Publicado por: mvmportugues | novembro 23, 2017

O PODER QUE DEUS DÁ A CADA CRISTÃO PARA VIVER UMA VIDA PIADOSA – 2 Pedro 1:2-11

Pedro começa sua carta com: “Graça e paz lhes sejam multiplicadas, pelo pleno conhecimento de Deus e de Jesus, o nosso Senhor” (2 Pedro 1: 2). 

Muitos crentes querem uma abundância da graça e da paz de Deus, mas eles não estão dispostos a fazer o esforço para conhecer Deus melhor através do estudo bíblico e da oração. Para desfrutar os privilégios que Deus nos oferece livremente, temos a Bíblia disponível para nós que nos instrui no “conhecimento de Deus e de Jesus o nosso Senhor”. 

Enquanto Pedro continua, lemos isso: Seu divino poder nos deu tudo de que necessitamos para a vida e para a piedade, por meio do pleno conhecimento daquele que nos chamou para a sua própria glória e virtude.  Dessa maneira, ele nos deu as suas grandiosas e preciosas promessas, para que por elas vocês se tornassem participantes da natureza divina e fugissem da corrupção que há no mundo, causada pela cobiça”  (2 Pedro 1:3-4). 

O poder de viver uma vida piedosa não vem de nós, mas de Deus. Já que não temos os recursos para ser verdadeiramente piedosos, Deus nos permite “participar da natureza divina” para nos impedir do pecado e nos ajudar a viver para Ele. 

Quando realmente nascemos de novo, Deus pelo Seu Espírito nos capacita com Sua própria bondade moral. Quando somos “nascidos de novo”, nos tornamos uma pessoa nova em Cristo Jesus. A Bíblia declara que Ele nos resgatou do domínio das trevas e nos transportou para o Reino do seu Filho amado. Isso significa que já não comemos mais da lata de lixo do diabo. 

Deus nos ordena a viver uma vida santa, mas como podemos fazer isso? – Através do poder transformador que vem do sacrifício de Jesus no Calvário e da obediência à Palavra de Deus.  “Mantenha meus decretos e siga-os. Eu sou o Senhor que os santifica” (Levítico 20:8). 

A palavra de Deus tem um poderoso efeito transformador e purificador em nossa vida quando nos entregamos a Seu Senhorio. 

Em seguida, Pedro lista várias ações da fé: “Por isso mesmo, empenhem-se para acrescentar à sua fé a virtude; à virtude o conhecimento; ao conhecimento o domínio próprio; ao domínio próprio a perseverança; à perseverança a piedade; à piedade a fraternidade; e à fraternidade o amor” (2 Pedro 1:5-7). 

Ele está ensinando que precisamos aprender a conhecer Deus melhor, desenvolver a perseverança, fazer a vontade de Deus e amar os outros. Essas ações não são automáticas, elas exigem muito trabalho. Elas não são opcionais; todas devem ser uma parte contínua da vida cristã. Deus nos capacita, mas Ele também nos dá a responsabilidade de aprender e crescer. Precisamos lembrar que o conhecimento significa ter compreensão correta ao estudar e seguir a verdade, que só pode ser encontrada na Palavra de Deus. “Porque, se essas qualidades existirem e estiverem crescendo em sua vida, elas impedirão que vocês, no pleno conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo, sejam inoperantes e improdutivos” (2 Pedro 1:8). 

Enquanto o cristão segue as qualidades enumeradas por Pedro nos (vs. 5-7) e vê que sua vida é útil e frutífera (v. 8), ele não tropeçara em dúvida, desespero, medo ou questionamento, mas terá garantia de que ele é salvo. 

A fé deve ser mais que a crença em certos fatos; deve resultar em ação, crescimento no caráter cristão e na prática da disciplina moral, ou morrerá. Este é um assunto que também é abordado em (Tiago 2:14-17). 

É verdade que as ações não podem nos salvar, mas é absolutamente falso pensar que não têm importância. Falso professores diziam que o autocontrole não era necessário porque as ações não ajudam o crente de qualquer maneira (2 Pedro 2:18-19). 

Somos salvos para que possamos crescer para refletir a santidade de Cristo e para que possamos servir os outros. Deus quer produzir Seu caráter em nós. Mas para fazer isso, Ele exige nossa disciplina e esforço. Ao obedecer a Cristo que nos guia pelo Seu Espírito, desenvolveremos o autocontrole, não apenas em relação às ações, mas também com respeito às nossas emoções e à nossa moralidade. “Porem, se alguém não as tem, está cego, só vê o que está perto, esquecendo-se da purificação dos seus antigos pecados” (2 Pedro 1:9). 

Nossa fé deve ir além do que acreditamos; deve tornar-se uma parte dinâmica de tudo o que fazemos, resultando em bons frutos e maturidade espiritual. A salvação não depende das afirmações de que somos salvos, porque, a pessoa que permanece inalterada não compreende a fé ou o que Deus fez por ela. “Portanto, irmãos, empenhem-se ainda mais para consolidar o chamado e a eleição de vocês, pois se agirem dessa forma, jamais tropeçarão, 11 e assim vocês estarão ricamente providos quando entrarem no Reino eterno de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo” (2 Pedro 1:10-11).

Pedro queria despertar os crentes complacentes que haviam ouvido os falsos professores e acreditavam que, porque a salvação não se baseia em boas ações, eles poderiam viver de qualquer maneira que quisessem. 

Se você realmente pertence ao Senhor, escreveu Pedro, seu trabalho duro irá provar isso. Se você não está trabalhando para desenvolver as qualidades listadas nos versículos 5-7, você não pode pertencer a Ele. Se você pertence a Deus e sua atitude e comportamento apoiam sua reivindicação de ser um filho de Deus, você poderá resistir o engano do falso ensino e a sedução do pecado. 

Deus realmente quer que entendamos o fato de que devemos: “Seguir a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor” (Hebreus 12:14).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: