Publicado por: mvmportugues | novembro 14, 2011

PERDÃO – Colossenses 3:13

“Tolerem uns aos outros e também perdoem uns aos outros se algum de vocês tem alguma queixa contra alguém. Assim como o Senhor lhes perdoou, vocês também devem perdoar uns aos outros.” – Colossenses 3:13

Os cristãos devem ter um coração que perdoa, como Cristo exibiu na cruz, Ele disse: “Pai, perdoe-lhes, pois eles não sabem o que fazem” Lucas 23:34. Também devemos tolerar: “uns aos outros e também perdoar uns aos outros se algum de vocês tem alguma queixa contra alguém. Assim como o Senhor lhes perdoou, vocês também devem perdoar uns aos outros” Colossenses 3:13. Quando fazemos isso, o arrependimento verdadeiro fluirá com bastante facilidade. No em tanto o arrependimento que é falso como daqueles que têm uma forma de piedade sempre buscando a verdade, mas nunca praticando-a (2 Timóteo 3), nestas pessoas faltará estes elementos e a profundidade espiritual.

Um coração que perdoa,  perdoa, independentemente se a outra pessoa pede perdão ou não. Significa que deixamos que Deus resolva o assunto, porque o perdão não deve ser retido até o arrependimento da outra pessoa. O perdão deve mostrar o amor de Cristo, misericórdia e compaixão; “sejam bons e tenham compaixão uns dos outros. Perdoem uns aos outros como também Deus, em Cristo, perdoou a vocês.” – Efésios 4:32. Nós devemos deixar Deus lidar com o resultado final, porque Deus não perdoa onde não há arrependimento, mas Deus mostra graça e misericórdia, e convida os pecadores a Ele através do arrependimento piedoso. “Pois se vocês perdoarem as ofensas que as outras pessoas lhes fazem, o Pai de vocês que está no céu também lhes perdoará. Se, entretanto, não perdoarem as ofensas dos outros, o Pai de vocês também não lhes perdoará as suas ofensas.” Mateus 6:14-15

Conseqüentemente, quando cometemos um pecado devemos, “confessear os nossos pecados uns aos outros e orar uns pelos outros para que sejamos curados. A oração feita pelo justo é poderosa e eficaz”- Tiago 5:16.

Quando o Espírito Santo nos mostra ou lembra que há uma ofensa entre nós e uma outra pessoa, mesmo no processo de adorar, temos de parar e ir reconciliar-nos com esta pessoa, em seguida podemos retornar para o culto. “Portanto, se você for até o altar para dar a sua oferta e se lembrar ali de que alguém tem alguma coisa contra você, deixe a sua oferta lá mesmo, diante do altar. Primeiro vá e faça as pazes com aquela pessoa; depois volte e dê a sua oferta.” Mateus 5:23-24

Jesus disse: “Se o seu irmão pecar contra você, vá e repreenda-o. Mas faça isso em particular, somente entre vocês dois. Se ele lhe der atenção, você terá ganho um irmão de volta. Se ele, porém, não lhe der atenção, pegue e leve uma ou duas pessoas com você. Assim, pelo depoimento de duas ou três testemunhas, toda acusação será confirmada. Mas se ele não der atenção nem mesmo a elas, informe a igreja. E se ele se recusar a ouvir também a igreja, trate-o como um pagão ou como um coletor de impostos.” Mateus 18:15-17

Precisamos lembrar que o não perdoar é um ato de orgulho que é equivalente ao pecado e, portanto, a nossa unidade em Cristo é decepada pelo pecado.

O verdadeiro perdão produz tristeza temente a Deus, que se dedica à reconciliar a comunhão com o Pai e com nosso próximo. Estaremos ansiosos para estar sem culpa. A tristeza piedosa leva à confissão e arrependimento. Como Paulo escreveu aos Coríntios: “Agora eu estou contente, não porque vocês ficaram tristes, mas porque a tristeza de vocês os levou a se arrependerem. Vocês ficaram tristes da maneira como Deus queria que ficassem, e por isso nós não os prejudicamos em nada. Porque a tristeza que Deus quer que vocês tenham, leva a pessoa a arrepender-se, fazendo-a mudar de coração e de vida. Isso conduz para a salvação e nós não podemos nos arrepender disso. Porém a tristeza do mundo conduz à morte. Vocês tinham o tipo de tristeza que Deus queria que tivessem. Vejam agora o resultado dessa tristeza: Vocês se tornaram pessoas mais sérias, provaram que não tinham culpa, ficaram zangados, ficaram com medo e com saudades, se interessaram por mim e se apressaram em castigar o mal. Em tudo vocês provaram que estavam inocentes neste assunto.”  2 Coríntios 7:9-11

Temos que manter em mente que não devemos julgar os outros para que não sejamos julgados. Não devemos condenar os outros para que não sejamos condenados. Devemos perdoar os outros para que sejamos perdoados –  Lucas 6:37.

Como cristãos devemos estar comprometidos com o amor que a Sagrada Escritura nos ensina através do ministério da reconciliação, porque “se, continuarmos a viver na luz, assim como Deus está na luz, temos comunhão uns com os outros e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado.” 1 João 1:7

Lembrem-se: “Se confessarmos os nossos pecados, Deus nos perdoará e nos purificará de toda injustiça, pois Ele é fiel e justo. Se dissermos que não temos cometido pecado, fazemos de Deus um mentiroso e a sua mensagem não está em nossos corações.” 1 João 1:9-10


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: