Publicado por: mvmportugues | setembro 23, 2012

JESUS PAGOU POR NOSSOS PECADOS – 1 Pedro 3:18

“Porque também Cristo morreu uma só vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; sendo, na verdade, morto na carne, mas vivificado no espírito.” – 1 Pedro 3:18 

Ao ler Hebreus 10:1-4 vemos a incapacidade da lei mosaica para fornecer expiação verdadeira pelo pecado e o sacrifício de Cristo uma vez por todas. A Lei traz apenas uma sombra dos benefícios que hão de vir, e não a sua realidade. Por isso ela nunca consegue, mediante os mesmos sacrifícios repetidos ano após ano, aperfeiçoar os que se aproximam para adorar. 2 Se pudesse fazê-lo, não deixariam de ser oferecidos? Pois os adoradores, tendo sido purificados uma vez por todas, não mais se sentiriam culpados de seus pecados. 3 Contudo, esses sacrifícios são uma recordação anual dos pecados, 4 pois é impossível que o sangue de touros e bodes tire pecados.(Hebreus 10:1-4). O versículo 4 nos diz que os touros, bodes, ovelhas e outros animais utilizados, não importa quão limpos ​​ou sem defeito eles são, não podem realmente substituir o ser humano diante de Deus, porque eles não são feitos à Sua imagem e não podem autenticamente representar homens e mulheres. 

O Senhor aceitou o sacrifício de animais do seu povo sob a antiga aliança como um meio de adiar a sua ira (Levítico 1; 4 e 16), mas os pecados do povo não foram realmente removido por esses animais, mas mostrou às pessoas o alto preço de morte e o sangue derramado que tinha que ser pago para cobrir seu pecado. Mesmo que Deus pregou o evangelho há séculos antecedendo o nascimento de Jesus, eles ainda não compreenderam que a única morte que poderia pagar por seus pecados seria a morte do Filho de Deus em seu lugar; mas eles entenderam que a vida tinha que ser dada para expiação. Deus deixou esses pecados impunes em antecipação ao dia em que Ele iria julgá-los em Cristo. “Deus o ofereceu como sacrifício para propiciação mediante a fé, pelo seu sangue, demonstrando a sua justiça. Em sua tolerância, havia deixado impunes os pecados anteriormente cometidos.” (Romanos 3:25). 

O sistema sacrificial foi instituído não para cobrir o pecado, mas para apontar para Aquele que satisfez a ira de Seu Pai na cruz. Dia após dia, todo sacerdote apresenta-se e exerce os seus deveres religiosos; repetidamente oferece os mesmos sacrifícios, que nunca podem remover os pecados. 12 Mas quando este sacerdote acabou de oferecer, para sempre, um único sacrifício pelos pecados, assentou-se à direita de Deus. 13 Daí em diante, ele está esperando até que os seus inimigos sejam colocados como estrado dos seus pés“. (Hebreus 10:11-13)

Deus ordenou que apenas aqueles que O obedecem, podem ter a vida eterna; apenas homens e mulheres que servem a Deus ativamente e submissamente, desfrutam das verdadeiras bênçãos da vida. Conseqüentemente, assim como uma só transgressão resultou na condenação de todos os homens, assim também um só ato de justiça resultou na justificação que traz vida a todos os homens. 19 Logo, assim como por meio da desobediência de um só homem muitos foram feitos pecadores, assim também, por meio da obediência de um único homem muitos serão feitos justos. 20 A Lei foi introduzida para que a transgressão fosse ressaltada. Mas onde aumentou o pecado, transbordou a graça, 21 a fim de que, assim como o pecado reinou na morte, também a graça reine pela justiça para conceder vida eterna, mediante Jesus Cristo, nosso Senhor. (Romanos 5:18-21)

Nós temos que ter um substituto que obedeceu o nosso Pai celestial, um substituto que colocou a lei de Deus em prática perfeitamente. Pedro nos diz que, quando “Cristo morreu uma só vez pelos pecados “, foi  “o justo pelos injustos” (1 Pedro 3:18). Jesus não viveu apenas sem pecado, mas foi obediente também. Ele comprou a retidão que precisamos para ser restaurados à comunhão com o Pai. Esta justiça é colocada em nossas contas, ela é imputada a nós quando acreditamos, assim que a obediência da aliança que nos leva para o céu não é nossa, mas de Cristo. “Mas agora se manifestou uma justiça que provém de Deus, independente da Lei, da qual testemunham a Lei e os Profetas, 22 justiça de Deus mediante a fé em Jesus Cristo para todos os que crêem. Não há distinção, 23 pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus, 24 sendo justificados gratuitamente por sua graça, por meio da redenção que há em Cristo Jesus. 25 Deus o ofereceu como sacrifício para propiciação mediante a fé, pelo seu sangue, demonstrando a sua justiça. Em sua tolerância, havia deixado impunes os pecados anteriormente cometidos; 26 mas, no presente, demonstrou a sua justiça, a fim de ser justo e justificador daquele que tem fé em Jesus.(Romanos 3:21-26). 

A vida de Jesus é tão importante para a nossa salvação, como a Sua morte. Ele tinha que ser “verdadeiramente justo,” triunfando onde Adão falhou. Cristo comprou a retidão para nós, resistindo a tentação e obedecendo a seu Pai em todas as ocasiões (Mateus 4:1-11; 5:17-20; 27:22-23). 

Pedro aponta para Cristo para ilustrar a nobreza do sofrimento segundo a vontade de Deus, que foi consumada na ressurreição. Apesar que Cristo era justo e sem pecado, Ele sofreu pelos pecados dos injustos. Seu sofrimento nos trouxe a Deus e nós somos feitos apresentáveis com base na Sua morte expiatória. Apesar de condenado à morte na carne, Cristo foi vivificado pelo Espírito, que nos dá razão para suportar pacientemente o nosso próprio sofrimento. 

Precisamos entender que a morte de Jesus na cruz foi um evento de reconciliação. O propósito da morte de Cristo foi para reconciliar as pessoas novamente a Deus. Ele re-iniciou um relacionamento entre Deus Pai e o crente por causa da Sua morte, já que fora de Cristo estamos separados de Deus. Cada pessoa que nasce é um pecador e não faz parte da família de Deus, e a única maneira que pode ser adotado a família de Deus e tornar-se seus filhos é confiando no sacrifício expiatório de Jesus Cristo. Devemos ser justos para ter um relacionamento com Deus, e Jesus colocou-se no nosso lugar na cruz, porque merecemos sofrer a punição eterna, mas Ele ofereceu sua justiça para nós, se a queremos aceitar.

Portanto, a justiça é imputada à parte da lei, a fim de nos ajudar a compreender que não é a lei, mas o perdão que temos em Cristo, que nos torna justos aos olhos de Deus. Se você confessar com a sua boca que Jesus é Senhor e crer em seu coração que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo. 10 Pois com o coração se crê para justiça, e com a boca se confessa para salvação. (Romanos 10:9-10).

 


Responses

  1. Vocês são um anjo de Deus.
    Estou aprendendo muito com os correios comentários.
    Deus Abençoe!

    • Toda a gloria e honra são para o nosso Senhor. Bênçãos


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: