alguém poderia ouvir quando Jesus disser: “Nunca te conheci; afaste-se de Mim” (Mateus 7:23).

Essas preciosas almas foram levadas por um evangelho comprometido ou manipuladas para tomar uma decisão com métodos anti-bíblicos de evangelismo. Assim como Jesus advertiu os “mestres” do Seu tempo: “Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas, porque percorrem terra e mar para fazer um convertido e, quando conseguem, vocês o tornam duas vezes mais filho do inferno do que vocês (Mateus 23:15), nós devemos advertir aqueles que estão sendo aprisionados no falso ensinamentos de hoje.

Infelizmente, há muitos “líderes da igreja” que descobriram que podem ganhar um maior número de seguidores, tornando o Evangelho mais atraente e mais aceitável. Ao ampliar a estrada estreita, eles descobriram que podem construir igrejas maiores, trocando o evangelho de Deus por um evangelho “fácil de acreditar”. Lamentavelmente, esta versão diluída do Evangelho está ganhando popularidade dentro dos círculos evangélicos e deve ser exposta e confrontada com a verdade da Palavra de Deus.

O diabo gosta de ver falsos conversos sendo enganados em nome de Cristo. Ele continua a erguer falsos mestres para ensinar falsos evangelhos, falsos cristos, com o propósito de produzir falsos cristãos, com uma falsa esperança. O apóstolo Paulo nos alertou que a mesma serpente que enganou Eva por sua astúcia também envia seus obreiros para pregar outro Jesus e um evangelho diferente (2 Coríntios 11:3-4). Satanás odeia o Evangelho da graça e tem usado homens religioso cheios de orgulho como os fariseus e saduceus para perverter a mensagem desde que foi anunciada pela primeira vez. É por isso que Paulo nos informou que o Evangelho que ele pregou não estava de acordo com as tradições ou filosofia do homem; ele o recebeu diretamente de Deus através de uma revelação pura de Jesus Cristo (Gálatas 1:11-12).

A realidade assustadora é que ao invés de chamar os pecadores ao arrependimento e à fé em Jesus Cristo, os “líderes da igreja” estão pedindo aos incrédulos para repetir uma oração, para assinar um cartão, para levantar suas mãos, e se apresentem no altar e, ao invés de confiar em Jesus como seu Salvador somente precisam acreditar Nele. Nenhuma dessas tradições modernas tem qualquer fundamento bíblico. Não apenas desonram o Salvador, mas muitas vezes enganam as almas em uma falsa esperança de salvação.

Devemos advertir aqueles que estão enganando as pessoas de que não devem ir além do que está escrito (1 Coríntios 4:6). É extremamente perigoso manipular os requisitos de Deus para entrar em Seu Reino (Deuteronômio 4:2; Deuteronômio 12:32; Apocalipse 22:18). A menos que evangelizemos da maneira que  Deus instrui, corremos o sério risco de enganar as pessoas sobre seu destino eterno seremos estritamente julgados (Tiago 3:1).

O evangelismo bíblico requer fazer discípulos. Envolve ensinar as pessoas a observar tudo o que Cristo ordenou (Mateus 28:18-20). Seu primeiro mandamento foi arrependam-se e creiam nas boas novas!” (Marcos 1:15). O arrependimento é uma mudança na mente que é concedida por Deus e leva ao conhecimento da verdade (2 Timóteo 2:25). O arrependimento descrito na Bíblia é uma intimação para uma rendição incondicional pessoal, absoluta e final a Deus como Soberano. Embora inclua tristeza e arrependimento, é mais que isso. Ao se arrepender, a pessoa faz uma mudança completa de direção (de 180 °) em direção a Deus. Isso resulta em deixar ídolos a fim de servir ao Deus vivo e verdadeiro (1 Tessalonicenses 1:9), deixar as obras mortas e abraçando à fé (Hebreus 6: 1), e indo do pecado para a justiça e das tradições dos homens para Cristo e Sua Palavra (Atos 26:20).

A importância de chamar os pecadores ao arrependimento também é confirmada na última ordem dada por Jesus para: “pregar o arrependimento para perdão de pecados a todas as nações, começando por Jerusalém” (Lucas 24:47). Lembre-se, Jesus não veio para chamar os justos, mas os pecadores ao arrependimento (Lucas 5:32). Aqueles que respondem ao evangelho com arrependimento e fé, escaparão do reino das trevas e seguirão a Luz do mundo (João 8:12). Eles se desviarão do caminho largo e entrarão no caminho estreito que leva à vida eterna (Mateus 7:13-14).

É o dever e a responsabilidade de todo discípulo de Cristo lutar o bom combate da fé. Precisamos evitar que a semente imperecível da Palavra de Deus seja corrompida e contaminada por homens tolos que estão perseguindo suas próprias agendas. Devemos lutar pela pureza e exclusividade do Evangelho para a glória de Cristo e a santidade de Sua Igreja. Devemos ensinar só da Palavra de Deus de outra maneira os pecadores não conhecerão o Deus que eles ofendem ou o Deus que controla o seu destino.


É vital entender que Jesus Cristo veio à Terra para nos reconciliar com o Pai; Ele morreu na cruz para nos salvar de uma eternidade no inferno e nos dar o dom gratuito da salvação. É fundamental entender que, ao aceitá-Lo como nosso Salvador, também precisamos torná-Lo o Senhor de nossa vida.

Muitos dizem: “Jesus é meu Salvador, mas eu ainda não o fiz o Senhor da minha vida”. Por favor, entendam que as únicas pessoas prontas para o Seu retorno são aquelas que diariamente procuram trazer cada área de sua vida sob Seu Senhorio. Obediência, é a marca de um verdadeiro cristão e se você não tem certeza examinem-se para ver se vocês estão na fé (2 Coríntios 13:5), porque, aqueles que estão prontos para o retorno de Cristo buscam segui-Lo como Senhor.

Todos os verdadeiros crentes nascidos de novo devem compartilhar o evangelho, mesmo que seja para o seu vizinho; deveríamos estar orando ao Senhor da Colheita por mais trabalhadores, pois nunca há o suficiente; nunca devemos nos envergonhar do evangelho de Cristo, pois corremos o risco de que Jesus se envergonhe de nós no dia de Sua visitação. É por isso que Jesus veio ao mundo para buscar aqueles que estavam perdidos; e, é isso que devemos fazer também.

Para encerrar, peça a Deus para lhe dar um fardo para os perdidos. Ore por eles, especialmente aqueles com quem você tem contato frequente. Quando Deus dá a oportunidade, compartilhe o evangelho, ore pelos missionários e dê para que eles possam levar o evangelho àqueles que nunca ouviram falar de Cristo; porque o amor de Cristo e o amor da verdade de Deus devem nos impelir a ter um fardo para as almas perdidas.

Lembre-se: Quem converte um pecador do erro do seu caminho, salvará a vida dessa pessoa (Tiago 5:20).

*******

Publicado por: mvmportugues | agosto 1, 2019

UM ENTENDIMENTO BÍBLICO DE ANJOS – Jó 38:4-7

Primeiro, a Bíblia nos diz que os anjos existiram antes de Deus criar qualquer coisa no universo, conforme aprendemos da conversa que Ele teve com Jó. “Onde você estava quando lancei os alicerces da terra? Responda-me, se é que você sabe tanto. Quem marcou os limites das suas dimensões? Talvez você saiba! E quem estendeu sobre ela a linha de medir? E os seus fundamentos, sobre o que foram postos? E quem colocou sua pedra de esquina, enquanto as estrelas matutinas juntas cantavam e todos os anjos se regozijavam? (Jó 38:4-7)

Segundo, precisamos entender que o número de anjos é insondável e o apóstolo João nos dá um vislumbre de sua multitude em Apocalipse 5:11, quando ele olhou e ouviu a voz de muitos anjos, milhares de milhares e milhões de milhões; e o livro de Hebreus fala sobre “seus milhares de anjos” significando números incalculáveis, Hebreus 12:22.

Deus criou anjos para muitos propósitos, inclusive para nos guiar, proteger e incentivar. Os anjos são servos de Deus, enviados por Ele ao mundo para servir a Sua vontade. No entanto, um dos papéis mais importantes dos anjos é louvar e glorificar a Deus.

Lucas 2:13-14 nos diz que, de repente, uma grande multidão do exército celestial apareceu com o anjo, louvando a Deus e dizendo:  “Glória a Deus nas alturas, e paz na terra aos homens aos quais ele concede o seu favor.”

Apocalipse 4:8 diz: Dia e noite, repetem sem parar: “Santo, santo, santo é o Senhor Deus, o Todo-poderoso, que era, que é e que ainda virá.”

Em Apocalipse 5:11-12, lemos: Então olhei novamente e ouvi as vozes de milhares e milhões de anjos ao redor do trono, ….Cantavam com forte voz: “Digno é o Cordeiro que foi sacrificado de receber poder e riqueza, sabedoria e força, honra, glória e louvor!”

E em Apocalipse 7:11-12 vemos onde todos os anjos estavam em pé ao redor do trono, dos anciãos e dos quatro seres vivos. Prostraram-se com o rosto em terra diante do trono e adoraram a Deus, cantando: “Amém! Louvor e glória e sabedoria, gratidão e honra, força e poder pertencem a nosso Deus, para todo o sempre. Amém!”

Anjos são seres espirituais criados (Neemias 9:6 e Hebreus 1:14); no entanto, a Bíblia ensina claramente que eles podem assumir a forma humana e aparecer para as pessoas. No Antigo Testamento, há aparições registradas de anjos a Abraão, Agar, Ló, Jacó, Moisés, Josué, Gideão, Davi, Daniel e muitos outros. O Novo Testamento começa com uma série de aparições angélicas relacionadas ao nascimento do Messias. Após a morte de Jesus, anjos apareceram em Sua tumba e em Sua ascensão. Pedro, João, Filipe e Paulo tiveram encontros angelicais em seus ministérios.

Quando os anjos assumem a forma humana, eles aparecem como qualquer pessoa normal (Gênesis 18:1-2 e Gênesis 19:1-2), e quando eles se manifestam em sua forma espiritual, eles tendem a aparecer brilhando como um relâmpago, e suas vestes são brancas como a neve (Mateus 28:1-4).

Em suas aparições bíblicas, os anjos sempre se manifestam como homens. Não há menção de que eles tenham asas. A ideia de que os anjos têm asas está enraizada na descrição bíblica de alguns seres angélicos especiais chamados Serafins e Querubins que residem na sala do trono de Deus no céu. Os serafins são descritos como tendo seis asas em Isaías 6:2, e os querubins são representados com quatro asas em Ezequiel 1:5-6.

Anjos não se casam ou procriam como é declarado em Mateus 22:30 e Lucas 20:36 nos dizem que eles não envelhecem nem estão sujeitos à morte.

Enquanto todos os anjos foram no princípio criados santos e sem pecado, e Satanás era originalmente um dos anjos mais gloriosos de Deus, “cheio de sabedoria e perfeito em beleza” (Ezequiel 28:12); seu coração ficou orgulhoso por causa de sua beleza (Ezequiel 28:17), e seu orgulho o motivou a tentar tomar o trono de Deus (Isaías 14:12-14). Devido à sua rebelião, ele foi expulso do Céu, para a terra, e um terço dos anjos foram expulsos com ele porque eles se juntaram em sua rebelião (Apocalipse 12:4).

A Bíblia não nos diz quando esta revolta ocorreu, mas foi mais provável após o fim da semana da criação, porque no final daquela semana Deus declarou que toda a Sua criação era “boa” (Gênesis 1:31).

Deus trabalha através de anjos, no entanto, é Deus quem toma a decisão de dirigir um anjo para fazer a Sua vontade, e não é a decisão de um anjo de agir de forma independente de Deus, portanto:

Anjos realizam o julgamento de Deus. Com seu poder dado por Deus, eles realizam qualquer coisa que Deus os envia para fazer. No livro do Apocalipse, nós os vemos como agentes vitais para derramar os terríveis juízos da Tribulação, e até mesmo em batalha com Satanás e seus anjos maus para impedi-los de qualquer acesso ao céu, confinando-os ao reino da terra em antecipação do cativeiro e derrota final de Satanás, conforme descrito em Apocalipse 12 e 20.

Eles foram enviados para destruir Sodoma e Gomorra (Gênesis 19:12-15). Um anjo do Senhor matou 185.000 soldados assírios em uma noite para evitar que atacassem Jerusalém (2 Reis 19:35). O Salmo 78:49 fala de um “grupo de anjos destruidores” que foi enviado para atormentar os judeus no deserto quando eles se rebelaram contra Deus. O Novo Testamento deixa claro que Deus executará os juízos do fim dos tempos sobre as nações por meio de anjos (Mateus 13:49-50 e Judas 14-15).

Anjos separarão o trigo do joio (os salvos dos perdidos) no julgamento final, como Mateus 13:38-42 nos diz: “…O Filho do homem enviará os seus anjos, e eles tirarão do seu Reino tudo o que faz tropeçar e todos os que praticam o mal.…”

Anjos protegem o povo de Deus. O Salmo 91:11-12 declara:
Deus mandará que os anjos dele cuidem de você para protegê-lo aonde quer que você for. Eles vão segurá-lo com as suas mãos, para que nem mesmo os seus pés sejam feridos nas pedras. Em Mateus 18:10, Cristo fez uma declaração a respeito das criancinhas quando Ele disse: “Cuidado para não desprezarem um só destes pequeninos! Pois eu lhes digo que os anjos deles nos céus estão sempre vendo a face de meu Pai celeste, o que é uma referência provável a um anjo da guarda.

Também vemos o Anjo do Senhor protegendo os três hebreus na fornalha (Daniel capítulo 3), e vigiando Daniel na cova dos leões (Daniel capítulo 6).

Anjos proveem. Eles foram enviados por Deus para sustentar o Senhor no final de seus quarenta dias no deserto (Mateus 4:11); e um anjo providenciou pão e água para Elias (1 Reis 19:5-6).

Anjos resgatam os crentes. Em Atos 5:19, o anjo resgata Pedro e João da prisão e em Atos 12:3-19 lemos que Pedro foi colocado na prisão pelo rei Herodes, mas na noite anterior ao seu julgamento um anjo lhe apareceu, e disse-lhe para sair. As algemas caíram dos punhos de Pedro e ele seguiu o anjo para fora da prisão, pensando que era uma visão. Eles passaram a primeira e a segunda guarda, e chegaram ao portão de ferro que dava para a cidade. Este se abriu por si mesmo para eles, e passaram. Tendo saído, caminharam ao longo de uma rua e, de repente, o anjo o deixou. Então Pedro caiu em si e disse: “Agora sei, sem nenhuma dúvida, que o Senhor enviou o seu anjo e me libertou das mãos de Herodes e de tudo o que o povo judeu esperava.”

 Anjos aconselham e consolam. Como vemos o anjo confortando Hagar depois que ela fugiu de Sarai. O Anjo do Senhor encontrou Hagar perto de uma fonte no deserto, no caminho de Sur, e perguntou-lhe: “Hagar, serva de Sarai, de onde você vem? Para onde vai?” Respondeu ela: “Estou fugindo de Sarai, a minha senhora.” Disse-lhe então o Anjo do Senhor: “Volte à sua senhora e sujeite-se a ela”. Disse mais o Anjo: “Multiplicarei tanto os seus descendentes que ninguém os poderá contar” (Gênesis 16:7-10).

Os anjos têm seu propósito no reino de nosso Pai; no entanto, quando estudamos cuidadosamente sobre anjos, encontramos um aviso muito sério no último livro e capítulo da Bíblia. João escreve: Eu, João, sou aquele que ouviu e viu estas coisas. Tendo-as ouvido e visto, caí aos pés do anjo que me mostrou tudo aquilo, para adorá-lo. Mas ele me disse: “Não faça isso! Sou servo como você e seus irmãos, os profetas, e como os que guardam as palavras deste livro. Adore a Deus! (Apocalipse 22:8-9).

Os anjos são poderosos e impressionantes de muitas maneiras, mas, como nós, eles são apenas criaturas e servos do Deus vivo que somente merece nossa adoração.

Precisamos lembrar que a igreja em Colossos havia sido invadida por falsos mestres que ensinavam uma falsa humildade e a adoração de anjos, reivindicando percepções místicas especiais por meio de visões relacionadas à adoração de anjos; portanto, a Bíblia diz: Não permitam que ninguém que tenha prazer numa falsa humildade e na adoração de anjos os impeça de alcançar o prêmio. Tal pessoa conta detalhadamente suas visões, e sua mente carnal a torna orgulhosa (Colossenses 2:18). Isso era demoníaco porque estava usurpando o lugar proeminente e a suficiência de Cristo como Salvador e Senhor. A alegação era de que Jesus Cristo não é suficiente para salvação e espiritualidade; o que você precisa é adorar anjos. Isso é extremamente perigoso, então cuidado porque Lúcifer era originalmente um dos anjos mais gloriosos de Deus, “cheio de sabedoria e perfeito em beleza,” e agora anda ao redor como um leão que ruge, procurando alguém para devorar (1 Pedro 5:8).

*******

Publicado por: mvmportugues | julho 25, 2019

TEMOS UM DEUS AMOROSO DE SEGUNDAS OPORTUNIDADES – Salmo 86:15

As pessoas podem nos dizer que arruinaram a sua vida e destruíram a esperança de algo bom vir em sua direção; mas isto não é verdade. Quando estamos desesperados e pensamos que nossa vida está destruída, é exatamente nesse momento que Deus quer chamar nossa atenção e fazer algo maravilhoso, se O permitirmos! Quando pedimos a Deus para assumir o controle da situação, Ele nos guiará, e começaremos a perceber que Ele é capaz de realizar infinitamente mais do que poderíamos pedir ou imaginar. A Ele seja a glória na igreja e em Cristo Jesus por todas as gerações, para todo o sempre! Amém (Efésios 3:20-21).

A Bíblia está cheia de pessoas que receberam segundas oportunidades, e até terceira e quarta chances: Jonas, Sansão, Zaqueu, Pedro, o ladrão na cruz e outros.

Davi foi a escolha de Deus para ser o rei de Israel e aquele a quem Deus declarou ser “um homem segundo o seu coração.” Mas Davi dormiu com Bate-Seba, a esposa de um de seus mais leais oficiais do exército. Davi matou seu marido em batalha e se casou com ela. Deus enviou Natã, o profeta, para confrontar Davi e ele se arrependeu (Salmo 51), e Deus perdoou o pecado de Davi. Embora a criança nascida de Davi e Bate-Seba tenha morrido, Deus restaurou o casal e os fez pais do grande rei Salomão, cujo descendente foi Jesus Cristo, como lemos em 2 Samuel 11, 12.

Um dos incríveis aspectos do caráter de Deus é Sua incrível paciência conosco. Salmo 86:15 nos diz: Mas tu, Senhor, és Deus de compaixão e misericórdia, lento para se irar e cheio de amor e fidelidade. E em Miquéias 7:18 lemos: Que outro Deus há semelhante a ti, que perdoas a culpa do remanescente e esqueces os pecados dos que te pertencem? Não permanecerás irado com teu povo para sempre, pois tens prazer em mostrar teu amor.

Não importa o que tenhamos feito, Deus nos ama e está ansioso para nos perdoar; tudo o que temos que fazer é pedir. Nada é grande demais para Deus perdoar pois, se
confessamos nossos pecados, Ele é fiel e justo para perdoar nossos pecados e nos purificar de toda injustiça (1 João 1:9).

Deus restaurará um coração humilde, uma vez que aceitemos as conseqüências de nossas ações. Talvez precisar devolver algum dinheiro, pedir desculpas a alguém, pagar uma multa ou penalidade, recuperar a confiança de outra pessoa ou corrigir um problema que ajudamos a criar. Mesmo que isso signifique admitir que estávamos errados e nos sentimos envergonhados, esses importantes passos devem ser dados para obedecer plenamente a Deus e aprender a viver em obediência a Ele. O Salmo 25:9 diz: Ele guiará os mansos retamente; e aos mansos ensinará o Seu caminho.

Mesmo que tenhamos desistido de nós mesmos, Deus não desiste de nós. Em toda a Escritura, o Senhor pede ao Seu povo que se afaste do orgulho, pecado e rebelião e volte para Ele. Se escolhermos não obedecer a Deus e seguir nosso próprio caminho, Ele nos persegue; Ele nunca desiste de nós, mesmo quando insensatamente insistimos em fazer as coisas do nosso jeito e escolhemos desobedecê-Lo. Ele nos permite lidar com as conseqüências de nossa desobediência, mas Ele nunca está longe, esperando que voltemos a Ele. Quando finalmente paramos de lutar, reconhecemos nosso pecado e clamamos a Ele, Ele vem de braços abertos para nos dar o que mais precisamos, Ele mesmo, porque Ele nos ama! Joel 2:13 nos diz: Voltem para o Senhor, seu Deus, pois Ele é misericordioso e compassivo, lento para se irar e cheio de amor; está sempre pronto a voltar atrás e não castigar.

O objetivo de Deus é nos santificar, tornar-nos como Jesus, tornando-nos em pessoas amorosas e maduras, no entanto, para algumas, essas mudanças levam tempo. Esta vida é o processo que nos prepara para a próxima! Então, quando tropeçarmos e cairmos, não devemos desistir! Precisamos levantar novamente e manter nosso foco em Jesus, mesmo se temos que mancar durante algum tempo! Portanto, também nós, uma vez que estamos rodeados por tão grande nuvem de testemunhas, livremo-nos de tudo o que nos atrapalha e do pecado que nos envolve, e corramos com perseverança a corrida que nos é proposta,  tendo os olhos fitos em Jesus, autor e consumador da nossa fé. . . . (Hebreus 12:1-2).

Se você perdeu o seu rumo na vida e seguiu na direção errada, há boas notícias, Deus está esperando por você! Ele considera você valioso demais para perder. Como Jesus disse aos seus discípulos: Se alguém possui cem ovelhas, e uma delas se perde, não deixará as noventa e nove nos montes, indo procurar a que se perdeu? E se conseguir encontrá-la, garanto-lhes que ele ficará mais contente com aquela ovelha do que com as noventa e nove que não se perderam. Da mesma forma, o Pai de vocês, que está nos céus, não quer que nenhum destes pequeninos se perca” (Mateus 18:12-14).

Assim como Deus é paciente e perdoador, Ele quer que Seus filhos sejam pacientes e perdoem os outros. Portanto, como povo escolhido de Deus, santo e amado, revistam-se de profunda compaixão, bondade, humildade, mansidão e paciência (Colossenses 3:12). O Senhor nos dá segundas chances, e devemos dar o mesmo a outros. Jesus dá uma severa advertência àqueles que se recusam a perdoar, dizendo que se não perdoarmos a outros, Deus não nos perdoará (Mateus 6:15; Efésios 4:32; Colossenses 3:13). Se alguém está verdadeiramente arrependido, então somos obrigados a perdoar (Mateus 18:21-22).

Às vezes a pessoa precisa atingir o fundo, porque só então Deus pode trabalhar com eles e trazê-los aos seus sentidos. Deus faz todo o possível para nos atrair ao arrependimento, oferecendo perdão e segundas chances (2 Pedro 3:9); mas se continuamos a rejeitá-Lo, a oferta é retirada e, na morte, não há mais chances (Hebreus 9:27).

O evangelismo e compartilhar o evangelho é simplesmente um pródigo dizendo a outro pródigo que o sangue foi derramado, o preço foi pago e o Pai está esperando e desejando que ele volte para casa.

Lembrem-se que “o amor do Senhor não tem fim! Suas misericórdias são inesgotáveis. Grande é sua fidelidade; suas misericórdias se renovam cada manhã” (Lamentações 3:22-23).

*******

Publicado por: mvmportugues | julho 18, 2019

CARACTERÍSTICAS DE UM VERDADEIRO CRISTÃO – Romanos 12:9-21

Como você pode ter certeza de que é um cristão? Romanos 12:9-21

Aqui estão algumas características de um verdadeiro cristão nas quais você pode ter certeza de que você nasceu de novo e que o Espírito Santo está vivendo dentro de você, trabalhando em você, e fornecendo evidências bíblicas sólidas de que você é um cristão e que você pode saber que você é salvo.

Em primeiro lugar, um verdadeiro cristão entende o plano de salvação e tem um grande desejo de compartilhá-lo com aqueles que estão perdidos.

Em segundo lugar, eles amam e honram a Jesus acima de tudo. Enquanto os cristãos amam sua família e amigos, eles colocam o Senhor acima de tudo, e isto é evidente em suas prioridades. Os acontecimentos cotidianos podem ser parte de suas vidas, mas as coisas e necessidades materiais nunca vêm antes de Cristo e de seguir Sua Palavra.

O seu desejo controlador é de abster-se do pecado e de viver uma vida humilde e santa; para honrar o Deus Todo-Poderoso, nosso Criador e Salvador.

Eles são generosos e têm uma atitude que sacrifica. Os cristãos verdadeiros sempre colocam os outros em primeiro lugar e põem as necessidades genuínas de alguém antes das suas próprias. Isso é evidente no seguidor de Cristo pelas suas ações altruístas e atos de bondade.

A humildade e a modéstia são traços fundamentais de um verdadeiro cristão. Ser humilde é ser um discípulo de Jesus Cristo, porque o próprio Senhor foi verdadeiramente humilde. Mesmo sendo Deus, Ele se humilhou e foi obediente até a morte, e morte de cruz! (Filipenses 2:8). Os discípulos de Cristo também são modestos, na aparência e no modo como vivem e agem. As pessoas sempre podem saber quando estão na presença de homens e mulheres “que amam a Deus”, porque Jesus é sempre o centro da atenção.

Eles têm autocontrole de suas emoções e ações; o que é evidente na maneira como eles se comportam, independentemente de como os outros agem em relação a eles. Se eles são criticados, ridicularizados ou perseguidos por sua fé, eles respondem com bondade, assim como Jesus o fez.

Um verdadeiro cristão professa que Cristo é Deus e o mantém na mais alta estima (1 João 4:1-3, 1 João 4:13-15). Eles praticam a justiça (1 João 2:28-29) e fazem as coisas que se ajustam ao padrão justo de Deus.

Um filho de Deus tem o Espírito Santo vivendo dentro dele capacitando-o a viver uma vida pura, limpa, honesta e santa. Ele se sente profundamente convicto quando peca e imediatamente confessa, se arrepende e pede perdão a Deus (1 João 1:8-10).

As pessoas que vivem e trabalham entorno de um cristão vêem a humildade e santidade de Jesus expressas em sua vida diária e sabem que são cristãos porque andam como Cristo andou (1 João 2:4-5); eles vêem seu desejo de imitar a Cristo e crescer em conformidade com Ele.

Os cristãos amam outros crentes verdadeiros. Jesus disse,  “Um novo mandamento lhes dou: Amem-se uns aos outros. Como eu os amei, vocês devem amar-se uns aos outros. Com isso todos saberão que vocês são meus discípulos, se vocês se amarem uns aos outros” (João 13:34-35). Eles desejam a comunhão uns dos outros e procuram ajudar uns aos outros a crescer no conhecimento de Cristo.

Os verdadeiros crentes oram regularmente e estão em comunhão com Deus. Eles adoram aprender mais sobre Deus e o Salvador, e tem fome e sede pela Palavra de Deus. Este é um forte indicador de que o Espírito Santo está trabalhando ativamente em sua vida. Nas bem-aventuranças, Jesus disse: Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, pois serão satisfeitos (Mateus 5:6).

Os cristãos anseiam e desejam buscar a santidade porque, sem santidade, ninguém verá o Senhor (Hebreus 12:14).

Os crentes obedecem ao Senhor como o construtor sábio e não como o tolo (Lucas 6:46-49). Eles não querem ouvir o que Jesus disse aos hipócritas: “Por que vocês Me chamam de ‘Senhor, Senhor’ e não fazem o que eu digo?”

Aqueles que são nascidos de novo têm um grande desejo de buscar aqueles que estão perdidos e compartilhar o amor de Cristo com eles; eles têm os mesmos desejos que Deus tem para aqueles que perecerão sem Cristo (João 3:16).

Se temos essas qualidades, e elas estão aumentando em nós, temos evidências de que chegamos a conhecer o Senhor e estamos produzindo os frutos de um filho de Deus. No entanto, se essas qualidades estiverem ausentes de nossa vida, devemos ter uma grande preocupação por nossa alma. Devemos ser diligentes em buscar a Deus em relação à nossa salvação. Devemos reexaminar-nos para ver se estamos na fé (2 Coríntios 13:5); e devemos ser diligentes e tornar seguros nosso chamado e nossa eleição (2 Pedro 1:8-11).

Se você gostaria de saber como ser salvo e ter vida eterna com Jesus Cristo, clique no seguinte link: SOBRE A SALVAÇÃO.

*******

Older Posts »

Categorias