Publicado por: mvmportugues | dezembro 7, 2017

GLÓRIA A DEUS NAS ALTURAS – O REI NASCEU – Lucas 2:14

“Glória a Deus nas alturas, paz na terra, boa vontade para com os homens!” (Lucas 2:14)

Durante esta época do ano em que celebramos o nascimento de nosso Salvador; mesmo que ninguém conheça a data exata do nascimento de nosso Senhor, devemos exaltar-Lo e honrá-Lo pelo o que Ele fez; porque em Sua encarnação, na descida de Sua posição majestosa desde a eternidade passada, Ele foi feito à semelhança dos homens através de uma concepção milagrosa e um nascimento virgem. Jesus nasceu de uma mulher para que Ele pudesse morrer por Seu povo: “Mas, quando chegou a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido debaixo da Lei, a fim de redimir os que estavam sob a Lei, para que recebêssemos a adoção de filhos” (Gálatas 4:4-5). 

O Filho de Deus deixou Sua glória no céu e a adoração dos anjos para vir à Terra e ser rejeitado pelo Seu povo (João 1:11). “Ele foi desprezado e rejeitado pelos homens, um homem de dores e experimentado no sofrimento. Como alguém de quem os homens escondem o rosto, foi desprezado, e nós não o tínhamos em estima” (Isaías 53:3). A sua chegada à terra foi uma descida voluntária de Sua posição como o majestoso Rei do universo para se tornar um escravo, por causa de Seu amor por nós. Seu propósito era que o homem caído fosse reconciliado com o Pai, portanto, Ele veio como um servo sofredor para dar a Sua vida como um resgate por muitos (Mateus 20:28). 

Neste grande ato de humildade e amor para nós, o Filho do Homem foi desonrado, envergonhado, zombado, espancado e flagelado e, no entanto, manteve-se em silêncio: “Ele se humilhou sendo obediente até a morte, mesmo a morte numa cruz” (Filipenses 2:8). Sua descida divina atingiu seu ponto mais baixo quando o Filho do Homem perfeito e sem pecado se tornou pecado por nós, para que nele nos tornássemos justiça de Deus (2 Coríntios 5:21). Enquanto Ele estava colgado na cruz assumindo os pecados da humanidade e pagando por eles, o Filho de Deus que não tinha pecado nenhum gritou: “Meu Deus, meu Deus, por que você me abandonou?” (Mateus 27:46). 

Precisamos entender que Jesus não estava questionando Deus; Ele estava citando a primeira linha do Salmo 22, uma expressão profunda da angústia que Ele sentiu quando Ele assumiu os pecados do mundo, que O separou do Seu Pai. A agonia física foi horrível, mas pior ainda foi o período de separação espiritual de Deus. Isso foi o que Jesus temia enquanto orava a Deus no jardim de Getsêmani, se possível, que este cálice passasse Dele (Mateus 26:39). 

Depois que o Filho do Homem experimentou a profundidade da dor, humilhação e morte, Deus o levantou gloriosamente dentre os mortos (Mateus 28:6). Sua obra perfeita de redenção foi concluída, a justiça divina foi cumprida e o poder do pecado e da morte foi derrotado. Quarenta dias depois, Jesus subiu à glória do céu (Atos 1:9). O servo sofredor foi levantado para ser o Pastor Soberano de Sua ovelha e um defensor com o Pai (1 João 2:1). “Por isso Deus o exaltou à mais alta posição e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai” (Filipenses 2:9-11). 

Como Senhor dos senhores, o Seu Nome merece toda dignidade, honra, poder e posição; e Deus “sentou-o à sua direita nos lugares celestiais, muito acima de todo governo e autoridade, poder e domínio, e de todo nome que se possa mencionar, não apenas nesta era, mas também na que há de vir” (Efésios 1:20-21). 

Nosso Criador e Salvador foi crucificado para ser coroado Rei dos reis. Tendo “suportado a cruz,” Ele “se sentou à direita do trono de Deus” (Hebreus 12:2). Nosso supremo Sacerdote Perfeito, ofereceu-se como o único sacrifício aceitável, para um Deus perfeito que exige perfeição e depois declarou em vitória: “Está consumado!” (João 19:30). 

Como nosso Sumo Sacerdote, Ele é capaz de salvar definitivamente aqueles que, por meio dele, aproximam-se de Deus, pois vive sempre para interceder por eles. (Hebreus 7:25). Após Sua perfeita obediência à vontade de Seu Pai, o Senhor Jesus voltou à glória que Ele teve com o Pai antes que o mundo existisse (João 17:5). 

Que Deus nos conceda uma maior compreensão do amor insondável que Jesus tem para nós, para que nossos corações possam ser preenchidos com maior amor e devoção por Ele. E independentemente da época, que proclamemos as grandezas Daquele que nos chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz (1 Pedro 2:9). 

Jesus, o Filho de Deus, nosso Redentor é o único que merece toda a glória: “Ao Rei eterno, o Deus único, imortal e invisível, sejam honra e glória para todo o sempre. Amém” (1 Timóteo 1:17). 

Em nosso ministério “Mission Venture”, nós O serviremos a qualquer hora, em qualquer lugar e faremos qualquer coisa por Ele, porque Jesus é digno de todo o nosso louvor e honra! 

Homens e mulheres sábios ainda buscam, obedecem e O adoram!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: