Publicado por: mvmportugues | abril 17, 2014

O JULGAMENTO INJUSTO E CORRUPTO DE JESUS – Mateus 26:3-5

“Naquela ocasião os chefes dos sacerdotes e os líderes religiosos do povo se reuniram no palácio do sumo sacerdote, cujo nome era Caifás,  e juntos planejaram prender Jesus à traição e matá-lo.  Mas diziam: “Não durante a festa, para que não haja tumulto entre o povo.”  (Mateus 26:3-5) 

A detenção, julgamento, condenação, sentença e execução de Jesus Cristo foi e ainda é sem precedente legal. Ele sofreu a penalidade da morte apesar que Pôncio Pilatos – a autoridade romana local – o considerou inocente.

1 Jesus before Caiaphas

O Messias realmente foi submetido a dois julgamentos cada um com três fases. Primeiro veio o julgamento religioso, onde a acusação era de blasfêmia, em seguida, veio o processo civil em que a acusação era o incitamento à rebelião.

2 jesus-before-pilate

Jesus foi julgado perante um tribunal injusto, com um processo judicial apressado, que termina em uma punição severa, um julgamento não autorizado realizado por indivíduos que tomaram a lei em suas próprias mãos. Estes líderes são considerados corruptos e sem respeito a lei. Este julgamento foi precedido por uma conspiração:

“Então os principais sacerdotes e os anciãos do povo se reuniram no pátio da casa do sumo sacerdote, o qual se chamava Caifás; e deliberaram como prender Jesus a traição, e o matar. Mas diziam: Não durante a festa, para que não haja tumulto entre o povo.”  (Mateus 26:3-5) 

A conspiração incluiu os fariseus, os anciãos do povo, os saduceus e os sumo sacerdotes. Haviam dois grupos opostos e havia uma grande amargura entre eles. Mas eles tinham uma coisa em comum; animosidade para com as reivindicações do Messias. Enquanto Jesus mantinha a Lei de Moisés, Ele se recusou a defender as tradições de ambos os fariseus ou os saduceus. Esta foi a razão pela qual Ele foi odiado por ambos os grupos. Esse ódio deu origem a uma conspiração contra o Messias, que foi liderado por Caifás, o sumo sacerdote. O plano era de apreenderJesus em segredo, longe da atenção das massas, e matá-lo antes que as pessoas se deram conta do que havia acontecido.

Mateus 26:14-16, Marcos 14:11 e Lucas 22:5 claramente declaram que os conspiradores estavam contentes quando Judas ofereceu a oportunidade de apreender Jesus. Eles rapidamente fizeram uma promessa para pagá-lo por seus serviços. O valor acordado foi de trinta moedas de prata. Judas foi pago pelo “templo” dinheiro que havia sido designado para a compra de sacrifícios. Os conspiradores nem realizaram que eles estavam realmente comprando um sacrifício com o dinheiro do templo, porque quando o Messias morreu, Ele morreu como sacrifício pelo pecado de todas as pessoas.

As trinta moedas de prata tinham significado adicional. De acordo com Êxodo 21:32 “Se o boi chifrar um escravo homem ou mulher, o proprietário deve pagar trinta moedas de prata ao dono do escravo. . . “  Assim, os líderes de Israel compararam o ministério do Messias como sendo do valor de um escravo. Mas, ao mesmo tempo, desconhecido para eles, estes líderes estavam cumprindo uma profecia do Antigo Testamento. Zacarias 11:12 claramente afirma que seu preço seria de trinta moedas de prata. Leia Zacarias 11:12-13.

No tempo do Messias, o judaísmo tinha desenvolvido muitas leis que controlavam todas as facetas da vida judaica, que nas Escrituras é referido como a tradição dos anciãos (leia Marcos 7:3-4).

Dentro deste corpo maciço de lei haviam os mandamentos que lidavam com a maneira pela qual o Sinédrio deveria conduzir um julgamento.

A principal coisa que os fariseus e saduceus tinham contra o Messias foi Sua recusa em aceitar as tradições como sendo oficias e obrigatórias. No entanto, eles mesmos eram culpados da mesma coisa pela qual eles condenaram o Messias. Na tentativa de um processo judicial apressado e morte rápida do Messias através de um tribunal injusto, eles violaram uma série de suas próprias leis.

As vinte e duas leis do Sinédrio, que foram violadas no julgamento do Messias são os seguintes:

  1. Não deveria haver nenhuma apreenção por autoridades religiosas que foi afetada por suborno: “Também não aceitarás suborno, porque a suborno cega os que têm vista, e perverte as palavras dos justos.” (Éxodo 23:8)
  2. Não deveria haver nenhum procedimento criminal depois do pôr-do-sol. ((“Deixe um crime capital ser julgado durante o dia, mas suspendê-lo durante a noite.” (Mishna = a lei oral, Sanhedrin 4:1)).
  3. Nem juízes ou membros do Sinédrio eram autorizados a participar na detenção. “Depois, Jesus disse aos líderes dos sacerdotes, aos chefes dos guardas do templo e aos anciãos que tinham ido prendê-lo: Por que vocês vieram com espadas e cacetes para me prender, como se eu fosse um ladrão?” (Lucas 22:52)
  4. Não deveria haver julgamentos antes do sacrifício da manhã.
  5. Não deveria haver julgamentos secretos, só público.
  6. Julgamento pelo Sinédrio só podia ser realizado no Salão de Julgamento no recinto do Templo.
  7. O procedimento era para ser primeiro a defesa e depois a acusação.
  8. Todos podem argumentar em favor da absolvição, mas todos não podem argumentar em favor da convicção.
  9. Devia haver duas ou três testemunhas e seu depoimento tinha de concordar em todos os detalhes: (Deuteronômio 19:15)
  10. Não deveria haver nenhuma provisão para o acusado a depor contra si mesmo.
  11. O Sumo Sacerdote era proibido rasgar a sua vestidura (Levítico 21:10).
  12. As acusações não poderiam originar com os juízes. Eles só podiam investigar acusações trazidas para eles.
  13. A acusação de blasfêmia era válida somente se o nome de Deus em si foi pronunciado.
  14. Uma pessoa não poderia ser condenado somente baseada em suas próprias palavras.
  15. O veredicto não poderia ser anunciado durante a noite, só durante o dia.
  16. No caso da punião, o julgamento e o veredicto de culpabilidade não poderiam ocorrer ao mesmo tempo, mas deveriam ser separados pelo menos por 24 horas.
  17. Votando a favor da pena de morte tinha que ser feito por contagem individual iníciando com o mais novo assim que o jovem não seria influenciada pelos anciãos.
  18. A decisão unânime de culpa demonstra inocência, já que é impossível para 23 – 71 homens estar de acordo, sem ter conspirado.
  19. A sentença só poderia ser pronunciado três dias após o veredicto de culpa.
  20. Uma pessoa condenada à morte não poderia ser batida ou açoitada previamente.
  21. Os juízes deviam ser humanos e gentis.
  22. Nenhum julgamento era permitido na véspera do sábado ou num dia de festa. (A Mishna = lei oral diz: “Eles não julgarão, na véspera do sábado, nem em qualquer festival.”)

*******

Dos ensinamentos do Dr. Arnold G. Fruchtenbaum

Traduzido por Mission Venture Ministries em Português

HD Wallpaper Backgrounds of Blue Sky | Most Beautiful Cloudy Sky Pics

As palavras mais terríveis que cristãos professos poderiam ouvir seria Jesus Cristo dizendo: “Nunca os conheci. Afastem-se de mim vocês, que praticam a iniqüidade” (Mateus 7:23). No dia do juízo, estas palavras horríveis serão ouvidas por muitos que chamam Jesus de “Senhor” que nunca se arrependeram de suas iniqüidades e lhe pediram para que Ele seja verdadeiramente o Senhor de suas vidas. 

Como pode ser isso? Como pode alguém que declara que Jesus é o Senhor e realiza atividades religiosas não ser realmente salvo? Então a pergunta é: Como você sabe que isso não vai acontecer para você? Já que a maior parte de pessoas se ressegurar dizendo: “Não pode ser eu, porque eu acredito em Jesus.” 

A Escritura diz: “Você crê que existe um só Deus? Muito bem! Até mesmo os demônios crêem — e tremem!”  (Tiago 2:19). A questão não é ” fé em Deus”, mas que tipo de fé você tem? Existem dois tipos de “fé” descritos na Bíblia. Uma tem origem no homem quando ele afirma certas verdades sobre Deus. Esta é uma fé morta porque: “De que adianta, meus irmãos, alguém dizer que tem fé, se não tem obras? Acaso a fé pode salvá-lo? . . . A fé, por si só, se não for acompanhada de obras, está morta.” (Tiago 2:14; 17) 

A outra é uma fé dada por Deus: “Portanto, se alguém está em Cristo, é nova criação. As coisas antigas já passaram; eis que surgiram coisas novas!” (2 Coríntios 5:17). Esta é uma fé viva nascida de um novo coração que deseja dar frutos para a glória de Deus: “Nisto é glorificado meu Pai, que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos.” (João 15:8)  

A palavra de Deus nos diz para: “Examinem a si mesmos para verem se ainda estão vivendo com fé; provem-se a vocês mesmos. Sem dúvida que vocês reconhecerão que Jesus Cristo está em vocês, a não ser que já estejam reprovados nestes exames” (2 Coríntios 13:5). Se você realmente é um cristão, isso vai aprofundar a sua certeza da salvação. Se você não é um cristão verdadeiro, em seguida, pela graça de Deus, você pode invocar o Senhor antes de perecer para sempre. Quando uma pessoa chega a ver o fundamento apropriado da fé e confia com o seu coração naquilo que Jesus fez por ele na cruz, esta é a fé salvadora : “Porque a vontade de meu Pai é que todo aquele que olhar para o Filho e nele crer tenha a vida eterna”. (João 6:40) 

Muitas pessoas acreditam em fatos a respeito de Cristo. Eles acreditam que Ele é o Filho de Deus e que Ele morreu na cruz pelos pecados do mundo. Mas eles não o amam supremamente, nem estão dispostos a obedecê-Lo e segui-Lo. Esta não é a verdadeira fé em Cristo e isso nunca trará a salvação. 

Há uma outra Escritura que diz: “todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne procede de Deus; mas todo espírito que não confessa Jesus não procede de Deus. Esse é o espírito do anticristo,” (1 João 4:2-3). 

‘A boca pode facilmente confessa que Jesus Cristo veio em carne, mas o espírito não mente. Se o espírito confessa que Jesus veio na carne as ações e ensinamentos desta pessoa vai se alinhar com as ações e os ensinamentos de Jesus quando Ele andou sobre a Terra.’ (John Henderson) 

O Senhor Jesus disse que devemos: “Entrar pela porta estreita, pois larga é a porta e amplo o caminho que leva à perdição, e são muitos os que entram por ela. Como é estreita a porta, e apertado o caminho que leva à vida! São poucos os que a encontram. (Mateus 7:13-14). Isto é seguido por um alerta urgente: “Cuidado com os falsos profetas. Eles vêm a vocês vestidos de peles de ovelhas, mas por dentro são lobos devoradores.”  (Mateus 7:15). Eles parecem ser cristãos, mas enganam as pessoas com um evangelho distorcido: “Estou admirado de vocês estarem abandonando tão depressa aquele que os chamou por meio da graça de Cristo, e estarem aceitando uma versão diferente das Boas Novas. A verdade é que não há outra versão das Boas Novas, mas algumas pessoas estão deixando a vocês confusos e querem mudar as Boas Novas sobre Cristo. Mas qualquer um que lhes anuncie uma versão das Boas Novas diferente daquela que lhes temos anunciado, que seja amaldiçoado; não importando que sejamos nós mesmos ou um anjo vindo do céu. Pois assim como já lhes disse, agora repito: Se alguém anunciar uma versão das Boas Novas diferente daquela que vocês receberam, que seja amaldiçoado. (Gálatas 1:6-9). Esses falsos professores vão enganar as pessoas, pedindo-lhes para responder ao Evangelho, sem arrependimento e fé. Pessoas precisam: “Se arrepender e creer nas boas novas!” (Marcos 1:15) 

Alguns acreditam que são cristãos porque responderam a uma chamada que o pastor deu, ou tomaram uma vez a decisão de seguir a Cristo, ou repetiram a oração do pecador, ou foram batizados. Essas respostas não são encontradas na Bíblia. A única resposta para a salvação é “arrepender e crer no Evangelho.” (Marcos 1:15) 

Jesus declarou: “Não são os que têm saúde que precisam de médico, mas sim os doentes. Eu não vim chamar justos, mas pecadores ao arrependimento (Lucas 5:31-32). Deus está ordenando para “que todos, em todo lugar, se arrependam” (Atos 17:30). A fé salvadora é “o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se vêem” (Hebreus 11:1). Deus quer que verdadeiros crentes saibam que eles têm vida eterna (1 João 5:13)

Verdadeiros crentes nascidos de novo são os únicos que vão ver o reino de Deus, uma vez que passamos da morte para a vida eterna em Cristo (João 3:3). Porque Deus vê o nosso coração, nossas intenções e pensamentos: Seu grande amor por nós, que é rico em misericórdia, deu-nos vida com Cristo, quando ainda estávamos mortos em nossos delitos – pela graça somos salvos. (Efésios 2:5)

“Porque a tristeza que Deus quer que vocês tenham, leva a pessoa a arrepender-se, fazendo-a mudar de coração e de vida. Isso conduz para a salvação e nós não podemos nos arrepender disso. Porém a tristeza do mundo conduz à morte” (2 Coríntios 7:10). “Pois é pela graça de Deus que vocês foram salvos, por meio da fé que vocês têm. Vocês não salvaram a si mesmos. A salvação vem de Deus como um dom, e não como o resultado das obras que alguém fez, para que assim ninguém se glorie.” (Efésios 2:8-9) 

Verdadeiros crentes nascidos de novo são gratos a Deus por sua redenção porque: “No passado, vocês eram escravos do pecado, mas, graças a Deus, vocês obedeceram de coração às verdades que estão nos ensinos que receberam” (Romanos 6:17). E “quando vocês ouviram e creram na palavra da verdade, o evangelho que os salvou, vocês foram selados em Cristo com o Espírito Santo da promessa,” (Efésios 1:13). “Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus” (Romanos 8:14). Jesus disse: “Se vocês permanecerem firmes na minha palavra, verdadeiramente serão meus discípulos. E conhecerão a verdade, e a verdade os libertará.” (João 8:31-32) 

Falsos conversos não discernem a sua condição perigosa. Eles permanecem mortos em seus pecados, porque, “se alguém não tem o Espírito de Cristo, não pertence a Cristo” (Romanos 8:9). Eles amam a si mesmos e o mundo; e o aviso é: Não amem o mundo nem o que nele há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele.” (1 João 2:15) 

Falsos conversos enganam a si mesmos, pois: “Aquele que diz: “Eu o conheço”, mas não obedece aos seus mandamentos, é mentiroso, e a verdade não está nele” (1 João 2:4). Eles ouvem, mas não obedecem: “Sejam praticantes da palavra, e não apenas ouvintes, enganando-se a si mesmos” (Tiago 1:22). “Eles afirmam que conhecem a Deus, mas por seus atos o negam;” (Tito 1:16). Eles não têm nenhuma base sólida e: “como não tem raiz, não dura muito tempo. Assim que encontra dificuldades ou que é perseguida por causa da mensagem, abandona a sua fé.” (Mateus 13:21) 

Pense nisso e procure em sua mente e em seu espírito se você vai rejeitar esses avisos e continuar a caminhar na escuridão e decepção. No entanto, esperamos que você reconheça a necessidade de mudar e buscar diligentemente as Escrituras, a verdade e as respostas de Deus e chegar à conclusão de que: “eu não tenho vergonha das Boas Novas, porque elas são o poder de Deus para salvar todo aquele que crê: primeiro os que são judeus e depois os que não são judeus. (Romanos 1:16)  

O único Evangelho de salvação é esta: Cristo morreu por nossos pecados, foi sepultado e Ele ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras (1 Coríntios 15:4), Ele subiu ao céu e Ele voltará. (Atos 1:11) 

Jesus disse: “Eis que venho em breve! A minha recompensa está comigo, e eu retribuirei a cada um de acordo com o que fez. (Apocalipse 22:12) 

Ninguém sabe o dia nem a hora que eles vão tomar o seu último suspiro, portanto:“Nós trabalhamos juntos com Deus e, por isso, pedimos: Não deixem que a graça que vocês receberam de Deus fique sem valor. Pois Deus diz: “Num dia favorável eu o ouvi e o socorri no dia da salvação”. Ouçam! Agora é o momento bem oportuno; hoje é o “dia da salvação” (2 Coríntios 6:1-2). Preste atenção, porque o amanhã pode ser tarde demais.

Publicado por: mvmportugues | abril 6, 2014

DEUS NUNCA OS DEIXARÁ, NUNCA OS ABANDONARÁ – Deuteronômio 31:6

Deuteronomio 31 vs 6 P

“Sejam fortes e corajosos. Não tenham medo nem fiquem apavorados por causa delas, pois o Senhor, o seu Deus, vai com vocês; nunca os deixará, nunca os abandonará.” Deuteronômio 31:6 

Este é um convite para acreditar e seguir a Deus. Somente quando cremos em Deus e seguimos Sua liderança podemos ser verdadeiramente fortes e corajosos. O resultado e efeito do pecado é sempre fraqueza, confusão, contenda e, eventualmente, a morte. “Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei. Os que pertencem a Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e os seus desejos. Se vivemos pelo Espírito, andemos também pelo Espírito. Não sejamos presunçosos, provocando uns aos outros e tendo inveja uns dos outros.(Gálatas 5:22-26)  

Compreender a onipresença de Deus, que significa que Deus está presente em toda parte, deve encorajar-nos em tempos de aflição e nos impedir de pecar, porque Ele está sempre conosco e nos observando. 

A onipresença de Deus deve ser de grande conforto para cada crente nascido de novo já que qualquer que seja a prova, o Senhor está lá. Às vezes, Deus pode parecer distante, mas Ele está realmente com você neste momento – onde Ele sempre tem estado. Sua promessa para nós é: “Nunca o deixarei, nunca o abandonarei.” (Hebreus 13:5) 

Deus está sempre conosco para incentivar e apoiar o nosso serviço a Ele. Quando Deus chamou Moisés para proclamar Sua mensagem e tirar Israel da escravidão, Moisés protestou por causa de sua falta de facilidade para falar (Êxodo 4:10-12). Mas Deus disse: “Eu estarei com você, ensinando-lhe o que dizer.” 

Jesus nos ordena: Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, . . . E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos” (Mateus 28:19-20). Se você sentir que você não é forte e corajoso, lembre-se doque Deus disse a Moisés e o que Jesus disse aos seus discípulos. Tenha em mente que, como crentes, temos os mesmos recursos que eles tinham, que é a presença e o poder de Deus!

Quando nós nos concentramos na presença contínua de Deus em nossas vidas, isto também se torna um escudo contra o pecado. Por isso; a onipresença de Deus também deve motivar-nos a santidade. Porque se pecamos em pensamento, palavra ou ação; pecamos na presença de Deus, já que “os olhos do Senhor estão em toda parte, observando atentamente os maus e os bons” (Provérbios 15:3). Porque os seus olhos estão sobre os caminhos de cada um, e ele vê todos os seus passos. Não há escuridão nem densas trevas, onde se escondam os obradores da iniqüidade (Jó 34:21-22). Portanto, precisamos nos lembrar de não fazer nada que não gostaríamos que Deus veja; porque, Ele vai vê-lo de qualquer maneira!

Sabendo que o Senhor nunca nos deixará ou nos abandonará nos dá um grande motivo para se regozijar, porque: “O Senhor é quem me ajuda, não temerei; que me fará o homem?” (Hebreus 13:6) 

Certamente esta é uma das maiores e extremamente preciosas promessas de Deus, porque Seu divino poder nos deu tudo de que necessitamos para a vida e para a piedade, por meio do pleno conhecimento daquele que nos chamou para a sua própria glória e virtude. (2 Pedro 1:3) 

Tenham cautela e: Lancem sobre Ele toda a sua ansiedade, porque Ele tem cuidado de vocês. (1 Pedro 5:7) 

E estejam alertas e vigiem. O Diabo, o inimigo de vocês, anda ao redor como leão, rugindo e procurando a quem possa devorar. Resistam-lhe, permanecendo firmes na fé, sabendo que os irmãos que vocês têm em todo o mundo estão passando pelos mesmos sofrimentos. (1 Pedro 5:8-9)

 

Publicado por: mvmportugues | março 31, 2014

CONFIE NO SENHOR – Provérbios 3:5-6

Provérbios 3 vs 5-6

“Confie no Senhor de todo o seu coração e não se apóie em seu próprio entendimento; reconheça o Senhor em todos os Seus caminhos, e Ele endireitará as suas veredas.” (Provérbios 3:5-6 ) 

Devemos confiar no Senhor de todo o nosso coração, que significa ter confiança total Nele; é a confiança que nos faz dispostos a colocar toda a nossa vida nas mãos de Deus. É por isso que Tiago 1:5-7 diz que Deus vai dar sabedoria para aqueles que pedem com fé, e sem duvidar. Não podemos confiar em Deus com todo o nosso coração e, ao mesmo tempo duvidar que Ele nos dará a Sua sabedoria. 

Precisamos da sabedoria de Deus, para que possamos viver cada dia de uma maneira vibrante e santa; queremos que nossas vidas reflictam a Sua honra e glória em tudo o que dizemos, pensamos e fazemos. Deus dará a Sua sabedoria a todos que se humilham, e a recebem com fé. 

É fácil colocar a nossa confiança total em Deus quando as coisas estão indo bem. Quão firmes no entanto estamos em nossa confiança quando as circunstâncias se tornam difíceis ou se movem muito lentamente para o nosso gosto? E quando as situações não tomam a direção que esperávamos? Como é que confiamos quando as coisas não fazem sentido para nós? 1 Pedro 5:7 diz que devemos lançar toda a nossa ansiedade sobre Ele, porque Ele cuida de nós. 

Em segundo lugar, nos é dito: não se apóie em seu próprio entendimento. Devemos reconhecer nossa fraqueza e nossa dependência de Deus e olhar para Aquele que por si só é suficiente. A confiança deve ser transferida de nossas próprias capacidades humanas e intelecto para o poder e a sabedoria de Deus.

Haverá coisas que nós simplesmente não vamos entender porque não vamos ver o quadro inteiro como Deus o vê. “Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor. Porque, assim como o céu é mais alto do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos,” (Isaías 55:8-9). Deus vê toda a imagem, enquanto a gente só vê o que está acontecendo em nosso espaço, portanto, devemos confiar Nele.

Em terceiro lugar, reconheça o Senhor em todos os seus caminhos. Reconhecer a Deus não é somente dizer, “eu sei que Você está aí.” É buscar a Sua direção, pedindo Sua orientação, desejando Sua sabedoria, querendo saber a Sua instrução em todos os aspectos de nossas vidas. A fim de realmente reconhecer a Deus desta forma, precisamos ser humildes diante Dele e reconhecer que somente Ele tem perfeita compreensão. Precisamos admitir a nossa necessidade de Sua orientação. 

Como reconhecemos Deus em nossas decisões? Quão cientes estamos Dele em todas as circunstâncias? Antes de tomar decisões, oramos por direção? Durante o processo, continuamente buscamos a Sua orientação? Após o fato, Ele recebe o louvor e glória? 

Lembre-se que o Senhor disse: “Eu o instruirei e o ensinarei no caminho que você deve seguir; eu o aconselharei e cuidarei de você.” (Salmo 32:8) 

Quarto, Ele endireitará as tuas veredas. Isto significa que Deus estará conosco a cada passo do caminho sustentando-nos e dando-nos a graça de fazer o que Ele nos pede. Isso significa que Ele nos fará espiritualmente eficaz e eficiente em fazer a Sua obra enquanto Ele abre e fecha portas. Ao andarmos em Sua sabedoria, vamos ver para onde devemos ir e o que devemos fazer. 

Somos dependentes de Deus? Quão grande é a nossa necessidade por Ele? Precisamos de Sua orientação e proteção para manter o nosso caminho em linha reta? Alguma vez seguimos o nosso próprio caminho? Qual foi o resultado?

E disse o Senhor: “Não se glorie o sábio em sua sabedoria nem o forte em sua força nem o rico em sua riqueza, mas quem se gloriar, glorie-se nisto: em compreender-me e conhecer-me, pois eu sou o Senhor e ajo com lealdade, com justiça e com retidão sobre a terra, pois é dessas coisas que me agrado”, declara o Senhor. (Jeremias 9:23-24) 

Cada pessoa deve tomar uma decisão de viver a sua vida de acordo com a preferência pessoal ou de acordo com a imutável Palavra de Deus. Nós muitas vezes não vamos entender como Deus está fazendo com que “todas as coisas (aconteçam) para o bem daqueles que o amam (Romanos 8:28), mas quando nós confiamos Nele com todo o nosso coração, sabemos que Ele nunca nos faltará “pois é Deus quem efetua em vocês tanto o querer quanto o realizar, de acordo com a boa vontade Dele.” (Filipenses 2:13)

Publicado por: mvmportugues | março 24, 2014

ALCANÇANDO OS PERDIDOS PARA JESUS – Mateus 9:37-38

Mateus 9 vs 37-38

Então disse a seus discípulos:” Na verdade, a seara é grande, mas os trabalhadores são poucos. Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua colheita. Mateus 9:37-38

Observe, que Jesus tomou a iniciativa. Ele não esperava que as pessoas viessem a Ele; foi Ele que os buscou.  

Eles não buscão, eles devem ser buscados – eles não aprendem, eles devem ser ensinados – eles não virão a Jesus, a menos que eles sejam trazidos. 

Como verdadeiros crentes e seguidores de Cristo, temos o Espírito Santo vivendo em nós, e precisamos alcançar os perdidos para Jesus assim como Ele o fez. 

O que aconteceria se Jesus tivesse esperado por nós para chegar a Ele? Você acha que teríamos vindo? Jesus teve que ir atrás de cada um deles! Agora, a questão é esta: vamos estender a mão às pessoas que têm almas eternas, e o que estamos fazendo a cada dia para influenciar sua decisão e destino eterno? 

Em 9:36 Mateus escreve: “Ao ver as multidões, teve compaixão delas, porque estavam aflitas e desamparadas, como ovelhas sem pastor.” 

Os discípulos e Jesus olharam para a mesma multitude; mas Jesus viu algo que os discípulos não viram. Ele viu as magoas das pessoas. Ele viu pessoas assediadas por pressões, atormentadas pelo seu passado, exaustas pelo seu presente e assustadas com o seu futuro. Por que os discípulos não viram isso? Eles viram com seus olhos naturais e não com olhos espirituais. 

Mateus diz que Jesus “teve compaixão” para as pessoas em seu coração. Quando Jesus viu pessoas perdidas, Ele tinha uma profunda compaixão por elas. 

Devemos orar para ter a compaixão de Cristo, já que a compaixão é o amor em ação. (Mateus 22:36-40) 

Temos que ver as pessoas com os olhos de Jesus e devemos procurar agir. Isso significa estar consciente de suas mágoas e necessidades. Há momentos em que as pessoas são especialmente sensíveis às coisas espirituais. (1) Quando uma pessoa é recém-divorciada. (2) Quando uma pessoa perde um ente querido. (3) Quando uma pessoa se move para uma nova cidade. (4) Quando uma pessoa está no meio de dificuldades físicas. Durante estes tempos traumáticos na vida das pessoas elas são mais abertas ao evangelho. Devemos ser sensíveis ao Espírito e procurar cada oportunidade para compartilhar Cristo com aqueles que estão perdidos, ou tem a necessidade de retornar a Ele. 

Jesus prometeu-nos que há uma colheita abundante. O único problema é que: “Os trabalhadores são poucos”. No entanto, Deus está à procura de “trabalhadores” que querem colher a sua seara. Observe que Jesus não chama pastores, missionários, evangelistas , líderes ou especialistas; Ele chama os “trabalhadores.” 

A colheita requer esforço e Jesus se refere nesta passagem ao trabalho agrícola, que é muito parecido com o trabalho espiritual; é preciso de paciência e perseverança. Tristemente, colocando estas qualidades em ação está faltando em muitos crentes. No entanto, Jesus está chamando você e eu para a colheita final dos homens, mulheres, meninos e meninas que precisam de Jesus.

A colheita não é uma atividade fascinante ou vistosa que gera aplausos – é trabalho duro! 

Trabalharás para a colheita? É a única ocupação que vale a pena dedicar a sua vida. Em 9:38, Jesus termina com estas palavras penetrantes: “Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua colheita “. 

Embora a colheita já é Sua, deve ser recolhida. Para este fim, precisamos de trabalhadores abnegados (Mateus 10:1-42). Este é um comando claro, e a realidade do inferno deve ser uma enorme motivação para cada um de nós para alcançar o perdido, lembrando que, em última análise, é o Espírito Santo que é o verdadeiro ganhador de almas. Assim, é nossa responsabilidade de compartilhar a Palavra de Deus com aqueles que não conhecem a Cristo. O Espírito Santo, então, usa a Sua Palavra para apontar o pecado da pessoa e a justiça disponíveis através de Cristo. 

Jesus disse a seus discípulos, pouco antes de subir ao céu que eles receberiam poder quando o Espírito Santo veio e que eles deveriam ser Suas testemunhas, tanto em Jerusalém e nas partes mais remotas da terra. (Atos 1:8) Portanto, como Seus precisamos alcançar e ensinar a outros como conhecer o Salvador que morreu por todos nós. Pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus (Romanos 3:23). 

Há apenas uma vida que logo passará. E apenas o que é feito para Cristo durará.

Publicado por: mvmportugues | março 17, 2014

O SENHOR É MEU PASTOR – Salmo 23

Salmo 23 P

O Salmo 23 retrata uma bela imagem de Cristo como Pastor. Este capítulo tem a sua exposição do Novo Testamento, em João 10:1-30, onde Cristo se identifica como “o bom pastor”, que “dá a sua vida pelas ovelhas.” (João 10:11) 

  • Versículo 1. O Senhor é meu pastor, nada me faltará. Que incrível relacionamento! 

“O Senhor é meu pastor.” Aqui David usa o termo do pastor para o Senhor. Como um pastor cuida de suas ovelhas assim o Senhor cuida daqueles que são Seus. David tinha sido ele próprio um pastor de ovelhas, e compreendeu tanto as necessidades das ovelhas como as muitas preocupações do pastor. 

“Nada me faltará.” Quando nós realmente fazemos o Senhor, nosso Pastor entendemos e sabemos que Ele é capaz de suprir todas as nossas necessidades, e Ele está certamente dispostos a fazê-lo, pois o Seu coração está cheio de amor. Portanto, “nada me faltará”, porque o crente tem tudo Nele! “Porque o seu Pai sabe do que vocês precisam, antes mesmo de o pedirem.” (Mateus 6:8) 

  • Versículo 2. Em verdes pastagens me faz repousar e me conduz a águas tranqüilas. Aqui vemos que Deus procura confortar o Seu povo quando eles estão esgotados e lhes da descanso. 

Quando, pela fé nós encontramos descanso em Suas promessas, somos como a ovelha que se deita no meio do pasto; por isso, encontramos provisões e paz, descanso, serenidade e satisfação Nele. “Ele me conduz a águas tranqüilas.” Quais são essas “águas tranqüilas”? É as influência e graça do Seu bendito Espírito. Porque o Espírito Santo ama a paz. Nosso Senhor nos leva a estas “águas tranqüilas“; porque não podemos ir para lá por nós mesmos, precisamos da Sua orientação e como um pastor Ele caminha ao nosso lado e nos guia. 

A responsabilidade do pastor é de proteger e prover as necessidades de suas ovelhas; e a responsabilidade de cada uma das ovelhas é seguir e obedecer o pastor. 

  • Versículo 3. Ele restaura a minha alma, Ele me guia nas veredas da justiça por amor do Seu nome. Deus provê segurança e orientação para o seu povo em tempos muito difíceis e perigosos e Ele nos cura e restaura. 

“Ele restaura a minha alma.” Quando estamos cansados ​​e com falta de coragem com os problemas da vida, Ele nos restaura e refresca. “Ele me guia pelas veredas da justiça por amor do Seu nome.” Nós, como ovelhas, nem sempre estamos conscientes de onde estamos indo, por isso o Bom Pastor nos “guia pelas veredas” e Seu caminho nos leva a Sua justiça. Não somente por nossa causa, mas para a Sua glória e por “amor do Seu nome,” porque, uma das principais finalidades da humanidade é glorificar a Deus por amor do Seu nome. 

  • Versículo 4. Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, porque Tu estás comigo: a tua vara e o Teu cajado me consolam. Através de testes e fé, Deus nos mostra como encontrar segurança e proteção Nele nos momentos difíceis. 

O Senhor nos guia através de vales escuros de angústia e problemas, assim como através de pastos verdejantes. Sua presença está conosco, através de vales escuros, onde nos encontramos na sombra da morte e nos ajuda a superar o medo. Nessas ocasiões, o Pastor serve como guia pessoal. David também reconheceu o conforto e a proteção de Deus. A vara do pastor foi usado contra animais que ameaçavam o bem-estar das ovelhas. O cajado foi usado para guiar as ovelhas no caminho certo. Estas ferramentas representam proteção e provisão. 

  • Versículo 5. Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, e meu cálice transborda. Deus fornece graciosamente e provê as nossas necessidades em abundância. Ele nos protege, nos dá esperança e nos consagra. 

O povo do Senhor festejam e comem à Sua mesa, enquanto Satanás e homens ímpios não são capazes de destruir os seus confortos, enquanto eles são ungidos com o Espírito Santo, e bebem do cálice da salvação que está sempre cheio. 

  • Versículo 6. Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida, e habitarei na casa do Senhor por longos dias. Deus vê seu relacionamento conosco como um de um amigo íntimo, que vivem  juntos em sua casa, como parte de Sua família; nos abençoando e nos mantendo seguro para toda a eternidade. 

Com um senso de confiança, David entendeu que a misericórdia que apaga os pecados e a bondade que supre nossas necessidades iria segui-lo. Não apenas enquanto ele era o rei, mas todos os dias de sua vida, portanto, sabia que ele iria morar na casa do Senhor para sempre. Esta é uma revelação do Antigo Testamento sobre o que está por vir para aqueles que são Seus. É uma profecia que será cumprida por Cristo na morte física de todos os crentes. Nós habitaremos na casa do Senhor, que é o Reino de Deus, para sempre e sem fim. 

Este belo Salmo está repleto de promessas poderosas, provisões, e propósito. O Senhor é meu pastor. O que mais me faltará?

Publicado por: mvmportugues | março 10, 2014

QUEM É UM DISCÍPULO DE CRISTO? – 1 Pedro 2:21

Quem é um disciputo de Cristo

“Para isso vocês foram chamados, pois também Cristo sofreu no lugar de vocês, deixando-lhes exemplo, para que sigam os seus passos.” 1 Pedro 2:21 

No cristianismo, o termo discípulo se refere principalmente ao estudantes de Jesus e é encontrado somente no Novo Testamento, nos Evangelhos e no livro de Atos. O Novo Testamento registra muitos seguidores de Jesus durante Seu ministério, mas apenas alguns se tornaram discípulos. 

A Chave linguística do Novo Testamento grego, define a palavra grega (mathetes), que é traduzida como “discípulos” como um aprendiz. Ela denota ‘aquele que segue o ensino de alguém’. Um ‘discípulo’ não era apenas um aluno, mas um crente, um servo obediente ao seu professor. “Para isso vocês foram chamados, pois também Cristo sofreu no lugar de vocês, deixando-lhes exemplo, para que sigam os seus passos.” 1 Pedro 2:21 

Discípulos começam como seguidores de Jesus em seu novo nascimento (crentes nascidos de novo), e eles aprendem rapidamente que para crescer em Cristo requer tempo com Ele. Assim como Jesus passou tempo com o Pai, um discípulo serenamente passa tempo com Jesus em oração, (Marcos 1:35; Mateus 14:23; Lucas 6:12). Discípulos prestam atenção e aprendem do Senhor por intermédio da Sua Santa Palavra. Além disso, os discípulos de Jesus não estão obcecados por homens dotados e mulheres de fé. Eles respeitam e aprendem com esses líderes experientes, mas apenas para o propósito de crescer em sua devoção a Jesus Cristo. Discípulos são chamados e comandados a seguir a Deus e não o homem. Como João Batista, humildes e sábios líderes cristãos tiram o foco de si e apontam as pessoas a Jesus. 

João Batista disse: “É necessário que Ele [Jesus] creça, e que eu [João] diminua. “ (João 3:30) 

Os apóstolos e discípulos de Jesus aprenderam com Ele, quando eles estiveram com Ele por mais de 3 anos. Que bênção seria ter Jesus como seu professor de escola Bíblica por três anos. Jesus lhes ensinou pela maneira Sagrada em como Ele viveu, ou seja, pelo Seu exemplo. Ele os instruiu por palavra, e eles fizeram perguntas.  

Eles perguntaram sobre as escrituras (Mateus 17:10), sobre o que Ele quis dizer com o que Ele tinha dito (Lucas 8:9), sobre como viver (Marcos 10:10), sobre seus fracassos (Marcos 9:28), e sobre Sua vontade (Lucas 9:54). Como Seus discípulos devemos fazer o mesmo, pesquisando as Escrituras, aprendendo com conselheiros sábios e piedosos e passando muito tempo em oração. Lembre-se que Jesus nos ensinou: “Peçam, e lhes será dado; busquem, e encontrarão; batam, e a porta lhes será aberta” (Lucas 11:9). Quando pedimos por sabedoria, discernimento e conhecimento Ele é tão gracioso para dar-nos por meio de Seu Espírito Santo. 

Os discípulos de Cristo devem “dar muito fruto.” O que Jesus quer dizer com “fruto” Que tipo de “fruto” é que um discípulo produz? Como é que o fruto de um discípulo glorificar o Pai? Ele disse: “Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras, e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.” (Mateus 5:16) 

Assim como uma criança aprende enquanto cresce também aprendemos, à medida que crescemos em Jesus. Crescer e amadurecendo em Cristo é se tornando mais parecido com Jesus todos os dias. Assim como os Seus primeiros discípulos aceitaram o convite de Jesus para vir e aprender e andar com Ele, Jesus nos convida a vir e fazer o mesmo. Portanto, como discípulos de Cristo, precisamos passar tempo com Ele e ouvir a Sua voz. 

À medida que aprendemos e amadurecemos em Cristo devemos investir tempo nas pessoas que nos rodeiam para ajudá-las a crescer em sua fé. Deus, através do Seu Espírito Santo nos faz discípulos para sermos facilitadores no desenvolvimento da fé de outros. Devemos examinar as Escrituras juntos pelas respostas de Deus às perguntas da vida. Discípulos são feitos pelo seu Criador para crescerem uns com os outros e manter-se fiel. 

Assim como Paul , depois de pregar o evangelho e retornando para Listra, Icônio e Antiochin devemos fortalecer novos discípulos e os encorajar a permanecer firmes na fé. (Atos 14:22) 

Discípulos são treinados pelo Espírito Santo a seguir a liderança do Espírito. Eles aprendem a fazer muito do seu mestre Jesus e fazem menos de si mesmos. Discípulos educados pelo Espírito produzem o fruto do Espírito, e eles são feitos para convidar outras pessoas para conhecer o seu Salvador Jesus Cristo. 

Temos que ir e fazer discípulos onde quer que Deus nos chamou e devemos os batizar em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, uma vez que eles entendem, aceitaram o que Jesus Cristo fez por eles e se pode ver claramente uma transformação na sua vida. 

Disse Jesus aos judeus que haviam crido nele: “Se vocês permanecerem firmes na minha palavra, verdadeiramente serão meus discípulos. E conhecerão a verdade, e a verdade os libertará.” João 8:31-32

Publicado por: mvmportugues | março 2, 2014

CELEBRAI COM JÚBILO AO SENHOR – Salmo 100

Salmo 100 vs 1-2 P

“Celebrai com júbilo ao Senhor, todas os habitantes da terra. Servi ao Senhor com alegria, e venham diante dele com cântico.” Salmo 100:1-2  

Este é um dos salmos que expressa ação de graças pela bondade e misericórdia de Deus. E se estende a todos os habitantes da terra. Temos que saber que o Senhor é Deus. É Ele quem nos fez, e somos Dele: somos o seu povo, tanto como judeus e gentios crentes e nós somos as ovelhas do seu pasto (Salmo 100:3). Ele nos dá toda a Sua graça que nós devemos reconhecer quando a recebemos todos os dias. 

Se estamos mais atentos e paramos para olhar ao nosso redor, veremos que há sempre algo mais que Deus está fazendo por nós, mas, infelizmente na maioria das vezes não o reconhecemos ou o procuramos. No entanto, se prestamos atenção, veremos que a cada novo amanhecer Deus está pronto para nos oferecer algo único e cheio de Sua graça. 

No Novo Testamento, a “graça ” tem um sentido redentor especial em que Deus coloca à disposição Seu favor em nome dos pecadores, que realmente não merecem isso. O fato é que a salvação humana é o resultado da graça de Deus. 

Sim, o nosso Criador nos dá todas as manhãs as ricas e graciosas bênçãos de vida, as oportunidades e a força necessária para atingir e superar os desafios e ter vitória sobre derrotas e nossos inimigos. Portanto, aqueles que confiam Nele tem uma nova expectativa que se encontra firmemente em Sua Palavra. Romanos 8:28 diz: “Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam…” 

Então, quando nós sentimos que tudo parece estar errado e tudo está contra nós, devemos: Entrar por suas portas com ações de graças, e em seus átrios, com louvor; dando Lhe graças e bendizendo o Seu nome.  Pois o Senhor é bom e o Seu amor leal é eterno; a Sua fidelidade permanece por todas as gerações,” (Salmo 100:4-5). Precisamos lembrar que há sempre um motivo para ser grato a Deus. 

Quando realmente confiamos, Ele sempre nos surpreende com Suas ações de ajudar-nos no meio das nossas lutas ou sofrimentos. Porque se nós confiamos, mesmo se tudo está aparentemente indo errado, sabemos que Deus está trabalhando em nosso favor. Uma vez que a solução é visível aos nossos olhos, vemos Sua fidelidade e que sua libertação chegou “na hora certa”, porque o tempo de Deus é sempre o momento certo. É uma realização alegre quando vemos nosso Senhor no trabalho e isso nos torna mais dependentes Nele enquanto nós descansamos à sombra do Todo-Poderoso e realizamos que : “Ele é o meu refúgio e a minha fortaleza, o meu Deus, em quem confio.” Salmo 91:2 

Talvez conhecemos alguém que está passando por testes e devemos incentivá-los com a certeza de que Deus está de olho neles e está planejando sua libertação neste momento. Devemos ter fé e confiança em Deus e dar a outros a esperança que vem somente do Senhor. Ele nos deu a Sua vida, para que pudéssemos ter vida eterna e Ele está sempre ao nosso lado. No entanto, para receber ainda maiores bênçãos, devemos completamente e incondicionalmente entregar as nossas vidas a Seu Senhorio e estar determinados a obedecer a Sua Palavra. 

Que possamos testemunhar a bondade infinita de Deus, Sua graça presença e poder, e que possamos ser “mais que vencedores” na pessoa bendita de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. 

Vamos encorajar um ao outro e vir com alegria diante do Senhor, adorando-Lo com alegria e canção. Ao fazermos isso, o inimigo foge de nós e nossos corações estão cheios de esperança e alegria. 

“Confie no Senhor de todo o seu coração e não se apóie em seu próprio entendimento; reconheça o Senhor em todos os seus caminhos, e Ele endireitará as suas veredas.” Provérbios 3:5-6

Publicado por: mvmportugues | fevereiro 24, 2014

O AMOR NÃO GUARDA RANCOR – 1 Coríntios 13:5

1 Coríntios 13 vs 5 P

O amor está diretamente ligado com o perdão como Jesus disse: “Quando você foi perdoado muito, você ama muito.” (Lucas 7:47) 

O perdão significa que a ofensa é perdoada, conseqüentemente nos libertando para amar essa pessoa novamente. Quando olharmos para Jesus, vemos que algumas das suas últimas palavras foram pedir perdão a Deus pelos atos ignorantes de seus agressores: “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem” (Lucas 23:34). O maior ato de amor de Cristo foi o perdão que Ele estendeu pela Sua morte voluntária na cruz (1 João 3:16). Jesus descreveu o seu próprio ato de amor quando disse: “Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida pelos seus amigos” (João 15:13). Jesus foi, e é a personificação do amor e do perdão.   

O perdão flui quando você foi autênticamente e completamente perdoado. É a graça de Deus e a fé Nele que conduz o perdão em seguidores de Cristo. Precisamos realizar que a nossa capacidade de amar está diretamente ligada a nossa vontade de receber o perdão de Cristo.  

O perdão esquece o passado, se engaja no presente, e tem esperança no futuro. Precisamos estender o perdão de forma indiscriminada e recebê-lo graciosamente. Devemos rejeitar a tentação para o ressentimento e humildemente receber a graça de Deus em seu lugar. 

A palavra de Deus nos diz: “Suportem-se uns aos outros e perdoem as queixas que tiverem uns contra os outros. Perdoem como o Senhor lhes perdoou.” Colossenses 3:13 

E o Senhor nos ordena: “E quando estiverem orando, se tiverem alguma coisa contra alguém, perdoem-no, para que também o Pai celestial lhes perdoe os seus pecados.” (Marcos 11:25) Precisamos amar com ação e em verdade, e não com palavras ou boca. 1 João 3:18 

O Senhor diz: “Esqueçam o que se foi; não vivam no passado. Vejam, estou fazendo uma coisa nova! Ela já está surgindo! Vocês não a reconhecem? Isaías 43:18-19  

Precisamos lidar com os problemas imediatamente e de uma forma amorosa, e não lhes dar espaço para supurar: “Quando vocês ficarem irados, não pequem”. (Perdoem) Apazigúem a sua ira antes que o sol se ponha, e não dêem lugar ao Diabo.” Efésios 4:26-27 

Precisamos determinar a: “Sermos bondosos e compassivos uns para com os outros, perdoando-se mutuamente, assim como Deus os perdoou em Cristo.” Efésios 4:32 

Nunca devemos: “Retribuir a ninguém mal por mal. Procurem fazer o que é correto aos olhos de todos. . .  Amados, nunca procurem vingar-se, mas deixem com Deus a ira, pois está escrito: ‘Minha é a vingança; eu retribuirei’, diz o Senhor.” Romanos 12:17, 19 

Por mais difícil que possa parecer devemos: “Amar os nossos inimigos, façam o bem aos que os odeiam, abençoem os que os amaldiçoam, orem por aqueles que os maltratam.” Lucas 6:27-28 

Porque o: ” … “Senhor, Senhor, Deus é compassivo e misericordioso, paciente, cheio de amor e de fidelidade…” Êxodo 34:6 

Como filhos de Deus, cheios de Seu amor precisamos seguir suas instruções, como Ele nos ordenou a fazer, sempre lembrando que o amor não guarda rancor – O AMOR PERDOA.

Ageu 1 vs 4-6

“Acaso é tempo de vocês morarem em casas de fino acabamento, enquanto a minha casa continua destruída?” Agora, assim diz o Senhor dos Exércitos: “Vejam aonde os seus caminhos os levaram.  Vocês têm plantado muito, e colhido pouco. Vocês comem, mas não se fartam. Bebem, mas não se satisfazem. Vestem-se, mas não se aquecem. Aquele que recebe salário, recebe-o para colocá-lo numa bolsa furada”. (Ageu 1:4-6) 

Ageu está escrevendo para os filhos de Israel que retornaram para a terra depois do tempo que passaram em cativeiro na terra de Babilônia. Ao retornar, eles agiram bem no começo, e imediatamente começaram a reconstruir o templo do Senhor em Jerusalém. No entanto, depois de umas oposições, eles colocaram de lado a construção da casa de Deus e começaram a trabalhar em suas próprias casas. 

Quando sua prioridade mudou de Deus para si mesmo, suas bênçãos pararam e o seu trabalho duro mas egocêntrico não os levou para adquirir muito, simplesmente porque eles não estavam mais colocando o Senhor em primeiro lugar em suas vidas. 

Esta passagem tem muitas semelhanças com o que está acontecendo hoje em nosso mundo; quando vemos que as posses tornam-se mais importante do que Deus. Nunca houve um momento na história em que as pessoas estão tão ocupadas como hoje. Muitas famílias têm ambos, marido e mulher trabalhando; e algumas pessoas trabalhando dois ou três empregos. O trabalho é bom, e a Bíblia diz que os homens precisam trabalhar para comer, mas quando o nosso trabalho substitui Deus, ou interfere seriamente com a nossa adoração a Ele, algo está errado. 

Quando isso ocorre, precisamos nos perguntar: Será que Deus está fazendo conosco o que Ele fez com os israelitas do passado que tinham prioridades extraviadas? Deixamos de ir a igreja regularmente, devido ao trabalho, ou porque estamos muito cansados? Ou, talvez, porque existem outras prioridades que tomam o primeiro lugar em nossa vida? 

O problema é que estamos tão condicionados por este mundo que estamos cegos para o que está acontecendo. Estamos tão acostumados a nos concentrar em nós mesmo, que não damos conta de que perdemos o nosso primeiro amor e o substituímos com algo acima de Deus em nossas vidas. 

Precisamos ser honestos e perguntar: Colocamos algo na frente de Deus, como o nosso trabalho, os nossos filhos, nosso prazer? O que está nos fazendo perder a bênção completa de Deus na nossa vida? Precisamos acordar e colocar Deus de volta onde Ele pertence. Ele merece e exige primeiro lugar. Depois que os israelitas se arrependeram e começar a trabalhar novamente no templo, Deus disse: “Eu estou com vocês.” 

Quando um crente professo nunca parece ter o suficiente, e sua bolsa de dinheiro parece estar cheia de buracos, é hora dele considerar cuidadosamente os seus caminhos diante do Senhor. Afinal de contas, o nosso Deus é dono de tudo e Ele é bem capaz de suprir todas as nossas necessidades. “Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas.” (Mateus 6:33) 

Se essas necessidades da vida não estão sendo fornecidas, precisamos urgentemente considerar os nossos caminhos. É o reino de Deus e a sua justiça realmente nossa primeira preocupação? 

A Bíblia ensina que “o meu Deus suprirá todas as necessidades de vocês, de acordo com as suas gloriosas riquezas em Cristo Jesus” (Filipenses 4:19). Mas devemos lembrar que essa promessa foi dada a um grupo de cristãos, cuja “grande alegria e a extrema pobreza deles transbordaram em rica generosidade”, porque “entregaram-se primeiramente a si mesmos ao Senhor.” (2 Coríntios 8:2, 5) 

Assim como as pessoas da geração de Ageu, quando deixamos de focar nas prioridades de Deus, a vida dá uma guinada, e nossas bolsas parecem ter “buracos”, no sentido de que o dinheiro que colocamos nelas desaparece antes que podemos pagar todas nossas contas. 

O cristãos que está desperdiçando os presentes generosos de Deus em trivialidades e em egoísmo, terá muito a responder, quando o Senhor voltar.

Older Posts »

Categorias

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 127 outros seguidores