Publicado por: mvmportugues | setembro 1, 2016

PRINCÍPIOS BÍBLICOS QUE PROMOVEM A PAZ NA FAMÍLIA – Salmo 34:14

Família alegre - Salmos 34 vs 14

Afaste-se do mal e faça o bem; busque a paz com perseverança. (Salmo 34:14) 

Quando lemos a Bíblia, realizamos que os problemas familiares não são nada de novo, isto já começou no Jardim do Éden, quando Adão culpou Eva por dar-lhe o fruto proibido para comer (Gênesis 3:12). 

Em seguida, vemos a rivalidade entre Caim e Abel, e um pouco mais tarde entre Jacob e Esaú, e logo mais os problemas que José teve com seus irmãos. 

Eli e Samuel lidaram com filhos rebeldes e Jônatas quase foi assassinado por seu pai, Saul. David estava muito triste pela rebeldia do seu filho Absalão e Oséias teve dificuldades conjugais. Em cada um destes casos, as relações foram danificadas pelo pecado. 

A Bíblia tem muito a dizer sobre relacionamentos, já que foi a primeira instituição que Deus estabeleceu para a interação humana (Gênesis 2:22-24). Ele criou uma esposa para Adão e os uniu para sempre. Citando este evento, Jesus disse mais tarde: “Portanto, que nenhum homem separe o que foi unido por Deus.” (Mateus 19:6). O plano de Deus foi para um homem e uma mulher permanecerem casados até que um deles morresse. Ele deseja abençoar essa união com crianças que devem ser criadas “segundo a instrução e o conselho do Senhor.” (Efésios 6:4) 

A maioria dos problemas familiares surgem quando nos rebelamos contra Deus e vamos contra o Seu plano original. Isso inclui o adultério, o divórcio, a poligamia que causam problemas porque eles desviam do plano original de Deus. 

A Bíblia dá instruções claras sobre como os membros da família devem tratar uns aos outros. O plano de Deus é para maridos amar as suas esposas, assim como Cristo também amou à igreja (Efésios 5:25, 33). As esposas devem respeitar seus maridos e submeter à sua liderança (Efésios 5:22-24, 33; 1 Pedro 3:1). Os filhos devem obedecer aos pais (Efésios 6:1-4; Êxodo 20:12). Quantos problemas familiares seriam resolvidos se maridos, esposas e filhos simplesmente seguissem essas regras básicas? 

1 Timóteo 5:8 diz que as famílias devem cuidar de seus parentes, e especialmente dos de sua própria família. Jesus teve palavras fortes para aqueles que evitaram as suas responsabilidades financeiras aos seus pais idosos, alegando que deram todo o seu dinheiro para o templo (Mateus 15:5-6). 

A chave para a harmonia nas famílias não é aquela que naturalmente desejamos aplicar. Efésios 5:21 diz para “submeter uns aos outros no temor de Cristo.” A submissão está em oposição direta ao desejo da nossa carne de governar e fazer o que queremos. Nós defendemos os nossos direitos; defendemos nossas opiniões, e afirmamos nossas próprias agendas sempre que seja possível. O caminho de Deus é para crucificar nossa carne (Gálatas 5:24; Romanos 6:11), e submeter-se às necessidades e desejos dos outros sempre que possível. Jesus é o nosso modelo para esse tipo de submissão à vontade de Deus. 1 Pedro 2:23 diz: “Quando o injuriavam, não injuriava e, quando padecia, não ameaçava, mas entregava-se àquele que julga justamente.” 

Precisamos ouvir atentamente e com uma mente aberta. Um monte de tensão pode ser evitada se não respondemos ao nosso companheiro ou qualquer membro da família em um tom contencioso. É importante ouvir sem preconceito e respeitar o seu ponto de vista, mesmo se nós não concordamos. A maioria dos problemas da família poderiam ser reduzidos se todos nós seguíssemos as instruções encontradas em Filipenses 2:3-4: “Nada façam por ambição egoísta ou por vaidade, mas humildemente considerem os outros superiores a si mesmos. Cada um cuide, não somente dos seus interesses, mas também dos interesses dos outros.” Quando adotamos o espírito de humildade e tratamos os outros como Jesus os trataria, podemos resolver muitos problemas de família e de relacionamento. 

Deus nos ordena a buscar a paz (Salmo 34:14; Mateus 5: 9). Devemos nos “esforçar para fazer as coisas que promovem a paz” (Romanos 14:19). Naturalmente, haverá algumas pessoas que não desejam a paz, mas nos devemos fazer o melhor possível para estar em paz com eles (Romanos 12:18). 

Os crentes têm a obrigação de “deixar que a paz que Cristo controle os seus corações” (Colossenses 3:15). Isso significa que temos uma escolha, de confiar nas promessas de Deus ou confiar em nós mesmos e rejeitar a paz que Ele oferece. Jesus deu aos discípulos a paz baseada na verdade que Ele venceu o mundo (João 14:27; 16:33). A paz é um fruto do Espírito, por isso, se nós estamos permitindo que o Espírito de Deus governe nossas vidas, vamos experimentar a Sua paz, como Romanos 8:6 diz: “O pensamento controlado por aquela parte de nós que é humana e pecadora traz a morte espiritual. Mas o pensamento controlado pelo Espírito traz vida e paz.” 

Precisamos lembrar nossos filhos e familiares “que se sujeitem aos governantes e às autoridades, sejam obedientes, estejam sempre prontos a fazer tudo o que é bom, não caluniem ninguém, sejam pacíficos, amáveis e mostrem sempre verdadeira mansidão para com todos os homens.” (Tito 3:1-2) 

A paciência também é uma virtude que precisamos cultivar, porque haverá conflitos, mas o resultado depende do espírito que mostramos. A Escritura nos diz “sejam completamente humildes e dóceis, e sejam pacientes, suportando uns aos outros com amor.” (Efésios 4:2) 

Nunca devemos usar o abuso verbal ou físico, mas “abandonem todas estas coisas: ira, indignação, maldade, maledicência e linguagem indecente no falar.” (Colossenses 3:8) 

Devemos promover a paz por estar ansioso para perdoar e para resolver as nossas diferenças rapidamente. “Não fiquem irritados uns com os outros e perdoem uns aos outros, caso alguém tenha alguma queixa contra outra pessoa. Assim como o Senhor perdoou vocês, perdoem uns aos outros. “ (Colossenses 3:13). Um bom matrimônio ou qualquer relacionamento é impossível sem o perdão. 

Precisamos fazer uma prática de dar e de partilhar sem ser egoístas. “Dêem, e lhes será dado: uma boa medida, calcada, sacudida e transbordante será dada a vocês. Pois a medida que usarem também será usada para medir vocês.” (Lucas 6:38) 

Nunca desista de promover paz na sua casa, porque “o engano está no coração dos que maquinam o mal, mas a alegria está entre os que promovem a paz.” (Provérbios 12:20) 

Aqui estão alguns pensamentos adicionais: 

  • Ore com freqüência. Peça a Deus para trazer a paz em sua casa. Levante as necessidades do dia e peça a Deus por sabedoria.
  • Fale gentilmente; é incrível como um pouco de bondade define o tom para o lar.
  • Reúnem-se regularmente, para orar, para as refeições ou simplesmente para fazer algo juntos. Aproveite a compania um do outro.
  • Ajude uns aos outros com prazer. “Façam tudo sem queixas nem discussões.” (Filipenses 2:14)
  • Abraçem seus queridos; envolva seus braços em volta de seu cônjuge. Dê as suas crianças um abraço. Seus filhos mais velhos provavelmente gostariam de um também!

O mundo vai continuar a ter guerras e conflitos interpessoais até que Jesus venha estabelecer a verdade e a paz duradoura (veja Isaías 11:1-10), mas Deus vai dar a Sua paz aos que confiam Nele.  

Uma vez que Sua paz reina em nossos corações, somos capazes de compartilhar essa paz com os outros (Isaías 52:7) e ser ministros da reconciliação (2 Coríntios 5:18). 

Você pode viver em paz, amor, vitória e alegria. Para saber mais, clique no estudo bíblico intitulado:A PRIORIDADE MAIS IMPORTANTE DA NOSSA VIDA.”


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: