Publicado por: mvmportugues | julho 28, 2014

A LIBERDADE VEM DE UM CORAÇĂO OBEDIENTE – Salmo 119:44-45

LIBERDADE

“Obedecerei constantemente à tua lei, para todo o sempre. Andarei em verdadeira liberdade, pois tenho buscado os teus preceitos. Salmos 119:44-45  

Obediência cria liberdade, enquanto a desobediência leva à escravidão. Quando buscamos o conselho da Palavra de Deus, estamos caminhando em direção a um caminho libertador. Pelo contrário, quando saímos da pista e vamos contra os caminhos de Deus nos tornamos enredados pelos caminhos do mundo e perdemos a visão do que é certo.  

Verdadeiros cristãos nascidos de novo têm um desejo de obedecer, a fim de tornar-se como o seu Mestre! Cristo não só nos chamou para saber a verdade, para amar-Lo, confiar Nele e servi-Lo; Ele também nos chamou para obedecê-Lo. O tema bíblico da salvação não pode ser separado da chamada de Deus para a obediência. Embora as boas obras não nos salvam, somos salvos para as boas obras. Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus; não por obras, para que ninguém se glorie. 10 Porque somos criação de Deus realizada em Cristo Jesus para fazermos boas obras, as quais Deus preparou antes para nós as praticarmos.” (Efésios 2:8-10)  

A razão para a nossa obediência é a nossa resposta à ação da graça de Deus em Cristo. A raiz da nossa obediência é agradar a Deus por amor a fim de que Deus seja glorificado em todas as coisas. Somente uma pessoa regenerada pelo Espírito é capaz de tal obediência. Aquele que obedece os mandamentos de Cristo é aquele que verdadeiramente ama a Cristo (João 14:21) e, assim provando ser Seu discípulo.  

À medida que aprendemos a obedecer a Deus mais e mais, estamos cada vez mais libertos do poder do pecado em nossas vidas. O amor de Deus por nós é o que permite o nosso amor a Deus: “Nós amamos porque ele nos amou primeiro” (1 João 4:19); e nosso amor por Deus permite a nossa obediência a Ele.  

Ser controlado pelo Espírito “ser cheio do Espírito” (Efésios 5:18) é essencial, se nós vamos desenvolver o auto-controle que nos permite obedecer a Deus. A liberdade moral – o poder de fazer o que devemos – está diretamente relacionado à obediência: “Então você vai saber a verdade, e a verdade vos libertará.” (João 8:32).  

O processo de aprender a obedecer a Deus é um processo longo da vida e o resultado desse processo é que nos seremos conformados ao caráter e a conduta de Jesus Cristo. Viver uma vida cristã obediente significa estar em contato com a realidade em todos os momentos e experimentar toda a bênção associada a ela (João 13:17).  

A medida que nós nos comprometemos a obedecer a Deus, estamos permitindo que Ele faça de nossas vidas o que Ele deseja que nos tornemos. Ao fazê-lo estamos vivendo ao potencial que Deus tem para nós. Assim que quando temos um relacionamento de amor com o nosso Senhor, os Seus mandamentos não são pesados ​​(1 João 5:3).  

A obediência é o ponto de partida e a meta da nossa vida cristã. e é o que nos restaura para o nosso destino original. 

  • A obediência é um dos traços do caráter cristão – 1 João 2:4
  • É o verdadeiro teste de nosso amor por Cristo – João 14:21
  • A obediência é o caminho para a bênção – João 13:17
  • A obediência é o que significa amar a Deus – 1 João 5:3
  • A obediência é a porta de entrada para a liberdade – João 8:32-36
  • E é a marca de um verdadeiro discípulo de Cristo – João 8:32
  • A obediência é uma grande fonte de alegria – João 15:11
  • A obediência é o resultado de profunda humildade e submissão – Filipenses 2:5-8
  • A obediência é estudar a Palavra de Deus – Tiago 1:22
  • E é um pré-requisito para conhecer a vontade de Deus – João 7:17

A obediência é mais do que uma ação específica; é compromisso com um modo de viver, e só é possível quando nos submetemos ao poder do Espírito Santo.

Publicado por: mvmportugues | julho 21, 2014

ESCOLHA O CAMINHO DA VERDADE – João 8:32

João 8 vs 32

“E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” – João 8:32  

Cada vez que o inimigo nos bombardeia com mentiras, temos de aprender a aconselhar os nossos corações de acordo com a verdade da Palavra de Deus e de agir sobre a Sua Verdade, independentemente do que a nossa razão humana ou os nossos sentimentos nos dizem.  

Quando nos encontramos cedendo ao cansaço, a frustração, ou a nossa carne; quando a nossa mente e emoções estão girando com coisas que sabemos que não são verdadeiras, devemos parar e tentar de identificar a Verdade que contradiz essas mentiras.  

Devemos dizer a verdade a nós mesmos; às vezes em voz alta, e se for necessário mais que uma vez, até que a Verdade desloca e substitui as mentiras que estamos acreditando. Devemos clamar a Deus por graça para agir sobre o que sabemos ser verdade e quando o fazemos, ficamos impressionados com o poder da Verdade para acalmar nossas emoções turbulentas e restaurar a sanidade de nossos pensamentos confusos.  

Às vezes, o inimigo começa a causar danos em nossas mentes e emoções e tudo o que podemos pensar é quão errada a outra pessoa tem sido, e quão profundamente magoado estamos. Começamos deixar pensamentos rancorosos e vingativos se enraizar em nossas mentes e reviver outros eventos do passado que pensávamos que já tínhamos esquecido. Temos a tendência de ser obcecado com a tentativa de encontrar uma maneira de nos justificar e provar a nossa inocência. Quando isso acontece, as nossas emoções começam a girar fora do controle e entramos em um ciclo de raiva e auto-piedade acreditando em uma série de mentiras do inimigo. Isso só leva a horas ou dias de tumulto e lutas internas.  

Quando deixamos este tumulto e brigas internas e começamos a concentrar nos em Deus, temos uma confrontação com a verdade:  

Bem-aventurados os mansos. . .

Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia. . .

Bem-aventurados os pacificadores. . .

Mateus 5:5, 7, 9 

Digo-vos que não resistais ao homem mal. Se alguém te bater na face direita, oferece-lhes também a outra. . . amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem. . .

Mateus 5:39, 44 

Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós;  se, porém, não perdoardes aos homens, tampouco vosso Pai perdoará vossas ofensas.

Mateus 6:14-15 

Agora nós temos uma escolha. Devemos continuar a acreditar nas mentiras, ou vamos abraçar a Verdade? Neste momento é quando a batalha realmente começa. Nossas emoções querem segurar a ofensa e queremos continuar alimentando o ressentimento e a raiva. Queremos justificação pessoal, mas, em nosso coração, sabemos que este tipo de escolha só vai levar à escravidão.  

Quando nos ajoelhamos diante do Senhor, com a Bíblia aberta, e lidamos com a Verdade, sabemos que temos de perdoar, e que devemos liberar o ofensor e a ofensa. Realizamos que a questão não é que nós não podemos perdoar; mas que não queremos perdoar. À medida que deixamos o Espírito Santo guiar-nos, sabemos que temos que renunciar qualquer direito de vingança ou de reter o amor daqueles que nos magoaram.  

Quando deixamos que a nossa mente continue sento aberta pelo Espírito Santo, somos lembrados das conseqüências de se recusar a perdoar; da misericórdia que perdemos se nos recusarmos a estender compaixão para outros, e das bênçãos que receberíamos se estamos dispostos a obedecer Seus mandamentos. Em nosso orgulho e teimosia, é difícil deixar ir, mas devemos – para poder estar em comunhão com o Senhor.  

Temos que continuar procurando e dizendo a verdade em nossos corações e fazer a escolha de agir sobre a Verdade. Ao fazê-lo nossas emoções gradualmente se tranquilizam e nosso espírito é liberado.  

Com o tempo, Deus nos dá uma melhor compreensão da situação original; Ele lança luz sobre por que reagimos desta forma e nos mostra alguns problemas mais profundos que não realizamos que precisavam ser abordados.  

Devemos ser gratos que o Senhor nos ama o suficiente para orquestrar as circunstâncias para trazer essas questões a superfície e devemos agradecê-Lo por usar essas experiências para tornar-nos mais semelhantes a Jesus. 

 

FONTE  

Nancy Leigh DeMoss

Publicado por: mvmportugues | julho 14, 2014

AGRADECENDO A DEUS POR SUA BONDADE – 1 Crônicas 29:11-13

Agradecendo a Deus

“Teus, ó Senhor, são a grandeza, o poder, a glória, a majestade e o esplendor, pois tudo o que há nos céus e na terra é teu. Teu, ó Senhor, é o reino; tu estás acima de tudo.  A riqueza e a honra vêm de ti; tu dominas sobre todas as coisas. Nas tuas mãos estão a força e o poder para exaltar e dar força a todos. Agora, nosso Deus, damos-te graças, e louvamos o teu glorioso nome. 1 Crônicas 29:11-13  

Quando temos gratidão a Deus em nosso coração isto elimina todos os tipos de sentimentos negativos. O descontentamento, a auto-piedade, a inveja e o orgulho não são páreo para a gratidão divina. Gratidão a Deus está enraizada na percepção de quem é Deus e o que Ele fez por nós. Tudo é de Deus, e tudo vem de Deus. Sua criação majestosa O adora como um reflexo de Sua glória. Nações e governantes, consciente ou inconscientemente, estão sob Sua autoridade e temos que realizar que Deus é o dono de todas as coisas.  

Porque Ele é dono de tudo, Ele é o responsável e, portanto, é Nele que vamos colocar a nossa confiança. Quando depositamos nossa confiança Nele desfrutamos de Sua presença, Sua criação, Seus recursos, Sua liberdade e uns aos outros. Existe uma gratidão gloriosa quando refletimos sobre as gloriosas riquezas de Deus. “O meu Deus suprirá todas as necessidades de vocês, de acordo com as suas gloriosas riquezas em Cristo Jesus.” (Filipenses 4:19) 

Gratidão a Deus é um dos maiores segredos para viver a vida cristã. Gratidão significa que nunca esquecemos do que Ele fez por nós, o que Ele está fazendo por nós, e o que Ele vai fazer por nós. É lembrar da Sua fidelidade passada, presente e futura. A gratidão é transformadora, pois é centrada em Deus. As preocupações deste mundo se dissiparam quando focamos nossa mente em gratidão ao Senhor. Nosso apreço pelo nosso Pai celestial será expressado em humilde adoração e louvor a Ele, além de nossa determinação de viver em comunhão ininterrupta e obediência com Ele. Jesus nos prometeu: “Bem-aventurados os puros de coração, pois verão a Deus.” (Mateus 5:8) 

Não importa onde estamos na vida. Não importa qual seja a nossa situação ou circunstância, temos algo que podemos dar graças a Deus todos os dias da nossa vida e devemos ter sempre uma atitude de ação de graças ao nosso Criador.  

Quando vemos e reconhecemos o fato de que Ele está sempre conosco; sempre proporcionando para nós, e nos protegendo; a intimidade que compartilhamos com Ele vai aumentar, e os nosso medo vai diminuir. “Confie no Senhor de todo o seu coração e não se apóie em seu próprio entendimento; reconheça o Senhor em todos os seus caminhos, e ele endireitará as suas veredas.” (Provérbios 3:5-6)  

Gratidão entende o que poderia ter acontecido a nós, se não fosse pela graça de Deus. Mas, pela intervenção do Senhor, Ele nos libertou e nos deu a vida eterna, por Jesus Cristo. Deus está sempre lá para nós e Ele deseja comunhão com cada um de nós, se nós apenas O reconhecemos e O deixamos.   

O Senhor é digno de louvor, gratidão e adoração. Que grande e poderoso Deus que servimos!  

“Damos-te graças, ó Deus, damos-te graças, pois perto está o teu nome; todos falam dos teus feitos maravilhosos.” (Salmo 75:1)

Publicado por: mvmportugues | junho 24, 2014

A ORAÇĂO PODEROSA E EFICAZ – Tiago 5:16-18

elijah-prays P

“Portanto, confessem os seus pecados uns aos outros e orem uns pelos outros para serem curados. A oração de um justo é poderosa e eficaz. 17 Elias era humano como nós. Ele orou fervorosamente para que não chovesse, e não choveu sobre a terra durante três anos e meio. 18 Orou outra vez, e os céus enviaram chuva, e a terra produziu os seus frutos.” (Tiago 5:16-18)

Aqui, somos instruídos a orar uns pelos outros, especialmente para aqueles que estão lutando fisicamente e espiritualmente. E à medida que continuamos lendo, Tiago nos lembra que Elias era um homem como nós, que foi capaz de orar e cumprir os propósitos de Deus, como nós devemos. Ele orou com fervor e paixão. A Palavra de Deus nos diz que ele orou “fervorosamente” e buscou a Deus com todo o seu ser.  

O que motivou Elias a orar com tanta paixão? Em primeiro lugar, o seu entendimento de Deus o moveu a orar com fervor. Elias sabia a quem ele estava orando. Ele sabia que Deus tem todo o poder. Ele entendeu que o Senhor poderia fazer o impossível. Elias orou fervorosamente, porque sua fé era em Deus e não em sua oração.  

A compreensão de cada pessoa sobre Deus vai determinar a sua força e perseverança na oração. Deus nos deu o Seu poderoso Espírito Santo para nos guiar na oração e nos ensinar como devemos orar. “Da mesma forma, o Espírito nos ajuda em nossa fraqueza. Nós não sabemos o que devemos orar, mas o próprio Espírito intercede por nós quando nós não sabemos como colocar os nossos desejos em palavras.” (Romanos 8:26)  

Para muitos, Deus é “muito pequeno” e duvidam de Seu poder e habilidade. Eles não têm fé e suas orações não são respondidas. Por outro lado, aqueles que crescem em conhecimento e compreensão de Deus Todo-Poderoso, a Sua grandeza, a Sua soberania e santidade; aprendem a orar fervorosamente e eficaz.  

A situação em que Elias viveu e estava sendo confrontado, o levou a procurar a orientação e direção de Deus; portanto, esperou em Deus para falar e responder às suas orações. Devemos fazer o mesmo. Quando olhamos ao redor e vemos os que estão perdidos, magoados e feridos, isso deve levar-nos a orar fervorosamente. Quando vemos pessoas que negam a vontade e a Palavra de Deus, isto deve nos desafiar e mover-nos a orar com todo o nosso coração. Quando vemos a igreja impotente e ineficaz, devemos acelerar nossa busca por Deus.  

Devemos no entanto, não deixe que as condições ao nosso redor nos oprimem; precisamos buscar a Deus e descansar Nele. Seria fácil ficar sobrecarregado quando olhamos para as condições que nos rodeiam. As necessidades são enormes e podem nos desanimar. No entanto, é por isso que devemos buscar a Deus. É por isso que nós temos que correr para Ele e descansar à sombra do Todo-Poderoso. É somente quando corremos a Ele, descansamos Nele, e derramamos nossos corações a Ele que podemos enfrentar e lidar com as condições que nos rodeiam e ser fortalecido para fazer a Sua vontade, e alcançar os perdidos.  

Jesus nos ensinou a orar com fé: “Portanto, eu lhes digo: Tudo o que vocês pedirem em oração, creiam que já o receberam, e assim lhes sucederá” (Marcos 11:24). Então, quando oramos de acordo com a vontade de Deus e com fé em Suas promessas, precisamos continuar perseverando e não perder de vista do que foi pedido até que Deus cumpre Sua promessa. (1 Reis 18:43-44)  

Precisamos perseverar em nossas orações. No entanto, existem obstáculos que impedem o cumprimento da promessa; o pecado não confessado nos separa de Deus, por isso Ele não nos ouve, (Isaías 59:1-2). Também vemos Satanás, e sua constante oposição aos planos de Deus, como vemos em (Daniel 10:12-13). Pode ser também que o nosso coração precisa ser purificado, porque quem fecha os ouvidos ao clamor dos pobres também clamará e não terá resposta (Provérbios 21:13). Seja o que for, temos que acertar as coisas com Deus e em seguida, devemos perseverar até obter a resposta. 

No Monte Carmelo, Elias orou sete vezes; o amigo persistente à meia-noite implorou até que ele recebeu (Lucas 11:5-8), e a viúva, que se dirigia continuamente ao juiz injusto, suplicando-lhe: ‘Faze-me justiça contra o meu adversário’, (Lucas 18:1-5). Estes são exemplos de perseverança na busca de respostas. Então, nós, os que cremos na promessa de Deus, sem duvidar, devemos orar até recebermos a resposta, lembrando que só a perseverança na oração pode triunfar. 

Tenha em mente que Elias teve a mesma natureza que nós temos, mas ele orou com poder e de forma positiva. Nós podemos fazer o mesmo. Se aprendermos a perseverar na oração, o seu fruto será sempre mais abundante, sempre mais evidente, e vamos obter, como Jesus obteve, o que trará honra e glória ao Pai.  

O verdadeiro poder em nossas vidas começa com humildade. Humilhando-nos diante de Deus Todo-Poderoso pode resultar em Sua Santidade ser transmitida para nós. Consequentemente, a santidade trará a cura, a felicidade, a saúde, a alegria, a coragem, a paz e a vida eterna.  

“Portanto, humilhem-se debaixo da poderosa mão de Deus, para que ele os exalte no tempo devido.” (1 Pedro 5:6)

 

 

1 Corinthian 15 vs 33 P

Não se deixe enganar: “Más companhias destroem os bons costumes.” (1 Coríntios 15:33 ) 

Em sua primeira carta aos coríntios, o apóstolo Paulo escreveu sobre os falsos mestres que se encontravam na igreja em Corinto ensinando que a ressurreição de Jesus Cristo não era verdade. Essas pessoas, como os saduceus negavam a vida após a morte e a ressurreição (Lucas 20:27). Como resultado, sua visão moral e distorcida sobre a vida influenciou o resto dos crentes de Corinto.  

Paulo está nos dizendo que, em associação com os falsos mestres, pessoas fracas e desinformadas serão influenciadas negativamente por eles. É importante entender que falsos ensinamentos não levam à santidade. Por isso, é fundamental que temos cuidado com quem estabelecemos relações e com quem escolhemos adorar. Igrejas e pessoas que não estão fundadas sobre a verdade da Palavra de Deus farão com que aqueles que não estão firmemente enraizados nas Escrituras a vacilar em sua fé e afetarão negativamente sua caminhada com Cristo e seu testemunho para o mundo. É por isso que Paulo nos diz: “Não se deixe enganar.”  

Esta é a sua segunda advertência aos coríntios a não ser “enganado”. No início da sua carta Paul já os tinha avisado: “Não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas” (1 Coríntios 6:9). Ele os alertou para não assumir o estilo de vida destas pessoas corruptas que não herdarão o reino de Deus. Paulo sabia como é fácil para as pessoas serem influenciadas por tais ensinamentos adversos, assim como eles são hoje. Se as pessoas não construem a sua casa sobre a rocha sólida – Jesus Cristo (Mateus 7:24-25); eles vão começar a adotar as idéias pervertidas e seu comportamentos como normal. Por esta razão, Paulo cita este provérbio bem conhecido pelo poeta grego Menandro: “As más companhias corrompem o bom caráter.” Que, sem dúvida, era bem conhecido entre os gregos naquela época.  

A mensagem que Paulo está dando, é pertinente a todas as pessoas em todas as idades. Quando aqueles que não são fundamentados na Palavra, se associam com, ou tem prazer na companhia de pessoas com costumes mundanos, eles correm o risco de imitar os seus comportamentos, sua linguagem e seus hábitos. Em pouco tempo eles já não estão seguindo a Cristo, porque sua casa foi construída sobre a areia e não tinha uma base sólida. (Mateus 7:26-27)  

Quando isso acontece, as pessoas voltam novamente para o caminho do mundo negando e rejeitando a Bíblia como a Palavra de Deus. Isto é especialmente pertinente para os jovens que geralmente são facilmente influenciados por seus companheiros. Pessoas de todas as idades podem ser muito fracas e facilmente influenciável por falsos mestres, entidades demoníacas e por cristãos fracos e mal informados que não desenvolveram um estilo de vida baseado na Bíblia.  

Por isso é vital que os pais de crianças e adolescentes estejam especialmente em guarda contra a influência de más companhias, falsos mestres nas seitas, igrejas chamadas “cristãs”; que irão destruir a sua fé em Jesus Cristo, e explorá-los em sua ganância e com doutrinas e idéias más.  

Então, o que devemos fazer? Paulo nos dá a resposta em 1 Coríntios 15:58: “Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor.” 

Como pais e guardiães, devemos expor esses falsos mestres, (lobos em pele de cordeiro). E, é vital que permanecemos  firmes contra as influências ímpias que podem corromper nossas crianças e crentes fracos e imaturos. Como crentes nascidos de novo, devemos estar firmes contra aqueles que poderia corromper a nossa caminhada com Cristo. E, devemos defender nossa posição contra o falso ensino e uma apresentação diluída do evangelho que levam outros a se desviarem da verdade. Em todas as coisas, devemos estar alertos e vigiando, porque “o Diabo, o inimigo de vocês, anda ao redor como leão, rugindo e procurando a quem possa devorar.” (1 Pedro 5:8)  

Paulo também nos disse que “não é de admirar, pois até mesmo Satanás finge ser um anjo de luz. Por isso não nos surpreende o fato de que os próprios servos de Satanás também finjam ser servos da justiça.” (2 Coríntios 11:14-15)  

Você escolhe amigos e uma igreja com base em quanto dinheiro eles têm, ou como eles são populares? Ou você escolher a sua igreja e seus amigos com base em seu caráter, lealdade, honestidade e capacidade de ensinar e incentivar as pessoas a crescerem em Cristo? Este último é o tipo de igreja e amigo que Deus quer que tenhamos. Por isso; Não se deixe enganar, tome tempo para orar e deixar o Espírito Santo levá-lo na escolha de seus amigos e da igreja, onde Deus é honrado e adorado com o respeito que Ele merece. “Ao Rei eterno, o Deus único, imortal e invisível, sejam honra e glória para todo o sempre. Amém.” (1 Timóteo 1:17) 

Temos que lembrar que: “Deus é um juiz justo, um Deus que manifesta cada dia o seu furor.” (Salmo 7:11)

Portanto, devemos nos esforçar para viver em paz com todos e ter uma vida santa; pois sem a santidade ninguém verá o Senhor.  (Hebreus 12:14)

Publicado por: mvmportugues | junho 9, 2014

A REALIDADE DA IRA DE DEUS – Romanos 1:18-20

A ira de Deus - Romanos 1 vs 18-20

Portanto, a ira de Deus é revelada dos céus contra toda impiedade e injustiça dos homens que suprimem a verdade pela injustiça, 19 pois o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles, porque Deus lhes manifestou. 20 Pois desde a criação do mundo os atributos invisíveis de Deus, seu eterno poder e sua natureza divina, têm sido vistos claramente, sendo compreendidos por meio das coisas criadas, de forma que tais homens são indesculpáveis. (Romanos 1:18-20) 

Paulo nos diz que “a ira de Deus é revelada dos céus….” Então vamos nos focar e ver o que a “ira de Deus,” significa. A Bíblia ensina claramente que o nosso Pai celestial é um Deus de amor. Por isso, algumas pessoas estão perturbados com a idéia de um Deus de amor que possui ira. Eles vêem esses atributos como estando em conflito. Mas os atributos de Deus são equilibrados. Deus é perfeito em Seu amor e Ele também é perfeito em Sua santidade e Sua justiça. Habacuque escreveu: “Tu és tão puro de olhos para contemplar o mal, e não pode olhar sobre a maldade” (1:13). 

Deus ama a todos nós: “Porque Deus amou o mundo que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3:16), mas a ira de Deus é contra o pecado. Portanto, a justiça de Deus reage com ira contra o pecado. Esta ira cresce por causa da Sua santidade, porque um Deus santo não pode tolerar o pecado. “Amas a justiça e odeias a iniqüidade.” (Hebreus 1:9) 

A ira de Deus é diferente da ira humana. A Bíblia declara que Ele é tardio em irar. Sua ira não explode rapidamente, ou de forma imprevisível; há uma série de advertências e Ele geralmente contem a Sua ira para nos dar mais tempo para se arrepender. “O Senhor é longânimo para convosco …, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento” (2 Pedro 3:9). Mas à medida que a humanidade continua a pecar, e continua a rejeitá-Lo, podemos ter certeza de que Sua ira esta escalando a tal ponto que um dia Ele irrompera contra este mundo ímpio, tão claramente descrito no livro do Apocalipse. 

Não devemos ser enganados e pensar que Deus não vai eventualmente nos fazer responsáveis pelos nossos pecados. Portanto, é prudente acreditar na realidade da ira de Deus, porque uma pessoa ou nação que ignora os avisos de Deus está em grave perigo. 

Se alguém acredita que o único e verdadeiro Deus não é um Deus de ira, então eles estão indo contra o que Deus tem claramente revelado sobre Si mesmo. Quando o Dia do Juízo Final chegar nenhuma reivindicação de ignorância vai servir como uma desculpa. 

A Palavra do Senhor “mostram que as exigências da Lei estão gravadas em seu coração. Disso dão testemunho também a sua consciência e os pensamentos deles, ou os acusam, ou os defendem” (Romanos 2:15). Portanto, como está escrito, a consciência das pessoas  as convencem de que elas pecaram contra o Todo-Poderoso, Santo Deus; e este fato deve levar a um sentimento de culpa e tristeza e um desejo de se reconciliar com Ele. 

No entanto; a Palavra de Deus nos adverte que muitas pessoas se tornaram tão rebelde e perversas que já não tem uma consciência – “O Espírito diz claramente que nos últimos tempos alguns abandonarão a fé e seguirão espíritos enganadores e doutrinas de demônios. Tais ensinamentos vêm de homens hipócritas e mentirosos, que têm a consciência cauterizada.” (1 Timóteo 4:1-2) 

Por exemplo: muitas pessoas más na Igreja Católica Romana, chamados de sacerdotes, bispos, cardeais, freiras e papas criminalmente molestaram, violaram, torturaram e assassinaram centenas de milhares de preciosas crianças inocentes, mulheres e homens através de existência desta má instituição, em nome de Jesus. 

Deus nos advertiu sobre essas pessoas más, e o julgamento que seus crimes merecem; pois “eles difamam o que desconhecem e são como criaturas irracionais, guiadas pelo instinto, nascidas para serem capturadas e destruídas; serão corrompidos pela sua própria corrupção!” (2 Pedro 2:12) 

Esses criminosos malignos e milhões de pessoas como eles são possuídos por demônios e “têm a consciência cauterizada” (1 Timóteo 4:2). O aviso de Deus para estes mentirosos cheios de doutrinas de demônios; é que o julgamento de Deus está chegando a cada um de vocês – rápido e seguro. 

A ira de Deus é contra pessoas como estas “que suprimem a verdade pela injustiça ” (v18), porque eles não querem se submeter a sua vontade à vontade de Deus, mesmo que “o que se pode saber sobre Deus é manifesto entre eles, porque Deus fez isso claro para eles.” (v19) 

No Dia do Juízo, ninguém pode afirmar que eles eram ignorantes de Deus e ignorantes de sua responsabilidade de buscá-Lo, adorá-Lo e obedecê-Lo, porque “desde a criação do mundo os atributos invisíveis de Deus, seu eterno poder e sua natureza divina, têm sido vistos claramente, sendo compreendidos por meio das coisas criadas, de forma que tais homens são indesculpáveis.” (v20) 

Precisamos lembrar o que Jesus ensinou e disse: “Nem todo aquele que me diz: ‘Senhor, Senhor’, entrará no Reino dos céus, mas apenas aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus. 22 Muitos me dirão naquele dia: ‘Senhor, Senhor, não profetizamos em teu nome? Em teu nome não expulsamos demônios e não realizamos muitos milagres?’ 23 Então eu lhes direi claramente: Nunca os conheci. Afastem-se de mim vocês, que praticam o mal!” (Mateus 7:21-23) 

Há, porém, um antídoto para a ira de Deus. É por isso que Deus, em Seu imenso amor por nós enviou Seu Filho para pagar o preço da ira para nós. Ninguém tem que viver mais um dia em perigo da ira de Deus, que Ele tem claramente revelado do céu, porque, “aquele que crê no Filho tem a vida eterna, e aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece” (João 3:36). E lembrando mais uma vez o versículo anterior, “nem todo aquele que me diz: ‘Senhor, Senhor’, entrará no Reino dos céus, mas apenas aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus.” (Mateus 7:21) 

A verdade da ira de Deus deve motivar o crente nascido de novo para compartilhar o Evangelho. Deve encorajar-nos a orar pelos perdidos. “Pois todos nós devemos comparecer perante o tribunal de Cristo, para que cada um receba de acordo com as obras praticadas por meio do corpo, quer sejam boas quer sejam más.” (2 Coríntios 5:10-11) 

Que Deus nos dê o desejo de alcançar as almas e proclamar a verdade da Sua palavra fielmente para os que estão perecendo; visto que a Escritura está cheia de advertências da ira de Deus por aqueles que continuam em seu pecado sem se arrepender, e “a ira de Deus vem sobre os filhos da desobediência.” (Colossenses 3:6)

 

 

 

 

 

Pearls - Matthew 7 vs 6 (P)

“Não dêem o que é sagrado aos cães, nem atirem suas pérolas aos porcos; caso contrário, estes as pisarão e, aqueles, voltando-se contra vocês, os despedaçarão.” (Mateus 7:6) 

Essa analogia foi usada por Cristo para mostrar como as pessoas reagem quando elas estão vivendo em rebelião aberta contra Deus Todo-Poderoso; pessoas rebeldes, que obstinadamente rejeitam a Sua verdade e serram suas mentes e corações para o conhecimento espiritual. 

Jesus ensinou isso em seu Sermão do Monte, e para entender seu significado, temos de compreender seu contexto e posicionamento dentro do sermão. Cristo tinha acabado de instruindo a multidão sobre o  julgamento e correção: “Não julguem, para que vocês não sejam julgados. Pois da mesma forma que julgarem, vocês serão julgados; e a medida que usarem, também será usada para medir vocês.” (Mateus 7:1-2 ), e “Hipócrita, tire primeiro a viga do seu olho, e então você verá claramente para tirar o cisco do olho do seu irmão” (Mateus 7:5). Em seguida, no versículo 6 , Cristo nos mostra a diferença entre o “julgamento ” e o ” discernimento.” 

Para entender a relação entre cães e porcos, vemos uma ilustração no livro de Provérbios, ao qual Pedro se refere. “É verdadeiro o provérbio: “O cão volta ao seu vômito” e ainda: “A porca lavada volta a revolver-se na lama..(2 Pedro 2:22) 

Os cães e porcos aqui são representativos daqueles que ridicularizam, rejeitam e blasfemam o evangelho uma vez que foi dado a eles. Portanto, não devemos colocar o evangelho de Jesus Cristo diante de alguém cujo objetivo é pisar nele e voltar para seus próprios maus caminhos. No entanto; nós como verdadeiros crentes nascidos de novo precisam identificar essas pessoas por meio do discernimento, porque “a pessoa espiritual discerne todas as coisas …” (1 Coríntios 2:15). Enquanto que “a pessoa sem o Espírito não aceita as coisas que vêm do Espírito de Deus, mas os considera loucura, e não pode entendê-las, porque elas se discernem apenas por meio do Espírito.” (1 Coríntios 2:14) 

Isso não significa que devemos abster de ensinar o evangelho. O próprio Jesus ensinou, e comia com pecadores e coletores de impostos ( Mateus 9:10). A mesma instrução que Jesus está dando em Mateus 7:6, Jesus deu aos seus apóstolos, quando disse: “Se alguém não os receber nem ouvir suas palavras, sacudam a poeira dos pés quando saírem daquela casa ou cidade” (Mateus 10:14). Então, não há necessidade de apresentar o evangelho para aqueles com atitudes negativas em relação a Deus. 

Cristo estava instruindo os discípulos para não tentar converter as multidões. A menos que Deus está abrindo a mente de alguém para o entendimento espiritual, eles vão tratar a verdade de Deus, do mesmo modo que os porcos trataria pérolas – como nada mais do que sujeira. Um porco não conseguiria entender nem apreciar a grande beleza e valor das pérolas. Desta mesma maneira uma pessoa que não é chamada por Deus, não pode compreender o grande valor das verdades de Deus. Ele ou ela, figurativamente, “iria pisotear a Palavra de Deus.” 

Deus nos advertiu através dos escritos de Pedro de que algumas pessoas são tão más e depravadas que elas são como “criaturas irracionais “ que devem e serão destruídas por Deus Todo-Poderoso. “Mas estes, como criaturas irracionais, por natureza feitas para serem presas e mortas, blasfemando do que não entendem, perecerão na sua corrupção.” (2 Pedro 2:12) 

Equilibrar o julgamento pelo discernimento é a sabedoria da qual Jesus fala em Mateus 10:16: “Eu os estou enviando como ovelhas entre lobos. Portanto, sejam astutos como as serpentes e sem malícia como as pombas.” 

Não devemos tentar forçar as verdades de Deus aos outros. Em vez disso, ” … estejam sempre preparados para responder a qualquer pessoa que lhes pedir a razão da esperança que há em vocês” (1 Pedro 3:15). Como cristãos, devemos estar preparados para responder a perguntas que outros possam ter, se eles estão pedindo sinceramente, e não com a finalidade de debater. Muitas vezes, quando as pessoas honestamente desejam entender o que a Bíblia ensina, pode ser uma indicação de que Deus está abrindo a mente dessa pessoa. 

Em Mateus 13:45-46, Cristo mais uma vez compara as verdades de Deus com as pérolas, onde Ele afirma: “O reino do céu também é como um homem que negocia e procura boas pérolas. Quando encontrou uma pérola que era realmente muito valiosa, foi, vendeu tudo o que tinha e comprou aquela pérola.”  Como o comerciante, que vendeu tudo o que tinha para comprar uma pérola de grande valor, Deus espera que tratamos a Sua verdade como um tesouro inestimável.

Publicado por: mvmportugues | maio 26, 2014

A EVIDÊNCIA DE ESTAR PREENCHIDO PELO ESPÍRITO – Efésios 5:15-20

Ephesians 5 vs 15-20 (P)

“Não se embriaguem com vinho, que leva à libertinagem, mas deixem-se encher pelo Espírito.” (Efésios 5:18) 

Uma pessoa não pode ser preenchida com o Espírito Santo, que implica o controle completo do Espírito Santo, se estamos sob o controle do vinho, cerveja ou qualquer outra coisa. Portanto, os cristãos devem estar preenchidos pelo Espírito Santo, para estarem somente sob Sua influência.  

A Bíblia adverte fortemente sobre os perigos do álcool: “O vinho é zombador e a bebida fermentada provoca brigas; não é sábio deixar-se dominar por eles.” (Provérbios 20:1) 

Todos os verdadeiros crentes são habitados pelo Espírito Santo a partir do momento da conversão. Paulo dá um aviso severo em Romanos 8:9: “Entretanto, vocês não estão sob o domínio da carne, mas do Espírito, se de fato o Espírito de Deus habita em vocês. E, se alguém não tem o Espírito de Cristo, não pertence a Cristo.” Portanto, todos os verdadeiros crentes são selados com o Espírito no momento em que são salvos: “Quando vocês ouviram e creram na palavra da verdade, o evangelho que os salvou, vocês foram selados em Cristo com o Espírito Santo da promessa” (Efésios 1:13). Então, “não entristeçam o Espírito Santo de Deus, com o qual vocês foram selados para o dia da redenção.” (Efésios 4:30) 

Ser totalmente controlado e guiado pelo Espírito não é apenas uma experiência única. Deve ser uma experiência contínua; um controle por Deus dos pensamentos e ações de momento a momento. 

Mas como é que uma pessoa tem tal experiência, e qual é a evidência de que a coisa é real? Para ser controlado pelo Espírito, devemos ceder o controle a Ele e não se deixar ser controlado por qualquer outra coisa ou pessoa. Assim, a frase, “cheio do Espírito Santo”, descreve uma pessoa que habitualmente vive com todas as áreas de sua vida sob o controle do Espírito Santo. Elas não são obstinadas, mas controladas pelo Espírito. 

Jesus prometeu que “quando o Espírito da verdade vier, Ele os guiará a toda a verdade.” (João 16:13). 

A plenitude do Espírito não significa que uma pessoa teve uma experiência dramática ou de êxtase, mas que ela sempre anda com a sua vida rendida ao Espírito Santo, para que o fruto do Espírito caracterize a sua vida. 

A verdadeira prova está na vida, que se manifesta por tais características como estão descritos no contexto das passagens referindo-se ao enchimento do espírito. O enchimento do Espírito é acompanhado pelo modo como vivemos, “tenham cuidado com a maneira como vocês vivem; que não seja como insensatos, mas como sábios, aproveitando ao máximo cada oportunidade, porque os dias são maus” (Efesios 5:15-16), e compreendendo a vontade de Deus – “Portanto, não sejam insensatos, mas procurem compreender qual é a vontade do Senhor” (v. 17). Também é acompanhado por uma conversa feliz e centrada na Bíblia – “falando entre si com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando e louvando de coração ao Senhor “ (v. 19) e um coração continuamente grato – “dando graças constantemente a Deus Pai por todas as coisas, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo (v. 20). 

Então, para ser um cristão cheio do Espírito Santo, você deve estar crescendo em sua compreensão e obediência à Palavra de Deus e também deve ser evidenciado pela ousadia no testemunho e em defender a verdade de Deus (Atos 4:31; 13:9-10). 

Se cremos em Cristo como nosso Senhor e Salvador, Deus nos deu o Espírito Santo para habitar em nós. Ele nos ordena que sejamos cheios do Espírito, que significa viver a nossa vida rendida momento-a-momento, honrando o Espírito Santo que reside em nós, em tudo o que nós pensamos, dizemos e fazemos. 

Temos que entender, que o Espírito Santo não vai encher um recipiente sujo. No entanto, “se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” (1 João 1:9). Temos que apresentar-nos a Deus, como vivos dentre os mortos e oferecer nossas mentes e corpos a Ele como instrumentos de justiça. (Romanos 6:13) 

À medida que caminhamos desta forma, confessando e abandonando o pecado, contando com o Espírito que reside em nos e em Seu poder, sendo obediente à Sua Palavra, vamos desenvolver um hábito de santidade. 

Ele irá controlar ou influenciará nossos pensamentos, nossas emoções, nossas palavras, nossas atitudes, nosso tempo, nossos relacionamentos, nossas finanças, e toda nossa vida. Ele não faz isso como um mestre de controle, mas no entanto, Ele usa nossa personalidade única e nossos dons. Ele nos enche como o vento enche as velas de um barco, dirigindo-nos em Seus caminhos de justiça e de alegria. 

Deus não quer que nós rendemos a nossa vontade a Ele para que Ele possa nos dominar – mas para que Ele possa comunicar o seu imenso amor para nós, Seus filhos.

Publicado por: mvmportugues | maio 19, 2014

ESPERE PACIENTEMENTE PELO SENHOR – Salmo 40:1

Salmo 40 vs 1 (P)

Esperei com paciência pelo Senhor, e Ele se inclinou para mim e ouviu o meu clamor. (Salmo 40:1)

Quando estamos em comunhão com o nosso Pai celestial chegamos a conhecê-Lo e aprendemos a esperar pacientemente Nele, porque Deus tem sempre o nosso melhor em mente. 

A paciência é uma virtude. É também uma maneira em que o Senhor proporciona Suas bênçãos a nós. Assim como a natureza espera pacientemente pela chuva e orvalho, desta mesma maneira os santos paciente esperam por Deus para derramar Suas bênçãos sobre eles. “Portanto, irmãos, sejam pacientes até a vinda do Senhor. Vejam como o agricultor aguarda que a terra produza a preciosa colheita e como espera com paciência até virem as chuvas do outono e da primavera.” (Tiago 5:7) 

Pacientemente esperando em Deus era uma característica especial de nosso Senhor Jesus. Impaciência nunca permaneceu em Seu coração, e muito menos escapou de Seus lábios. Portanto, oramos e esperamos, sabendo que Jesus Cristo está completamente ciente das nossas necessidades. Quando esperamos e confiamos no Senhor, mesmo no meio da tribulação, Ele prepara nossa mente, coração e caráter, porque: “a tribulação produz perseverança; e a perseverança, um caráter aprovado.” (Romanos 5:3-4) 

Quando esperamos com paciência e oramos, descobrimos a vontade e o propósito de Deus nas coisas que mais nos preocupam. “O Senhor é bom para com aqueles cuja esperança está nele, para com aqueles que o buscam.” (Lamentações 3:25) 

Sim, é difícil ser paciente quando realmente queremos alguma coisa. Mas pensamos antes de agir? Está a nossa motivação alinhada com o que o Todo-Poderoso quer para nós? É apropriado tomar uma decisão sem consultar o Senhor? Nosso Pai celestial sabe do que precisamos e quando somos capazes de lidar com a Sua bênção. Orgulho por outro lado, exige ter as coisas agora, mas a humildade vê o valor em sabiamente esperar. 

Uma pessoa humilde centra-se na relação com Jesus enquanto pacientemente espera e deixar que Ele faça uma obra de maior graça em seu coração. Precisamos aproveitar o que já temos e quando o fazemos, apreciarmos o que temos mais intensamente. Como Jó que perdeu tudo, precisamos esperar em Deus e não perder a esperança. “Como vocês sabem, nós consideramos felizes aqueles que mostraram perseverança. Vocês ouviram falar sobre a perseverança de Jó e viram o fim que o Senhor lhe proporcionou. O Senhor é cheio de compaixão e misericórdia.” (Tiago 5:11) 

Tentar manipular circunstâncias drena a nossa energia, no entanto, ativamente esperando em Deus é edificante, porque quando permitimos que Ele nos fortalece para as tarefas que somos chamados, podemos experimentar o poder sobrenatural que Ele fornece. “Ele fortalece o cansado e dá grande vigor ao que está sem forças…. mas aqueles que esperam no Senhor renovam as suas forças. Voam alto como águias; correm e não ficam exaustos, andam e não se cansam.” (Isaías 40:29, 31) 

Quando apressamos os planos de Deus ou fazemos as coisas do nosso jeito, acabamos derrotados. Mas esperando Nele irá garantir a nossa vitória e nos impedirá de atos insensatos e precipitados. “Aqueles que esperam em mim não ficarão decepcionados.” (Isaías 49:23) 

No final, nós nunca seremos decepcionados, se optamos por esperar em Deus. Pois, é sempre a coisa sensata que devemos fazer. Quando outros exigem que corremos na frente de Deus, precisamos lembrar que os planos e o tempo do Senhor são sempre melhores. Ele conhece os nossos pontos fortes, nossos pontos fracos, e preferências melhor do que qualquer outra pessoa, e ainda melhor do que nós mesmos. 

Não devemos deixar que as circunstâncias nos tentem a tomar o assunto em nossas próprias mãos. Deus tem um propósito para tudo o que experimentamos. Isaías falou de um Deus “que age em nome da pessoa que esperam por Ele” (Isaías 64:4). Que promessa maravilhosa ! Enquanto esperamos ativamente, Ele trabalha ativamente. Pense nisso: A cada dia, temos o maior Mediador trabalhando por nós. Que bênção maravilhosa é esta. 

Apesar que espera pode ser uma das coisas mais difíceis na vida cristã, não é tempo perdido. Durante os períodos de espera, Deus nos ensina lições que de outro jeito não poderíamos aprender. Durante este tempo, Ele fortalece a nossa fé, e pode até mudar as nossas circunstâncias. Seu propósito é para nos manter em sintonia com Ele, enquanto Ele nos prepara para receber as respostas que precisamos ouvir. Efésios 1:11 diz que o Pai “faz todas as coisas segundo o propósito da Sua vontade.” 

Algumas pessoas religiosas lhe perguntarão: “Por que você está perdendo tanto tempo em oração, quando você poderia estar trabalhando ativamente na igreja?” Isso é uma impossibilidade divina – não há tal coisa como “desperdiçar” tempo em oração enquanto esperamos para que Deus nos oriente e revele a Sua perfeita e Santa vontade para nós. Perdendo tempo, as finanças de Deus e nossas vidas acontece quando nos recusamos a esperar em Deus e rebelamos contra as ordens de Sua Santa Palavra e da liderança do Espírito Santo. 

Esperar no Senhor leva tempo. Mesmo quando nada parece estar acontecendo; precisamos permitir que Deus defina o ritmo de nossa vida. Quando obedecemos, Ele nos honrará na devida época: “E foi assim que, depois de esperar pacientemente, Abraão alcançou a promessa.” (Hebreus 6:15)

Pedro nos advertiu: “Portanto, humilhem-se debaixo da poderosa mão de Deus, para que ele os exalte no tempo devido. Lancem sobre ele toda a sua ansiedade, porque ele tem cuidado de vocês.  Estejam alertas e vigiem. O Diabo, o inimigo de vocês, anda ao redor como leão, rugindo e procurando a quem possa devorar. Resistam-lhe, permanecendo firmes na fé, sabendo que os irmãos que vocês têm em todo o mundo estão passando pelos mesmos sofrimentos.  E o Deus de toda a graça, que em Cristo vos chamou ã sua eterna glória, depois de haverdes sofrido por um pouco, ele mesmo vos há de aperfeiçoar, confirmar e fortalecer.” (1 Pedro 5:6-10)

Publicado por: mvmportugues | maio 11, 2014

UMA MÃE FIEL – 2 Timóteo 1:5

Uma Mãe Fiel - 2 Timoteo 1 vs 5

Recordo-me da sua fé sincera, que primeiro habitou em sua avó Lóide e em sua mãe, Eunice, e estou convencido de que também habita em você. 2 Timóteo 1:5 

Paulo menciona essas duas mulheres, por terem transmitido ao seu filho e neto os valores da fé cristã. 

Deve ter sido difícil para a mãe, Eunice, e a avó, Lóide, dar uma educação cristã a Timóteo, pois elas eram judias crente, mas o pai era grego (Atos 16:1). É complicado ensinar princípios religiosos aos filhos quando um dos pais não é crente. É possível que o pai de Timóteo tivesse falecido quando ele ainda era criança, pois não é mais mencionado. 

No entanto sua mãe e avó desempenharam um papel importante em sua formação. Eunice e Lóide puseram em prática a grande verdade bíblica: “Instrua a criança segundo os objetivos que você tem para ela, e mesmo com o passar dos anos não se desviará deles.” (Provérbios 22:6). 

As mães cristãs têm as melhores condições para inspirar nos filhos não apenas a fé em Deus, mas também confiança em si mesmos, pois elas vêem neles não apenas o que são, mas no que poderão se tornar, pela graça de Deus. 

Timóteo recebeu, pelo lado materno, a fé por herança. Entre os cristãos mais bem firmados na fé estão aqueles que procedem de uma linhagem cristã. 

Por isso a influência materna é tão importante. As mães receberam de Deus o poder de moldar o caráter dos filhos para o tempo e a eternidade. Portanto, com a ajuda e o poder de Deus, eduque seus filhos a fim de que sejam úteis neste mundo e para que eles sejam bem equipados para ensinar outros sobre Jesus, a salvação e a vida eterna. “Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.” (João 14:6) 

Feliz dia das mães, que Deus a abençoe.

 

Fonte original da imagem: “No favor de Deus” por Simon Dewey

Older Posts »

Categorias

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 166 outros seguidores