Publicado por: mvmportugues | julho 4, 2019

QUAL É O RESULTADO DAQUELES QUE NÃO OBEDECEM A DEUS? – 1 Pedro 4:17-18

Pois chegou a hora de começar o julgamento pela casa de Deus; e, se começa primeiro conosco, qual será o fim daqueles que não obedecem ao evangelho de Deus? E, “se ao justo é difícil ser salvo, que será do ímpio e pecador?” (1 Pedro 4:17-18)

À medida que nos familiarizamos com a palavra de Deus, vemos que o julgamento é um tema recorrente em toda a Bíblia. O plano de Deus inclui um julgamento final sobre os iníquos e todos os que rejeitam o sacrifício de Jesus Cristo como pagamento pelos seus pecados (Hebreus 10:26-27). Ao lermos 1 Pedro 4:17, vemos que o julgamento de Deus começa na casa de Deus e que os cristãos também enfrentam o julgamento de Deus: Pois chegou a hora de começar o julgamento pela casa de Deus; e, se começa primeiro conosco, qual será o fim daqueles que não obedecem ao evangelho de Deus?

Ao olharmos para este versículo, Pedro está exortando à igreja – a casa de Deus – que estava enfrentando perseguição, para perseverar. Os crentes também estavam lutando para se separar dos antigos pecados mundanos que antes os haviam escravizado:
Portanto, uma vez que Cristo sofreu corporalmente], armem-se também do mesmo pensamento, pois aquele que sofreu em seu corpo rompeu com o pecado, para que, no tempo que lhe resta, não viva mais para satisfazer os maus desejos humanos, mas sim para fazer a vontade de Deus. No passado vocês já gastaram tempo suficiente fazendo o que agrada aos pagãos. Naquele tempo vocês viviam em libertinagem, na sensualidade, nas bebedeiras, orgias e farras, e na idolatria repugnante. Eles acham estranho que vocês não se lancem com eles na mesma torrente de imoralidade, e por isso os insultam (versículos 1–4). Pedro os faz lembrar que os ímpios enfrentarão o julgamento de Deus e que terão que prestar contas Àquele que está pronto para julgar os vivos e os mortos (versículo 5), mas que os crentes em Cristo devem manter um padrão mais elevado do que antes. As “provações de fogo” que eles estavam enfrentando eram para ajudar a refiná-los como o ouro (versículo 12).

Deus permite dificuldades e sofrimento na vida de Seu povo para purificá-los. Quando somos perseguidos pela causa de Cristo, compartilhamos Seus sofrimentos como Pedro escreve nos versículos 13–14: Mas alegrem-se à medida que participam dos sofrimentos de Cristo, para que também, quando a sua glória for revelada, vocês exultem com grande alegria. Se vocês são insultados por causa do nome de Cristo, felizes são vocês, pois o Espírito da glória, o Espírito de Deus, repousa sobre vocês. E quando compartilhamos Seu sofrimento, é porque queremos conhecê-Lo melhor (Filipenses 3:10). Paulo também repete esse mesmo tema em Romanos 8:17: Se somos filhos, então somos herdeiros; herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo, se de fato participamos dos seus sofrimentos, para que também participemos da sua glória.Parte do julgamento de Deus sobre o pecado é o sofrimento físico. Quando Seus filhos experimentam tal sofrimento, não é para nos prejudicar, mas para nos tornar mais parecidos com Cristo. O “julgamento” para os filhos de Deus pode ser considerado disciplina (Hebreus 12:4–11), e é projetado para purificar o pecado de nossa vida e nos ensinar obediência.

Um pai amoroso não disciplina outras crianças, porque elas não são suas, ele somente disciplina seus próprios filhos. Da mesma forma, a disciplina do nosso Pai celestial começa em Sua própria casa, com Seus próprios filhos, a igreja. Ele está reservando para o ímpio um julgamento final que Seus filhos nunca experimentarão (Romanos 8:1). As Escrituras fazem uma distinção entre a disciplina purificadora de Deus na igreja e Sua condenação final aos ímpios: Quando, porém, somos julgados pelo Senhor, estamos sendo disciplinados para que não sejamos condenados com o mundo (1 Coríntios 11:32).

Nesta época atual, Deus permite circunstâncias dolorosas nas vidas de Sua própria família, não para condenar, mas para amadurecer, convencer e trazer arrependimento (2 Coríntios 7:10). Através do sofrimento, aprendemos a paciência (Tiago 1:2–4). Este tipo de julgamento é para nos encorajar a abandonar o egoísmo e nos aproximarmos Dele (Tiago 4:8). O último julgamento final para os incrédulos será a eterna separação de Deus, da vida, e de tudo que é bom e puro (Mateus 8:11–12; Apocalipse 21:8).

O julgamento que começa na casa de Deus também inclui a disciplina da igreja. A disciplina da igreja não é para os incrédulos, mas para os crentes: “Pois, como haveria eu de julgar os de fora da igreja? Não devem vocês julgar os que estão dentro?” (1 Coríntios 5:12). Os crentes são ordenados a assumir a responsabilidade por outros seguidores de Cristo que possam estar vacilando e indo em direção ao pecado (Tiago 5:20). E muitos pastores e líderes da igreja também precisam ser disciplinados.

Primeira de Coríntios 5:11–13 nos ordena a evitar comunhão com alguém que afirma ser irmão ou irmã em Cristo, mas que insiste em manter um estilo de vida pecaminoso. Jesus apresenta o processo para a disciplina da igreja em Mateus 18:15–17. Alguém que foi confrontado várias vezes e advertido que as escolhas que ele está fazendo estão em oposição a Deus precisa se arrepender. Se ele se recusar a ouvir a igreja, devemos nos afastar dele na esperança de que essa ação drástica traga arrependimento. Como crentes, devemos buscar a santidade e encorajar uns aos outros a persegui-la também (1 Pedro 1:15–16).

No versículo 18, Pedro parece estar citando Provérbios 11:31 – Se os justos recebem na terra a punição que merecem, quanto mais o ímpio e o pecador! E reforça o ponto de que se o pecador justificado é salvo apenas com grande dificuldade, sofrimento, dor e perda, qual será o fim do ímpio?

O cristão superficial, pensa quanto pecado eu posso cometer e não ser julgado? Enquanto um verdadeiro cristão nascido de novo anseia honrar a Jesus em tudo que ele diz e faz, e ele quer que Jesus seja o centro das atenções, cada momento que ele vive.

Como vemos, o desejo de Deus é que Seu povo aprenda a andar em santidade e comunhão com Ele (Romanos 8:29). Como qualquer pai amoroso faria, Deus trará conseqüências desagradáveis ​​sobre Seus filhos pela sua rebelião. Ele espera que os que Ele redimiu pelo sangue de Seu Filho para dar o exemplo para o resto do mundo. Se a igreja não está em busca da santidade, o mundo não vê a necessidade de mudar seu estilo de vida; por isso, o julgamento começa na casa de Deus, com Seus próprios filhos, conforme Ele nos ensina a viver como Cristo.

 

*******


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: