Publicado por: mvmportugues | dezembro 17, 2014

Natal – Um Presente de Amor, Perdão e Cura

Christmas message 2014 (P)

Foi alguns dias antes do Natal. Uma noite bem tarde, Dr. Paulo Young se preparava para deixar o hospital após um dia exaustivo de operações na sala de emergência. Quando ele estava se preparando para sair do hospital, ele recebeu um pedido urgente para que ele voltasse à a sala de emergência imediatamente. 

Foi-lhe dito que havia um acidente grave e que o paciente estava em estado crítico. Ele rapidamente se preparou para outra cirurgia, mas ele não estava preparado para o que ele viu quando ele entrou na sala de emergência. 

Deitada em uma maca estava Maria, sua filha de 18 anos, com a qual ele não tinha falado ou visto por 5 meses. O rosto dela estava quebrado e cortado; ela tinha um braço quebrado, duas pernas quebradas e hemorragia interna grave. 

Cinco meses atrás, Mary havia decidido que os valores e ensinamentos cristãos dos seus pais eram demasiado restritos; ela queria se divertir e viver a vida dela como ela queria, de modo que ela empacotou o seu carro e saiu de casa. Ela fugiu de casa, longe de Deus e da verdade que os seus pais lhe haviam ensinado. 

O Dr. Young não estava ansioso para celebrar este Natal, pois quem quer comemorar e abrir presentes, quando sua filha única está faltando? 

A condição de Maria era muito crítica, então Dr. Young imediatamente começou a trabalhar, tentando estabilizar seus sistemas vitais para que ela pudesse sobreviver. 

Ele trabalhou através da noite tentando salvar a vida de sua filha. A equipe sabia que ele estava trabalhando na sala de emergência por 14 horas; e insistiram com ele para ir para casa e descansar. Ele agradeceu pela preocupação deles, e compartilhou alguns de seus pensamentos. Ela é minha filha, ela é a minha vida, esta é a menininha que vinha correndo para me cumprimentar com abraços quando eu chegava em casa. Esta é a menininha que cozinhava bolinhos para nós e nos trouxe tanta felicidade com seu jeitinho infantil tão doces. 

Antes do nascer do sol, os sinais vitais de Maria começou a se estabilizar, o Dr. Young tinha operado o tanto quanto pôde, considerando sua condição frágil. E permaneceu ao lado da cama de Maria até ela superou os efeitos de sedação. 

O Dr. Young pegou a mão de sua filha e assegurou-lhe que ele estaria de volta em algumas horas para ver como ela estava, e que ele a sua mãe estariam orando por ela. 

No dia de Natal, o Dr. e Sra. Young foram visitar Maria no hospital, eles levaram presentes para ela, pois eles queriam celebrar o Natal com sua filha. Assim que eles entraram no seu quarto, Maria perguntou: “Papai, por que você faz isso, por que você trabalhou em mim todas essas longas horas depois que você já estava tão esgotado?” 

Depois da maneira que eu tenho sido tão cruel e desrespeitosa com você e mamãe, eu fui tão rebelde e uma filha pródiga, por que você se preocupou tanto? 

O Dr. Young caminhou até a cama de sua filha e tomou sua mão e disse: “Porque você é minha filha, você é uma parte muito importante de nossas vidas – tudo está perdoado, seja bem-vinda a sua casa querida.” 

Dr. Young compartilhou com Maria e os funcionários que se reuniram em torno de sua cama, como Deus tomou três pregos e o precioso sangue de Jesus e escreveu a maior história de amor que o mundo já ouviu. 

O amor, o perdão, a esperança e a cura – esta é a maravilhosa mensagem do Natal. 

Em uma noite silenciosa e santa, um milagre aconteceu. Anjos anunciaram a alegre notícia. 

Um presente especial de Deus – O Nascimento de Jesus – Isto é amor – Este é verdadeiramente o Natal. 

O Natal é uma expressão do Amor Santo e o berço foi ofuscado pela cruz. As mãos que formaram o universo foram perfuradas por pregos no Calvário; é por isso que os homens e mulheres sábios ainda O procuram e O adoram. Oramos para que você experimentará o maravilhoso milagre de Natal e conheça a alegria e a paz, que somente o Salvador pode trazer. 

Desejamos a vocês um Natal feliz e abençoado.

 David e Helena

Lucas 12 vs 52 (P)

Vim trazer fogo à terra, e como gostaria que já estivesse aceso! 50 Mas tenho que passar por um batismo, e como estou angustiado até que ele se realize! 51 Vocês pensam que vim trazer paz à terra? Não, eu lhes digo. Ao contrário, vim trazer divisão! 52 De agora em diante haverá cinco numa família divididos uns contra os outros: três contra dois e dois contra três. 53 Estarão divididos pai contra filho e filho contra pai, mãe contra filha e filha contra mãe, sogra contra nora e nora contra sogra”. (Lucas 12:49-53)

Quando lemos pela primeira vez esta passagem ela soa como uma contradição. Há tantas passagens na Bíblia, onde se refere a Cristo trazendo a paz. Em Isaías 9:6, Jesus é descrito como o “Príncipe da Paz”. Lucas 2:14 refere-se a paz na terra aos homens aos quais Ele concede o seu favor. João 14:27 registra as palavras tranquilizadoras de Jesus: “Deixo-lhes a paz; a minha paz lhes dou”. Embora seja verdade que Cristo veio trazer a paz entre crente e Deus, Ele veio para trazer conflito entre a luz e as trevas, entre os filhos de Deus e os filhos do diabo. Jesus deixa claro nesta passagem que esse conflito pode ocorrer mesmo entre os membros de uma família (vs. 52-53). 

O fogo é usado frequentemente, simbolicamente ou literalmente, como um instrumento da ira divina, contra os pecadores. O “fogo” de que Jesus falou é o mesmo fogo sobre o qual os profetas falaram, o fogo da ira divina. (Jeremias 15:14, Lamentações 4:11-13, Ezequiel 20:47-48, Joel 2:1-3, Amos 2:4-5, Malaquias 4:1, Apocalipse 20:9). Quando Jesus disse que Ele veio para “acender um fogo” Ele está dizendo que Ele veio trazer o derramamento da ira de Deus sobre a pecaminosa nação de Israel. 

Sim, Jesus veio a primeira vez para salvar os homens (João 3:16-17), mas para todos que O rejeitam não há outros meios de salvação. Quando Ele voltar, Ele virá para julgar e condenar o incrédulo ao eterno lago de fogo.

Como pode nosso Senhor ser tão desejoso para que este “fogo” já estivesse aceso, como Suas palavras indicam? Se Ele vai trazer o juízo de Deus sobre os pecadores, e se este não é um trabalho em que Ele tem prazer, por que Ele está ansioso para o “fogo” ser aceso? O derramamento da ira é um pré-requisito e uma condição preliminar para o estabelecimento do Reino de Deus. Para que o Reino de Deus seja estabelecido, os pecadores devem ser punidos e o pecado eliminado. 

Jesus disse que antes de Ele lançar fogo sobre a terra Ele tinha que passar por um batismo. Este batismo é claramente a morte que Ele iria morrer na cruz do Calvário. Sua morte na cruz, iria pôr em marcha uma série de eventos, que vai suceder no derramando da ira divina de Deus nos pecadores. A triste realidade é que não é realmente necessário, porque Jesus passou pela plenitude da ira de Deus na cruz. Para aqueles que confiam Nele, este é o pagamento integral de seus pecados, mas para aqueles que O rejeitam, ainda há de vir o derramamento da ira de Deus, no Dia do Juízo. 

Vocês pensam que vim trazer paz à terra? Não, eu lhes digo. Ao contrário, vim trazer divisão! 52 De agora em diante haverá cinco numa família divididos uns contra os outros: três contra dois e dois contra três. 53 Estarão divididos pai contra filho e filho contra pai, mãe contra filha e filha contra mãe, sogra contra nora e nora contra sogra”. (Lucas 12:51-53). 

A divisão que Jesus fala aqui tem vários aspectos interessantes. Em primeiro lugar, existe uma divisão que ocorre na família. A história tem dado testemunho ao fato de que o evangelho divide homens e mulheres, maridos e esposas, pais e filhos, pois a fé em Cristo requer lealdade final a Ele. E o orgulho sempre divide. 

Em segundo lugar, aqueles que vieram à fé em Cristo vão unir-se como a verdadeira família de Deus; enquanto que aqueles que rejeitaram a Cristo também encontrarão os seus aliados, uma nova base de unidade, em oposição a Cristo. Esta é a forma como os fariseus e os saduceus se juntaram em rejeitar a Cristo e na oposição a Ele, e, finalmente, na orquestração de Sua morte. 

Paulo salienta que a fé em Jesus irá produzir perseguição (2 Timóteo 3:12). Haverá alegria insondável no céu, mas também haverá dor e perseguição dos cristãos na terra. 

Não há nenhuma maneira que nós possamos evitar dor e sofrimento. Aquele que segue a Cristo sofrerá agora, e renunciará certos prazeres da vida, mas vai experimentar as alegrias ilimitadas do céu mais tarde (Hebreus 11: 24-26). Seguir o nosso Senhor Jesus Cristo, seguramente dividirá muitas famílias e a reconciliação, neste caso, é impossível, a não ser que todos venham à fé em Cristo. 

Se Jesus está vindo à terra para trazer fogo sobre ela, o fogo da ira divina (versículo 49), e se os homens são responsáveis por suas decisões a respeito Dele (versos 54-56), então seria melhor procurar ser reconciliado com Deus antes desse dia do juízo final chegar, quando será tarde demais. 

Que nenhum de vocês seja parte deste segundo grupo. Jesus em Sua primeira vinda já sofreu o “fogo” da ira de Deus. Ele já morreu pelos pecados dos homens. Confie Nele e você nunca precisará temer Sua segunda vinda. Seja reconciliado a Deus através de Cristo (2 Coríntios 5:20-21), e faça-o antes de que você O enfrente como o seu Juiz, e antes que você enfrente o fogo da Sua ira. Faça-o decisivamente. Faça-o rapidamente. Faça isso agora! 

Porque, “os rebeldes e os pecadores serão destruídos, e os que abandonam o Senhor perecerão.” (Isaías 1:28) 

Senhor, nós pedimos que o Senhor trabalhe em corações pelo poder do Espírito Santo. Que Você, Senhor chame aqueles que ainda não aderiram a Cristo para responder agora enquanto a oportunidade ainda existe.

Publicado por: mvmportugues | dezembro 7, 2014

O SENHOR SABE TUDO SOBRE NÓS – Salmo 139:1

Senhor Tú me sondaste

“Senhor, tu me sondaste e me conheces.” (Salmo 139:1) 

Talvez o atributo mais incrível de Deus é que Ele sabe tudo sobre nós. Tudo! Ele nos “examina” e nos “conhece”. 

Já que Deus é onipresente e onisciente, obviamente nada escapa de Seu conhecimento consciente sobre nós. Ele observa as nossas actividades comuns e sabe tudo o que fazemos e conhece todos os nossos pensamentos mais íntimos (v.2). “Tu me vês quando estou trabalhando e quando estou descansando; tu sabes tudo o que eu faço.”(v. 3). “Antes mesmo que eu fale, tu já sabes o que vou dizer.” (v. 4). Isso significa que nós somos transparentes para Ele; nós não podemos enganá-lo de qualquer maneira. Ele sabe o que vamos pensar; não podemos esconder nada Dele. Deus sabe o que somente nós sabemos sobre nós, e coisas que nem vamos admitir a nós mesmos. 

Além disso, Ele está em todos os lugares ao redor de cada um de nós (VV. 7-10), onde estamos ou poderíamos estar. Ele preenche todo o espaço, e não há meios de escapar. Não podemos esconder-nos de Deus. Ele está onde quer que vamos. 

David, o escritor deste salmo está dando uma olhada em si mesmo em sua relação com Deus. Ele faz um profundo auto-exame, algo que precisamos fazer também. Precisamos examinar nosso comportamento, nossos motivos e nossas prioridades. David pediu, “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece as minhas inquietações. Vê se em minha conduta algo te ofende, e dirige-me pelo caminho eterno.” (v. 23-24) 

É confortante saber que Deus nos conhecem por nome e nos ama. Também é importante realizar que não há nada que podemos esconder de Deus e que Ele nos conhece muito melhor do que nós mesmos. 

Quando confessamos nossos pecados, Deus nos perdoa; como João escreve, “Ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça,” (1 João 1:9). E Isaías registra: “Embora os seus pecados sejam vermelhos como escarlate, eles se tornarão brancos como a neve; embora sejam rubros como púrpura, como a lã se tornarão” (Isaías 1:18). Nós não podemos remover o nosso próprio pecado, somente Deus pode fazer isso. Portanto, precisamos trazer nossos pecados ocultos à luz, para que podemos reconhecê-los, arrepender-nos deles pedir perdão e mais importante ainda, aceitam o perdão de Deus. 

Quando estamos caminhando com Deus, podemos esperar que nossa vida será diferentes porque a nossa culpa e vergonha são removidas e nós temos um espírito de alegria e podemos andar em comunhão ininterrupta com Deus. 

Fisicamente somos a mesma pessoa, mas espiritualmente, nós somos uma nova pessoa. Paulo diz que nós somos uma nova criação em Jesus Cristo – “Portanto, se alguém está em Cristo, é nova criação. As coisas antigas já passaram; eis que surgiram coisas novas! (2 Coríntios 5:17). Através de Jesus Cristo nos foi dado o dom do espírito de Deus, “Nós, porém, não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito procedente de Deus, para que entendamos as coisas que Deus nos tem dado gratuitamente.” (1 Coríntios 2:12) 

Devemos examinar-nos, arrepender-nos, pedir perdão e caminhar alegremente em espírito e em verdade com nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

 

Jeremias 33 vs 3 (P)

As palavras que o Senhor falou para Jeremias também são aplicáveis para nós: “Clame a mim e eu responderei e lhe direi coisas grandiosas e insondáveis que você não conhece.” (Jeremias 33:3) 

O que precisamos fazer para ouvir Deus? Ouvir de Deus é um processo de aprendizagem que leva tempo. O Espírito Santo ajuda os fiéis a discernir entre o que é verdadeiro e falso, sábio e tolo, certo e errado e leva os crentes à verdade. O mais importante é que temos que ser humilde e ter um desejo de obedecer a palavra de Deus e de ter comunhão com Ele. 

Deus está disponível a todos que O buscam; no entanto precisamos de tempo para ler Sua palavra e passar tempo com nosso Pai e conhecê-Lo. Precisamos lembrar que Deus nos criou para que possamos ter uma relação especial de Pai-filho com Ele. Jesus levou tempo a sós com o Pai (Marcos 6:46), e também precisamos de um lugar calmo livre de distração para ficar sozinhos com Ele. Então, quando fazemos estas coisas como ouvimos de Deus e sabemos que é Ele quem está falando connosco? 

Aqui estão algumas perguntas que podemos fazer para determinar se é Deus que está falando conosco. O que ouvimos, 

  • É consistente com as escrituras? 
  • É consistente com o caráter de Deus? 
  • Conduz a mudança ou crescimento em nossa vida? 
  • Conduz ao restabelecimento de relações? 
  • Existe uma sensação de cura? 
  • Há uma sensação de paz? 
  • Conduz a convicção em vez da culpa? 

Há uma diferença distinta entre a orientação do Espírito Santo e a condenação do diabo, porque os dois falam línguas diferentes.

Então vamos dar uma olhada as diferenças:

SATANÁS SE COMUNICA DA SEGUINTE FORMA

A COMUNICAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO É EXATAMENTE O OPOSTO

SEU TOM É: Acusador e irritante. Gera medo e confusão. SEU TOM É: Gentil, amoroso e nos exorta a voltar para Deus. (1 Pedro 2:9-10)
ELE É VAGO: Gera um sentimento geral de culpa. Cria sentimentos de desesperança e fraqueza. ELE É ESPECÍFICO: Assegura-nos de que se confessamos e nos arrependemos de nossos pecados; segue a liberdade. (Atos 3:19)
ELE NOS DESENCORAJA: Nos ataca, e diz que somos fracos e inúteis. ELE NOS INCENTIVA: Nos incita a confiar em Seu poder, não na nossa própria força. (Provérbios 3:5-6)
ELE TRAZ À TONA O PASSADO: Nos lembra dos nossos pecados e vergonha que passamos pelas más escolhas que fizemos. ELE NOS LIBERA DO PASSADO: Nos diz que nossos pecados são perdoados, e nunca mais serão usado contra nós. (Romanos 4:8)
ELE PRODUZ REJEIÇÃO: Produz a sensação de que Deus nos rejeitou porque não temos valor e não temos mais chance. ELE NOS ATRAE: Com amor e bondade e nos dá esperança. (Jeremias 29:11)
ELE PRODUZ ISOLAMENTO: Faz com que você se afaste das pessoas por causa da culpa e vergonha. ELE NOS CHAMA: Para estar em comunhão com outros crentes que nos asseguram do Seu amor e perdão através do sangue de Jesus Cristo. (Salmo 86:15 e João 3:16)
ELE É NEGATIVO: Nos diz que somos inúteis e que não há esperança. ELE É POSITIVO: Nos diz que podemos ser Seu filho e ter, esperança, alegria e paz. (Romanos 15:13)

 

Jesus disse: “O ladrão (Satanás) vem apenas para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham plenamente.” (João 10:10) 

A Bíblia é clara sobre o fato de que Deus ativamente busca um relacionamento pessoal com Seus filhos. Ele se deleita em nós e deseja trazer a restauração à dor na nossa vida. Ele se oferece como um refúgio do medo e da ansiedade, (Salmo 91). Ele dá força para aqueles que são fracos. Ele está lá para nós, quando chegamos a Ele com um coração humilde e limpo. 

No entanto, lembre-se: “Se eu atender à iniquidade no meu coração, o Senhor não me ouvirá.” (Salmo 66:18)

 

Publicado por: mvmportugues | novembro 25, 2014

DEUS NÃO QUER QUE NINGUÉM PEREÇA – 2 Pedro 3:9

2 Pedro 3 vs 9 (P)

O Senhor não demora em cumprir a Sua promessa, como julgam alguns. Ao contrário, Ele é paciente com vocês, não querendo que ninguém pereça, mas que todos cheguem ao arrependimento. 2 Pedro 3:9 

Nosso bondoso Deus deseja que todos conheçam a Cristo através do arrependimento, perdão, fé e uma vida intima com Ele. Jesus veio pela primeira vez à terra como nosso Salvador. Antes de ser crucificado, Ele prometeu que Ele iria preparar um lugar para nós na casa do Seu Pai e que Ele vai voltar e levar-nos para estar com Ele para que podemos também estar onde Ele está. (João 14:2-3) 

Cristo virá novamente como nosso juiz. No entanto, nosso Pai celestial que é paciente e misericordioso atrasa o retorno do Seu Filho. Jesus espera, para que os incrédulos tenham tempo para acreditar e tornar-se filhos e filhas do Altíssimo. A vontade de Deus é a salvação em Jesus e não uma eternidade no inferno aparte Dele. 

Como a porta na Arca de Noé eventualmente fechou, assim a oportunidade de confiar em Cristo lentamente está desaparecendo para muitos. As águas da inundação, que significa a morte irá um dia nos afogar. Estaremos prontos? A segurança e a salvação só podem ser encontradas em nosso Salvador e Senhor Jesus Cristo. “O Senhor é compassivo e misericordioso, muito paciente e cheio de amor” (Salmo 103:8). Sim, o amor do Senhor é paciente e nos convida a arrepender-se, confiar Nele e não perecer, mas também diz que O Senhor é muito paciente e grande em fidelidade, e perdoa a iniqüidade e a rebelião, se bem que não deixa o pecado sem punição. (Números 14:18) 

Sim, ainda temos tempo de avisar os outros do julgamento vindouro. Alguns vão zombar, outros vão agir indiferentes, mas alguns encontrarão refúgio em Jesus. A maioria vai “desprezar as riquezas da Sua bondade, tolerância e paciência, não reconhecendo que a bondade de Deus o leva ao arrependimento.” (Romanos 2:4) 

Bilhões de pessoas que têm feito atos religiosos, “orando a oração dos pecadores”, dando dinheiro, servido em igrejas serão eternamente perdidos; porque, eles nunca fizeram Jesus Cristo o Senhor da sua vida. 

“Há um caminho que parece certo para um homem, mas no final conduz à morte.” (Provérbios 14:12) 

Há discípulos verdadeiros e falsos, Jesus dice: “Nem todo aquele que me diz: ‘Senhor, Senhor’, entrará no Reino dos céus, mas apenas aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus. Muitos me dirão naquele dia: ‘Senhor, Senhor, não profetizamos em teu nome? Em teu nome não expulsamos demônios e não realizamos muitos milagres?’  Então eu lhes direi claramente: Nunca os conheci. Afastem-se de mim vocês, que praticam o mal!'” (Mateus 7:21-23) 

A paciência do nosso Pai celestial é o modelo para seguirmos. Estamos cercados por um mar de pessoas que precisam de salvação. Eles estão se afogando em seus pecados. Oferecendo-lhes o colete salva-vidas de fé, esperança e amor por Jesus podemos resgatar os que estão perecendo. Um colete salva-vidas no entanto não é útil se não é lançado na agua e agarrado pela pessoa que esta se afogando. 

Deve ser nossa fervorosa oração diária para pedir ao Pai para despertar os perdidos através do Espírito Santo. E que Ele nos dê Sua sabedoria para levar aqueles que Ele coloca em nossos caminhos, para que possamos ensinar-los pelas Escrituras como receber a salvação através do sangue salvífico de Cristo. Uma vez salvo, vamos ajudar-lo a crescer na fé e no conhecimento do que a Bíblia ensina, para que possa viver uma vida frutífera para o Senhor. 

Deus nos ama e não quer que ninguém pereça. Jesus mostrou amor ao longo de seu ministério, mas Ele também sabia quem e quem não iria segui-Lo. 

Um dia, quando Ele falava dos fariseus Ele disse: “Este povo me honra com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. Em vão me adoram; seus ensinamentos não passam de regras ensinadas por homens.” (Mateus 15:8-9) 

E Ele continuou: “Deixem-nos; eles são guias cegos. Se um cego conduzir outro cego, ambos cairão numa cova.” (Mateus 15:14) 

Mesmo que Deus deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao conhecimento da verdade. (1 Timóteo 2:4). Jesus disse: “Toda planta que meu Pai celestial não plantou será arrancada pelas raízes.” (Mateus 15:13) 

É a esperança do nosso Pai que nenhum pereça, então devemos continuar agradecendo-Lo pela Sua paciência e continuamos obedecendo o mandamento do Senhor que Ele deixou conosco antes de subir ao céu. 

“Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos.” (Mateus 28:19-20)

 

Publicado por: mvmportugues | novembro 17, 2014

MARIA A MÃE DE JESUS AQUI NA TERRA

Mary, Joseph and Jesus

No início do Novo Testamento, Maria é revelada como uma jovem virgem, através da qual Jesus Cristo nasceu (Lucas 1:27). Ela é declarada ter encontrado favor com Deus (Lucas 1:28, 30) e como resultado foi escolhida para conceber “o Messias, o Filho do Deus Altíssimo ” (Lucas 1:31-33). 

Maria era uma jovem judia de caráter moral e espiritual excepcional. Assim como Daniel, que era um homem muito amado por Deus (Daniel 9:23, 10:11). A Bíblia mostra que Deus grandemente valoriza a reverência humilde e obediente a Ele, de Maria e de Daniel. 

A Bíblia fala de Deus Pai, Filho e Espírito Santo, e que eles são eternos. Deus nunca “nasceu” e nunca teve uma “mãe”. No entanto, Jesus teve um começo de Seu ministério terreno, quando foi concebido no ventre de Maria e nasceu; mas desde a eternidade passada Ele sempre foi o Filho de Deus. (João 1:1-5) 

Filipenses 2:6-7 nos dá um pouco mais de conhecimento sobre o que aconteceu quando Jesus deixou o céu para se tornar um homem. “Embora Ele era Deus, na sua natureza real, Ele não pensou que ser igual a Deus era algo para utilizar para seu próprio beneficio. Pelo contrário, Ele abandonou tudo o que tinha e assumiu a forma humilde de um servo e nasceu como um ser humano.” 

O desejo de ser a mãe do prometido Messias era comum entre as mulheres jovens em Israel. Assim, a escolha de Maria, realmente mostrou que Deus estava abençoando-a. Mas não devemos considerar mais do que o fato de que isto foi um grande privilégio para ela. 

É bíblico dizer que Maria era a mãe do Senhor Jesus Cristo durante a sua encarnação na Terra. O lado humano de Jesus veio de Maria, o lado divino veio do Espírito Santo. Assim, que mesmo que Aquele a quem ela deu a luz foi Deus, a Sua divindade não veio a existir através do processo humano de nascimento. Ela não era a mãe de Sua divindade que sempre existiu. 

Ao estudar a história, aprendemos que a igreja primitiva, quando discutiram a questão no Conselho de Éfeso em (431 dC), chegou à decisão de que Maria não deve ser chamada de “Mãe de Deus”, mas sim a “portadora de Deus ‘ (Theotokos). Mas mesmo isso traz consigo o perigo de ver Maria como de alguma forma trazendo Deus para o mundo, ao passo que foi o Espírito Santo, quem trouxe Deus para o mundo, em união com o ser humano e foi concebido por Maria. Maria não podia de modo algum conceber Jesus, que era eterno, apenas por um ato de Deus através do Espírito Santo que isso foi possível. 

Nunca encontramos na Escritura, onde Jesus se dirigiu a Maria como mãe, e por vezes, Jesus lembrou Maria da distinção entre a relação humana e Sua origem divina e missão. 

Maria e José levaram Jesus a Jerusalém quando ele tinha 12 anos para celebrar a Páscoa. Após a festa, e começando sua jornada de volta para casa, eles descobriram que Jesus não estava com eles, então eles voltaram para Jerusalém e O procuraram. Encontraram-no no templo ouvindo os grandes mestres, e fazendo perguntas. Quando seus pais o viram, ficaram maravilhados. Sua mãe lhe disse: “Filho, por que você fez isso? Seu pai e eu estávamos muito aflitos procurando por você.” Jesus respondeu a eles: “Por que vocês estavam me procurando? Não sabiam que eu devia estar na casa de meu Pai?” Os pais Dele, porém, não entenderam a Sua resposta. (Lucas 2:41-51). É claro que Mary estava muito confusa. No entanto, como mãe, ela manteve tudo e provavelmente se lembrou do que Ele tinha dito, e finalmente entendeu após a Sua ressurreição. 

Nas bodas de Caná (João 2) Jesus chama Maria de “mulher”. Isto não foi desrespeitoso, mas foi como se dirigir a ela como “Senhora”. Maria disse aos serventes: “Façam tudo o que Ele disser” (João 2:5). Esse foi o único mandamento de Maria. 

Embora Maria sabia a verdadeira identidade de seu primogênito, lemos sobre uma ocasião em que ela foi influenciada pelos irmãos incrédulos de Jesus (Marcos 3:20-21). 

Sim, Maria teve outros filhos, como diz na Bíblia. Ela não continuou sendo uma “virgem perpétua”. Jesus tinha quatro irmãos: Tiago, José, Simão e Judas (Mateus 13:55). A Bíblia também nos diz que Jesus tinha irmãs, mas elas não são nomeadas (Mateus 13:56). Em João 7:1-10, Seus irmãos vão para a festa, enquanto Jesus fica para trás. Em Atos 1:14, seus irmãos e mãe se dedicavam à oração com os discípulos. E em Gálatas 1:19 é mencionado que Tiago era irmão de Jesus. 

Sim, Jesus tinha meio-irmãos e irmãs, que eram os filhos de José e Maria. Esse é o ensinamento claro e inequívoco da Palavra de Deus. 

Não há nenhuma razão bíblica para crer que esses irmãos são outros, senão os filhos reais de José e Maria. Aqueles que se opõem a idéia de que Jesus tinha meio-irmãos e irmãs o fazem, não a partir de uma leitura da Escritura, mas a partir de uma idéia preconcebida da virgindade perpétua de Maria, que em si é claramente anti-bíblica: “Porém (José) não teve relações com ela (Maria) até que a criança nasceu. E José pôs no menino o nome de Jesus. (Mateus 1:25).

Na cruz, vemos Jesus se referindo mais uma vez à Sua mãe como “mulher”. “Mulher, eis aí o teu filho. Em seguida disse a João: “Eis aí tua mãe.” (João 19:26-27). Neste ponto, Jesus rompeu todos os laços filiais com Maria e os transferiu a João.

A última vez que lemos de Maria na Bíblia, ela obedeceu a ordem de Jesus e estava no cenáculo, aguardando a promessa do Espírito Santo (Atos 1:14). 

Quando estudamos sobre Maria realizamos o quão humilde e dedicada a Deus que ela era de ter sido escolhida para ser o ventre que conceberia seu Salvador. Aqui lemos suas palavras: “Meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador” (Lucas 1:47). Sim, Maria sabia da profecia de que o Messias viria e também sabia que ela precisava do Salvador; assim como nós precisamos Dele também. 

Como todos nós Maria foi salva pelo sangue de Cristo e encontrou perdão em Seu nome. Ela compartilha com todos os ‘santos’, (os verdadeiros crentes e seguidores de Jesus Cristo) os benefícios dos méritos de Sua morte, ressurreição e intercessão no céu para nós.

É importante lembrar as últimas palavras de Jesus registradas na Bíblia, que são: Declaro a todos os que ouvem as palavras da profecia deste livro: Se alguém lhe acrescentar algo, Deus lhe acrescentará as pragas descritas neste livro. Se alguém tirar alguma palavra deste livro de profecia, Deus tirará dele a sua parte na árvore da vida e na cidade santa, que são descritas neste livro. Aquele que dá testemunho destas coisas diz: “Sim, venho em breve!” Amém. Vem, Senhor Jesus!

A graça do Senhor Jesus seja com todos. Amém.  (Apocalipse 22:18-21)

Publicado por: mvmportugues | novembro 9, 2014

VIVER EM HARMONIA – Efésios 4:32

Efésios 4

A Bíblia nos diz: “Sejam bondosos e compassivos uns para com os outros, perdoando-se mutuamente, assim como Deus os perdoou em Cristo.”  (Efésios 4:32)

UMA MENSAGEM PODEROSA PARA CONSIDERAR

Esta história, por um autor desconhecido foi postado na seção “Para Crianças – Estudos Bíblicos”, e ela ensina uma poderosa lição da qual todos podemos aprender, não importa a idade que temos. 

Que esta mensagem de amor toque o seu coração, como tocou o nosso.

* * * * * * *

Houve uma vez dois irmãos. Seu pai tinha uma grande fazenda e quando ele ficou velho demais para trabalhar, chamou seus dois filhos e disse.

 Two farmers and their father

“Estou muito velho para continuar a trabalhar, vou dividir a minha fazenda no meio e vou dar a cada um de vocês a metade. Sei que vocês vão sempre trabalhar em conjunto e serão sempre bons amigos.” 

 Farm 1

Quando os irmãos começaram a cultivar no seu pedaço da fazenda, eles eram os melhores amigos e gostavam de compartilhar tudo.

Brotherly friendship

Então, um dia, houve um desentendimento entre os dois irmãos e eles pararam de falar um com o outro.

 boys fiting

Por muitos anos, nem uma palavra foi dita entre eles.

 cartoons_sunrise_02_vector_156421

Um dia, no início da manhã, um dos irmãos estava em sua casa quando um carpinteiro chegou à sua porta e disse: “Eu gostaria de fazer algum trabalho. Você tem algum trabalho que eu posso fazer? “

 august1231

O irmão pensou por um momento e depois respondeu. “Eu gostaria que você construísse uma cerca na minha propriedade. Construa a cerca lá embaixo perto do riacho que separa a minha fazenda da propriedade do meu irmão.

 Farm 2 ws

Eu não quero ver meu irmão mais e eu gostaria que você construísse uma cerca alta lá, por favor. Eu estou indo para a cidade e eu vou estar de volta esta tarde.

returning home ws 

Quando ele voltou, naquela tarde, ele ficou surpreso ao ver que o carpinteiro não tinha seguido as suas instruções. Em vez de construir uma cerca alta, ele havia construído uma ponte sobre o riacho.

 Bridge over creek

O homem desceu para dar uma olhada na ponte, e como ele, seu irmão, que queria saber o que estava sendo construído caminhou até a ponte para ver o que estava acontecendo. Quando ele viu seu irmão, ele caminhou em direção a ele, e do outro lado da ponte disse: “Depois de todas as coisas terríveis que eu fiz para você ao longo dos anos, eu não posso acreditar que você iria construir uma ponte e me receber de volta.”

 2 brothers making peace

Então, ele se aproximou de seu irmão e deu-lhe um grande abraço.  

Depois disto, o irmão voltou para sua casa para falar com o carpinteiro.

 bob_04

“Você pode ficar?”, ele perguntou. “Eu tenho mais trabalho para você fazer.” O carpinteiro respondeu: “Sinto muito, mas eu não posso ficar. Eu tenho que ir, porque tenho muitas outras pontes para construir. “ 

Às vezes, temos um desacordo com os nossos irmãos e irmãs. Quando isso acontece, muitas vezes construímos um muro entre nós e eles.

 Fence

Paramos de falar com eles. Nós não queremos vê-los. Não queremos ficar perto deles. Mas isso não é o que Jesus quer que façamos. Ele disse que “devemos amar uns aos outros como Ele nos ama”, (João 15:12). Em vez de cercas, Jesus quer que nós construímos uma ponte do amor entre nós.

 http://www.dreamstime.com/royalty-free-stock-photo-image32487655

Querido Pai, sabemos que é o Seu desejo, que aprendemos a viver juntos em paz e harmonia. Ajude-nos a amar uns aos outros. Amen.

* * * * * * *

Esta história foi adaptada de um autor desconhecido.

 

Publicado por: mvmportugues | novembro 3, 2014

BENDITOS OS QUE OUVEM A PALAVRA DE DEUS E A OBEDECEM – Lucas 11:27-28

Lucas 11 vs 27-28 (P)

Enquanto Jesus falava, uma mulher de entre a multidão gritou: “Bendita seja a tua mãe, o ventre de que nasceste, e o peito que te deu leite!” Ao que Ele respondeu: “Antes benditos são todos aqueles que ouvem a Palavra de Deus e a obedecem”. (Lucas 11:27-28) 

Jesus tinha acabado de expor seus críticos “religiosos” na frente de uma multidão (Lucas 11:14-26), e quando Ele chegou ao final deste ensino, uma mulher que tinha sido movida por tudo o que tinham ouvido e da bênção que ela tinha recebido exclamou espontaneamente: “Bendita seja a tua mãe, o ventre de que nasceste, e o peito que te deu leite!”  

Jesus não questionou a veracidade da afirmação da mulher, mas apontou-a a uma verdade ainda maior. “Antes benditos são todos aqueles que ouvem a Palavra de Deus e a obedecem”. 

A verdadeira bênção é reservada para aqueles que prestam atenção à Palavra de Deus e a obedecem; e demonstram a verdade do nosso louvor e adoração através de nossas ações e obediência.  

No Antigo Testamento, lemos Samuel dizendo ao povo: “Acaso tem o Senhor tanto prazer em holocaustos e em sacrifícios quanto em que se obedeça à Sua Palavra? A obediência é melhor do que o sacrifício, e a submissão é melhor do que a gordura de carneiros.” (1 Samuel 15:22)

Jesus está focalizando na importância de obedecer a palavra de Deus. Em outra ocasião, Jesus fez quase a mesma referência: A mãe e os irmãos de Jesus foram vê-lo, mas não conseguiam aproximar-se dele, por causa da multidão. Alguém lhe disse: “Tua mãe e teus irmãos estão lá fora e querem ver-te”. Ele lhe respondeu: “Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a palavra de Deus e a põem em prática.” (Lucas 8:19-21)

Aqui, novamente, lemos que aqueles que seguem Seus mandamentos são verdadeiramente abençoados, porque conhecem Deus Todo-Poderoso pessoalmente e encontram alegria em ouvir e obedecer a Sua palavra.  

Nosso objetivo na vida, a razão que fomos criados, é para a união e comunhão com Deus. Nós fomos criados por Deus, e até que confiamos e descansarmos Nele somos considerados incompletos e anormal.  

A nossa adoção como filhos e filhas de Deus através do sangue derramado de Jesus na cruz transforma nossos relacionamentos mundanos e exige uma nova ordem de lealdade a Deus e Seu reino.  

Portanto, se você diz que ama a Deus, demonstre-o a Ele, honrando e obedecendo a Sua palavra. Deixe que a Sua luz brilhe através de você para que aqueles que não O conhecem também posam ter um desejo de segui-Lo e glorificar Deus Todo-Poderoso.  

Jesus disse: “Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, pois serão satisfeitos.” (Mateus 5:6)

Publicado por: mvmportugues | outubro 27, 2014

CRISTÃOS DEVEM ANDAR NA LUZ – 1 João 1:5-10

1 João 1 vs 5-10

1 João 1:5A mensagem que Cristo nos deu e que anunciamos a vocês é esta: Deus é luz, e não há nele nenhuma escuridão. 

A luz representa o que é bom, puro, verdadeiro, sagrado e de confiança. A escuridão representa o que é pecado e mal. Deus é luz significa que Deus é perfeitamente santo e verdadeiro, e que só Ele pode nos guiar para fora da escuridão do pecado. Luz se relaciona com a verdade em que expõe luz em tudo o que existe, se é bom ou ruim. No escuro, o bem e o mal parecem da mesma forma; na luz podem ser claramente distinguidos.  

Assim como a escuridão não pode existir na presença de luz, o pecado não pode existir na presença do nosso Deus Santo. Se quisermos ter um relacionamento com Deus, devemos deixar de lado nossos caminhos pecaminosos e caminhar na luz. Se afirmamos que pertencemos a Ele, mas, em seguida, vivemos para nós mesmos, isto é hipocrisia. Cristo vai expor e julgar tal engano.  

Jesus disse: “Eu sou a luz do mundo. Quem me segue, nunca andará em trevas, mas terá a luz da vida”. (João 8:12)  

1 João 1:6Portanto, se dizemos que estamos unidos com Deus e ao mesmo tempo vivemos na escuridão, então estamos mentindo com palavras e ações. 

Aqui João está dizendo que ninguém pode pretender ser um cristão e viver uma vida má e imoral. Não podemos amar a Deus e viver desejando o pecado, ao mesmo tempo. 

Muitos declaram ter comunhão com o Senhor, que O amam, que estão servindo a Ele, mas continuam vivendo em pecado! João diz que eles estão mentindo. Eles estão enganando a si mesmos, continuando a viver a vida antiga e andando segundo aos desejos da carne, enquanto professam ter uma nova vida em Cristo.  

1 João 1:7Porém, se vivemos na luz, como Deus está na luz, então estamos unidos uns com os outros, e o sangue de Jesus, o seu Filho, nos limpa de todo pecado.  

Nova vida em Cristo nos tira das trevas e nos conduz a comunhão de luz e verdade uns com os outros em Cristo Jesus. Portanto, a comunhão com Deus é possível por causa do valor eterno do sangue de Cristo. 

Um verdadeiro cristão anda habitualmente na luz que equivale a verdade e santidade, e não na escuridão, que é a mentira e o pecado. Sua caminhada também resulta em purificação do pecado porque o Senhor perdoa continuamente Seus filhos. Já que aqueles que andam na luz compartem no caráter de Deus, eles vão ser habitualmente caracterizados por Sua santidade (3 João 11), indicando a sua verdadeira comunhão com Ele (Tiago 1:27). Um cristão genuíno não andará em trevas, mas somente na luz. Jesus é a luz. Se andarmos no reflexo de Sua luz, vamos cumprir a Escritura que diz que somos a luz do mundo. (Mateus 5:14)  

1 João 1:8Se dizemos que não temos pecados, estamos nos enganando, e não há verdade em nós. 

Aqui vemos João dirigindo-se à falsidade da crença de que não temos pecado nenhum. A negação da existência do pecado em nossas vidas é auto-engano e embota nossa capacidade de arrepender-nos do pecado.  

O pecado rompe a comunhão com Deus. A rebelião contra a verdade de Deus sempre nos conduz ao auto-engano e erro. Nós não enganamos ninguém, mas a nós mesmos. Precisamos ser honestos sobre o pecado que está em nossas vidas, para que possamos lidar com ele de forma eficaz. “A pessoa que pensa que é importante, quando, de fato, não é, está enganando a si mesma.” (Gálatas 6:3)  

1 João 1:9Mas, se confessarmos os nossos pecados a Deus, ele cumprirá a sua promessa e fará o que é correto: ele perdoará os nossos pecados e nos limpará de toda maldade. 

Quando andamos na luz, permanecendo em Jesus, o sangue de Jesus nos purifica de toda injustiça. Quando confessamos os nossos pecados diante de Deus, Ele abre a porta para que a Sua luz purificadora purifique nossos corações e restaura nossa comunhão com Ele.  

1 João 1:10Se dizemos que não temos cometido pecados, fazemos de Deus um mentiroso, e a sua palavra não está em nós. 

Para negar a nossa pecaminosidade não é apenas uma questão de enganar a nós mesmos, é fazer de Deus um mentiroso, negando Sua Palavra. Tanto o Antigo como o Novo Testamento enfatizam a universalidade do pecado do homem.  

“Não há quem faça o bem, não há nem sequer um.” (Salmo 14:3)  

“Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” (Romanos 3:23)  

Quando temos a verdadeira comunhão com o Senhor, vamos caminhar na luz. Quando nos tornamos cristãos, não devemos viver no pecado, porque realizamos que: “Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. A vida que agora vivo no corpo, vivo-a pela fé no filho de Deus, que me amou e se entregou por mim.” (Gálatas 2:20)

Salmo 68 vs 5 (P)

“Pai para os órfãos e defensor das viúvas é Deus em sua santa habitação.” (Salmo 68:5)  

Os seres humanos têm instintivamente a necessidade de um pai, que nos alimenta quando estamos com fome, nos ama quando estamos sós, e cuida de nós quando estamos chorando. Ansiamos por um pai, que nos ouve quando temos dúvidas, nos incentiva quando estamos desanimados e nos disciplina quando fazemos algo errado. Um pai que se preocupa e toma tempo com as pequenas coisas; que estende sabedoria quando estamos preocupados, que ora para os seus filhos e busca entender a vontade e a direção de Deus antes de agir por conta própria.  

Deus colocou em nós o desejo de ser amado por nosso pai. Alguns pais atuam bem e outras não. Alguns tem grade sucesso e outros falham miseravelmente.  

Felizmente, Deus é o modelo perfeito de um pai fiel e Ele preenche as lacunas deixadas pelo nosso pai terreno à medida que O buscamos a cada dia. Portanto, devemos ouvi-Lo e honrá-Lo em tudo o que nós pensamos, dizemos e fazemos.  

Pais precisam aprender a ter um relacionamento com Deus, mesmo se eles não tiveram ou não tem um relacionamento com seu pai terreno. Isto é realizado através da leitura e compreensão das Escrituras, onde um pai vai obter e crescer em sabedoria, graça e a habilidade de criar filhos para a glória de Deus.  

Pais que aceitaram Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador são filhos de Deus e aprendem com Ele e por sua vez ensinam as verdades e os tesouros da Bíblia à seus filhos.  

Nosso Pai celestial merece o nosso respeito e o nosso amor, porque Ele está sempre lá para nós e é totalmente confiável. O que Deus diz, Ele faz. Deus nosso Pai celestial não vai nos decepcionar, Ele sabe o que precisamos e quando precisamos. Às vezes pode se sentir como se Ele não está conosco, mas Ele está. Ele provavelmente está falando, mas não estamos ouvindo. Ou pode ser que Ele está silencioso porque Ele quer que a nossa fé e confiança Nele cresça.  

Pais terrenos precisam ser eternos aprendizes de como ser pais fiéis; e precisam lembrar que cada época de ser pai é diferente. O que funcionou na última fase da vida do seu filho precisa ser modificado através da palavra de Deus para a próxima.  

Pela fé, o pai precisa ser flexível. Bebês, precisam de seu toque suave. Crianças, precisam de paciência e instrução. Adolescentes precisam do exemplo de amor, obediência e perdão. Em cada fase da vida, filhos precisam da sabedoria divina, amizade, tempo e a confiança de um pai.  

Pais precisam olhar para o Pai para orientação e segurança. Ser pai fiel não significa perfeição, mas significa que você depende daquele que é Perfeito. Os pais precisam apoiar-se no Senhor por Seu cuidado amoroso, para que possam estender o mesmo.  

Então, o que exatamente é preciso para ser verdadeiramente digno de tal honra? Biblicamente falando, ele começa quando um homem escolhe uma mulher cristã com sabedoria, então quando ele se torna pai, ele é instado a “treinar” seus filhos “no caminho que devem seguir” (Provérbios 22:6). Portanto, a instrução divina é essencialmente a responsabilidade do pai cristão, aplicado com uma mão suave e firme para criar seus filhos “na disciplina e na admoestação do Senhor” (Efésios 6:4).  

A chave para ser um bom pai é o seu compromisso para com o Pai, que produz, sabedoria, discernimento, obediência, e uma vida e liderança piedosa.  

“Filho meu, não rejeites a correção do Senhor, nem te enojes da sua repreensão. Porque o Senhor repreende aquele a quem ama, assim como o pai, ao filho a quem quer bem.” (Provérbios 3:11-12)

Older Posts »

Categorias

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 188 outros seguidores